História The Past Still Present - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Block B
Personagens Personagens Originais
Tags Catfish, Jaeil, Pyobomb, Zikyung
Visualizações 19
Palavras 1.586
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Estupro, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Bom... demorei mas foi rsrs. Acabei tendo coisas demais pra fazer hoje mas aqui estou eu postando um novo capítulo kkk.
Espero que gostem, Sem pressa e tenha uma Boa Leitura ♡

Capítulo 13 - Chapter 7


 Acordei com o Sol batendo na cama e sinto um peso a mais sobre mim, especificamente uma perna e um braço me prendendo.
Me virei um pouco e deparei-me com o Jaehyo, dormindo com tanta serenidade. Podia sentir sua respiração em meu rosto pela proximidade em que estávamos. Fiquei observando-o, dando atenção a cada detalhe de seu belo rosto. Me aproximo o suficiente para que meu nariz tocasse no dele, levo minha mão ao seu cabelo afagando o mesmo levemente.
Encarei o relógio que estava na parede e resolvi que já era hora de levantar, me mexi aos poucos para não acordar o Jae. Assim que me levantei fui até o banheiro e vi que meu óculo estava lá, lavei meu rosto e coloquei o mesmo que tinha lentes bem limpas, me olhei no espelho e dei uma arrumada no meu cabelo que estava um tanto bagunçado.
Voltei para o quarto e notei que Jaehyo continuava dormindo, fui até o seu guarda-roupa e peguei a minha mala que estava lá dentro, escolhi uma roupa qualquer, uma camiseta branca, calça jeans e um moletom preto. Acabei me trocando ali mesmo afinal o outro ainda continuava dormindo e pelo jeito iria ficar assim por um bom tempo.
Coloquei-me de costas pra ele e me despi ficando somente de box por um tempo curto pois logo tratei de me vestir. Quando já havia colocado a calça e iria colocar a camiseta, sinto braços envolverem a minha cintura.

- Hyung, eu não entendo porque faz esse tipo de coisa comigo.- Ele disse em meu ouvido.


- Que tipo de coisa eu faço com você?- Perguntei sem saber.


- Você estava se trocando na minha frente, nem imagina como é acordar e se deparar com uma cena dessas. Não tem noção das coisas que eu estava pensando.


- Yah! Você está muito pervertido.- Disse em um tom de repreensão quando na verdade, eu estava um tanto envergonhado com tudo aquilo. Coloquei minha camisa e logo sou virado ficando frente a frente com o Jaehyo.


- Você fica lindo quando está com vergonha.- Ele deixou um beijo na minha bochecha.


- Você é muito abusado e...- Escutamos berros vindos do andar de baixo.


- O ALMOÇO ESTÁ PRONTO CRIANÇAS!- A Sra. Ahn gritou presumindo que já estávamos acordados.


- VAMOS DESCER MÃE.- O Jae respondeu no mesmo tom para que a sua mãe pudesse ouvir.- Vou te levar até lá embaixo.


- Como assim você vai?- Antes de me responder ele me pegou quase entre as pernas e me jogou sobre o ombro como se eu fosse um saco de farinha, colocando meu braço direito sobre seu ombro livre me carregando praticamente de lado.


- O que você pensa que ta fazendo?- Perguntei pra ele.


- Te levando até a cozinha.- Ele riu alto e desferiu um tapa em minha bunda.


- EI! Você está muito atrevido hoje.- Disse dando uma bofetada na cabeça dele.


Ele continuou me ignorando e me carregou até a cozinha. Assim que chegamos ele me vira para a mãe dele que ao notar a presença de alguém se vira para nós.

- Eu pensei que estivessem voltado a dormir.- Ela parou por alguns segundos para analisar a situação em que eu estava.- Eu queria entender o que está acontecendo mas tenho medo de perguntar.- Ela deu uma risada baixa.


- Será que a senhora poderia pedir para o seu filho me colocar no chão.


- Sabe Taeil, eu até poderia mas por ele ser maior de idade, duvido que ele vá me escutar.- Acabei soltando um suspiro pesado com a resposta e me dei por vencido.


Jae caminhou comigo até a mesa e me colocou sentado na cadeira, esbarrando sua mão sobre a minha intimidade ao me soltar. Por um instante eu achei que tinha sido sem querer, mas ele me lançou um olhar com segundas intenções logo em seguida.

- Atrevido.- Dei um tapa na cabeça dele que começou a rir.


- Saiba que ser assim com você vale muito a pena.- Ele continuou rindo de mim sendo acompanhado pela sua mãe.


Desisto deles, vou apenas ficar na minha.
Sra.Ahn serviu o almoço e eu pude comer muito bem, afinal sempre que eu estava terminando, ela insistia em colocar mais comida, mas finalmente ela havia parado de repor quando Jaehyo lançou um olhar para repreender a mulher.
Dei-me por satisfeito agradecendo a mãe dele e me retirando da mesa. Fui até o quarto do Jae pegar a minha mala e colocar o moletom que ele me impediu de por.

- Aish, Desde quando ele se tornou tão abusado assim?- Perguntei pra mim mesmo enquanto vestia a blusa.


Peguei a minha bolsa e a levei até o andar de baixo.

- Onde você vai hyung?- Ele perguntou curioso.


- Eu disse que ia ficar só para dormir aqui se não lembra.


- Ah, é verdade.- Ele passou a mão sobre os cabelos, aparentemente sem graça.- Quer que eu te leve?


- Não precisa.


- Ah, vamos não seja chato.- Ele fez um pequeno beiço juntamente com uma carinha triste.


- Ok, você pode ir.- Me rendi a sua fofura.


Ele pegou a mala da minha mão e começou a gritar pela mãe.

- Mãe!- A Sra.Ahn apareceu na porta da sala em segundos.- Vou levar o Taeil até em casa. Depois eu volto.


- Tudo bem filho.


Caminhei até ela e me despedi agradecendo por tudo. Jae apenas acenou e logo já tínhamos saído de casa.
Durante todo o percurso ele insistiu em caminhar segurando minha mão e levando minha bolsa.

- Vou sentir falta de dormir agarrado a você.- Ele cochichou próximo ao meu ouvido me fazendo corar levemente.- Seu corpo é quente e pequeno.


- YAH!- Eu gritei envergonhado e algumas pessoas olharam para nós.- Não se fala uma coisa dessas em público.- Disse somente para que ele ouvisse.


- Me desculpe se é verdade.- Com a resposta, o fuzilei apenas com o olhar fazendo com que se calasse.


Caminhamos mais um pouco e já estávamos na porta de casa, até que o Jaehyo voltou a falar.

- Sabe, eu não tenho culpa se meu corpo sente atração pelo seu, eu apenas faço o que a natureza manda.- Destranquei a porta e abri a mesma, só que antes de entrar eu me virei pra ele.


- Você tem culpa de ser um boca aberta que fala o que não deve.


- Falo o que penso, é diferente, além do que você fica muito fofo quando está com vergonha.- Ao concluir sua fala, seu rosto foi tomado por uma expressão séria.- Taeil, o que aconteceu com a sua casa?- Estranhei a pergunta e me virei para a porta semi aberta.


Analisei o ambiente, cadeiras caidas, vidros no chão, a mesa revirada, a escada estava suja com um pouco de sangue em seus degraus brancos. Sinto lágrimas percorrem meu rosto e dou passos curtos pela casa com minha respiração agora pesada. Parei em frente a única mesa que se encontrava intacta, nela tinha um bilhete.

"Taeil, estamos bem. Fomos atacados por algum estranho dentro de casa, nos machucamos um pouco mas conseguimos escapar. Estamos em outra parte do País agora seguros, peço que não fique em casa e vá diretamente para seu apartamento, se mantenha a salvo.

Ass. Sr. Kim."

A partir daquele momento, eu me encontrava desolado. Me ajoelhei no chão e lá chorei como nunca.

- O que aconteceu Tae?- Jaehyo se aproximou de mim me levantando e me abraçando logo em seguida.


Não tinha forças pra responde-lo, a única coisa que eu conseguia fazer era derramar lágrimas.

- Você pode me levar em outro lugar?- Perguntei entre soluços.


- Claro.- Assim que ele me respondeu, agarrei firmemente sua mão e fomos até o meu condomínio. O caminho inteiro continuei aos prantos, deixando o mais alto muito preocupado.


Assim que chegamos no meu apartamento e entramos me enconstei no sofá e fiquei lá de pernas encolhidas. Jaehyo se aproximou e desarmou minha pose, me colocando deitado no sofá com a cabeça em seu colo.

- Quer me contar o que aconteceu?- Ele perguntou com sua voz suave porém preocupado.


- Não quero falar sobre isso agora, desculpe.


- Tudo bem. Irei te respeitar.- Ele começou a afagar meu cabelo e deixou um beijo sobre a minha testa.


Antes que eu pudesse pensar em outra coisa me levantei do aconchego dele e soltei algumas palavras.

- Será que pode me deixar sozinho.- Perguntei meio seco.


- Tem certeza disso? se quiser eu fico e cuido de você.- Disse se aproximando de mim.


- Eu tenho certeza. Eu preciso pensar um pouco.


- Eu vou, mas me ligue se precisar de alguma coisa, e se demorar a me mandar um sinal de vida, eu vou vir até aqui.- Me respondeu se levantando e caminhando até a porta.


- Irei ligar pra você, mas agora eu quero ficar sozinho por favor.- Eu disse o vendo sair pela porta logo em seguida.


Assim que ele saiu, lágrimas quentes começam a descer pelo meu rosto, me sentei no sofá encolhendo minhas pernas novamente.
Enquanto chorava, escutei o barulho de aplausos lentos vindos de trás do sofá.

- Mas que bela cena que eu acabei de presenciar Lee Taeil.- Disse uma voz um tanto grave que se aproximou em passos curtos.


Ao me virar para descobrir quem estava em meu apartamento, me deparo com alguém usando roupas pretas, quando olhei para o rosto, aquele rosto eu conhecia mas não me conformava a acreditar.


Notas Finais


Mais um capítulo, espero que tenha ficado bom ksks Desculpe qualquer erro, Obrigada por ler.
Kissus e um cheiro ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...