História The Only Exception - Capítulo 9


Escrita por: ~

Exibições 305
Palavras 2.772
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Fluffy, Lemon, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Slash, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Eu atrasei um dia, mas cheguei, NÃO SABIA COMO TERMINAR ESSE CAP SÉRIO AKSNDSKLSNK
Ai deixei o resto pro próximo pq sim
Pelo menos esse vcs não vão querer me bater, acho
De nada

Leiam as notas finais, enjoy it <3

Capítulo 9 - Awake


Fanfic / Fanfiction The Only Exception - Capítulo 9 - Awake



 


  Sinceramente, eu odeio engarrafamentos.


  Odeio avenidas lotadas.


  E odeio gente lerda ao dirigir.


 “Vai, anda, por favor.” Pedia apressado aos motoristas em minha frente, mesmo que eles não pudessem ouvir. Minhas mãos tremiam enquanto segurava o volante e aquele trânsito parado em nada ajudava.


  Maldita ansiedade.


 “Calma, nós já estamos chegando, respira, 1, 2,3!” Brincou Taehyung, com a mão no peito e respirando fundo exageradamente, enquanto eu apenas o olhei de cara feia e Jungkook ria da situação.


 “Yoongi Hyung, alguém está ligando.” Pronunciou o moreno mais novo, apontando para o meu celular no painel do carro.



 “Oh, é o Jin Hyung, bem deve estar louco querendo saber se já chegamos.” Disse Tae, pegando meu celular já atendendo-o e colocando no auto falante.


 “Vocês já chegaram?” Uma voz afoita soou do outro lado da linha. É, dessa vez meu melhor amigo tinha razão.


 “Não, culpa do maldito engarrafamento, estamos parados aqui, literalmente.” Respondi a Jin que estava na chamada.


 “Merda, nós também. Na verdade acabamos nos atrasando um pouco porque o Namjoon perdeu as chaves do carro e ainda rasgou o tênis, agora ele está indo descalço porque os sapatos do Jimin não cabem nos pés dele e nossas coisas ficaram na sua casa ontem à noite.” Proferiu em um tom debochado, como se repreendesse indiretamente o namorado por sua falta de atenção.


  Tinha que ser Kim Namjoon.


  Não pude evitar rir, ele era realmente muito desastrado e só Jin para ter essa paciência toda.


 "Estamos quase chegando, já pode parar de apertar meu braço Yoongi, desse jeito vai arrancar meu coro." Reclamou o de fios rosados, alertando-me. Eu sequer percebera que fazia tal ato, meu nervosismo estava no auge.


 "Merda." Xinguei apenas. Sentia como se fosse desmaiar a qualquer momento.


  Mas afinal, minha ansiedade fazia jus a situação que estávamos, convenhamos. Eu tinha motivos reais para estar prestes a ter um ataque cardíaco.


  Estávamos indo no hospital ver Jimin que acordara aquela manhã.


  Tanto tempo havia se passado, foram dois meses desde o dia que conheci Jin e Namjoon, totalizando três meses que Jimin estava naquele lugar.


  Os dois acabaram por ficar definitivamente morando em Seoul, já que Namjoon recebeu uma oferta de emprego e Jin podia trabalhar em diversos locais.


  Minha amizade com o irmão do ruivo e seu namorado cresceu bastante, visto que nos víamos praticamente todos os dias. Taehyung e Jungkook não ficaram de fora, pois viviam comigo, resultando em todos nós juntos. Outra pessoa que se juntou a nós foi meu amigo de trabalho Hoseok, que no começo teve uma queda pelo Tae, mas já deixou isso de lado e é bem amigo de todos.


  Fora algo ótimo, pois eu não estava mais sozinho. Não era apenas eu que torcia por Jimin, muito menos sofria por sua falta. Tive algumas crises durante esse tempo, mas sempre um dos meninos estavam comigo, praticamente viramos uma família em tão pouco tempo.


  A família que eu nunca tive.


  Meus pais sempre se mantiveram muito ocupados com o trabalho, se importando mais em me dar bens materiais do que a atenção que todo filho merece. Eles foram ausentes durante toda a minha vida, na infância eu troquei de babá várias vezes, até chegar a idade em que eu pude me virar sozinho. E então, aos meus 18 anos, eles não comemoraram meu aniversário comigo, mas compraram a casa onde moro e me dão cheques mensais para as minhas despesas.


  Isso explica o motivo de eu não me preocupar tanto com meu trabalho, mas o faço por querer ser responsável por mim mesmo e sentir na pele o que é lutar para conseguir crescer na vida.


  É contraditório por eu ser um tremendo preguiçoso, mas eu realmente odeio a ideia de depender dos meus pais para me sustentar, apenas por nunca ter tido a atenção deles.


  Mas agora voltando ao foco, eu ainda estou muito nervoso.


 "Chegamos." Pronunciou Jungkook, me fazendo tomar um susto. Estava tão absorto em meus devaneios que mal percebi quando estacionei em frente ao hospital, foi como por hábito - sim, eu fui ali muitas vezes nos últimos meses.


  Finalmente, o grande dia chegou.



 

[+]
 




  • Park Jimin point of view •


  Aonde eu estou?


  Que lugar mórbido é esse, porque tem tantos aparelhos ao meu redor?


  Droga. Eu não acredito.


  Estou em um hospital, isso não pode estar acontecendo.


  Tentei lembrar de algo, mas minha mente parecia muito conturbada, não conseguia processar tudo o que estava vendo ali. Ok, eu estou internado, provavelmente. E por algum motivo que eu não sei.


  Minha cabeça dói, eu deveria chamar uma enfermeira?


  Será se devo gritar? Não, vou parecer um louco e vão me tirar daqui e mandar direto para um manicômio.


  Não precisei esperar muito, pois logo uma moça de jaleco branco, que julguei ser minha enfermeira, chegou no local.


 "Oh meu Deus, você acordou! Espere só um minuto que irei chamar o médico." Exclamou com uma certa empolgação na voz.


  Tá, eu acordei, mas eu dormi por tanto tempo assim pra ela agir dessa forma?
 

 "O que está acontecendo?" Tentei perguntar logo que vi um senhor de meia idade e cabelos grisalhos adentrando em minha sala, mas a voz não saia de minha boca.


  Sinto um tubo em minha cavidade bucal, algo está muito errado aqui.


 “Olá, senhor Park. Bem-vindo de volta! Você consegue me ouvir?” Perguntou o homem, vulgo médico, procurando respostas em mim. Tentei fazer um sinal de positivo com a mão, mas a mesma não parecia corresponder aos meus estímulos. “Se você está me ouvindo, pisque os olhos três vezes seguidas, sim?” Pediu, onde prontamente o fiz.


  Eu estou extremamente confuso.


 “Senhor, preciso lhe informar que você... Sofreu um acidente. E bem, alguns amigos seus estão aqui para vê-lo, mas você precisará ficar um tempo aqui no hospital fazendo fisioterapia para se recuperar. Vamos fazer alguns exames e deixá-lo sob observação. Dependendo dos resultados, iremos lhe dar alta logo que possível.” Informou o médico, onde apenas pisquei para o mesmo novamente.


  Estava com uma sensação horrível, sentia-me tonto, não lembrava de nada e meus músculos doíam.


  Tentei pensar em minhas lembranças mais recentes, mas tudo o que conseguia vir a mente era... Era eu indo para a casa de Yoongi. Apenas isso.


  Sequer lembrava de algo do acidente, ou do dia que acontecera. Precisava de respostas, mas eu sequer conseguia me movimentar.


  Passando-se um tempo, fui levado a algumas salas, ainda deitado na cama, onde fizeram alguns procedimentos em meu corpo. Ouvi algo sobre eu ter sofrido uma concussão – mais precisamente, traumatismo crânio-encefálico – e mais outras coisas que não consegui absorver.


  Tentava movimentar meus dedos, mas parecia impossível, estava começando a entrar em desespero por não ter mais domínio sobre o meu próprio corpo, estava preso dentro dele.


  Pelo o que entendi, eu estive em coma. Será normal acordar e não conseguir ter as funções normais?


  Pelo menos consigo pensar.


  Cheguei em uma sala - após os exames e tirarem todos aqueles tubos de mim - com uma doutora sentada em uma mesa. Lá havia alguns instrumentos que eu não entendia para que servia.


  Ela fez alguns exercícios comigo, para tentar me fazer falar, eu consegui articular algumas coisas e ela disse que eu melhoraria com o tempo. Foi o mesmo com meus movimentos motores.


  Senti um alívio ao conseguir fechar a mão, em um punho, pela primeira vez naquele dia. Meus músculos já estavam menos tensos, mas eu me sentia estranho.


  Me sentia outra pessoa.


  Depois de um tempo que julguei ser horas, eu me sentia melhor. Conseguia me locomover, era impressionante como estava me recuperando em tempo recorde, mas estava um tanto desorientado. Olhei de relance para uma janela e vi rostos conhecidos.


  Meus amigos.


  Meu irmão.


  Meu amor.


  Naquele momento pude sentir que meus batimentos cardíacos não eram mais os mesmos. Eu estava muito feliz e surpreso de ver todos os que eu amava ali, mas estava mais ainda por uma pessoa específica.


  Min Yoongi.


  Eu perdera a conta de quantas vezes pensei nesse garoto. Lembro-me de ter o ouvido algumas vezes durante o tempo em que “dormi” – porém desconheço tais palavras.


  Queria poder lembrar o que ele me dizia. Mas então, pelo menos isso quer dizer que ele me visitou, certo?


  Será se Yoongi compartilha dos mesmos sentimentos que eu?


  Queria tanto lembrar...


  E ver seu rosto tão lindo, agora olhando em meus olhos ao longe, pelo pequeno espaço da janela, me traz uma sensação inexprimível. Afinal, quanto tempo fiquei afastado?


  Olhei para a médica a minha frente, vulgo fisioterapeuta, tentando perguntar sobre isso, mas minha voz ainda estava falha e as palavras não articulavam corretamente.


  Fiz sinais para ela e tentei escrever, mas descobri mais um problema: minha mão tremia quando eu tentava o fazer.


  Em uma fração de segundo, uma irritação profunda tomou conta do meu ser. Parecia incontrolável, como se algo dentro de mim dominasse meu corpo, por mais que eu tentasse parar, meu rosto esquentava cada vez mais.


  Levantei abruptamente da cadeira onde estava, me joguei no chão acolchoado com diversos instrumentos fisioterapêuticos e me debati, começando a gritar. Dois seguranças que estavam na porta correram até mim, segurando-me, enquanto a médica vinha em minha direção pedindo para eu respirar profundamente numa tentativa de me manter calmo.


  Me pus a chorar, tudo estava tão confuso em minha mente, tão embaralhado, eu me sentia fragilizado de uma forma inenarrável, estava preso em meu próprio corpo. Minha mente queria comandar, mas não conseguia e isso me enlouquecia, estava debilitado.


  Olhei novamente para a janela, meus amigos não estavam mais lá, provavelmente o horário de visitas acabou e os expulsaram dali. Pelo menos eles não viram meu estado e o que acabou de ocorrer.


  Os seguranças ainda me seguravam e quando recobrei a consciência dos fatos, senti uma repulsa terrível. Aquelas mãos me tocando era como se queimasse em minha pele, sentia-me enjoado e atordoado.


  Felizmente, a médica pareceu perceber meu desconforto, pedindo para que eles me deixassem, onde logo sentei-me no chão e comecei uma sessão de exercícios.


  Acho que não sou mais o mesmo.
 


[+]

 


  Cerca de cinco dias se passaram. Eu queria muito ver Yoongi, estava ficando louco, desde aquele dia ele não aparecera mais.


  Minha recuperação estava quase cem por cento – por pura sorte, já que a maioria das pessoas não se recuperam tanto –, mas ainda não havia restaurado totalmente as forças de minha voz, o que me deixava extremamente frustrado.

  Eu já iria receber alta do hospital, continuaria com as sessões de terapia, mas felizmente eu podia ir para casa.


  A atendente do hospital ligou para meus amigos, que disseram já estar a caminho.


  Pela primeira vez nesses dias, me senti muito nervoso.


  Eu iria ver o amor da minha vida novamente. Quem me dera ele me visse dessa forma também, mas quem liga? Só quero abraçá-lo.


  Agora só resta esperar.



  · Author point of view ·



  Os meninos estavam novamente indo de encontro a Jimin, desta vez para levá-lo para casa. Na última vez, quando ele acordara, mal puderam vê-lo, já que este estava um tanto debilitado e ainda iria precisar de um tempo até receber alta.


  O mais ansioso de todos ali era um certo garoto de cabelos esverdeados, que batia os dedos freneticamente contra qualquer objeto sólido. Todos estavam felizes por tudo estar bem e eles terem seu ruivo de volta, até aqueles que não eram próximos do garoto. A única preocupação que pairava na mente dos mesmos era como estava o menor, em referência às sequelas.


  Chegando no hospital, falaram com a atendente e rumaram ao local onde Jimin os esperava.


  Yoongi decidiu não ir até lá, queria fazer uma surpresa.


  Os meninos caminharam até uma porta branca, e quando a abriram, lá estava o garoto de fios alaranjados e desbotados.


  Ele abriu um grande sorriso ao ver os amigos e o irmão ali consigo. Percorreu os olhos por todos, desfazendo um pouco sua feição antes alegre.


 “E o Yoongi?” Fora sua primeira frase. Todos se entreolharam e apenas disseram que logo ele iria vê-lo.


  Taehyung, com seu jeito espontâneo de sempre, e Jin, irmão protetor, foram os primeiros a ir em direção ao garoto para abraçá-lo.


  O que eles não esperavam era que Jimin fosse se assustar e fazer um movimento brusco que os afastassem.


  Os garotos observaram confusos e temerosos, enquanto o ruivo apenas colocava a mão na testa e fechava os olhos fortemente.


  O que estaria acontecendo com ele?


  Sentiu-se tonto, e quando Jin tentou se aproximar novamente, o garoto o empurrou, dando início ao que parecia ser uma crise de ansiedade.


  Ninguém entendia o que estava acontecendo, então Jimin apenas saiu porta a fora, esperando que os outros o seguissem e assim o fizeram.


  Não compreendia o que estava acontecendo consigo, seu corpo parecia ter uma repulsa a toques e contato físico mais do que antigamente.


  Sua fobia aumentara.


  E com certeza era mais uma sequela do trauma que sofreu no acidente.


  O garoto já carregava tanto traumas consigo, não entendia porque sua vida era tão injusta lhe dando mais um.


  Andou cambaleante pelo corredor do hospital, avistando a saída, enquanto seus amigos apenas os seguiam.


 “Yoongi...” Sussurrou apenas para si, buscando com os olhos o garoto de cabelos esverdeados que tanto sentia falta.


  Parou no estacionamento do hospital, quando percebeu que os outros meninos pararam de andar. Voltou alguns passos, tentando entender o que estava acontecendo ali, quando por trás de todos apareceu uma figura pequena e linda, olhando diretamente em seus olhos.


  Min Yoongi.


 “Você...” Jimin murmurou, dando passos mínimos na direção do garoto que continuava parado, estático e que parecia tão surpreso quanto ele. Seu coração se aqueceu ao ver o lindo sorriso do Min, direcionado para si. E a empolgação do maior era algo perceptível, era óbvio sua felicidade ao ver o ruivo.


  Jimin apressou os passos, até ficar a menos de um metro do seu Hyung. O coração de ambos agitavam-se, pode se dizer que batiam em um só ritmo, porque mesmo quem não os conhecia, vendo-os até mesmo de longe, poderia enxergar o amor existente entre os dois.


  Eles permaneciam imóveis, apenas encarando-se com sorrisos mínimos nos rostos. Yoongi era o mais tocado ali, primeiro pela saudade, segundo por ver seu garoto ali, na sua frente, salvo, curado e vivo.


  Já Jimin, por algum motivo, mesmo que estivesse todos aqueles meses em coma, sabia que há tempos não via o mais velho, começando por sua aparência e seus cabelos diferentes da última vez que lembrava ter visto.


  E ele estava tão lindo, como sempre fora, mas agora sua beleza parecia refletir aos olhos de todos que o vissem.


  Aquele garoto, sem dúvidas, era o homem mais bonito que o Park conhecera.


  Yoongi, em um ato lento, levantou sua destra de forma calma, a fim de tocar no rosto do Park. O outro apenas fechou os olhos, soltando um suspiro, tentando controlar todos os sentimentos que afloravam-se dentro de si. Os dedos do Min tocaram sua pele aveludada de forma suave, e diferente dos outros, o ruivo não sentiu nenhuma aversão àquele ato. Uma calmaria se instalou em seu corpo, apenas por sentir o calor da mão de seu amado em sua face, a troca de olhares, a boca entreaberta e convidativa do esverdeado, o amor que pairava entre ambos.


  O menor, em um movimento impulsivo, porém tão correto, colocou seus braços ao redor do pescoço do seu Hyung, recebendo em troca um enlaço em sua cintura, unindo ambos os corpos em um abraço caloroso.


  Jimin sentiu o mais velho soltar um soluço, no qual deduziu que o mesmo estaria chorando, talvez de saudade, ou de algo que não soubesse ainda. Todos os olhavam em um misto de emoções, meio surpresos pelo dongsaeng reagir bem ao contato físico de Yoongi, meio chorosos pela emoção repentina, e principalmente, muito felizes com tudo. Os dois eram de fato feitos um para o outro, era inegável o amor recíproco que eles sentiam.


  Ninguém sabe dizer quanto tempo se passou naquele ato carinhoso e forte dos dois garotos, o ruivo e o esverdeado. Mas isso não importava. O que importava era que agora eles estavam juntos como há muito deveria ser.


  Jimin foi salvo da morte, isso era importante.


  O tempo não era importante.


  A menos que fosse para perdê-lo, e se tinha algo que todos ali aprenderam, era que não deveriam perder tempo, deixando para depois o que se pode fazer o mais rápido possível.


  Agora Min Yoongi tinha mais uma chance de fazer tudo correto.


  Tinha a chance de mostrar ao Park o quanto o amava, sem orgulho, sem negações e sem limites.




 


Notas Finais


To me tremendo

ESCREVER EM 3º PESSOA É MT DIFICIL PRA MIM, eu surtei com o final pq tinha que ser em terceira mas n tava sentindo a emoção suficiente, enfim
Eu realmente espero q vcs comentem pq eu quero muito saber o que acharam e estão achando, e pq amo interagir com vcs <3

Para os que shippam jikook, quero recomendar duas fics de duas autoras maravilindas:

Awake: o segredo - https://spiritfanfics.com/historia/awake-o-segredo-jikook-6052002

Are You Ready? - https://spiritfanfics.com/historia/are-you-ready-6594662

Panfleto mesmo, amo tbm.

É ISSO, se alguém tiver sugestões ou sei lá, eu to de muito bom humor então posso tentar encaixar no roteiro, quem sabe <3

Beijooo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...