História The Paradise - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 9
Palavras 1.982
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Fantasia, Magia, Mistério, Romance e Novela, Suspense

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oiii. Mais um capítulo. Curtam e comentem......

Capítulo 9 - O Baile 2 (Interpretações)


Fanfic / Fanfiction The Paradise - Capítulo 9 - O Baile 2 (Interpretações)

Enquanto descia as escadas, vestida de vermelho, Alana observava como tudo estava decorado e iluminado. Ao passar pelo corredor, viu várias fadas e guardiões fantasiados. Ao chegar no portão principal, e entrar, todos presentes passaram a olhar para ela, quando uma música alta começou a tocar e todos se distrairam. 

Passando seus olhos pelo salão, ela vê Van encostado em um balcão a olhando. Ele faz um sinal com os dedos a chamando. Sorrindo, ela atravessa o salão, e nota que seus olhos verdes a acompanham intensamente. Quando chegou ao balcão, ela disse :

   - Bom, ate que nao foi ta ruim assim (Ela fala mexendo no cabelo e olhando em volta, e ao olar para Van novamente e ver que ele continuava a  encarando, ela diz:

- Voce pode parar com isso?

-Com o que? 

- De me encarar. Para, por favor

-Desculpa. Eu nem preciso dizer o quão linda você está.  Ou preciso? 

       Alana balança a cabeça e sorri. Van então diz:

-E nem o quao vermelha ficou agora (Van diz rindo)

-Bom, você também não está mal nesse terno(Alana diz o olhando)

-Obrigado (Van diz fazendo um sinal para o garçom)

-Onde esta o jake? (pergunta Alana)

-Ali no canto com a Jade. Eu consigo ver daqui ele suando como um porco no abate(Van diz rindo)

Alana tambem ri, fazendo Van dizer:

-Nao ria,anjo. Eu posso fazer você ficar igual a ele em menos de 5 minutos

Os doisse encararam por alguns segundos, até que o garçom chegou com duas bebidas e disse

-Aqui esta Van. Linda, a sua é por minha conta. (Disse olhando Alana)

   Van o encara serio, e ao notar isso, o garçom fala:

-Desculpe, com licença. (e sai apressado)

Alana o olha saindo, sorri, e depois olha para Van, que ao olhá-lá pelo canto do olho diz sem graça

:

-O que foi?

-Deixa pra lá. Você sabe que eu nao bebo. Minha mãe sempre diz que ficar bebada em festas é perigoso. 

-É. , mas você está comigo. Não tem com o que se preocupar. Por que eu iria querer te deixar bebada? ( Diz Van  com ironia)

-Engraçadinho. Deixa eu te contar uma história muito interessante. Eu já namorei serio duas vezes, é em nenhuma das duas vezes ela se tornou algo mais sério. O primeiro se mudou com a família de país uma semana depois do pedido.  E o segundo disse que foi ameaçado e fugiu, acho que com uns quatro dias de namoro. 

Van sorriu, e depois disse:

-O que você está insinuando? Que eu me livrei deles?

-Estou sim. Como fez com nosso amigo garçom ali.

-Claro que nao.....talvez(Disse Van dando um gole na bebida, e a olhando de lado)

Alana sorriu e também deu um gole em sua bebida, enquanto olhava em volta e via todos distraídos e conversando, menos um homem mascarado que estava sentado ao fundo a encarando. Ela virou para o outro lado por um tempo, e ao olhar de novo, viu que ele ainda a encarava com um sorriso arrepiante e o intenso azul de seus olhos. Alana o olhava angustiada até que Van a chamou:

-Alana. Dança  comigo? 

-Ahn, mas não tem ninguém dançando. 

-Os casais vao se reunir no salao. Não tem mais Desculpas, tem?

-Seria uma grosseria não ir

van segurou a mao que Alana estendeu, e seguiram para o salao, onde outras pessoas estavam. A música começou a tocar e os dois seguiram para a pista de dança.  Van a rodou e colocou uma mão em sua cintura e a outra segurando em sua mão. Alana colocou a mão em seu ombro, fazendo ele apertar sua cintura mais perto e continuaram a dançar, mantendo contato visual. Van disse:

-Está tudo bem? 

-Sim. Por que?

-Por nada, só estou tentando  aliviar a tensão

Continuaram a dançar, com Van se aproximando da orelha de Alana com o nariz, e ela mais perto de seu pescoço. Chegou um momento na dança em que haveria uma troca de parceiros. Alana foi parar com o homem que estava encarando ela. Ele mantinha seu rosto muito próximo do dela, e disse:

-Voce danca muito bem. E é muito bonita também

-Obrigada.( Disse Alana sem graça e visivelmente desconfortável)

-Esta gostando da festa? (sujeito)

-Estou. Esta ótima

-Gostaria que melhorasse?

- Não, olha eu já cansei de dançar. Com licença ( Alana disse, querendo sair daquela conversa estranha)

- Ah, tudo bem.  Vamos tomar algo?

-Isso é serio? Acha que eu vou beber com você?  (Disse Alana desconfiada)

-É uma festa, amor. Qual o problema? 

-ta. So uma.

-Legal

Os dois seguiram para o balcão, e começaram a conversar, enquanto Van os olhava de longe. Jake veio até ele é disse:

-Para  de encarar. É assustador

-Quem é esse cara?

-Na sei. Mascarado dificulta um pouco

-Exatamente. Ele ja nao devia ter tirado a máscara. Quem conversa de máscara? 

-Admiro a inteligencia dele. Vai se identificar para entrar na sua lista de alvos e desaparecer (Brincou Jake)

-Eu estou falando serio. Tem algo errrado. (van)

-Eu não  vejo nada, além da sua paranóia. Ela só está conversando e bebendo. Ela estava fazendo a mesma coisa com você.

-Comigo não tem problema, mas com um cara esquisito tem. Além disso, ela já está na 5 bebida. Tá na cara que ela nem sabe mais o que está fazendo e o cara tá se aproveitando. Isso não é estranho suficiente para você? 

-Cara, a gente ta aqui de olho nela, Relaxa. Aí, foi bem legal você ter colocado aquela música alta para todos se distrairam no começo da festa.

-Eu sei. Toque de gênio. E você, como está indo com a Jade?

-Otimo. Ela foi ao banheiro, aí aproveitei para vir falar com você

-E quando você vai criar coragem e mostrar aquelas cartas que você vive escrevendo, mas nunca envia para ela?

-Quando for a hora  certa....

 

Enquanto isso, Alana já não se aguentava em pé, e o homem continuava falando de assuntos paralelos, até que ela disse:

-Olha, o papo está ótimo, mas eu acho que já deu pra mim por hoje.

-Ms ainda está cedo. Fica mais um pouco (disse o homem colocando sua mão na dela)

     Alana tentou disfarçar e tirar sua mão dali, mas o homem não deixava. Ela disse :

-O que está fazendo? 

Van assistindo tudo, se virou para Jake e disse :

- Ja chega!!  Ou você vai tirar ela de lá, ou eu vou, e eu juro que se eu for lá, aquele cara vai ter um bom motivo para usar máscara o tempo todo. 

-Ok, segura sua onda.

    Jake se levantou e foi até o balcão, e quando chegou lá, cumprimentou os dois e disse à Alana:

-Oi, vamos até o salao, porque eu quero te apresentar ao conselho. 

-Ta, claro (Disse Alana se levantando)

- Mas estamos conversando (Disse o  homem)

-Pois é, a conversa acabou( Disse Van chegando)

-Eu preciso mesmo ir andando. Tchau Alana, te vejo em breve. (Sujeito)

Van olhou para Alana e disse:

-Agora eu entendo o ponto de vista da sua mãe. Você bebada é um perigo, anjo. Quem era o sem noção? 

-Nao sei, nem perguntei o nome. Qual seu problema? Foi voce que disse para eu me divertir.

-E voce vai se divertir com um  estranho?( Disse Van erguendo a sombrancelha)

-Você. ....isso não é ciumes. Ou é? (perguntou Alana o olhando)

- É sim. Bastante. Eu não tenho porque negar (Disse Van cruzando os braços)

-Isso é ridículo.  Não senti nada. Nada do  que sinto com vo... (Alana se repreendeu e depois disse corada: 

-Tem razao. A bebida é um perigo pra mim.

Jake que estava boquiaberto interrompeu o diálogo e levou Alana para o outro corredor, deixando Van com um sorriso encantador com o que quase escutou. Enquanto caminhavam, Alana disse com a mão na cabeça:

-Meu Deus Jake, me ajuda. Eu mal consigo andar

-Bem vinda aos efeitos do alcool. Deixa eu resolver isso. ( Disse Jake )

Jake colocou seu dedo na testa de  Alana, e ela ja estava se sentindo normal de novo

-Obrigada, mas bem que voce podia ter feito isso antes de eu ter falado aquelas besteiras. ( Disse Alana) 

-Besteiras ou verdades, Alana? Eu queria ver onde ia dar.

Ao chegarem no final do corrredor, viram um grupo de quatro idosos, onde tres estavam de azul e um de vermelho. Alana os olhou e disse baixo a Jake:

-Esse é o conselho? 

Jake se aproximou do grupo e disse:

-Majestades, gostaria de apresentar a fada Alana.

Os quatro a olharam e o de vermelho  se aproximou dizendo:

-Estava ansioso para  conhecer a senhorita. Sinto  um poder extraordinário vindo de você. É uma bênção, mas tenha cuidado querida, em mãos erradas pode se tornar um pesadelo e eu não vou permitir isso. Então mantenha suas emoções sob controle. 

Alana olhava confusa, tentando entender o que ele lhe havia dito, até que Jake disse:

-Ah, eles gostam de falar dessa maneira filosófica.

Alana chamou Jake de canto e disse:

-Aquela nossa história de ir ver minha familia ainda está de pé?

-Claro. daqui a uma hora podemos ir. ( Disse Jake sorrindo ) 

Nesse momento, Van apareceu no local, cumprimentou os senhores, e Alana foi ao banheiro. Então, o senhor de vermelho disse a Van e Jake:

-desculpem, mas eu nao pude deixar de ouvir a  conversa sobre visitar a família da garota.

-É sim, Van e eu combinamos de assim que tivermos uma oportunidade, iríamos levá-lá para ver a familia ( Disse Jake)

-Vou dar umum conselho experiente a vocês. O melhor para nós e para ela seria acabar logo com esse sofrimento, então porque simplesmente não apagam a memória da moça. Façam ela esquecer do que viveu na Terra. ( Disse o senhor)

-Como é? Então seu grande conselho é tirar a vida dela e transformá-lá em um robô? Ficou maluco! ?  ( Disse Van quase se exaltando)

-Agradecemos o conselho, mas nos podemos cuidar disso (Disse Jake piscando para Van)

-Voces são os guardiões. Vocés decidem. Acho que apagar a memória dela é o melhor.  É sim. (Disse o senhor)

-Tem razão. Vamos cuidar disso. ( DisseJake sem concordar)

Nenhum dos dois irmãos havia notado que Alana estava no canto do corredor, e que tinha escutado apenas os dois últimos diálogos, e interpretou da pior maneira possível. Assustada, ela se virou para sair dali sem ser notada, e acabou dando de cara com o tal homem mascarado que disse:

-Oi. Algo errado?

-NãoNão, eu só....so preciso ir dormir. Tchau. ( DisseAlana tentando segurar as lágrimas no rosto e disfarçar sua pressa.)

Enquanto isso,  Van dizia a Jake:

-Eu nunca concordei com nada que esse  velho fala. Nao sei como um verme assim pode ser do Conselho.

- Eu sei, mas nao somos obrigados a dar ouvidos a ele. ( Jake)

- É. Bom, sobre esse passeio de amanhã, eu queria que você me deixasse levá-lá ( Van)

-Ah, claro

-Ela está mais a vontade comigo. Eu sinto isso. ...

De volta ao quarto, Alana jogava alguma, as roupas e suprimentos dentro de uma pequena mala e colocou um mapa no bolso da frente. Ao ouvir passos se aproximando, ela se deitou rapidamente, virou para o lado contrário à porta e fingiu que estava dormindo. A porta se abriu bem devagar, e tudo o que ela escutava era a voz de Jake e Van:

-Estranho ela já estar dormindo (Van)

- Deve ter sido por causa do álcool ( jake)

- Vamos falar do passeio e resolver como vamos fazer isso ( van)

-Tem razão, tudo precisa estar planejado.

Alana tentava controlar a respiração ofegante para não ser descoberta. Ao saírem, ela se levantou, se trocou e disse para ela mesma:

-Preciso sair daqui. Hoje. Vou para a Terra. ( Disse enquanto olhava o mapa).........................

● Musica dança (Van/Alana) Please, don't go- Joel Adams

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


O que acharam? Comentem! Logo posto o próximo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...