História The Pack. - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Arthur Weasley, Bellatrix Lestrange, Carlinhos Weasley, Dobby, Draco Malfoy, Fenrir Greyback, Fred Weasley, Gina Weasley, Gui Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Jorge Weasley, Lord Voldemort, Luna Lovegood, Molly Weasley, Neville Longbottom, Rabastan Lestrange, Remo Lupin, Rodolfo Lestrange, Ronald Weasley
Tags Amor, Drama, Família, Harry Potter, Hermione Granger, Lendas, Lobisomem, Lobo, Magia, Matilha, Mistério, Revelaçoes, Romance, Sexo, União, Vingança, Weasley
Exibições 51
Palavras 3.369
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Magia, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - New Perspective.


Hermione acordou na manhã seguinte com uma dor no seu lado esquerdo, seguido por um murmúrio de vozes no quarto. Ela gemeu, acertando alguma coisa com a mão enquanto seus olhos se abriam.

"Bom dia, sol da manhã", Charlie Weasley sorriu, ele estava sentado na cama ao lado dela. Tinha um monte de poções ao seu lado. Bill estava na porta, encostando-se no batente enquanto a observava. O olhar de Hermione voltou para Charlie, que pressionava a grande mão contra o quadril dela. Ela afastou-se, dando a ele um olhar duro e se afastando ainda mais das mãos dele.

"Calma", Charlie brincou, levantando as duas mãos em rendição. "Eu só estou aqui para ter certeza de que você não está quebrada, então o Sr. Ranzinza ali na porta  vai me chutar para fora daqui. Nos não podemos te levar para St. Mungo, não é?" Charlie virou-se para suas poções, mostrando uma para ela, dando em sua mão. "É uma poção do sono, vai te fazer bem. Não a muito o que fazer com o seu braço, sinto muito, pequena."

Hermione seguiu seu olhar até seu braço, que estava enfaixado com bandagens, mas havia pequenas manchas de sangue, onde a nova cicatriz se localizava. Foi então que a memória da noite anterior voltou e ela entendeu as palavras de Charlie. Bellatrix tinha entalhado a palavra 'sangue-ruim' em sua pele. De acordo com Charlie, não teria como remover. Em geral, não havia sido a pior coisa a acontecer com ela, mas ainda sim era terrível ter aquilo em seu braço. Era uma tolice, uma palavra abusiva que ela carregaria para sempre.

Hermione olhou para Charlie, que estava sentado ao seu lado na cama, sorrindo para si. Seus braços era cobertos por cortes fracos e queimaduras e ela se pegou imaginando mais quantas ele escondia por detrás da camisa. Ela podia se lembrar da Sra. Weasley comentando sobre as cicatrizes dele no casamento de Bill, tentando convencê-lo a voltar para casa e deixar o emprego. Mas isso nunca pareceu incomodar Charlie, que carregava suas queimaduras e cicatrizes com orgulho, como marcas de um sobrevivente.

E então havia Bill. Ele tinha as cicatrizes correndo por seu rosto, causadas por Fenrir, o mesmo lobisomem que havia marcado o braço de Hermione com sangue na noite passada. Os dois homens ainda eram lindos, apesar das cicatrizes que carregavam em seus corpos. Ninguém os julgou de maneira diferente e eles conseguiram supera-los. Talvez essa fosse a razão pela qual ambos perdiam seus tempos sentados aqui no quarto com Hermione até ela acordar.

"Você está bem?" Charlie perguntou, fazendo Hermione deixar de olhar para Bill para olhar para ele. "Eu sei que é muita coisa para enfrentar e vai ser difícil no começo, mas você vai ficar bem, Granger. Além do mais, não importa, você nunca ficará mais feia do que Percy naturalmente é. Basta pensar na cara feia dele que você superará seus dias ruins."

Apesar dos pensamento autodepreciativo, Hermione riu do comentário de Charlie. Ele a fazia lembrar dos gêmeos, divertido e fácil de lidar. Talvez fosse dai que eles tenham tirado seu jeito maroto. "Obrigada, Charlie." Hermione finalmente falou e seu olhar foi até Bill. "Obrigada a ambos. Está tudo bem? Harry?"

"Sim", Bill disse em tom áspero. "Eles estão conversando com Ollivander. Eles me disseram para ter certeza de que você passasse o dia na cama descansando. O que aconteceu?"

"Eu acho que é bastante óbvio o que aconteceu", Hermione disse, desviando seu olhar do dele. Ela não queria falar sobre isso, sua cabeça estava doendo e ela ainda sentia uma terrível vergonha pelo plano daqueles Comensais de a usarem para tentar matar a Ordem, todos os seus amigos. Ela chegou tão perto de perder todos eles. "Eu realmente não quero falar sobre isso."

"Ele mordeu você?" Bill perguntou, não parecendo perturbado pela recusa dela em falar.

"Quem?"

"Você sabe de quem estou falando."

Charlie se virou, lançando um olhar de advertência ao irmão. Ele voltou-se para Hermione, dando-lhe um olhar de simpatia. "Ignore-o, amor, ele está chegando perto daquela época do mês. Ele fica um pouco mal-humorado agora que ele não tem aonde marcar seu território. A palavra 'tato' não faz sentido pra ele." Charlie fez uma pausa. "Nos só queremos ter certeza de que não teremos que te trancar no porão dentro de alguns dias, só isso. Luna nunca mencionou nenhuma mordida quando ela te limpou, mas depois de uma conversa de segundos com ela, eu realmente não tenho certeza se posso confiar nela para ver alguma mordida ou não."

"Eu não vou me transformar na lua cheia", Hermione informou. "Obrigada por me ver, mas estou bem, honestamente, só preciso dormir um pouco e dentro de alguns dias, estarei pronta para partir com os meninos. Nos vamos terminar o que começamos."

Charlie se levantou da cama e recolheu o resto das suas poções, as guardando em sua bolsa. Deixou uma garrafa vermelha, movendo-se até a mesinha ao lado da cama, bloqueando a visão de Bill sobre ela. Ele deu uma piscadela e então se dirigiu até Bill, que se adiantou para deixá-lo passar pela porta. Bill demorou-se por mais alguns segundos, e Hermione o viu respirar fundo, as narinas movendo-se enquanto inalava. Seus olhos se estreitaram sobre o que quer que seja que ele tenha cheirado, mas sem nenhuma outra palavra, ele se virou e saiu.

Hermione se deitou novamente, acomodando-se na cama quente e fechou os olhos. Qualquer coisa que estivesse acontecendo de errado com Bill não importava; ela estaria fora daquela casa e de volta a sua missão com os meninos dentro de alguns dias.

Hermione acordou dezesseis horas depois, para seu espanto. Era o maior período que já havia dormido, pelo menos, desde as últimas férias de verão. Seus corpo estava se curando e ela precisava deste descanso. O barulho de seu estômago faminto a despertou e ela saiu da cama. Alguém achou seu casaco de tricô vermelho e o deixará no final da cama enquanto ela estava dormindo. Hermione estava grata, porque esta era a única roupa que lhe restará e ela não gostaria de andar por aí em qualquer coisa que fosse dos meninos. Ela rapidamente se trocou, utilizando o pequeno banheiro em seu quarto e se ajeitando antes de fazer uma aparição no térreo. Sentia-se melhor, mas a fome era demais para deixar que ela se arrumasse mais.

Ela desceu as escadas, contemplando a beleza da casa. Era óbvio que Fleur passará muito tempo arrumando a casa. Era tudo bem feminino. Havia muitos espaços vazios nas molduras, onde Hermione supunha que as fotos de Fleur deviam ficar. O que quer que tivesse acontecido entre o casal uma vez feliz, tinha feito a relação acabar de forma nada amigável.

"Dia!" Charlie falou, o primeiro a cumprimentá-lo quando entrou na cozinha. Bill, Ron, Charlie, Harry e Luna estavam sentados em volta da pequena mesa da cozinha, comendo o que parecia ser o almoço. Havia um espaço vazio entre Bill e Ron, perto da outra extremidade, com comida sobrando no espaço vazio.

"Você dormiu por anos!" Ron disse, batendo a mão no assento ao seu lado, oferecendo a ela. "Nos estávamos começando a achar que havia algo de errado com a poção que Charlie deu a você."

"Não há nada de errado com as minhas poções!" Charlie retrucou. "William as cheirou antes mesmo que eu as desse a ela, não foi mano?"

Bill revirou os olhos. "Sim, ela estava apenas cansada. Deixe-a em paz, deixe-a comer." As palavras saíram mais como uma ordem do que um pedido e toda a mesa ficou em silêncio enquanto Hermione se movia pela cozinha. Ela parou, puxando a cadeira e se sentando antes de se virar para o sanduíche em seu prato.

"Não coma muito de uma vez", Bill lhe disse, como se explicasse o porque de ela só ter um sanduíche em seu prato enquanto os outros tinham mais. "Vocês andaram comendo menos do que o normal, se comer muito, vai ficar doente. Vocês três precisam cuidar melhor de si mesmos."

"Bem, é difícil conseguir comida quando se está em fuga, Bill." Ron defendeu. "Não é possível fazer uma lista de compras como mamãe fazia ... além disso, Hermione é a única caçadora decente entre nos. Quem saberia, não é?"

Charlie bufou, quase sufocando com seu sanduíche. "Então, Potter pode acabar com bruxos das trevas, mas não consegue caçar um coelho?"

"É muito mais difícil do que parece!"

"Não." Bill interrompeu, rindo. "Não é mesmo."

____

Depois de um par de dias, tudo se acalmou. Hermione se recuperou, embora seu braço continuasse sangrando quando as bandagens eram trocadas. Os meninos estavam na trilha de uma nova Horcrux depois de conversar com Grampo e Ollivander. Charlie tinha voltado para Romênia na noite anterior, deixando Hermione com algumas poções e prometendo logo vê-la. Suas palavras foram exatamente: "Quando o cara de cobra finalmente ganhar bolas para se mostrar, eu vou estar aqui,  não vou perder isso!"

Era noite de lua cheia e o trio de ouro estava se preparando para partir para o banco de Gringotts. Precisavam entrar no cofre de Bellatrix. Tinha que ter uma das Horcruxes restantes lá. Bellatrix era uma serva leal ao Lord das Trevas, por isso fazia todo sentido. Hermione estava empacotando sua bolsa quando a porta do quarto dela se abriu e rapidamente se fechou. Ela deu um pulo, virando-se para ver Bill escorado na porta, com raiva. Seus olhos eram dourados, a única mudança física que acontecia com ele na lua cheia, além dos dentes ligeiramente mais afiados. Seus sentidos eram mais fortes, ele era fisicamente mais forte e tinha um incrível desejo sexual. Alem disse, ele era um homem normal, tão normal quanto era desde o ataque.

Bill olhou para Hermione, seus braços cruzados sobre o peito enquanto parecia esperar alguma coisa, seus olhos nunca desviando dela. Seus olhos se estreitaram quando ela não falou e mais uma vez, ele parecia ter as narinas em fogo com ela dentro daquele pequeno quarto. Aquele perfume diferente e totalmente errado.

"Você tem mentido para mim, garotinha, e eu realmente não gosto de mentirosos." Grunhiu Bill, seus olhos brilhando de raiva. Ele parecia assustador, tão diferente do Bill que ela conhecerá mais a cada final de verão passado na Toca. Ele deu um passo ameaçador em sua direção, e Hermione em reação, deu outro para trás, se afastando dele. Era instinto. Ele era o predador e naquele momento, Hermione se sentiu a presa.

"Bill, honestamente não tenho ideia sobre o que você está falando!" Hermione se defendeu, seus olhos arregalados quando ele chegou mais perto.

"Eu posso cheira-los em você", Bill cuspiu. "Meu sangue está em chamas desde que você entrou nesta casa e eu esperei por você pedir por ajuda, nos dizer o que realmente aconteceu. Eu pensei que a Granger que eu conheci, a melhor amiga do meu irmão, estaria do lado certo. Você é o animal de estimação deles agora, não é? Eles conseguiram te transformar só em algumas horas? Isso realmente é um grande feito."

Com os olhos arregalados, Hermione se moveu ao redor da cama e para longe dele. Ela não tinha ideia do que estava acontecendo, mas tinha que ter algo a ver com a lua cheia. Talvez ele estivesse mais para lobo esta noite e ninguém percebeu. "Bill, eu juro, eu não fiz nada. Nos estamos do mesmo lado."

Os lábios de Bill pressionaram-se juntos enquanto ele tentava conter sua raiva. "Eu posso cheira-los em seu sangue, Granger. Toda vez que o curativo derrama uma gota de sangue, polui o meu ar. Eu posso cheira-los."

"Cheirar o que?"

"Seu bando", Bill cuspiu as palavras como se tivesse deixado um gosto ruim em sua boca. Talvez não ajudasse que fosse um assunto tão doloroso para ele e ter uma cadela de outro alfa em sua casa, tenha deixado o lobo maluco. Ele estava furioso desde o momento em que Ron entrou na casa com ela nos braços. No início, ele pensou que tinha sido algo forçado e esperou que Hermione explicasse o que realmente acontecerá na mansão. Essa foi a única razão pela qual ele cuidou dela e pediu a ajuda de Charlie. Ele queria matá-la ou toma-la para si. Ele manteve-se sobre controle pelo bem de Ron, no entanto.

"Você quer dizer ..." Hermione começou, congelando ao começar a entender as palavras dele. "Você pode cheira-los no meu sangue? Oh Deus!" Ela se virou, sua mente correndo enquanto ela tentava descobrir exatamente o que eles tinham feito com ela.

"Quer dizer que eles nunca explicaram nada quando a mandaram para cá?"

Hermione se virou para encara-lo, um olhar de horror em seu rosto. "Você acha que eu estou aqui por causa deles? Que eu sou o que? Que eu estou esperando a chance para matar todos vocês? Não seja tão ridículo, Bill."

Bill não pareceu convencido e marchou até ela, agarrando seu braço enquanto ela tentava se mover para trás e para longe dele. Ele a puxou contra ele, seu nariz indo até o pescoço dela enquanto inalava. Uma de suas mãos foi para o queixo dela, girando a cabeça em forma de submissão. Ele respirou um pouco mais antes de resmungar com um rosnado. "Relaxe." Ele ordenou, saboreando o medo dela. "Eu não vou te machucar."

Ele levou seu rosto até o pescoço dela, usando a mão para virar o rosto dela novamente. "Você realmente não tem ideia do que eles fizeram com você? Não minta para mim, Granger. É lua cheia e eu tenho ficado cada vez mais irritado com você."

Hermione lambeu nervosamente os lábios e se virou para recuar, mas Bill recusou deixá-la, mantendo-a perto dele. "Eles me prenderam e Bellatrix esculpiu sangue-ruim no meu braço, os irmãos Lestrange estavam lá, eles tinham mandado todos embora depois de trancar Harry e Ron, então eles começaram ..." Ela parou e olhou nos olhos de Bill que se estreitaram, sua sobrancelha arqueada. Ele não falou nada, então ela continuou. "Bellatrix fez primeiro, ela cortou a mão dela e deixou cair um pouco de seu sangue no meu sangue, sobre o corte. Ela fez os irmãos Lestrange fazerem a mesma coisa. Em seguida, eles trouxeram Fenrir e ele ficou animado, lambendo meu braço. Bellatrix mandou ele fazer logo, então ele mordeu o lábio dele e continuou a me lamber. Ele nunca me mordeu, eu sei que os livros dizem que isso pode me infectar, mas eu nunca senti nada como aquilo Bill. Eles não estavam tentando me transformar. Eu acho que foi algum tipo de feitiço. Estive pesquisando desde que chegamos aqui, mas não consegui encontrar nada."

Bill deixou cair sua mão sobre ela e se moveu para trás, seus olhos arregalados em choque. Ele parecia ter acreditado nela. Passando a mão pelo rosto, voltou-se para Hermione e sentou-se na beira da cama. Ele a puxou para baixo com ele. "Isso não é nada bom, então, se prepare, certo? Nada disto estará em livros, então não vá procurar neles. Os lobos entram em matilhas, os lobisomens também. Os lobisomens fazem alguém entrar na matilha com algumas gotas de sangue. Isso deixa os filhotes em uma espécie de submissão com o seu alfa. Ele da o controle ao alfa sobre eles. Algumas matilhas normalmente podem escolher uma cadela do bando. O alfa é o único que pode escolhê-la. Ele faz ela entrar para a matilha dando um pouco do sangue de todos no bando para ela, ele vem por último e então ele fode ela. Depois disso, ela é do bando."

Hermione sentou-se em estado de choque por alguns momentos. Isso era o que Bellatrix queria dizer com Fenrir ter ela primeiro. Depois disso, eles poderiam ter feito qualquer coisa com ela. "Isso é horrível, então eu sou deles agora?" Ela colocou a mão sobre a camisa de Bill e ele rosnou em advertência. "Eu juro que eu não queria, Bill, por favor não me envie para eles, eu não sei se existe algum tipo de lealdade entre lobisomens sobre esses assuntos ou algo assim, mas por favor, Bill."

"Shh, ouça", ele ordenou. "Para algumas cadelas é horrível, como seria com você. É assim que eles têm controle sobre a cadela. Depois da partilha de sangue e do alfa foder com ela, ela é controlada por todo o bando. Eles podem fazer ela fazer coisas que não quer, dizer coisas que não quer, o alfa sempre será capaz de ter o controle total sobre ela, normalmente ele pode compartilhar esse poder com o bando. Pode parecer horrível, mas não é assim que isso devia parecer. Os bruxos abusam do seu poder sobre as mulheres. É raro ver isso acontecer porque poucas multes se arriscam em se tornar cadelas de bando. A maioria dos lobos são solitários ou escolhem um humano para serem seus companheiros de bando, sem nunca precisar de uma cadela. Lobisomens também tem companheiros. Uma só mulher, como no caso de Remus. Os Marotos eram a matilha dele, mas isso acabou quando ele escolheu uma companheira para si."

Hermione entendeu. Não lhe surpreendeu que alguns lobos e lobisomens abusassem de seu poder de controle sobre as mulheres. Especialmente, não se surpreendeu que Fenrir fosse um desses casos. Ela sabia que Remus estava feliz com Tonks e que nunca a compartilharia como Fenrir pretendia fazer com Hermione. "Eu não consigo ver uma solução feliz em ser a cadela do bando. Então isso é o acasalamento? Dois lobos se comentando um ao outro?"

"Não", disse Bill, parecendo relaxar enquanto continuava a história. "As fêmeas lobisomens são mais raras do que os machos, por isso hoje em dia essa tradição da cadela voltou a surgir. Eles fariam a partilha do sangue, e depois de o alfa dormir com ela, eles fariam a partilha de sangue novamente com ela. O sangue os unindo, tornando-os mais fortes, protetores dela. Os trouxas tem algum assim, tríades não? É assim, mas assim eles se comprometem um com o outro para sempre. Os gêmeos tem uma ligação semelhante, eles podem compartilhar sangue com uma garota que eles escolham se unir."

"E é para sempre?" Hermione perguntou. "Eu não entendo porque isso não está nos livros."

"Lobisomens não são considerados tópicos interessantes, e sim, é para sempre, é um compromisso, a matilha cuida dela como amante, cuida uns dos outros como irmãos." Explicou Bill. "É uma maneira de mantê-los todos juntos, mas só é feito entre lobos. O que eles estavam fazendo com você era arriscado, mas parece ter começado a dar certo. Você cheira a eles. Não é um laço tão forte, porque eles são seres humanos separados de seu alfa, mas o vínculo começou."

"O laço pode ser quebrado?" Hermione perguntou, virando-se para ele.

"Na verdade, não."

"Definitivamente não."

"Hermione, você não pode fazer nada", Bill disse, seu tom, mais uma vez, tornando-se áspero. "Não é possível."

"Por favor Bill, eu não posso ser usada por eles. Eu poderia ter que entregar você e sua família, se eles me mandassem."

"Você precisa de um alfa, alguém com um bando mais forte do que o dele. O laço, com o bando completo, por qualquer uma das duas maneiras que eu te expliquei vai quebrar a conexão." Bill explicou. Ele segurou seu olhar e parecia advinha por onde os pensamentos dela estavam indo. "Eu sou um alfa, Hermione. Mas eu não tenho um bando, então não vá por aí."

Ela parecia triste quando lhe deu um sorriso forçado. "Eu não poderia pedir isso a você, Bill, eu entendo."

"Grr, maldição! Que vai tudo para o inferno Granger." Bill disse, esfregando uma mão sobre o rosto. Ele nem precisava pensar sobre isso. Ele já estava ferrado. Foi por isso que Fleur o deixou. Bill se sentia incompleto. E depois de todo o incidente de Charlie ... maldição, ele teria que explicar isso a ela também. "Durma um pouco, vou fazer algumas ligações na lareira. Não estou prometendo nada Granger, me de um tempo para pensar."

Bill ficou de pé, recusando-se a olhar para ela enquanto saía do quarto. Seu lobo estava granindo para ele se virar e tomá-la ali. Ele estava recebendo tudo o que sempre quis, uma garota disposta e uma possibilidade de bando.

Ele estava tão ferrado.


Notas Finais


Olá olá olá tortinhas, tudo bem?
Acabei me animando e vou postar mais um capítulo para vocês, espero que tenham gostado.

Obrigada a quem já favoritos e as minhas duas maravilhosas por me apoiarem mais uma vez: cês são foda!

Obrigada as 28 visualizações, 8 favoritos e 4 comentários, vocês são demais!

Até loguinho </3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...