História The Permanent Insanity - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Soul Eater
Tags Marie Morta, Soul Eater, Steinxmedusa
Visualizações 9
Palavras 1.071
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Heterossexualidade, Mutilação, Nudez, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 15 - Attempted Provocation


A dupla caminhava pelas ruas escuras, já de armas em mãos. O maior ia na frente, cabelos pretos e olhos verde azulados, segurando uma tonfa da mesma cor de seus cabelos. Mais atrás, não muito distante do mais velho, uma jovem aluna que parecia estar em sua primeira aula externa, apertando firme o cabo de uma lança prata e azul, os cabelos ruivos caindo levemente sobre a face, e os olhos negros agitados encarando qualquer movimento a sua volta.

 

-Nervosa? - O artesão mais velho a pergunta, vendo-a se assustar com a repentina fala do mesmo. - Não se preocupe, é mais simples do que pensa, Sachi. Apenas lembre-se do que lhe ensinaram na Shibusen.

-S-Sei disso, Hito-san. - Sachi sorri nervosa, girando a lança enquanto caminhavam, devido ao espaço amplo que a falta de pessoas causava durante esta hora da noite. - É que... Com tudo o que está acontecendo... Mesmo se não fosse minha primeira missão eu estaria nervosa.

-Tem razão... Então vamos acabar logo. Já estamos perto.

 

Chegando no local, ambos viam cerca de cinco almas de ovos de kishin espalhadas tanto nas calçadas como na própria rua, abaixo delas levemente carbonizado, uma garota de longos cabelos brancos parada entre elas (N.a.: é o SilverSan -q). Virando-se, os olhos negros da albina se encontram com o de ambos os artesãos, caminhando uns poucos passos na direção deles.

 

-Espero que não se incomodem, artesãos. - A bruxa encosta-se em um poste próximo a ela, voltando a encarar as almas de ovos de kishin. - Eles estavam atrapalhando.

-Quem é você? - Hito, que não chegara a conhecer a albina, segue a conversa. Eruka apenas ri, caminhando na direção de ambos, parando a poucos metros a frente de Hito.

-Apenas uma pessoa qualquer cumprindo ordens.

 

A albina desfaz o soul protect, soltando uma bomba próxima aos artesãos e afastando-se rapido, vendo-os fazer o mesmo. Então, virou de costas, caminhando na direção oposta. Sachi estava chocada, apoiando-se no mais velho enquanto observava a albina mais distante sorrir enquanto olhava para a jovem artesã.

 

-O-O que é isso? - A artesã recém admitida no EAT se recuperava lentamente, encarando Eruka. Não sabia o que estava vendo, apenas tinha a certeza de ver uma aura rodear a albina em sua frente, em um tom arroxeado. - H-Hito-san... Esta vendo isso? - A artesã encara o parceiro, uma semelhante porém menor também podendo ser vista no mesmo, porém azulada. - E-Em você também...

-Detecção de almas... Isso é realmente problemático... - Eruka lança mais algumas bombas em ambos. - Venham, artesãos! Vamos brincar um pouco!

 

******

 

A bruxa organizava as malas, quase pronta para ir na manhã seguinte à Death City. Segundo Mabaa-sama, o Shinigami pretendia firmar esta semana o acordo com as bruxas, desejando que uma boa parte vá para a cidade da morte montar estratégias para impedir Asura novamente. Não concordava muito bem com a união das bruxas com a Shibusen, mas sabia que seria o melhor para ambos os lados, acabando finalmente a guerra que ja durava, literalmente, séculos. Finalizando seu trabalho, a mulher de longos cabelos azul-claro de pontas douradas deita-se na cama, observando o relógio no criado mudo logo ao lado. Já passara da meia noite, não percebera que já estava tão tarde. Virando-se para dormir, teve uma estranha sensação de estar sendo observada, levantando-se e indo até a janela, porém não encontrara nada.

Escondido atrás de uma das poucas árvores do local, embora esteja mais afastado do centro, próximo a saída da cidade, Stein volta a sentir a alma daquela que agora o procurava, tão calma como a de qualquer um que agora está dormindo confortavelmenre em sua cama, o rosto da mulher sendo reconhecido pelo albino.

 

-Ryuunei, certo Meddy...? - Pondo as mãos nos bolsos, Stein caminha normalmente ao sentir que ela voltarara para a cama, indo na direção da casa. - Espero que ela não seja difícil de se irritar.

 

Já em frente à residencia, o albino abre a janela sem muita dificuldade, sentando-se na mesma. Ryuunei parecia estranhamente não ter notado sua presença na unica janela do quarto, talvez devido ao cansaço do dia, ou estivesse apenas ignorando. Aproveitando isso, Stein acende um cigarro, encarando a lua entre as nuvens, desfazendo o silêncio pouco depois.

 

-Noite agradável, não? - A bruxa suspira, sentando-se na cama e encarando o homem.

-Sempre invade casas durante a madrugada? Por favor se retire antes que eu precise usar a violência.

-Heeh... Se acalme. Apenas gostaria de conversar. - Stein arruma os óculos, a fumaça exalada logo se desfazendo próxima a ele.

-Durante a madrugada? Tem certeza que não é apenas um desocupad...

-O nome "Medusa" é familiar para você, Ryuunei-san? - A mulher adota uma postura mais séria, Stein notando que agora ela tomava uma discreta posição ofensiva.

-O que você realmente quer comigo? Não estou com muita paciência hoje.

-Todas as bruxas são assim? - Em um movimento rápido, a mão da azulada para perigosamente próxima ao pescoço do albino, que ainda sorria encarando-a.

-Saia agora. Não quero sujar minha casa com sangue de um humano atrevido.

-Errou nisso, Ryuunei-san. - Stein desfaz o soul protect, segurando o pulso da bruxa. - Não sou apenas um humano.

 

Puxando-a para fora, Stein a atinge com sua projeção de alma, soltando-a no chão e recuando alguns passos. Pouco depois, Ryuunei levanta-se, igualmente desfazendo a magia, e chamas formavam-se em suas mãos. Lançou-se na direção de Stein, que desviara facilmente da sequencia de ataques da bruxa, afastando-se da mesma quando teve uma oportunidade, o que não demorou tanto.

 

-Não é qualquer humano que consegue me acompanhar... É da Shibusen? Ou era? - Stein ri, louco, retirando do bolso direito um pequeno instrumento negro, quase não visível pela distância da bruxa.

-A bruxinha acertou... Mas não direi qual dos dois. Tente adivinhar... E direi mais uma vez... Não sou apenas um humano.

 

Faíscas saiam de ambas as mãos do ex-artesão, o bisturi em seu lado esquerdo tomando a forma de um cabo longo, dois vetores extendendo-se da base superior e unindo-se na forma de uma lâmina de foice. Não importa quantas vezes via a bela arma que a cobra fizera para si com sua magia, sempre ficava admirado em vê-la. Girou-a, aproximando-se de Ryuunei, os olhos vermelho-sangue da outra determinados em admirar o albino mais a frente retalhado por atrapalhar seu momento de descanso.

 

-Vamos, Ryuunei-san? Espero que consiga tirar meu tédio...


Notas Finais


Sorry pelo cap razoavelmente curto, mas se eu escrevesse mais que isso, iria ficar muito longo e.e''
Prometo compensar no próximo <3
Bye bye~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...