História The Owners of True Blood - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Block B
Visualizações 15
Palavras 569
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Romance e Novela, Terror e Horror
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que estejam a gostar e desculpem pela demora...estava sem imaginação para continuar e preguiça também 💕

Capítulo 11 - Insignificante


Fanfic / Fanfiction The Owners of True Blood - Capítulo 11 - Insignificante

Blue on

Saí de casa rapidamente, caminhava em passos largos pela chuva a caminho do parque. Queria pedir desculpa a Taeil pela minha atitude do dia anterior, fui muito parva em ter pensado que ele me estaria a usar apenas para prazer próprio.

A chuva e o vento estavam bastante intensos o que debilitava a minha visão.

Derrepente senti umas mãos nos meus ombros a puxarem-me para um beco que se encontrava na esquina do café.

Tentei fazer força para me soltar mas era impossível.

De um momento para o outro aquela pessoa começou a gritar de dor.

-AI, PÁRA BLUE, PORFAVOR.

Valentim caiu desamparado no chão enquanto agarrava o braço direito com força.

-Eu não estou a fazer nada.-disse eu confusa.

Ele suspirou de uma maneira violenta enquanto se contorcia e gemia de dor.

Ajoelhei-me a seu lado e desviei a sua mão para saber o que se passava, o seu braço estava em carne viva, com o aspecto de ter sido queimado por um ferro em brasa.

-Fui...eu?

Ele assentiu com a cabeça enquanto se tentava levantar, mas foi incapaz de o fazer, caiu para trás de novo.

-Tu não...tens culpa Blue, são os teus poderes.- a sua voz encontrava-se extremamente fraca.

Pus-me a seu lado e coloquei o seu braço saudável á volta do meu pescoço, fiz força e ajudei-o a levantar.

-Desculpa-me Valentim, eu não fiz por mal, nem sabia que conseguia fazer estas coisas. Não queria magoar-te, eu juro. Mas tu assustaste-me.

-Não te preocupes comigo Blue...eu estou bem.

Caminhei com ele até minha casa, quando chegámos ajudei-o a sentar-se no sofá, a minha mãe fez uma cara de enjoada quando olhou para o braço de Valentim.

-Mãe vai buscar-me água, toalhas e ligaduras.

Ela apenas assentiu com a cabeça e retirou-se rapidamente. Eu sabia que ela era fraca para estas coisas, ou seja vou ter de ser eu a tratar dele, também é o mínimo que posso fazer depois de o ter magoado.

A minha mãe colocou tudo em cima da mesa e retirou-se rapidamente.

Humedeci a toalha e ajoelhei-me á frente de Valentim.

-Isto é capaz de doer.

Encostei o tecido ao seu braço e ele gritou de dor, as suas pernas tremiam bastante e os seus maxilares estavam rígidos.

Afastei-me e peguei nas ligaduras para lhe envolver o braço com elas.

-Peço desculpa, a sério...eu...

-Shiu...não precisas de pedir desculpa, eu sei o que tu és e vou ajudar-te a controlar isso, tu vais conseguir...confia em mim Blue.- disse ele enquanto me sorria abertamente.

Acho que pela primeira vez olhei bem para ele, sem sombra de dúvida que era bonito, mas a sua beleza não chegava aos pés da de Taeil, as suas expressões eram graves e duras, a única coisa doce em todo o seu corpo eram os seus olhos azuis. Apesar de serem bonitos prefiro o vermelho de Taeil.

Ele afastou o carapuço do casaco de cabedal que trazia pondo em descoberto os seus cabelos dourados. Tal como Taeil o seu corpo tinha bastantes tatuagens e todas as suas roupas eram escuras. Reparei também que ele trazia uma faca numa das botas.

-Porque é que estás a olhar assim para mim?- perguntou ele.

-Ahh...por nada...

Continuei a enrolar a ligadura no seu braço de uma forma calma para não o magoar enquanto ele sorria na minha direção.

Quando virei o pescoço vi Taeil á porta da sala com um ar duro, atrás dele estava uma mulher mais velha com cabelos vermelhos vivos.

-Então é esta criatura o motivo de tanto alarido?- perguntou a ruiva enquanto se aproximava de mim.- Parece-me insignificante.


Notas Finais


Desculpem qualquer erro 😝


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...