História The Perfect Unhelpful Yoda - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os 13 Porquês (13 Reasons Why)
Personagens Clay Jensen, Tony Padilla
Tags Clay Jensen, Clayxtony, Clony, Tony Padilla
Visualizações 55
Palavras 1.442
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


~ Oi oi, tutu no feijão?

~ Voltei galerinha ❤

Fiquei fora esse fds mas já estou aqui pra postar mais um EP, eu realmente não estou bem, então não sei se vou conseguir postar com a mesma frequência, mas vou dar meu máximo pra n deixar vcs mais sem EPs... ❤

Enfim, bora pra fic 😊

Capítulo 9 - Recuperação


POV Clay

Abri a porta do carro e sentei cuidadosamente no assento do passageiro, me ajeitei no banco e esperei minha mãe entrar no carro. Ainda sentia um pouco de dor no nariz, mas o médico disse que era normal e eu precisava repousar mesmo recebendo alta.

A porta ao meu lado se abriu, minha mãe entrou no carro e se sentou no assento

- Filho, você está bem mesmo? – ela perguntou me observando da cabeça aos pés, com um tom preocupado

- Sim, mãe... eu disse pra você que não precisava vir me buscar, o Tony ia me levar pra casa...

Ela inclinou sua sobrancelha com um olhar sério

- Clay, que negócio é esse que o ex-namorado do Tony te bateu? Onde esse monstro está? – ela já havia alterado o tom de voz

Eu me encolhi no banco e fiquei sem resposta, não queria dizer que eu e Tony estávamos namorando, não ainda.

- Eu não sei mãe... Ele é muito ciumento... mas o Tony e os irmãos deles estão procurando ele.

Ela me encarou por alguns segundos me dando olhares mortiço.

- Clay Jensen, você está me escondendo algo?

Eu não queria mentir para minha mãe, mas também não queria contar a verdade, não sabia como ela iria reagir, e histeria era uma das últimas coisas que eu queria.

- Não mãe... Só esquece ele... eu to bem, e isso que importa agora – suspirei ligando o rádio no painel, colocando uma música alternativa para evitar ter que conversar com ela

Ela ficou me encarando por mais alguns segundos, enquanto eu fingia estar sintonizando a música mexendo minha cabeça. Então ela desmorona seu olhar dando um suspiro profundo

- Tudo bem Clay, você está bem e isso me alegra... mas hoje você dorme em casa.

Eu olhei para a cara dela com uma descrença, mas acenei concordando revirando os olhos. Ela devia estar preocupada comigo em ficar na casa do garoto após o ocorrido.

Ela ligou o carro e dirigiu direto para casa, durante a viagem fiquei pensando em Tony, um sorriso bobo não saia da minha boca e meu dedo ficava inquieto batendo em minha perna, minha mãe notou minhas ações e aposto que ela achou estranho, mas não me disse nada por toda viagem.

Quando minha mãe estacionou, fui em direção a passos largos até a porta de entrada, eu ouvi ela murmurando se eu precisava de ajuda e neguei balançando a cabeça.

Entrei e avistei meu pai sentado no sofá da sala, ele se levantou quando me viu e me deu um abraço apertado

- Graças a Deus Clay – ele pausou me soltando e olhando para mim da cabeça aos pés – Você está bem?

- Sim pai... e me desculpe sobre o vinho... eu não sabia que era importante... – murmurei desviando olhares

- Tudo bem Clay, o importante é que você está aqui, conosco – disse passando sua mão em meu ombro, sorri para ele como resposta e me voltei para as escadas

Corri para meu quarto e fechei a porta, peguei meu celular no bolso e procurei um carregador para poder reviver sua bateria, eu queria conversar com Tony, acho que não conseguiria passar a noite sem ele.

Liguei o telefone e logo apitaram algumas notificações, vi 16 mensagens e 1 mensagem de voz. As mensagens eram sobre desejos de melhoras para mim e apoio, 7 de Skye, 4 de Sheri, 3 de Jess e duas de Zach. Quem mais me surpreendeu nessa lista fora Zach, já que não mantínhamos mais contato, mas respondi todos agradecendo a preocupação e dizendo que estava bem. Abri a mensagem de voz e logo reconheci a voz doce

“Hey babe... me ligue ou me chame no chat quando ouvir essa mensagem, se você quiser, você pode repousar aqui em casa, bem... me responda, beijos do seu Yoda”

Senti meu coração palpitar mais forte quando ouvi o doce som da sua voz ecoar pelos meus ouvidos. O que eu mais queria era voltar a ficar ao seu lado, dormir juntinho com ele e sentir seus beijos novamente, mas minha vilã intitulada mãe queria que eu ficasse em casa. Não tirei a razão dela, pois precisava descansar, porém queria meu Yoda comigo.

Abri meus contatos e fui direto em seu nome, abri nosso chat de mensagem e sorri em perceber que ele estava online

C: “Yodaa <3 ”

T: “Oie meu Jensen <3”

C: “Desculpe minha mãe não querer deixar eu ir pra ai hoje, ela está preocupada e me quer por perto”

T: “Td bem Clay, eu me preocuparia também se fosse meu filho”

C: “Tonyy, ela disse pra mim não ir ai hj, mas não disse nada de vc vir aqui ”

T: “Ai ai Clay, será que ela quer mesmo que eu vá? ”

C: “Tony, ela não tem nada contra vc amor, ela só está com medo de que Brad me bata de novo”

C: “E também é eu que estou pedindo pra vc vir, não ela... Por mim Yoda, plz?”

T: “Hmm... Claro Jensen, afinal já estou com sdds do seu beijo, sdds de vc :3”

C: “Okay Yodaa <3 Dorme aqui cmg?

T: “Sim, vou arrumar as coisas e em 15 min. eu chego ai”

C: “Estou te esperando Yodaay <3 bjs”

T: “ Bjs mí amor s2”

Pronto, minha dose de ansiedade já havia sido aplicada, agora eu me encontrava deitado na minha cama, sorrindo alegremente para o nada esperando o garoto chegar

POV Tony

Eu terminei de digitar com Clay e guardei meu celular no bolso, eu estava feliz por saber que iria poder dormir com ele essa noite, queria o ajudar na sua recuperação e ajudá-lo a melhorar, além de que estar com ele era melhor do que qualquer outra coisa.

Abri meu armário e peguei algumas roupas e acessórios para a viagem, quando guardei tudo em minha bolsa, Luiz bateu na porta do meu quarto que já estava aberta, eu sorrio para ele e ele se aproxima até mim.

- Ei maninho – suspira dando tapinhas no meu ombro

- Ei Luiz, está tudo bem? – pergunto com uma expressão de duvida

- Sim Tony... só vim ver como você está – ele murmurou

Luiz era o irmão mais novo depois de mim, ele sempre demostrou ser o mais atencioso entre todos os irmãos, mesmo tendo uma pose durona, ele se importava se eu estava bem ou não e sempre me dava ótimos conselhos quando estava mal.

- Estou bem Luiz... daqui a pouco vou para casa do Clay, vou dormir lá hoje – disse pondo minha mochila nas costas

- Ah, você gosta mesmo do Clay né maninho?

- Eu amo ele Luiz... mas estou puto comigo mesmo – disse com um tom abatido

- Por que Tony? – ele perguntou num tom aflito franzindo a sobrancelha

- Como eu deixei aquele otário bater no Clay? Como eu deixei ele entrar na minha própria casa e fazer isso com ele – eu desabafei tudo em um suspiro, mantendo o olhar para o chão

- Tony, você não deixou isso acontecer, não é sua culpa se aquele idiota tem merda na cabeça – ele pausou colocando a mão em meu ombro – Você precisa agora é cuidar do Clay, eu, Ruy e o John já estamos cuidando em achar o Brad e quando acharmos, ele vai pagar por ter feito aquilo. Então esqueça ele e vai ser feliz ao lado do Jensen maninho.

Eu voltei meu olhar para o Luiz, refleti em tudo o que ele disse e realmente fazia sentido, nesse momento Clay estava precisando de mim e eu precisava cuidar dele, eu amo ele e não vou deixar um idiota estragar nossa relação. Eu tinha motivos para me alegrar, e o maior deles é que eu posso ter Clay Jensen na minha vida.

Eu ligeiramente abri um sorriso no rosto, me aproximei do Luiz e dei um abraço apertado nele. Pude sentir ele me apertando em retorno, então o soltei lentamente

- Obrigado Luiz, você tem razão... você é melhor irmão de todos – suspirei com alivio e alegria

- Ah eu sei que eu sou o melhor, eu me esforço – disse se gabando em meio a risos, apenas assenti com outro riso.

- Bem Luiz, tenho que ir agora – disse me movendo até as escadas – Se eu me atrasar, o Clay já fica preocupado... Tchau mano.

- Okay maninho! Tchau! Não se esquece de levar camisinhas – ele gritou para alcançar meus ouvidos, apenas me virei para ele e dei uma risada revirando meus olhos.

Desci as escadas e me despedi dos meus pais que estavam na sala de estar, sai de casa e entrei em meu Mustang, indo direto para a casa do Jensen.


Notas Finais


Bem, os proxs capítulos não terá muita emoção mas vai ter bastante dicas para vcs, quero preparar o coração de vcs ainda 😋

Até a próxima ! ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...