História The past in your eyes... - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Jaxon Bieber, Jazmyn Bieber, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Barbara Palvin, Drama, Justin Bieber, Mistério, Revelaçoes, Romance, Sexo, Tragedia
Exibições 29
Palavras 1.634
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Hentai, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi meus amores, essa é a nova fanfic que estou escrevendo, e dependendo da avaliação de vocês eu continuarei...
Portanto, se você gostou deixa seu favorito e um comentário para me incentivar! Espero que gostem!!
*capa provisória*

Capítulo 1 - Starting again...


Fanfic / Fanfiction The past in your eyes... - Capítulo 1 - Starting again...

Pessoas, pessoas, e mais pessoas, tudo está acontecendo tão rápido, milhares de pensamentos invadindo a minha cabeça em milésimos de segundos, e ao mesmo tempo não estou pensando em nada, na verdade, nem sei se estou pensando. Está tudo girando, e o barulho é torturante. É reconfortante saber que em meio a tanto rostos desconhecidos, um deles pode ser o seu amparo. Cambaleio novamente até o balcão a procura de mais um drinque.

- Ei, ei, ei. A senhorita já bebeu demais, nada disso. – Ele fala sussurrando em meu ouvido, enquanto tira delicadamente o copo da minha mão.

- Não! Por favor! – Choramingo fazendo beicinho.

Ele entrega-me o copo, com um sorriso malicioso, e rapidamente eu viro toda a bebida na boca, como se eu precisasse apenas disso para sobreviver.

- Uau, acho que esse não caiu tão bem, não. – Falei com cara de dor, e isso foi a última coisa que eu me lembro antes da minha visão escurecer totalmente...

                                                                                                            ***

                O despertador mal toca e eu já sinto Meg subindo em cima de mim e caminhando em direção ao meu rosto para me dar umas lambidas de bom dia.

- Ei, ei, já chega, bom dia pra você também. – Rindo tento tirá-la de cima do meu rosto, mas ela se recusa sair. Logo já escuto o barulho da porta abrindo e aquela forte luz atingindo meus olhos, Meg sai de cima do meu rosto e vai correndo na direção da minha mãe abanando o rabinho.

- Bom dia Cass, levante ou vai se atrasar logo no primeiro dia de aula. – Ela falou e já fechou a porta, nem me dando tempo de raciocinar ou ao menos falar bom dia.

                Antes de levantar dou uma espreguiçada e pulo da cama, vou direto ao banheiro, olho no espelho e, nossa! Já tive dias melhores quando se trata de beleza. Abro a torneira e jogo um pouco de água gelada no rosto para ver se acordo, enxuguei-o e fui pro quarto novamente para achar uma roupa. Abri meu armário e percebi que não fazia ideia com que roupa ir, porque pela primeira vez não preciso usar uniforme na escola, quando morava na Carolina do Norte o uso de uniformes eram obrigatório em todas as escolas e como só faz dois meses que nos mudamos para Boston, ainda tenho que me acostumar com algumas coisas.

                Continuei olhando para o meu armário e tentando pensar em alguma roupa, então decidi ir simples mesmo para não correr o risco de passar vergonha, peguei meu jeans favorito, uma regata mais soltinha com uma jaquetinha jeans por cima e minha sapatilha do dia-a-dia, penteei o cabelo e ele ficou com leves ondulações, não me importei e fui pegar a maleta de maquiagem.

- Cassie, venha tomar café já está tarde! – Ouvi minha mãe gritando.

- Já estou indo! – Gritei de volta.

                Decidi ir sem maquiagem, apenas com um pouco de rímel para destacar meus olhos. Guardei a maleta e desci para tomar café, se não minha mãe iria surtar.

- Cheguei. – Falei enquanto descia as escadas. – Até que enfim! – Ela retrucou enquanto terminava de organizar a mesa.

                Peguei um pouco de café e algumas bolachinhas, estava sem fome.

- Onde está meu pai? – Perguntei enquanto comia.

- Ele tinha uma reunião agora cedo. – Ela respondeu dando de ombro. – Está animada para o seu primeiro dia, filha? – Perguntou com o sorriso no rosto.

- Na verdade não, você sabe que eu não gostei nem um pouco daqui, sem contar que eu não tenho nenhuma amiga.

- Ah Cass, você vai se adaptar, não se preocupe. – Falou enquanto passava a mão no meu cabelo.

- Espero que sim. – Falei enquanto me levantava da mesa. – Vou escovar os dentes e já desço para a gente ir.

                Subi correndo as escadas, e fui escovar os dentes, dei mais uma ajeitada no cabelo, respirei fundo peguei a bolsa que estava em cima da cama e desci correndo.

- Vamos mãe.  – Falei e ela pegou a chave do carro para irmos.

                A escola ficava bem perto de casa, era uns 5 minutos de distância, o que era bom. Chegando lá, respirei fundo de novo, dei um beijo na minha mãe e saí do carro.

- Seu dia vai ser maravilhoso, filha, eu te amo. – Ela falou e saiu com o carro.

                Olhei ao redor, e a parte da frente da escola estava lotada, com alunos de todas as idades e com as mais diversas roupas, tinha meninas de saia, outras de shorts, até mesmo umas com vestidos e saltos. Eu simplesmente travei, não sabia o que fazer, então respirei fundo mais uma vez e segui em frente. Fui procurar um armário para adotar como meu e o único que eu encontrei vazio era um ao lado de uma menina ruiva, ela era linda, não era baixinha, mas também não era alta, tinha uns olhos verdes e grandes da cor de uma esmeralda, e seu cabelo vermelho fogo destaca a sua pele branquinha com algumas sardas. Fui até o armário, mas eu não conseguia abrir aquilo de jeito nenhum e percebi que a ruiva estava rindo de mim.

- Quer ajuda? – Ela perguntou ainda rindo.

- Por favor! – Falei rindo também. – Então ela veio e como num passe de mágica, meu armário abriu.

- Tudo depende da maneira que você faz. – Ela falou e eu ri.

- Obrigada! Sem você eu não ia abrir isso aqui nunca. – Falei e ela riu de novo. – Qual seu nome?

- Ivy e o seu?

- Cassie. – Falei estendendo a mão e sorrindo. Ela retribuiu o gesto.

- E aí, que aula você vai ter agora? – Ela me perguntou.

- Boa pergunta, acho que é biologia.

- Eu também! Vem comigo então. – Ela falou enquanto agarrava minha mão para me puxar.

                Passamos no meio de todos aqueles alunos alvoroçados e conseguimos chegar na sala, estava meio vazia, devia ter uns 10 alunos.

- Nossa, está bem vazia a sala né? – Falei enquanto fui para uma carteira que fica ao lado da parede no meio da fileira, e Ivy sentou do meu lado.

- Na verdade está até cheia, aqui não tem muitos alunos por sala, aliás de onde você veio?

- Sou da Carolina do Norte.

- Reconheci pelo sotaque, morei lá quando era menor, eu amo aquele lugar! – Ela falou e eu concordei. – Mas os meninos daqui são melhores. – Ela falou dando um sorrisinho malicioso e eu concordei rindo.

- Me conta quais são os gatinhos da escola, ou da sala. – Falei dando uma olhada ao redor da sala, para ver se tinha algum menino interessante.

- Nossa Cass, espera, posso te chamar de Cass né? – Assenti com a cabeça e ela continuou. – Então, tem vários, na minha opinião o Charles é um dos mais gatinhos, mas tem também o Chris, e o Ryan. Esses são os que mais chamam a atenção aqui.

- Charles?

- É, a gente chama ele de Chaz, Chaz Somers.

- Hum, no intervalo você me apresenta. – Falei rindo e ela riu também.

- E essas pessoas da sala, você conhece? – Perguntei para puxar assunto, porque ainda faltavam 10 minutos para começar as aulas.

- Aquela loira com cara amarrada é a Holly Benson. – Ela falou enquanto apontava com a cabeça. - A mais chata e mais conhecida do colégio. – Continuou. -  E suas amiguinhas são Sophie e Charlott.

- Aquele moreno ali atrás é o Chris Beadles, o gatinho que eu falei. E Aquela ali é a Angel, ela é legal, mas é bem falsa, então cuidado. E aquele menino ali. – Ela apontou com a cabeça novamente. – É o Justin, ele é gatinho, mas é bem quieto, não socializa muito.

- Entendi. – Falei e fui olhando ao redor, para ver se iria conseguir guardar todas aquelas informações. – Você conhece bastante gente né? – Falei e ela concordou rindo. Nisso a professora foi entrando na aula.

- Fico feliz com o retorno das aulas, sou a professora de biologia e quero todo mundo em silêncio. – Ela foi falando enquanto fechava a porta e logo já foi colocando a matéria na lousa.

As duas primeiras aulas passaram bem rápidas, e eu até que estava gostando da escola nova, principalmente porque agora eu já tinha uma amiga e tinha adorado ela. A gente foi ao refeitório, que, aliás, estava lotado e ela me apresentou para uns amigos, e eles eram uns amores, depois teve mais duas aulas e mais um intervalo, nesse que era mais curto, ela ficou me mostrando os gatinhos do colégio e por fim chegou a tão esperada duas últimas aulas, que ambas eram literatura, eu amo literatura, e o professor é gente boa, então a aula passou rápido também, para o primeiro dia na escola, foi até que legal, conheci mais ou menos a galera, já fiz algumas amizades, as aulas não foram ruins e até que essa escola faz meu tipo.

Saí da escola junto com Ivy e perguntei:

- E aí, o que você vai fazer agora?

- Ah, nada planejado, mas se você quiser podemos dar uma passadinha em alguma lanchonete para comermos algo. – Ela deu a sugestão e eu sorri concordando. – Eu acho uma ótima ideia!

- Então vamos! – Ela falou sorrindo. E eu ligue para a minha mãe para avisar que ia almoçar com ela. Minha mãe adorou o fato de eu já ter feito amizades.

Fomos para uma lanchonetezinha que ficava ali perto, e sentamos para comer.

- O que você vai comer? – Ela me perguntou e eu fiz cara de interrogação.

- Pede para mim o que você for pedir pra você, por favor. - Falei e ela foi até o balcão para fazer o pedido.

Estava meio distraída, analisando o lugar até que reparei que havia alguém nos observando, eu só não conseguia ver quem...

Continua?


Notas Finais


E ai, o que acharam? Me digam nos comentários se devo ou não continuar, e caso achem algum errinho me avisem para que eu possa arrumar. Eu estou amando escrever essa fic então espero que vocês gostem! <3
Twitter: Onedreamzs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...