História The Parent Trap - Capítulo 2


Escrita por: ~ e ~WalkerSophia

Postado
Categorias Jensen Ackles, Misha Collins, Supernatural
Personagens Jensen Ackles, Misha Collins
Tags Cockles, Comedia, Destiel, Fluffy, Jensen Ackles, Jensha, Justice Jay Ackles, Lemon, Misha Collins, Slash, Supernatural, West Collins, Yaoi
Exibições 213
Palavras 2.038
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Ecchi, Famí­lia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Yaoi
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Tia Soph: OLÁ SEUS BANDO DE PUTOS QUE A TIA SOPH AMA TANTO!
Tio Matty: OLÁ SEUS BANDO DE PUTOS QUE O TIO MATTY AMA TANTO!
Ñ, pera...
Affz
Agr vou pagar de plagiador ;3;
Tia Soph: Tudo mundo sabe que você é um clone mal feito meu, relex ü
Tio Matty: *versão melhorada, linda 💅
Tia Soph: Aham, vai se iludindo...
Mas não viemos aqui pra você se iludir, baby
Estamos aqui pra postar um cap de uma fanfic q morreu e virou pre-histórica de tanto tempo que não escrevemos ù

Tio Matty: Iludido? Eu? Vc qm é mais iludida q o Cass em Sweet Illusion. Fica aí axando q o Jensen é bottom, q absurdo!
Enfim...
Definitivamente, a gente só precisava continuar essa fic, ela já já entraria em decomposição 'u'
Tia Soph: E com um lindo "tomar no cu" da parte da Tia pro Tio, Soph encerra o assunto de iludimentos...
Enfim ü
MIGS
SEI Q DEMORAMOS
MAS EU TENHO UMA JUSTIFICATIVA MUITO BOA P ISSO!
...
...
...
OKAY
TALVEZ EU Ñ TENHA
MAS EU JOGO A CULPA PRO MATTY
Tio Matty: PRA MIM O CACETE
EU ESCREVO RÁPIDO
ESSA VACA Q ENROLA P COMEÇAR AS PORRAS DOS CAPS 🍳
Tia Soph: Nossa, vc foi mt rapido nessa fic ü
Flash ü
Tio Matty: Q bom q reconhece, migs 🖖
Tia Soph: Tomar no cuzinho arrombado, more ü
Enfim
MIGS
AMORES DA VIDA DA TIA SOPH
EIS O CAP ❤❤❤
Tio Matty: 🖕

P.S.*: Ah, é, boa leitura p vcs ü
E ñ deem ouvidos a essa louca, o Jensen ñ é bottom 💕
P.S.W.: Tomar no cu ü
P.S.**: Vai vc :v
P.S.W.: ...
P.S.***: ...
P.S.W.: ...
P.S.**: Trégua p podermos postar o cap sem nos matarmos?
P.S.W.: Sim ü

Capítulo 2 - The Thing That Should Not Be


West e Justice não podiam estar mais animados. Iam em sua primeira convenção com seus pais! Aquela seria a última temporada de Supernatural, e por isso todo o elenco estava reunido, além de ter participações especiais de algumas pessoas que vez ou outra já haviam aparecido anteriormente nas convenções. Justice e West já haviam aparecido quando ainda eram bem pequeninos e que se vissem Supernatural, iam ficar com medo dos monstros no armário. 

Jensen e Misha não gostavam muito da ideia de expor seus filhos, mas as crianças pareciam tão animadas e contentes que acabaram por concordar com o convite. E bem, já que a convenção ia ter verias participações especiais, aqueles pestinhas iam ficar no palco por pouco tempo. Eles só haviam feito a Justice e o West prometerem que não ia aprontar nada, o que eles não sabiam é que os dedos dos pirralhos estavam cruzados em suas costas. 

Já na convenção — após uma série de pessoas terem passado no palco para recordar os momentos que haviam passado com Jensen e Jared — só havia Jensen e Misha no palco. Eles estavam falando sobre Destiel, um assunto que havia aumentado cada vez mais na fandom, e junto com eles estavam seus respectivos filhos — que muitos que acompanhavam o Twitter sabiam que ambos torciam para que Dean e Castiel acabassem junto na série. 

West e Justice sempre cortavam os pais quando eles iam responder alguma coisa sobre Destiel e não podiam deixar de ficar todo animados e eufóricos falando sobre o shipp, os dois quase vomitavam arco-íris enquanto falavam. Boa parte do publico achava adorável os dois shippando e falando que seus pais deveriam namorar. 

Jensen sempre corava com os comentários das duas crianças — mesmo que não fosse nada de mais o que os dois respondiam, não podia deixar de estar constrangido — e Misha sempre ria de tudo o que os dois falavam, achando graça de tudo — principalmente de Jensen que parecia que teria um ataque a qualquer segundo. 

Em algum momento, Jensen e Misha voltaram a se interagir mais com o publico, esquecendo momentaneamente que as crianças estavam no palco, assim como a plateia também não estava dando tanta atenção assim para elas. Os dois sorriram um para outro. 
West sinalizou para as garrafas com a cabeça e Justice entendeu na mesma hora o que o garoto quis dizer. A menina sorriu amplamente antes de apontar que ela cuidaria de Jensen e West cuidaria do Misha. 

Ambos começaram então a engatinhar em direção a cadeira que seus pais estavam sentados. Obviamente, quando aproximaram-se mais dos mais velhos, o publico reparou na movimentação e começou a olhar. Os dois não tiveram escolha se não por o dedo indicador em frente aos lábios em um pedido mudo de silêncio. Eles não precisam de atenção. Alguns expectadores continuaram olhando, curiosos. Outros voltaram a olhar para Jensen e Misha. Mas o que a maioria não conseguiu esconder foram as risadas. 

Jensen e Misha obviamente acharam aquilo estranho, e West e Justice perceberam que tinham de ser mais rápidos. Por tanto, antes que qualquer um dos dois pudesse reparar em tudo, trocaram as garrafinhas de água de Jensen e Misha na velocidade da luz — por sorte as garrafinhas de ambos estavam no chão, perto de suas respectivas cadeiras. 

Nem um segundo depois disso Jensen e Misha olharam para o mesmo lugar onde a maioria olhava e riam. West e Justice ficaram de pé na mesma hora, dando um sorriso amarelo para seus pais sobre os olhares desconfiados de cada um. 

— O que diabos vocês estavam fazendo? — Misha indagou, parecendo sério. Era bem difícil fazer o Collins mais velho parar de sorrir e ficar com um olhar atípico — ou seja, repleto de seriedade. West e Justice só se entreolharam, engolindo seco. 

— Ahn... — West sentiu sua garganta ser fechada por um nó. Tinha medo quando seu pai ficava sério, porque era bem difícil daquilo acontecer e quando acontecia... Puta que o pariu. 

— Respondam ao Mish. — Jensen completou ao ver que os dois estavam enrolando e parte da plateia não conseguia não pensar que os dois pareciam um casal — suspiros eram ouvidos de boa parte da plateia. 

— O botão do meu vestido caiu, papai! — Justice choramingou mostrando o botão do vestido que ela havia acabado de tirar. Depois ela iria pedir perdão à Deus por ter mentido, mas era por um bem maior! Afinal, na própria série de Supernatural Chuck — Deus — havia dito que shippava. Então talvez ela fosse perdoada com mais facilidade. 

— ... — Jensen e Misha olharam um para o outro meio desconfiados, mas por firam deram de ombros. — Vão sentar e sosseguem. — Jensen pediu por fim. 

O Ackles mais velho suspirou e ajeitou-se em sua cadeira, seu pé sem querer bateu na garrafinha de água ao seu canto e seus olhos esverdeados foram para lá no mesmo instante. De repente — ao ver a água — sentiu sua boca ficar seca — um efeito psicológico comum — e pegou a garrafinha do chão, abrindo-a para tomar alguns goles enquanto Misha respondia a pergunta de um garoto qualquer. 

No segundo que Jensen colocou o gargalo da garrafa na boca, Justice e West pegaram os celulares e começaram a filmar, cada um em caaa angulo, usando um profissionalismo que criança alguma de suas idades deveriam ter. 

Jensen e Misha nem se quer perceberam nada, mar parte da plateia seguia o exemplo de West e Justice e filmavam. Os dois pirralhos sorriram. Primeira parte do plano feito! 

***

— ... Por causa disso eu acho que Wincest e Padackles é muito melhor que Destiel, então queria perguntar... — antes que a mulher que perguntava a Misha e Jensen qualquer coisa relacionado a Sam e Dean, West e Justice brotaram no meio do palco com um cartaz enorme, aberto. 

Os fãs ficaram surpresos no mesmo segundo. Não era um simples cartaz! Era uma montagem muito bem feita do Castiel e do Dean se agarrando de uma forma bem fogosa. 

— Destiel pra sempre! — os dois pirralhos gritaram, agitando o cartaz e sorrindo largamente. 

Misha começou a rir daquilo desesperadamente, achando graça de tudo e se perguntando como aqueles dois conseguiram imprimir um cartaz tão grande — mas agora pelo menos ele tinha uma explicação para o pedaço de cartolina que West e Justice estavam carregando há dias. 

Enquanto isso Jensen tinha um ataque no meio do palco. O mais velho dos Ackles quase teve um infarto, e Justice e West vendo que Jensen poderia matar um, trataram de enrolar o cartaz e esconde-lo — de uma forma muito mal feita — atrás de suas costas. 

— Vão para os bastidores e só saiam de lá quando eu mandar. — Jensen disse com uma voz falsamente calma, que os dois só podiam pensar que estavam ferrados. 

Mas bem, eles já haviam se ferrado mesmo, se eles aprontassem mais uma coisinha não iria matar ninguém — ainda mais que havia poucas chances de descobrirem que foram ele. 

Sorrindo um para o outro, Justice e West saíram correndo do palco, mas se agora iriam realmente para os bastidores, nem se quer Deus sabia.

***

Jensen não sabia o tamanho do erro que havia cometido ao mandar os dois pestinhas saírem do palco. Como se não os conhecesse. O que os pequenos West e Justice aprontariam em seguida passava bem longe dos pensamentos do loiro.

— Acho que a gente não deveria fazer isso, JJ. Da última vez que o seu pai falou daquele jeito com a gente, acabamos sem ver televisão por um mês. — West comentou, apreensivo.

— Deixa de ser trouxa! O que é um mês sem televisão se conseguirmos fazer o Tio Mish agarrar o pa~

— Epa, epa, pode parar por aí!

Justice apenas deu de ombros. Da última vez que fez uma provocação do gênero ganhou um tapa no ombro que deixou marca por três dias — contudo, não podia negar que adorava irritar o loirinho.

— Tá. Mas você entendeu o que eu quis dizer. Vamos, ou não? — a pequena estava ficando impaciente.

— Tá, vamos.

As crianças saíram dos bastidores e voltaram à sala do painel — mas dessa vez pela porta da frente. Infiltraram-se na plateia, longe dos olhares de Jensen e Misha. Foram andando pelo meio das pessoas, que os observavam curiosas, mas ambos apenas pediam silêncio para que seus pais não os vissem.

— Vish. — Justice exclamou ao ver o moreno no palco — o tamanho inconfundível se destacava sobre as cabeças de milhares de fãs a sua frente. 

— Tanta hora 'pra ele surgir e tinha que ser justo agora? — West resmungava. 

— Não importa, West. Temos que fazer o combinado! — Justice acertou um tapa na cabeça do outro, que gemeu levemente de dor.

— Me pega no colo. — pediu — quase ordenando — sem nenhuma cerimônia. 

— Tá louca? Até parece que eu aguento você, baleia. 

— Papai e tio Mish me aguentam! — falou indignada. — Você que é fracote! 

— Fracote? Eu sou forte! Eles que são grandões. 

— Nada a ver. — deu a língua para o outro. — Agora me pega no colo logo, como você quer que eu taque a garrafa d'água sem ver o palco? 

— Por que eu quem tenho que te pegar no colo, hein?

— Por que você é mais velho. Agora vamos logo! Se o tio Mish sair do palco eu te mato. 

— Tá, tá. Mas tem certeza que não é melhor uma casca de banana? 

— West!

— Tá, parei.

West segurou Justice em seu colo — sentindo seus braços morrerem a cada segundo, porque por mais que a menina não tivesse um peso a cima, eles tinham a quase a mesma estatura e massa corporal, fazendo com que fosse complicado para a criança mais velha. O peso de Justice fazia com que West ficasse meio desequilibrado, balançando para lá e para cá ao tentar manter-se em pé. 

— Sossega, West! Desse jeito eu vou errar! — ralhava a pequenina. West tentou ainda mais manter-se firme, mas era complicado de mais, e quando Justice foi lançar o objeto em suas mãos, West caiu pro lado, levando Justice junto consigo e fazendo a loirinha pensar que se o objeto tivesse pelo menos chegado ao palco, seria um milagre. 

— Eu te disse que você era uma baleia! — West reclamava, sentindo dor por todo o seu braço, na bunda — onde havia caído em cima — e na barriga — onde Justice havia caído com tudo. 

— Cala a boca! Por sua culpa eu errei! — tentava falar baixo para não chamar a atenção — o que deveria ser obra divina não ter acontecido até agora, já que os dois eram espalhafatosos —, mas não conseguia controlar sua raiva. — Fracote! — murmurou, levantando-se e olhando para o palco. West fazia o mesmo ao seu lado. 

No palco, o objeto havia acertado a cabeça de Jared, desnorteando-o e o fazendo cair de bunda no chão — as pessoas ali se controlavam para não rir, enquanto outras quase tinham um infarto de preocupação. Poucos segundos depois um Jensen preocupado ia em direção a Jared, para ajuda-lo a levantar-se. 

O que Justice e West não esperavam era que Jensen viesse a tropeçar no objeto que Justice jogou e cair em cima do Jared. Mas a forma como caiu foi... Foi. Justice nem West sabiam como classificar aquilo. Talvez fosse o ódio e a raiva consumindo-os por seu plano ter dado errado, mas tudo que eles sabiam era que iam matar um. Quantas chances no mundo haviam do Jensen cair beijando o Jared?! E na boca! 

As shippers Wincests iam a loucura. A cada grito eufórico delas West e Justice sentiam o sangue ser bombeado cada vez mais rápido em suas veias. Mas aquilo não ia ficar assim. Não mesmo!

Correram na direção do palco assim que Jensen levantou-se — mais vermelho que um morango silvestre, diga-se de passagem —, aproveitando que todos estavam focados de mais no recente beijo. Esperariam só pela deixa para fazerem o plano B — que nem precisou ser discutido, talvez fosse pela raiva, ou pela sincronia que tinham, mas praticamente adivinharam o pensamento um do outro.

Quando Jensen e Misha se aproximaram, Jensen praticamente fugindo de perto de Jared de tanta vergonha, West e Justice surgiram no meio do palco e empurraram seus respectivos pais na direção um do outro. 

Antes que qualquer um dos dois pudessem reagir, ou até mesmo pensar em qualquer coisa que fosse, estavam se beijando. 
Sorriram e pegaram o celular. Aquilo definitivamente iria para o YouTube!
 


Notas Finais


Tia Soph: EIS QUE CHEGAMOS AO FIM DO CAP ü
Tio Matty: PARA DE FALAR TD O Q EU IA FALAR, DESGRAÇA! ;3;
Tia Soph: Não ü
Tio Matty: 🖕
Enfim
Nos desculpem pela demora
Msm
MAS Ñ FIKEM C RAIVA
ESTAMOS C MT COISA NOVA P POSTAR P VCS
SE NOS MATAREM, VÃO FICAR NA CURIOSIDADE u.u
Tia Soph: AHAM
POR ISSO
NOS POLPEM Ü
Tio Matty: *poupem, migs
Perdoem esse desastre ambulante
Tia Soph: Ü
Eu escrevo td errado msm u.u
Foda-se
Tio Matty: Enfim...
Encontramos vcs na próxima fic q atualizarmos ü
inclusive uma q vai surpreender mts
Tia Soph: Vai? .,.
Tio Matty: Vai .-.
Tia Soph: ü
Ñ sei o q é ü
Nem qual é ü
Tio Matty: Entenderam o q eu quis dizer por desastre ambulante? ü
Tia Soph: Tomar no cu ü
Tio Matty: Só se for do Dean u.u 💕
Tia Soph: Aham
Tio Matty: ü
Enfim babies, deixem aí um comentário
Se quiserem deixar senhas de bancos e cartões de crédito tmb aceitamos 💅
Tia Soph: EU TMB ACEITO FABRICAS DE CHOCOLATES! E SORVETES! E O DEAN! ü
Tio Matty: EU ACEITO O JENSEN o/
Tia Soph: Agr...
Adeus ü
Amo vcs
Kissus meus diwos
Já'né


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...