História The Outcasts - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ahs, American Horror Story, Andy Biersack, Aventura, Demônio, Drama, Exorcismo, Fallen Angels, Romance, Spn, Supernatural
Visualizações 36
Palavras 1.118
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Canibalismo, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Bom gente, depois de demorar eu voltei , desculpa sumir por tanto tempo. Essa parte da história é uma parte que eu mudei bastante da primeira versão de The Outcasts então eu me enrolei pra escrever porque já tinha tentando “vários tipos de possibilidades” tipo, eu escrevi esse capitulo muitas vezes até chegar a conclusão que eu teria que mudar tudo nele. Eu li mto para tentar tornar os detalhes bem melhores e tudo mais.
Como a parte mais difícil pra mim da historia ( uma espécie de “prefácio” que foram esses primeiros capítulos ) acaba nesse capitulo, provavelmente terei postagens mais freqüentes, pretendo postar um cap por semana. E ah! Quase esqueci.
A história foi editada no dia 24 DE ABRIL DE 2017, eu mudei um pouquinho das coisas, e tentei enriquecer algumas descrições e adicionar detalhes que ajudam vcs a imaginarem melhor a cena, então se vc leu a história antes desse dia , recomendo dar uma lidinha de novo pra ficar por dentro de tudo e não acabar perdendo alguma referencia ou algo assim.
Boa leitura meus amores <3

Capítulo 5 - Derthlec.


Capitulo V – Derthlec 

A minha adrenalina se elevava a cada passo que eu ouvia, meu corpo se arrepiava eu sentia meu estômago se embrulhar devido aquele pútrido cheiro. Minhas pupilas certamente estavam dilatadas devido ao medo e à escuridão, mas resolvi não correr até por que provavelmente fosse pior.

— Venero este delirante aroma de medo. — Eu senti o hálito fétido, eu senti o calor da proximidade, era o calor de um corpo que não era o de Andrew. Eu não sabia o que era aquilo, era uma criatura que eu não via, mas eu sabia que deveria ser amedrontadora. Meus olhos permaneceram  fechados o tempo todo, eu não tinha coragem para os abrir.

—  Derthlec, saía daqui  —  Disse Andrew de forma estridente

—  Sairei daqui apenas quando eu estiver satisfeito, saboreando cada camada de carne do corpo de cada um dos dois.

Eu sentia meu corpo formigar por completo, sentia minhas mãos suarem e diversos calafrios apenas com o ranger dos dentes de Derthlec enquanto ele falava.

Segurava, ainda,  em minhas mãos a arma de meu pai, apertava os punhos para que a mesma não escorregasse  de minha mão direita, escondida atrás de meu corpo.

 Enquanto Derthlec disparava palavra após palavra, eu finalmente tomei coragem para abrir os meus olhos.

O que eu vi não foi um troll, um gnomo, uma bruxa, uma fada, nem outras criaturas que vivem em florestas “mágicas”. Era algo de forma humanoide, alto, magro, seu corpo era coberto por pele de algum animal, como se fosse algum tipo de manta sobre suas vestes escuras e sujas. Suas mãos calejadas com dedos compridos e unhas longas, sujas e grossas seguravam um  cajado com um crânio humano preso no topo.

Senti a mão gélida de Andrew apalpar a minha, como um sinal para que eu soltasse a arma e desse para ele. Eu pensei duas vezes antes de soltar, eu não conhecia aquele maluco —  eu sinceramente, não conhecia mais nada a esse ponto, o mundo que eu julgava como normal, era divido com criaturas sobrenaturais as quais vemos em filmes de terror — Eu pensei duas vezes sim, ele poderia muito bem atirar em mim depois de matar Derthlec, mas por impulso eu  soltei a arma, senti o metal deslizar em meus dedos e caírem sobre as mãos calejadas de Andrew.

Andrew deu passos para a frente, lentos. Derthlec sibilava frases provocadoras, dizendo que Andrew era incapaz e que não conseguiria o machucar com as próprias mãos —  Derthlec não sabia que Welstorm estava com uma arma em suas mãos. — A criatura por sua vez, puxou para o lado seu manto de pele e mostrou uma adaga presa em uma espécie de cinto .

—  Sabes bem o que é isso não é ? Yenthur, você sabe bem o que é, você mesmo a forjou. É a única coisa capaz de me destruir, e eu sou o dono dela, ou seja eu viverei eternamente por que a morte nunca virá até mim, eu a comando.

—  Talvez não. —  Andrew disse em um tom de voz autoritário como sempre, esticou seu braço e atirou contra Derthlec, dois tiros o fizeram cair, mas não o fizeram morrer, mas sua queda foi suficiente para que Andrew tivesse tempo para ir sobre Derthlec e distribuir diversos socos.

Eu, idiota. Ao invés de correr fiquei parada, olhando, era o medo. Meu corpo reage a ele como se houvesse uma arma na minha cabeça. Meus músculos estão congelados no lugar, mas cheios de uma pressão tão formidável que eu quero correr até que meu corpo esteja vazio. Talvez fugir fosse o movimento mais estúpido, eu não saberia, meu cérebro é muito frio agora  para analisar as opções naquele momento, eu observava cada soco de Derthlec contra Andrew e vice-versa. Eu podia sentir o suor escorrer em minha pele, o latejar de meus próprios olhos, e o bater do meu coração contra meu peito. Eu não consigo ouvir minha respiração rápida, mas eu posso sentir o oxigênio inundando dentro e fora de meus pulmões.

Derthlec em um golpe rápido tirou Andrew de cima dele e veio em minha direção, dei passos desesperados para trás, até que eu caio sobre uma raiz sobressalente e sinto o toque das mãos grandes de Derthlec contra meu peito.

Eu podia sentir meu rosto ficar molhado com lágrimas. Eu não me lembro de chorar por dor nos últimos anos da minha vida. Talvez seja algo diferente da dor que sofri durante toda a minha existência. Eu sinto meus ossos divididos em um número incontável de fragmentos fazendo  minha mente se tornar inoperável. A dor lateja em minhas entranhas, é profunda e me fazia sentir como se a morte estivesse próxima, minha pele parecia estar em chamas e ao mesmo tempo parecia que alguém tem a mão lá dentro de meu corpo e está apertando meus órgãos muito forte, me machucando.

A dor também era como uma faca sendo torcida na minha coluna. Ele dispara rapidamente, apagando cada pensamento de minha cabeça e paralisando meu corpo. Aparentemente, eu gritei, mas não me lembro dessa parte, apenas da dor.

-

POV Andrew

Me levantei rapidamente enquanto vi o maldito tentando fugir, ainda com a arma em minhas mãos disparei quatro tiros certeiros em sua direção o fazendo cair, Derthlec estava de joelhos em minha frente, com sua queda Yenthur caiu sobre o solo e ele não percebeu, era a hora de fazer ele pagar por suas dívidas.

A adaga encontrou a carne levemente macia, e fez um som quando como a ponta da lâmina afundou profundamente bastante para fazer minha vítima gritar. Eu torci a lâmina em minhas mãos, enquanto a afundava cada vez mais fundo. Sua pele estava rasgando a fragmentos como a faca girada, o som de seus músculos e nervos sendo arrebentados cada vez mais alto. Então, sem avisar, eu a empurrei completamente nas costas dele, até que o metal brilhante desaparecesse dentro de seu corpo. Seu grito era um som brilhante, estrangulamentos guturais misturados com um rugido agonizante. Eu sorri, e puxei a lâmina para fora da minha agora branca vítima mortal. Ele caiu deitado sobre a terra continuando a gritar, convulsionando e tremendo como um animal raivoso e sangue grosso fluindo livremente do buraco escancarado em suas costas. A cascata da fonte de vida da criatura jorrou em todas as direções, o líquido escarlate jorrando por cima de mim. Eu me virei enquanto seu pedido de misericórdia se tornava mais silencioso, era prazeroso sentir sabor doce do sangue formigando em minhas narinas.

Me viro e me deparo com Katherine caída perto a uma árvore, seus olhos reviravam e sua pele estava petrificando e ficando gelada, ela cuspia sangue e não dizia nada, até que seus olhos fecharam de uma vez...


Notas Finais


Desculpa algum erro de português, fiquei com preguiça de revisar hihi


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...