História The perfect girl - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Astoria Greengrass, Dino Thomas, Draco Malfoy, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Lilá Brown, Molly Weasley, Nymphadora Tonks, Padma Patil, Pansy Parkinson, Parvati Patil, Remo Lupin, Ronald Weasley, Severo Snape, Sirius Black
Tags Romione
Exibições 30
Palavras 1.558
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Volteiiiiiiiii
Espero que gostem do Cap kiss😘😘
Boa leitura

Capítulo 2 - I don't Remenber


Tinha acabo de acontecer um atropelamento, e aquele tumulto comum estava acontecendo no hospital.
_ Você é o responsável por esse caso Weasley - disse Remu Lupin o diretor do hospital.
_ Tudo bem - disse Rony pegando o prontuário.
Vitima de acidente, jovem, lesão cerebral.
Rony se encaminhou até onde sua nova paciente estava rapidamente, e quando viu de quem se tratava ele parou abruptamente. Era ela, a sua linda vizinha.
Os primeiros procedimentos foram feitos e logo ela estava sendo encaminhada para a cirurgia enquanto uma enfermeira ficou encarregada de ligar para algum familiar.
Rony ficou pensando na família dela, não era grande os únicos que ele tinha visto indo visita-la eram um senhor e uma senhora de meia idade que ele havia deduzido ser os pais dela. Além deles apenas uma garota loira que a via com mais frequência.
A cirurgia foi longa mas positiva, havia sido um sucesso agora era torcer para que não houvessem sequelas.
Ele saiu da sala e foi para a área onde a família geralmente esperava. Tinham mais pessoas do que ele esperava.
_ Então doutor? - indagou uma senhora.
_ A senhora é parente da vítima? - indagou ele.
_ Sim, sou mãe dela - disse a senhora.
_ Ótimo. Bom, a cirurgia foi um sucesso mas ainda não posso dizer se ela terá algum tipo de sequela, teremos que esperar ela acordar - disse Rony.
_ Sim, mas ela vai ficar bem? - indagou a garota loira.
_ Sim, ela vai - disse Rony.
_ Graças a Deus - disse a senhora.
_ Eu tenho mais coisas para fazer, com licença. Ah, ela vai ser encaminhada para o quarto se quiserem podem ir vê-la mas peço que a deixem descansar - disse Rony.
_ Sim, obrigada de verdade muito obrigada - disse a senhora. 
_ Sim, seremos eternamente gratos pelo que fez pela nossa filha - disse um senhor que deveria ser o pai.
_ Não precisam agradecer, eu só fiz o meu trabalho - disse Rony sorrindo.
E essas são as maravilhas da medicina, a gratidão estampada no rosto de cada parente de vítimas que são salvas. Os rostos sorridentes em meio as lágrimas que se propagam pelo rosto, o suspiro de alívio que era ouvido. Era gratificante saber que todos os dias ele tinha a chance de salvar uma vida, de ajudar uma pessoa que precisava dele.
Ele foi para o refeitório comer alguma coisa, já que não poderia ir para a casa dos país pois o seu turno tinha começado. O celular tocou. Era a mãe de Rony.
_ Alô - disse ele com cautela como se a mãe pudesse fazer algo com ele por telefone.
_ Ronald Billius Weasley seu desnaturado, onde você está? - indagou Molly Weasley com aquele tom de bronca já bem conhecido por Rony.
_ Tive uns contratempos mamãe, era caso de vida ou morte literalmente - disse ele.
_ Então me conte vamos - pediu Molly.
Rony contou para ela, sobre o acidente de sua vizinha.
_ Pobrezinha, mas ela vai ficar bem? - indagou já com um tom mais carinhoso.
_ Vai sim, eu creio que não terá sequelas - disse Rony.
_ Ainda bem, mas não se esqueça de passar aqui amanhã Ronald, seu pai e eu estamos com saudades - disse Molly.
_ Pode deixar mamãe - disse ele.
_ Amo você meu Roniquinho - disse Molly deixando Rony vermelho pela menção do apelido.
_ Eu também te amo - disse mais baixo.
Ele desligou.
_ Hum, já está falando com as gatas Rony - disse Dino Thomas o cardiologista sentando a mesa junto a Rony.
_ Que nada Dino, é a mãe dele - disse Simas  o ortopedista.
_ Dessa vez está certo Simas é minha mãe - disse Rony rindo.
_ Já estava levando bronca da mamãe - disse Simas rindo.
_ O pior é que estava, não fui ver ela - disse Rony fazendo uma careta.
_ Tenso Rony, minha mãe me obriga a ver ela toda a semana - disse Dino.
_ Eu não tenho esse problema - se gabou Simas.
_ Claro você ainda mora com a sua mamãe, ver ela todos os dias - disse Rony rindo.
_ Tem suas vantagens, por exemplo a comida é boa - disse Simas.
_ Nisso eu tenho que concordar com você - disse Rony.  
Depois do rápido lanche com os meus amigos, fui ver meus outros pacientes.

~~~~~~~~~~~R❤H~~~~~~~~~

Luna Lovegood estava sentada em uma poltrona olhando a irmã dormir. Não era irmãs legítimas, mas era como se fossem.
A mãe de Luna havia morrido quando ela era apenas um bebê, e o pai havia saido pelo mundo atrás de criaturas que não existiam, mas que para ele eram tão reais que resolveu deixar a própria filha em um orfanato. Luna não passou muito tempo nesse orfanato, ela foi logo adotada pelos pais de Hermione. Elas se tornaram muito amigas, mais do que isso se tornaram irmãs. As vezes o laço do coração é mais forte que o laço de sangue.
A loira se sentia tão impotente nessa situação. Hermione estava ali, e ela não podia fazer nada para ajudar.
Os seus pais tinham ido para casa tentar dormir um pouco ( coisa que ela tinha quase certeza que era impossível de se fazer nessas horas ), e ela tinha ficado ali, não arredari o pé dali até Hermione acordar e dizer que está bem.
Hermione começou a se mover lentamente, parecia querer acordar. Luna levantou e foi chamar uma enfermeira para o caso de Hermione precisar de algo. Logo ela já estava novamente do lado da irmã.
_ Ela pode estar confusa então vamos dar um pouco de tempo tudo bem? - disse a enfermeira que era uma mulher baixinha e  rechonchuda.
Luna apenas concordou com um manear de cabeça.
Hermione começou a abrir lentamente os olhos, achou esquisito estar em um local todo branco com as luzes baixas.
Olhou para os lados e viu uma mulher que não conhecia e sua irmã, estranhamente Luna parecia mais velha para Hermione.
_ Como está se sentindo? - a pergunta saiu da enfermeira.
_ Bem, mas minha cabeça dói - disse Hermione.
_ Isso é normal depois do que aconteceu, eu vou chamar o medico - disse a mulher saindo.
_ O que aconteceu? - indagou Hermione para Luna.
_ Você sofreu um acidente Mione - respondeu Luna.
_ Só eu me machuquei? - indagou Hermione preocupada.
_ Sim - disse Luna.
_ Como aconteceu?
_ Bom você estava indo trabalhar e não viu o carro.
_ Eu o que? - indagou Hermione confusa.
_ Você estava indo trabalhar, não se lembra? - indagou Luna preocupada.
_ Não - respondeu Hermione - Eu trabalho em que?
_ Em um escritório de advocacia - disse Luna.
Hermione ficou assustada, como assim ela trabalhava em um escritório de advocacia.
_ Eu sou secretária, faxineira? - indagou Hermione.
_ Não Mione, você é advogada uma excelente advogada - respondeu Luna cada vez mais preocupada.
_ Não, não Luna - negou Hermione - eu ainda nem terminei a faculdade como posso ser advogada? - indagou Hermione.
_ Você já se formou Mione. Não se lembra? - disse Luna.
Hermione negou com um manear de cabeça sentindo a dor ficar mais aguda.
Nessa hora o Rony entrou no quarto.
_ Olá. Como está se sentindo? - indagou.
_ Confusa e com dor de cabeça - disse Hermione.
_ Isso é normal, sua lesão foi bem grave - explicou o Rony.
_ E-eu não me lembro de muita coisa - disse Hermione.
_ Do que por exemplo? - indagou o Rony tentando descobrir qual o tamanho da sequela.
_ De ter me formado, de estar trabalhando - disse Hermione.
_ Isso poderia acontecer sua lesão foi no lado esquerdo do cérebro o responsável por guardar as memórias de curto prazo - explicou o Rony.
_ Então quer dizer que ela está com amnesia?!?! - disse Luna se manifestando novamente.
_ Uma amnesia parcial - disse ele - qual a ultima coisa que se lembra? - indagou.
_ Bom, eu me lembro de estar em um restaurante comemorando... porque eu passei na faculdade eu pedi tacos e não lembro mais de nada - disse Hermione.
_ É uma pena não sabermos se conseguiu comer o taco - brincou ele fazendo ela rir.
Rony se encantou mais uma vez pelo sorriso dela.
_ Mas eu vou conseguir me lembrar? - indagou Hermione.
_ Não posso te dar uma certeza, cada caso é um caso. Existem pessoas que tiveram essa lesão e não se lembraram mas tiveram outras com a mesma lesão que conseguiram lembrar e retomaram as suas vidas. Nos dois casos o mais importante e seguir em frente e voltar a sua rotina normal - disse Rony.
Hermione não disse nada apenas olhou para Luna que sorriu fraco para ela.
_ Bom, vou passar para você um remédio para essa dor de cabeça e o melhor que você tem a fazer agora é descansar - disse ele.
Hermione concordou mas estava assustada, e se ela não se lembrasse mais do que tinha acontecido nos últimos anos de sua vida? E se ela estivesse esquecido mais coisas?
Logo os remédios que lhe passaram fizeram efeito e ela dormiu, sentindo um nó na garganta.


Notas Finais


Então o que acharam ?
Quero muito saber!
Nos vemos no próximo byeee


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...