História The Originals - Somos Família (Livro 3) - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Originals, The Vampire Diaries
Personagens Aurora de Martel, Camille O'Connell, Caroline Forbes, Davina Claire, Elijah Mikaelson, Freya Mikaelson, Hope Mikaelson, Klaus Mikaelson, Kol Mikaelson, Lucien Castle, Marcellus "Marcel" Gerard, Rebekah Mikaelson, Tristan de Martel
Tags Alec Mikaelson, Allijah, Allison, Andrew Wessex, Família, Hope Mikaelson, Jabekah, James, Klaroline, Nola, Originais, Original, Romance
Visualizações 52
Palavras 1.104
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Famí­lia, Ficção, Luta, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Talvez Haja Guerra


Fanfic / Fanfiction The Originals - Somos Família (Livro 3) - Capítulo 4 - Talvez Haja Guerra

A cada bela impressão que causamos, conquistamos um inimigo. Para ser popular é indispensável ser medíocre.

Caroline P.O.V

Eu olhava os quadros de Klaus enquanto ouvia as criticas. Algumas construtivas já outra não.

— Por que contratou uma baba? - Klaus perguntou de repente e o olhei.

— Por que eu não ia deixar as crianças sozinhas.

— Mas e Freya? - ele falou e o olhei com irritação.

— Freya tem a vida dela. Merece se divertir, passou mais tempo dormindo do que aproveitando. Vamos deixa-la de folga.

— Então prefere deixar nossos filhos com estranhos? - disse e me virei para ele com os braços cruzados.

— Eu a compeli ela não vai fazer nada com as crianças, Klaus. - passei meus braços no seu pescoço e beijei seu queixo — Relaxa. 

Ele sorriu e me abraçou pela cintura e beijou minha testa.

— Eu te amo. - sussurrou e sorri.

— Também te amo.

— Que casal mais lindo.

Ouvi a voz de um homem e no mesmo momento notei Klaus ficar um pouco tenso então olhei a figura. 

— Lucien. - cumprimentou Klaus, engolindo a surpresa de o ver.

Lucien me olhou e sorriu galante e revirei os olhos.

— Prazer Lucien...

— Castle.

—...Sou Caroline.

— Eu sei. - disse em um tom malicioso. 

— Que tal parar de dar em cima da minha esposa. - disse Klaus e ele sorriu.

— Estou sendo cavalheiro, somente.

— Caroline. - ouvi e olhei para porta vendo Cami.

— Licença. - disse me afastando dos dois e indo até Cami que sorriu ao me ver.

— Tudo bem? 

Perguntei e ela me entregou o celular onde tinha fotos de uma cena de crime bem...sádica.

— Acha que foi um vampiro? - a olhei com a testa franzida.

— Foi?

— Eu e Klaus não fomos. James e Allison não são desse feitio e Elijah se comporta.

— Mas e Kol?

— Se fosse Kol não estaria pendurado em cabos. - a olhei com sarcasmos — Estaria sem a cabeça.

— E quem é aquele maluco me olhando como um pedaço de carne?

— Um amigo antigo de Klaus. 

— Ótimo, seu marido louco e paranoico está atraindo mais loucos para a cidade. - ela disse e sorri.

— Eu ouvi tudo isso Camille. - disse Klaus.

— Se não fosse intrometido não ouviria. - ela disse sarcástica e sorri imaginando a cara de Klaus. — Eu preciso ir agora. Depois nos vemos. - disse dando as costas e saindo.

Meu celular tocou e atendi sem ver quem era.

— Alô?

— Princesa. - ouvi aquele sotaque e mordi o lábio.

— O que você quer?

— Preciso que venha me encontrar. Estou no Rousseu's. É importante, vem rápido.

— Estou indo. - disse em um suspiro e desliguei.

Fui até Klaus e beijei seu rosto.

— Preciso ir. - digo e ele me olha.

— Quem era se amigo?

— Ninguém importante? 

Disse simplesmente e sorri.

— Não parecia ser desimportante. - disse e franzi o cenho.

— Te vejo em casa. - disse jogando um olhar de adeus para Lucien.

Dei as costas mas Klaus agarrou meu braço com força e me puxou. O olhei com raiva e ele me olhou da mesma forma.

— Não estou brincando, Caroline. 

Avisou entre dentes e sorri provocativa.

— Me viu rindo por a caso? - disse puxando meu braço do seu aperto. — Nos vemos em casa. 

falei dando as costas a ele novamente e saindo daquele estabelecimento.

Klaus P.O.V

Virei outro copo de whisky enquanto olhava  o por do sol de um de meus quadros.

— Acho que sua esposa lhe tirou o humor. 

Ouvi Lucien falar ao meu lado e me virei para ele. Se ele não tivesse aparecido provavelmente eu não teria discutido com Caroline.

— O que faz na minha cidade? Tenho certeza que não veio somente apreciar meus quadros. - disse com um sorriso irônico.

— A noticia se espalhou, meu amigo. Todos os vampiros do mundo sabe que você foi atacado. você esteve perto da morte muitas vezes...

— Posso garantir-te que todos os que ficaram contra mim se foram. 

— Mas e se não tivesse acabado assim? - disse indo para trás de mim e me virei. — Quando Finn morreu, descobrimos a verdade. A vida de cada vampiro esta ligada a quem originou sua linhagem. A morte do Kol confirmou. E mesmo que Kol tenha voltado duas linhagens inteiras de vampiros morreram. Deve saber que essa ameaça não é agradável aos vampiros que sobraram, né? 

— Quem tiver medo de morrer por causa da minha morte, acho que devia me ver. Ficarei feliz em tranquiliza-los, mostrarei que estou bem vivo. 

— É claro. Você e seus irmão são muito fortes. mas os ataques mostraram que não são completamente invencíveis como sua esposa. Sua família está unida agora, mas, e se eu lhe dissesse que há conflitos crescendo entre as três ultimas linhagens? Digamos que uma decida aniquilar a outra. Matando Elijah, Rebekah...você.

 — Quer dizer que veio até aqui me dar um aviso?

— Pense bem Klaus. Matar um Original faz sumir uma linhagem inteira de inimigos. É tentador, não? Mas um pouquinho e sua família será completamente fraca.

— A minha família não é fraca. Na verdade, somos imortais. A ultima estaca de carvalho branco foi destruída. 

— Tem certeza que acabou com todas elas? Que cada pedacinho sumiu para sempre? - ele falou e segurei sua nuca.

— Lucien. Se você tiver a minima suspeita de que há algum fragmento de carvalho branco existente, é claro... que ira me dizer. - disse em tom ameaçador.

— Calma, Nik. Você me criou. O meu destino é ligado ao seu. - disse tirando minha mão de sua nuca. — Se quer saber o que eu sei sobre os perigos que você enfrenta, confie em mim e venha comigo. Tem uma coisa que precisa ver.

Caroline P.O.V

Tirei minhas pressas do pescoço da garota que ficou parada. Não, não era verdade, não poda ser a verdade. Andrew fez o mesmo e me olhou com um sorriso.

— Viu?

Eu o encarei incrédula.

— Não pode ser verdade. 

— Sabe que é, Caroline. Você é bruxa, sabe quando outra mostra a verdade.

— Mas estamos bem, Klaus e Elijah não estão divididos e Rebekah está feliz. Impossível que isso os atinja.

— O ponto não é eles, Caroline, é você. Se você morrer eu morro, mas não é só isso. Me preocupo com você, sabe disso.

— Não sou eu o alvo. Se isso tudo for verdade, Klaus está em risco, não eu.

— Como pode saber? Hoje é eles. Amanha pode ser você. Todos os vampiros da sua linhagem, da de James e a de Allison sabem que as vezes vocês entram em conflito. Estão com medo de que isso aconteça novamente e uma profecia surja para vocês. Ai...será o fim dos vampiros do mundo todo. E eu não quero morrer!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...