História The Perfect Sin (Camren) - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags 1000hands, Allybrooke, Amor, Avisodegatilho, Beijo, Camilacabello, Camren, Dinahjane, Fanfiction, Fifthharmony, Jaureguis, Laurenjauregui, Mikejauregui, Normanikordei, Religião, Sinucabello, Soficabello, Taylorjauregui
Visualizações 133
Palavras 2.101
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Fluffy, Romance e Novela, Slash
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 24 - Cap 20.5 - Eu Estou Doente


Fanfic / Fanfiction The Perfect Sin (Camren) - Capítulo 24 - Cap 20.5 - Eu Estou Doente

Camila’s POV

“Você devia subir lá,” Serenity disse.

Eu virei para a loira de olhos cor de amêndoa que está passivamente acariciando as minhas costas. Está me deixando cada vez mais desconfortável, mas depois de alguns segundos, meus ombros tensos começam a relaxar. O nome dela combina tanto com sua personalidade que parece ser contagioso, e eu quase posso me sentir ser balançada por sua bondade.

Meus olhos sobem para o altar onde quase todos os outros adolescentes do acampamento estão amontoados, cada um deles em lágrimas, com as mãos para o alto e música de adoração tocando através dos alto falantes.

“Todos aqui te amam, Camila,” ela diz pacificamente, “Nós só queremos o que é melhor para você.”

Talvez ela esteja certa, eu penso, quer dizer, todos essas são pessoas cristãs, qual é a pior coisa que eles poderiam fazer para mim?

Ainda assim, eu me prometi mais cedo que a única maneira que eu iria lá em cima seria se eles falassem especificamente da minha situação e eu pretendia manter essa promessa.

“Eu estou bem aqui,” eu lhe digo.

Ela sorri, não um sorriso feliz, mas um que demonstra pena. Como se ela tivesse um entendimento maior da vida e que eu simplesmente não consigo compreender.

“Você está mesmo bem?” ela pergunta complacentemente, “Com tudo?”

Eu mal conseguia escutá-la por cima da música alta, mas eu não pude evitar de ter a sensação de que ela estava falando comigo como se soubesse de alguma coisa sobre mim que eu não lhe contei.

“Sabe, Mila,” ela começa.

Por que ela está me chamando assim?

“Quando eu tinha 10 anos, meu pai me deixou também.”

Lá está, eu congelei. Como ela sabe disso?

Antes que eu pudesse pensar, o pastor no altar estava chamando os adolescentes que não tinham pai e quando eu olhei para Serenity ela sorriu orgulhosa e me disse que Deus trabalha de maneiras misteriosas e quer que eu me cure dessas feridas.

Eu hesito, mas ela me diz que Deus falou com ela e é claro que ele disse o mesmo para o homem no altar, porque quais as chances, né?

Então, eu subo no altar.

“Deus está me dizendo,” o pastor continua, “Que existem duvidosos aqui essa noite, mas suas dúvidas acabam aqui e agora.”

Eu não sei quem está ao meu lado, mas as pessoas parecem ter pouca preocupação com espaço pessoal.

Minhas mãos logo são seguradas por duas pessoas que eu nunca vi antes.

“Porque Ele vê a sua dor,” ele continua, “E Ele é seu pai divino.”

A voz dele quebra, “E Ele está me dizendo para falar isso para você em nome do pai que não estava lá.”

Meus olhos sobem e eu vejo lágrimas descendo pelo seu rosto, por uma fração de segundo nossos olhos se encontram antes dele dizer

“Me desculpe,”

Um nó aparece na minha garganta e eu não tenho certeza de quem está me segurando, mas o aperto na minha mão fica mais forte.

“Me desculpe por ir embora,” ele diz.

Ele continua a falar e eu penso em Lauren.

E se ela estiver errada?

Eu disse para mim mesma, eu não iria me engajar a não se que eles falassem sobre a minha situação e aqui está ele, se desculpando por cada aniversário perdido, cada recital, cada corte que ele não estava lá para ajudar a curar. Se desculpando com as palavras que eu sei que nunca vou escutar do meu verdadeiro pai, mas ainda estou esperando escutar.

E se Deus me escutou? E disse para o pastor fazer isso?

Eu sinto alguém colocar um lenço na minha mão e não é até então que eu percebo que estou chorando porque e se ela estiver errada? E se Deus me escutou?

--

“Você é corajosa por ter vindo procurar ajuda,” ela disse.

Pastora Avery tem uma certa diferença de abordagem do que Dra. Hernandez e eu acho que gosto mais assim.

“Eu não vou sentar aqui e gritar com você,” ela disse, “Eu não vou te dizer que o que você está fazendo é errado.”

Ela é uma pastora jovem numa igreja que não é tão longe da nossa, e se voluntariou para ser conselheira no acampamento pelos próximos dias.

“Eu acho que no fundo da sua cabeça você já sabe que é errado,” ela disse, “E é por isso que você está aqui,” ele completou pacificamente.

A mulher de cabelos pretos falou e eu assenti.

Talvez ela esteja certa, eu acho que isso faz sentido.

“Agora,” ela começa, “A garota com quem você está, ele também está aqui no acampamento?”

Eu balanço minha cabeça e decido não trazer o nome de Lauren para o meio disso. Ela é, no final das contas, a filha do pastor e eu não posso ser a que vai forçá-la para fora do armário mesmo se for para ela melhorar.

“Okay,” ela diz, “Se ela também quiser ajuda quando nós voltarmos, apenas saiba que minha porta está sempre aberta.”

Tudo que eu faço é assentir e permitir que a informação registre.

“Porque ela está doente,” ela diz.

Eu concordo com a cabeça.

Ela está doente.

“E você também está,” ela completa.

Eu estou doente, eu penso comigo mesma.

“E tudo que nós estamos tentando conseguir aqui é que vocês duas melhorem.”

Nós começamos uma conversa e eu deixo tudo sair. Tudo que eu não podia contar para Dra. Hernandez, por algum motivo eu sempre me senti reprimida por ela.

“Claro que não parece errado,” ela diz para o meu comentário das minhas vezes com Lauren, “Eles querem que você esteja confortável com o seu pecado.”

--

“Eles?” ela pergunta, “Camila, quem são eles?”

As palavras que a Pastora Avery me disse, parecem ter contrabalanceado quando eu finalmente encontro com Lauren e tudo que eu estou tentando fazer é que ela entenda que nós duas precisamos de ajuda.

Eu envolvo meus braços ao redor do meu torso e balanço minha cabeça levemente, o que devo fazer?

“Camz, você está repetindo o que quer que seja que eles te falaram naquele acampamento, mas não existe "eles" aqui. Não existem pessoas más atrás da gente, é só você e eu."

"Não," eu disse desesperadamente, "Não existe você e eu mais."

Eles me falaram no acampamento que isso não seria fácil e eles estavam certos. Quando você está no acampamento, você está rodeada de pessoas que têm o mesmo pensamento e que só querem ajudar, mas aqui no mundo real, sempre haverá pessoas tentando fazer você vacilar.

Mas Lauren, ela não é má, ela só está tentando fazer o que acha que é melhor.

Ela só está errada, certo?

Ela vai embora e eu ando de volta para casa para a minha mãe e minha irmã caçula.

Umas quatro semanas passam desde que eu retornei do acampamento, mamãe e eu estivemos falando sobre a bíblia sem parar. Compartilhando teorias, e nossos versículos favoritos mesmo os mais novos que eu aprendi quando eu estava lá e tem sido maravilhoso.

Minha fé continua a ficar mais forte a cada dia que passa e por mais difícil que tenha sido, eu me tornei certa de que fiz a escolha certa.

Lauren não fala mais comigo.

Quando nos vemos na igreja ela não mais me oferece um sorriso educado, mas eu consigo ver a dor em seus olhos.

Eu não quero ser a causa de sua dor, mas eu também não posso dar a ela o que ela quer. Ainda assim, eu fico ansiosa para vê-la todo domingo e algumas vezes na sexta-feira no serviço juvenil, quando ela não está lá eu sei que ela deve estar trabalhando.

Eu queria que ela me mandasse uma mensagem, tudo que eu quero saber é se ela está bem, mas eu não posso ser a que manda a mensagem primeiro porque eu não quero lhe dar a impressão errada.

No entanto, nesse domingo, Lauren não está em lugar nenhum.

“Taylor,” eu digo com um sorriso suave.

A irmã de Lauren sorri e me oferece um abraço como ela sempre faz depois de um cumprimento educado. Eu sabia que ela era a rainha da fofoca na igreja e sendo irmã dela, eu sabia que ela era uma fonte confiável que eu precisava para saber onde Lauren está hoje.

Nós trocamos casuais “Como você está” e eu espero pacientemente que isso acabe para que eu possa perguntar. Afinal, ela nunca falta a igreja nos domingos, nenhum deles falta.

Na verdade, eu me lembro de Lauren me contar uma vez que seus pais a fizeram vir depois que ela recebeu alta do hospital depois de ter as amígdalas retiradas, ela não podia falar e estava com dor, mas eles ensinaram a ela que era sua responsabilidade sempre estar aqui não importa o quê.

“Então, uh, onde está sua irmã?” eu falo, “Eu não a vi hoje.”

Taylor me oferece um sorriso entendedor, quase como se ela estivesse esperando a resposta sair dos meus lábios a qualquer segundo.

“Ela está fora da cidade,” ela diz.

Quando eu pergunto porque, eu quase consigo ver a hesitação em seus olhos. Ela está debatendo se me conta ou não a verdade e eu a ofereço um quieto “por favor” antes dela suspirar.

“A história oficial, a que ela contou para os meus pais, é que ela está indo com Javi visitar os pais dele.”

Eu assenti, sabendo que tinha mais coisa sobre isso, “Mas?”

“Mas a verdadeira história é que ela está passando o fim de semana longe,” ela disse.

Um fim de semana longe, eu pensei.

Embora isso certamente soe como algo que Lauren fosse fazer, eu não consigo imaginá-la saindo da cidade sozinha.

Ela deve estar com Normani e Dinah, ou talvez ela tenha de fato ido com Javi, certo? Eles são próximos e essa ideia é muito melhor do que que esta circulando ao redor da minha cabeça.

A que está fazendo meu coração despencar para a boca do meu estômago, só de pensar nisso.

A ideia é dolorosa demais para sequer considerar.

Ainda assim, Taylor abre a boca mais uma vez para confirmar minha suspeita.

“Com a namorada dela.”

Uma dor aguda através do meu peito e eu me pergunto se é assim que um coração partido se sente?

Nós proferimos nossas educadas despedidas e um milhão de pensamentos começam a circular pela minha cabeça.

Natalie, eu penso, tem que ser Natalie.

Meu estômago está inquieto e eu sinto como se meu café da manhã vá em breve fazer uma aparição quando eu o vejo.

O pastor do acampamento está pegando seu telefone e dobrando a esquina na direção da sala que eu sei que é seu escritório, depois de falar com uma garota que eu reconheci ser do acampamento.

Vê-lo me prende no chão e me faz perceber que essa informação não deveria me afetar desse jeito.

Porque meus sentimentos por ela não eram reais, certo? Eu estava doente.

Eu começo a andar na direção dele notando que eu nunca o agradeci por tudo que ele fez por mim. Por permitir que Deus o usasse e por mudar a minha vida.

“Quem era?” eu escuto do outro lado de sua porta.

A entrada está aberta por menos de alguns centímetros então eu consigo escutar o que está acontecendo do outro lado.

O som da voz de Serenity é o que me faz parar.

“Uma das garotas do acampamento,” ele disse com escárnio, “Eu preciso dizer que você estava certa, basicamente toda vadia abaixo dos 25 anos aqui tem problemas de papai,” ele riu.

Meu coração despencou, eu escutei a risada dela depois da dele.

“Eu te disse,” ela falou, “Você não podia errar com aquilo.”

Nao, eu penso.

“Mas eu devo dizer, você adicionou um excelente toque quando decidiu se desculpar no nome deles.”

Ele riu, “Bom saber que minhas aulas de improvisação do ensino médio não foram um desperdício total,” ele disse, “Eles me pagaram hoje pela viagem toda do acampamento, quer jantar fora?”

Meus pés me levam mais rápido do que eu pensava que pudesse até o estacionamento e para além dele.

Eu sei que ela não vai estar lá, mas é o único lugar que eu posso pensar em ir.

Minhas pernas doem e eu estou sem fôlego de correr para tão longe, mas eu me encontro na frente da família igreja abandonada e me dirigi para os fundos.

Assim que estou dentro da casa da árvore, apenas três palavras continuam circulando na minha cabeça mas eu não entendo.

Eu estava tão certa.

Mas quanto mais tempo eu fico aqui mais eu percebo que as palavras têm verdade

Lauren estava certa.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...