História The Paranormal Asylum ₩ Jikook ABO ₩ - Capítulo 2


Escrita por: ~ e ~samara122

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Got7
Personagens Baekhyun, BamBam, Chanyeol, Jackson, JB, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Kai, Lay, Lu Han, Mark, Personagens Originais, Rap Monster, Sehun, Suga, V, Youngjae, Yugyeom
Tags Jikook, Loucura, Sobrenatural
Visualizações 316
Palavras 1.129
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Lemon, Luta, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


~ Olá pessoinhas ~

Aqui esta mais um cap, espero que gostem
( Mochi13 )

Boa Leitura❤

Capítulo 2 - At the


Fanfic / Fanfiction The Paranormal Asylum ₩ Jikook ABO ₩ - Capítulo 2 - At the

Me jogaram dentro do carro me obrigando a ir a esse tal manicômio. Amarraram minhas mãos e pernas.

Eu sabia que gritar não adiantava nada, eles não iriam ligar. Agora, eu estava indo para aeroporto de Seoul em, pegar o avião em destino a Califórnia.

Eu estava chorando de novo, chorando de dor e arrependimento, eu não queria ter feito aquilo, não sei quantas vezes já me condenei por isso.

A porta do carro é aberta e eu sou tirado com brutalidade. Me arrastam um helicóptero ali próximo e eu entro no mesmo. Eles soltaram meus braços e eu abri a janela olhando em volta. O helicóptero decola e o barulho encomodando meus ouvidos, os tampo mas o barulho não diminui. Deixo isso para lá e olho a janela, Seoul inteira estava abaixando de mim e eu estava a deixando, encostei minha cabeça na janela e fechei os olhos chorando. Sentirei saudades de tudo o que já aconteceu aqui.

Adeus Coréia 

<><><><><><><><><><><><><>

Param o carro em frente a uma contração velha e assustadora. Deixo o carro que sai queimando pneu pelas ruas. O mesmo cara de terno de antes me acompanha até os portões que são abertos quando o segurança o vê. Passamos pelo portão típico de filme de terror entrando em um cenário também típico de filme de terror só que, real.

Entramos no prédio e meu chão caiu. As paredes, o teto, o chão, tudo era horrível, o ar pesado e cheirando a enxofre, além da sensação ruim que aquele lugar transmitia dor, eu ouvia gritos e mais gritos. Meus ouvidos começaram a doer mais e meus olhos lacrimejaram.

Entramos em uma porta de ferro e eu quase desmaio. Haviam várias portas com nomes das pessoas que estavam aqui. Olho para o lado e vejo seguranças tirarem um garoto muito bonito de lá, que sorrio e estava sujo de sangue.

O tal de Jeon JungKooK

Me falaram sobre ele no caminho...

Ele olha para mim e sorri mais. Me perco em seu olhar amedrontador e tremo dos pés à cabeça. Desvio o olhar corando.

É tão difícil eu corar, bom, pelo menos eu acho. Sigo em frente ao corredor e paro ao olhar uma porta com meu nome escrito. Entro na mesma e me deparo com um ambiente todo branco cheirando a álcool, totalmente diferente do ambiente do lado de fora.

Só agora percebi que não trouxe roupas, nem nada do tipo. Espero que resolvam isso para mim. 

Deito na cama de lençóis brancos e fronha branca. Me encolhi na mesma fechando meus olhos.

Parece que a partir de hoje, tudo mudará.

  <><><><><><><><><><><><><><>

Acordo com batidas insistente na porta. Grito um "entre" bem rouco e a porta é aberta. Um cara alto e com expressão séria me encara.

- Boa tarde, me chamo Namjoon. - Disse educado porém ainda sério. - Eu preciso que me siga.

Ele falou e eu assenti me levantando da cama. Saímos do quarto Andando lado a lado. Sou barrado em una fila, Namjoon me pede para ficar na mesma. Eu fico.

Vejo uma mulher com cara de má vir em minha direção, ela carregava uma espécie de ferro de passar, que tinha bolinhas perfurantes e vermelhas. Ela chegou perto de mim e pediu meu braço, estendi o mesmo para ela que o pegou. A mulher cravou aquele negócio na minha pele e eu gritei vendo o sangue escorrer em grande quantidade, gritei muito, aquilo queimava como inferno.

- PAREEE. - Suplico e ela só prensa mais forte. Do nada o objeto é tirado como um puxão e eu grito novamente.

Saio da fila com o braço escorrendo sangue. Me sentia fraco e cambaleante.

Quando eu ia cair no chão, sinto braços me segurarem. Olho para cima e vejo um garoto muito branco e com um olhar do tipo fodasse.

- Esta tudo bem, eu não vou te machucar. - Falou me pegando no colo, arrepiei ao ouvir sua voz rouca e grossa. - Meu nome é Yoongi ou Suga, como preferir.

Não digo mais nada. Sou levado até meu quarto e deixado gentilmente em minha cama. O branquelo pegou um pano dentro de um armário e enrolou em meu braço que estava marcado.

- Por quê fizeram isso comigo? - Pergunto com a voz embargada sentindo a tontura voltar.

- Caso você tente fugir, eles te acharão pela marca no braço. - Sorriu ladino e saiu do quarto sem que me desse chances de o agradecer.

Eu não queria ficar naquela cama, pensando na beleza do Suga e na misteriosidade de Jeon JungKooK, mas, também estava muito fraco.

A porta é aberta novamente e Yoongi entra por ela com uma seringa e uma embalagem de sangue. Arqueio a sobrancelha em dúvida.

- Me dê seu outro braço. - Ele falou e eu neguei. O mesmo pegou meu braço a força e enfiou a seringa, Rangi os dente pela dor. Ele foi repondo sangue em mim.

Quando Suga terminou de fazer isso, jogou a seringa e a embalagem no lixo, colocou um algodão aonde foi perfurado.

- Qualquer coisa, não me procure. - Sorriu mostrando suas gengivas.

- Tudo bem, muito obrigado por ter me ajudado. - Falei e ele apenas assentiu saindo do quarto.

Agora que estou um pouco melhor, com menos tontura, me levanto da cama. Saio daquele quarto enjoativo me arrependendo em seguida por causa da gritaria e gemidos suplicantes.

Vou me apoiando nas paredes pois ainda estava um pouco fraco. Já era noite e o lugar só ficava mais aterrorizante. Eu precisava muito achar o lugar onde tomava água. 

Vejo uma pessoa no corredor e meu sangue ferve, novamente aquela sensação de sede de sangue me sobe e me consome, aquela vontade de matar. Grito alto sentindo a agonia voltar igualzinho ao dia em que matei Taemin.

- CORRE. - Gritei para a pessoa que me olhou confusa e saiu correndo ao perceber meu estado. 

Cai no chão e me debati. Eu estava com dor só que mais forte do que aquele dia.

Puxei meus cabelos com força e me encolhi no chão, o vento gélido só piorava as coisas. Minha cabeça sussurrava:

Mate

Só mate

Isso vai te fazer bem

É como se estivesse um demônio falando comigo mentalmente.

Senti uma mão tocar meu ombro, levanto minha cabeça e me assusto com a pessoa ajoelhada ao meu lado.

Jeon JungKooK .

- O que você tem? - Perguntou e só a voz dele me fez tremer. - Quer que eu fique de camarote vendo você morrer?

Ele me olhou com sarcasmo e raiva. Por incrível que pareça eu não senti medo. Aquela vontade matar passou e eu me acalmei.

- Eu não sei o que estava acontecendo comigo. - Falei baixo com receio do que ele poderia falar. - Eu sentia uma imensa vontade de matar.

Ele suspirou e riu alto em seguida. Se levantou e me ajudou a levantar.

- Você tem muito o que aprender, novato. - Jeon saiu andando pelo corredor escuro enquanto eu apenas observava.

Isso foi extremamente estranho.




                   Continua?




Notas Finais


Então foi isso
Eu sei que tenho que aumentar mais os caps e esse está super pequeno

Saranghae❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...