História ''The Perfect Family 2 - A Família Bluebell.'' - Interativa - Capítulo 2


Escrita por: ~

Exibições 15
Palavras 1.187
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Policial, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


A capa do capítulo é o corredor da entrada principal da mansão e as escadas que dão acesso ao segundo piso da mansão.

Espero que gostem, primeiro membro da família revelado.

Capítulo 2 - Bitch We Got A Problem.


Fanfic / Fanfiction ''The Perfect Family 2 - A Família Bluebell.'' - Interativa - Capítulo 2 - Bitch We Got A Problem.


São três da manhã em Roterdã, na mansão Bluebell estão todos dormindo ou pelo menos deveriam estar dormindo. 
A porta da mansão se abriu lentamente, Nysa entrou com a sua mala de viagem, o barulho das rodinhas ecoava pelo corredor. Ela andou em frente na direção das escadas. Depois de longos e demorados passos parou para carregar sua mala para subir as escadas, ela poderia chamar um empregado ou um de seus irmãos mas decidiu não o fazer, até porque não queria incomodar ninguém nem ser incomodada. 


Carregou a mala sem dificuldade até ao piso superior, andou um pouco mais, arrastando o peso cor-de-rosa, baixou a cabeça para encarar o chão, quando ia levantar a sua cabeça, Nysa foi empurrada com força contra uma parede, ela largou a sua mala, os seus ombros estavam sendo apertados. A escuridão não permitia visibilidade suficiente para ela conseguir enxergar nitidamente a face de quem a estava agredindo.  Uma voz grossa falou num tom ameaçador. 


??? (apertando um dos ombros de Nysa e encostando uma pistola na cabeça da mesma) -  Quem é você e como entrou?


Nysa (sentindo a temperatura fria do cano da arma contra sua cabeça, tentando manter a calma para não agredir alguém em vão, subindo o tom de voz) - FODA-SE, SOU EU A NYSA! 


??? (soltando o outro ombro dela e apontando a luz de uma lanterna directamente na face de Nysa) - Nysa? Você...


Nysa fechou os olhos agressivamente devido á luz que incidia sobre sua face e a impedia de abrir as pálpebras.  A pessoa em questão guardou a arma e apagou a luz da lanterna guardando em seguida a mesma, Nysa abriu os olhos com a esperança de que finalmente poderia ver quem teria sido o agressor, um ladrão? Algum familiar assustado com a sua repentina e discreta chegada? A luz do corredor foi de súbito acessa.


Nysa (abrindo os olhos e os piscando mais algumas vezes seguidas, se mantendo encostada na parede) - Uau, que bela maneira de me dar as boas vindas, não sabia que eu tinha de avisar...


??? (Interrompendo o discurso da jovem com um envolvente abraço, cheirando o pescoço e os cabelos dela) - Me desculpe, eu pensei que era um intruso...


Nysa (abraçando o agressor que estava agora mais calmo de volta) - Nem parece você, intrusos não entram pelo caminho mais óbvio...


??? (terminando o abraço e encarando Nysa, mexendo nos cabelos dela) - Por vezes entram você sabe disso melhor que ninguém. 


Nysa (empurrando o jovem) - Vou para o meu quarto dormir antes que o resto da casa acorde e me incomode com perguntas desnecessárias. E Peter... Nós temos seguranças.


Peter (sorrindo meio sem jeito, tirando sua arma e mostrando a mesma para Nysa) - Não consigo evitar... Me ensinaram que devemos ser nós mesmos cuidando de nossa própria segurança...


Nysa (concordando com a cabeça) - Por falar nisso você está melhor?


Peter (sorrindo) - Estou, vá dormir. 


Nysa se aproximou de sua mala e a arrastou até á porta de seu quarto. 


Peter (acompanhando Nysa até a porta de seu quarto, lambendo seus lábios antes de falar) - Boa noite.


Nysa respondeu com um sorriso, entrou no quarto e fechou a porta. Agressividade e armas eram duas coisas com as quais ela estava acostumada, qualquer pessoa vulgar que estivesse na situação em que ela se encontrava anteriormente, ficaria sem reagir nos próximos minutos e pensaria no que tinha acontecido anteriormente durante dias, meses ou semanas. Porém não havia motivo para se enervar ou assustar, era só Peter e se fosse algum ladrão também teria pouca sorte em entrar numa casa de mercenários disfarçados de ricos... ou ricos vivendo uma vida de mercenários?


Peter voltou para seu quarto, o televisor plasma estava acesso e com o volume no mínimo, estava dando um fútil reality show que não lhe interessava muito, por vezes olhava para a TV, tinha em cima de sua cama vários livros abertos e um mapa do local da próxima missão da família. Para além de trabalhar com o seu Pai também o ajudava a planejar algumas missões, o seu Pai costumava planejar tudo do inicio ao fim e seu planos iam sendo alterados com algumas ajudas e sugestões dos familiares mas dessa vez ele decidiu atribuir a Peter essa tarefa. 


Desde o acidente na última missão que todos estavam mais preocupados com Peter, ele não percebia porque, o que aconteceu não foi nada demais, porque haveriam eles de fazer uma tempestade num copo de água?


Em cima do criado mudo estava um copo com duas pedras de gelo e um pouco whisky, por alguma razão Peter decidiu tomar um gole, tinha visto seu pai fechado no escritório sozinho trabalhando e com ele apenas se encontrava um copo de whisky e duas pedras de gelo. Curiosamente a família antes de cada missão costumava beber um pouco dessa bebida, ordens do pai... A quantidade que bebiam era tão pouca que nem daria para encher uma xícara de café.


Peter não pensou duas vezes quando escutou alguém no corredor e ele não fazia ideia que sua irmã iria voltar em breve, seu Pai não lhe tinha dito nada sobre isso.  A relação entre Peter e seu Pai era estranha. Na maior parte das situações concordavam em tudo, em outras quase que se matavam um ao outro e os membros da família só se metiam no meio quando as brigas tomavam proporções enormes. 


Como planejar um assalto bem sucedido? Como não ser apanhado? Como não morrer? Eram coisas que estavam passando pela cabeça dele, será que seu pai pensava nisso ? Ele quase nunca dava sugestões porque as ideias de seu pai pareciam sempre corretas, limitava-se a seguir ordens, por mais que ele detestasse ser pau mandado dos outros ele preferia não errar.  


Nysa retirou o vestido preto que estava usando e o jogou no chão ficando apenas em roupa interior. Estava usando uma lingerie azul, se jogou na cama e fechou os olhos. Nem 10 segundos se tinham passado quando Peter entrou no quarto sem bater na porta. 


Nysa (se sentando na cama) - O que houve?


Peter (se sentando na cama da irmã) - Você não tem frio? 


Nysa (olhando para o pijama de Peter, uma calça e uma blusa de mangas compridas) - Nem por isso... Mas porque veio aqui?


Peter (mostrando um mapa para Nysa) - Como você acha que o pai planeja esse tipo de coisas? Ele pensa em todos os promenores e apesar de eu já ter planejado algumas coisas...

 
Nysa (arrumando seu cabelo, colocando uma mão no ombro do irmão e olhando para ele) - Seja você mesmo Peter... Não pense no que o Pai faria, pense em várias situações e pense no que você faria se essas situações acontecessem. Agora posso dormir?


Peter (olhando para Nysa com um meio sorriso, olhando para o mapa e se levantando da cama da irmã) - Você tem razão, obrigado. Boa noite. 

Nysa (sorrindo) - Boa noite e não se preocupe, tenho certeza que você fará um bom trabalho. 

 


Peter saiu do quarto de sua irmã pensando em suas palavras.
 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...