História The Past Is Back - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Scream (Série)
Personagens Audrey Jensen, Brooke Maddox, Eli Hudson, Emma Duval, Gustavo "Stavo" Acosta, Haley Meyers, Jake Fitzgerald, Kieran Wilcox, Margaret "Maggie" Duval, Noah Foster, Xerife Michael Acosta, Zoe Vaughn
Tags Amadeus Serafini, Bex Taylor Klaus, Carlson Young, John Karna, Scream, Tom Maden, Willa Fitzgerald
Exibições 35
Palavras 1.120
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Festa, Ficção, Luta, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 7 - Capítulo 7: Você Não Está Sozinha


Fanfic / Fanfiction The Past Is Back - Capítulo 7 - Capítulo 7: Você Não Está Sozinha

- Bom, vamos? - ela disse pegando suas coisas. Assenti com a cabeça.

Durante todo o caminho ela apoiava sua mão direita na minha coxa, e só tirava quando havia extrema necessidade de trocar a marcha. E eu tão aérea sobre minha mãe e sobre o Jake.

- Minha mãe está desaparecida. - só falei pra quebrar o silêncio e deixar claro. - Meu pai não viajou a negócios e eu recebi um vídeo da minha mãe de um número desconhecido, mas tenho medo de contar para meu pai ou para polícia. 

- Número desconhecido? - ela quase gaguejou, parecia assustada. - Posso ver o vídeo?

- Aqui. - estiquei meu braço dando play no vídeo.

- Não sei nem o que dizer. - ela parou o carro em frente a sua casa.

- Só diz que vai ficar tudo bem.

- Vai ficar. - ela sorriu e saímos do carro.

Ela abriu a porta e fez uma reverência para eu entrar. Já estava de noite, então a casa estava escura e eu não conseguia ver nada. Escutei o barulho da porta fechar e as luzes da escadaria se acenderam. Sem pedir permissão, eu subi alguns degraus da escada e Audrey me agarrou pelas costas.

Continuamos agarradas até chegar em seu quarto. Ela me jogou na cama e se sentou em meu colo, me beijando ferozmente. Uau Audrey! Nunca me senti tão bem, era como só existisse eu e ela no mundo todo.

Sua mão deslizava por todo o meu corpo, até que parou na aba da minha blusa e a tirou. Tentei fazer o mesmo, mas a blusa parou na sua cabeça.

- Estou presa. - ela disse e rimos como duas idiotas.

Voltando ao clima quente. Nos beijamos de forma intensa e cheia de desejo. As pontas dos seus dedos estavam gelados e passeavam pelas minhas costas, me deixando arrepiada. Encaixei uma de minhas pernas entre as suas para fazer pressão contra sua intimidade. Entre os beijos, mantivemos pressionados os corpos um no outro. Deixei escapar uns gemidos baixos. Nos separamos por míseros segundos para nos livrarmos do resto das peças de roupas. Voltamos à tona e ela se deitou por cima de mim, beijando o pescoço e descendo até parar nos seios. Me senti afogada quando ela abocanhou meu seio direito e acabei soltando um gemido alto. Estiquei o braço e acariciei sua intimidade. Penetrei um dedo e ela soltou um leve gemido. Isso me deixou no controle e me deitei por cima dela. Depois penetrei mais um dedo e fiz movimentos de vai e vem, enquanto brincava com seu clitóris com a língua. Ela gemeu alto e não demorou muito para gozar. Soltei um sorriso sedutor e beijei sua intimidade. 

Ela se jogou em cima do meu corpo e voltou a me beijar. Com um sorriso malicioso (o que fez eu me derreter), ela colocou meu cabelo, que já estava todo molhado e grudando na pele, para trás da minha orelha e segurou minhas mãos. Ela desceu beijos pela minha barriga até chegar na minha intimidade. Ela me chupava, mordia meu lábio maior e eu me contorcia de prazer. Cheguei ao meu orgasmo e gritei alto seu nome. Nós nos jogamos na cama, completamente molhadas de suor (e não só disso). Dei um selinho nela e fiquei sorrindo para ela até que peguei no sono.

Acordei com a visão de Audrey nua, porém de costas, enquanto procurava talvez uma blusa? Ela se virou e me viu acordada.

- Bom dia amor. - OPA, ELA ME CHAMOU DE AMOR! - Desculpa, te acordei? - veio em minha direção após colocar a roupa.

- Não. - sorri de canto e ela me beijou. Era para ser um beijo rápido mas eu a segurei. - Pode me emprestar uma blusa? Alguém quase rasgou a minha de tanto fogo. - rimos.

- Ah, então está dizendo que a senhora não gostou?

- Nunca disse isso! - apontei pra ela e rimos de novo. 

- É claro que pode pegar. Eu vou lá embaixo pegar alguma coisa pra gente.

Ela saiu do quarto e eu me levantei pra pegar a blusa. Peguei uma aleatória já o que o que me importava era que fosse uma blusa dela. Coloquei junto com minha calça jeans e um coturno. Fiquei olhando o quarto dela por um tempo antes de descer, fazia um bom tempo que eu não vinha aqui. Desci e ela já estava perto da porta com dois copos de café.

- Vamos? - assenti com um sorriso e ela me deu um dos copos. 

Hoje é oficialmente meu primeiro dia de aula desde que voltei, já que ontem não assisti nem a primeira aula, e amanhã já é sexta, amém. Ao menos tem a festa da Brooke amanhã, não sei se ela está no clima mas ela estava planejando essa festa a uns meses e ela pagou caro pela fantasia dela. MEU DEUS, A FANTASIA. Esqueci de comprar, droga!

- Do que você vai amanhã? - disse assim que ela deu a partida no carro.

- Algo que tenha preto, eu invento de última hora. E você?

- Eu não sei, eu esqueci completamente da fantasia. Eu posso ir de bruxa, assim não preciso nem passar maquiagem, né?

- Ai para, fala como se fosse feia! - ela deu um soquinho no meu braço e nós rimos.

Recebemos mensagem ao mesmo tempo, ela fechou a cara completamente quando viu que era de número desconhecido. Abrimos praticamente ao mesmo tempo e eram dois vídeos. O primeiro da gente subindo as escadas agarradas ontem e um da gente rindo agorinha. Meu coração começou a acelerar e eu olhei para ela. 

- Tinha alguém na casa ontem e tem alguém perto da gente! - estava assustada.

- Que surpresa... - ela falou bufando e acelerando.

- Você andou recebendo mensagens desse número também?

- Há um tempo.

- Desde quando? A pegadinha do cinema?

- Você sabe daquilo?

- Audrey, alguém pode ter apagado o vídeo mas ele foi viral, acha que eu não vi? Só não entendi porque não me mostrou. 

- Não queria te deixar preocupada.

- Aquilo não me deixou tão preocupada, mas isso sim! - apontei para o celular onde repetia o vídeo várias vezes.

- Vamos passar no Noah antes de ir pra aula, quem sabe ele não rastreia. - ela disse da boca pra fora.

- Espera, Noah sabia? - ela respirou fundo. - É claro que ele sabia! - Virei meu rosto para a janela.

- Ei, não fica brava comigo. - ela olhava para mim e para a estrada, tentando se concentrar nos dois ao mesmo tempo. 

- Só me responde uma coisa: você conhecia a Piper?


Notas Finais


Comentários? <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...