História The Others - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Hoseok, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Namjoon, Rap Monster, Suga, Taehyung, Yoongi
Visualizações 182
Palavras 1.662
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Fantasia, Ficção, Hentai, Lemon, Magia, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


♡ olááááá brigadeiros ♡

genteeeeee
eu amei ler as teorias de vocês,
socorroooo aaaah
nem eu tive tanta criatividade assim na hora de escrever,
acho que eu vou começar a contratar vocês pra me ajudar a escrever,
tudo isso a preço de um chocolate da cacau show por mês ta?
calma que a pessoa aqui ainda não é rica ajshajhsas


vamos pra um novo capítulo?
(^O^)

Capítulo 5 - The truth


Fanfic / Fanfiction The Others - Capítulo 5 - The truth

 

 

Anteriormente em

THE OTHERS:

 

Bom, Taehyung eu já sabia o que era...

Mas, e Jungkook, o que poderia ser? 

 

 

 

 

 

- 1, 2, 3 e... Vão!

 

 

Jin deu a ordem e, então eu vi vários e vários seres extraordinários transformarem-se em incríveis animais e seres mágicos que eu ainda não conseguia descrever. Meus olhos brilharam ao ver tudo isso, porém em meu peito eu sentia um medo incomparável.

 

 

 

- Boa sorte gatinha – Taehyung se aproximou de mim dando-me um beijo em minha bochecha e logo depois o vi se transformar em uma linda, porém maior do que o normal, raposa de sete rabos, e então correr para dentro da floresta

 

 

 Logo mais... E, então eu estava sozinha ali, apenas eu.

 

 

- Por que não esta correndo também? – o professor aproximou-se me questionando

- Não tenho poderes, sou praticamente uma humana – suspirei

- Se esta aqui é porque tem algo de mágico, venha, deixe-me tocar em você

 

 

Esquivei

 

 

- Não tenha medo, eu posso reconhecer os poderes dos seres mágicos apenas com um toque... vamos lá, deixe-me descobrir o seu!

 

 

Jin aproximou-se tirando a luva de couro da cor marrom de sua mão direita e, então me tocou em meu ombro. Vi seus olhos brilharem ao tempo em que ficavam completamente brancos tão alvos quanto à neve, sua pele também tomara uma coloração diferente, quase como um rosa ou um salmão. Por um instante pude jurar que ele não estava mais ali comigo, mas sim em uma outra dimensão já que deixava escapar palavras de alguma língua que eu não conseguia reconhecer.

Eu permanecia imóvel, apenas fitando ao homem que parecia receber mensagens revelando quem eu realmente era. Até que parou... Arregalou os olhos que brilhavam incandescentes, balançou a cabeça como se concordasse com algo e fecho-os ainda com as mãos sobre meus ombros.

Um frio subiu por minha espinha vertebral, meu coração também encontrava-se acelerado, e meu rosto deveria estar com uma expressão de espanto.

O professor Seokjin aos poucos foi tomando sua coloração normal, assim como seus olhos que voltaram a ser castanho escuro. E, então ele me encarou profundamente. Nenhum som saia de sua boca.

 

 

- E, então... o que sou?

 

 

Vi o mais velho balbuciar algum som, ao tempo em que abria e fechava os lábios como quem quisesse falar algo, e logo em seguida, novamente... Mais silêncio.

 

 

 

- Professor Jin, por que esta me olhando com essa cara? Vamos, me diga! Sou algo tão ruim assim?!

- (S/n), precisamos conversar melhor sobre isso, mas não aqui... – ele olhou ao redor mostrando estar preocupado com algo – Seria arriscado demais!

 

 

 

 “Seria arriscado demais”

O que ele quisera falar com isso? E por que não quis me contar o que sou?

Agora mais do que o normal eu sentia a curiosidade de me conhecer, por anos sempre soube que não era como uma humana comum, porém ninguém nunca foi capaz de falar e apontar a minha divergência para os de mais.

 

 

- Me encontre na minha sala ao pôr do sol – o mesmo ordenou – Agora vá! Ainda tem uma tarefa a cumprir!

 

 

 

Engoli o seco encarando as grandes árvores a minha frente, eram tantas que minha vista não conseguia acompanhá-las; olhei para o lado e Jin já não estava mais ali.

 

Será mesmo que todos aqui neste lugar somem misteriosamente? Aish!

     

E lá vamos nós!

Adentrei ao local sombrio que carregava uma névoa semelhante a da noite passada, também estava mais frio, coisa que já me fazia arrepiar por completo. Abracei os meus próprios braços e segui em frente caminhando cautelosamente; não se ouvia nada além do gruído de corujas e outros pássaros, realmente sinistro.

Até que algo voou por cima de mim, olhei imediatamente e então vi ali, pousado sobre o galho grosso de uma grande árvore uma criatura que eu não sabia como descrever. Era humana, porém tinha chifres em sua cabeça, mais de dois, além de uma grande asa negra que com certeza tinha o tamanho maior que o seu próprio corpo, seus olhos eram como duas esmeraldas verdes e ele ainda continha uma calda que balançava sem parar.

A criatura me encarou, e como!

Balançou a cabeça tombando-a para a direita e, então soltou uma espécie de rugido.

Meu coração acelerou e eu não fiz nada mais do que permitir as minhas pernas que corressem mais do que conseguissem. 

Já faltava fôlego em meus pulmões quando eu tropecei em algo e fui direto ao chão, a tal criatura voou, porém antes que conseguisse me tocar com uma de suas garras gigantescas, algo a empurrou – algum outro bicho – os dois passaram a brigar entre si e eu por minha vez sai o mais rápido que consegui de lá.

 

 

 

- Meu Deus! Meu Deus! Meu Deus! – toquei em meu peito que saltava

 

 

 

De repente vi mais outros seres correrem por entre as árvores, eram muitos e pareciam procurar algo enquanto brigavam uns com os outros.

 

A bandeira!

    

Lembrei-me do objeto que Seokjin mandou que trouxéssemos para ele, então entendi tamanha violência. O clima de competição era claro, eu via vários tipos de seres mágicos transformando-se; alguns voavam, outras rastejavam e ainda outros saltitavam, porém todos tinham algo em comum: tentavam encontrar alguma bandeira de cor vermelha para que pudessem entregar a Jin e assim subir de nível.

Entendi o porquê daquela tal mulher de corpo semelhante a um escorpião desejar-nos sorte, e compreendi em fim a expressão que todos sempre me disseram “o mais forte sobrevive no final”. Nesta hora amaldiçoei-me por ainda não ter descoberto meus poderes.

 

Ta legal, concentre-se (S/n), encontre uma bandeira e sai daqui!

    

Apressei o passo olhando para todos os lados, teria que me virar do jeito que desse. Ouvi um barulho suspeito e então mais uma vez o meu coração acelerou, andei de ré olhando tudo a minha volta e, então encostei-me a algo grande e peludo. Minha respiração descompassou mais uma vez, de longe ela pudera ser ouvida. Fechei os olhos e, quando os abri vi um animal gigantesco a minha frente.

Um lobo!

Seus olhos amarelados e penetrantes me encaravam profundamente, de suas narinas saia uma espécie de fumaça ao instante que ele inspirava o ar que enchia os seus pulmões; sua pelagem era grossa em uma mistura de preto, cinza e branco, apenas sua cabeça já deveria ser maior que todo o tronco de meu corpo, tamanha era sua espessura.

Ele foi se aproximando cada vez mais enquanto soltava um tipo de rosnado.

Não pensei duas vezes e comecei a correr, porém dessa vez berrando.

 

 

- Ah! Me deixa em paz!

 

 

Consegui correr alguns metros mais, porém o lobo saltou por mim apoiando suas grandes patas uma em cada ombro meu, fazendo com que eu caísse diretamente ao chão, então ele me prensou sobre a terra ficando por cima de mim.

Fechei os olhos.

 

 

 

- Por favor... por favor não – eu implorava sussurrando – Não me mata

- Por que eu te mataria? – escutei uma risada próxima ao meu rosto

 

 

 

Abri meus olhos ainda amedrontada e, então não senti mais o calor que o lobo carregava consigo, nem mesmo seus pelos sobre todo o meu corpo, ao contrário, agora era um... Um humano!

 

 

- Jungkook?!

- Bingo! – o menino sorriu ao ver o meu espanto

- V-você era aquele lobo?!

- Bingo! Bingo!

- Seu cretino! Por que me assustou daquela forma?!

- E por que eu não assustaria? – vi o perverso mordei seu lábio

 

 

 

Notei que ele olhava para o meu corpo que ainda permanecia em baixo do seu, sendo prensado contra o chão pelo garoto. Não pensei mais de uma vez e o chutei para que deixasse que eu me livrasse de seu peso.

 

 

- Calma ai princesa! – o hibrido deu-me espaço para que eu levantasse

 

 

Bati no tecido de meu uniforme querendo me livrar da sujeira da terra que grudara nele, e assim que levantei meus olhos, o vi, ali, estacionado apenas com uma calça de moletom e completamente nu do tronco para cima. Não posso negar, ele tem um ótimo físico!

Seu abdômen subia e descia acompanhando a sua respiração; assim como eu, ele deveria estar cansado de tanto correr.

 

 

- Gostou da visão, é? – vi o moleque rir sacana notando em meu olhar sobre ele

- Aish! Me poupe!

 

 

Dei meia volta não querendo ficar mais nenhum segundo se quer naquela maldita floresta, até que ouvi um assobio, olhei para trás e o mesmo garoto me olhava estendendo uma bandeira em minha direção.

 

 

- Fica pra você! – ele a jogou para mim

- Não posso aceitar! Além do mais, você também vai precisar dela...

- Não, não vou – o mesmo mostrou-me um esconderijo de folhas, local a onde escondera mais quatro bandeiras iguais a que me deu

- Conseguiu todas estas?!

- Ser um lobo tem lá suas vantagens – gabou-se

- Sendo assim... muito obrigada...

 

    

 

Depois de pegado a bandeira que o menino me presenteou, voltei a seguir rumo à saída daquela mata sombria, porém antes que me afastasse muito de Jungkook, ouvi-o falar uma espécie de “você me paga de outra forma depois”, porém ignorei a fala do pervertido e segui em frente.

Do lado de fora já se era pôr do sol.

 

Quanto tempo fiquei ali dentro afinal?

    

Lembrei-me que o professor Jin me pediu para que o encontrasse em sua sala exatamente a essa horário, então pedi informação do caminho até lá a um estudante que passava perto de mim no exato momento. Assim fiz, seguindo as suas instruções.

 

 

(...)

 

 

Demorei um pouco, mas por fim consegui encontrar uma grande porta de madeira maciça no fim de um curto corredor, a mesma que continha uma placa parafusada em sua madeira com o nome de “escritório do professor Kim Seokjin”. Dei duas batidas na porta, logo mais escutando uma voz meiga, porém máscula mandando que eu entrasse.

 

 

 

- (S/n), fico feliz que conseguiu chegar! Aceita um biscoito?

- Quero saber o que sou! – cortei a gentileza do mais velho

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

- Então é melhor se sentar... 

 

 


Notas Finais


iiiiiiiiiiiih
eitaaaa
se mandou sentar é porque não vem coisa boa por ai,
o que vocês acham que ela (vocês) pode ser?

quero mais palpites beninas,
to amando ver o que vocês pensam aaah

fiquem com Deus gatchas
e até o próximo
♡♡♡♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...