História The Poison of the Snake - Gorgon Witches - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Soul Eater
Tags Pots, Soul Eater, Steinxmedusa
Exibições 6
Palavras 1.951
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Heterossexualidade, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 9 - The Book of Eibon


Em frente à Shibusen, artesão e bruxa aguardavam o deathscythe. Demorara um pouco, mas o ruivo logo sai da escola, acompanhado de Marie. Estranhando a outra loira, Medusa fica calada, Stein falando por ambos.

 

-Spirit... nada contra, mas... por que Marie veio com você, senpai?

-Kid disse para levá-la conosco. Na verdade, insistiu.

-Eu também não queria ir, mas, como Spirit disse, ele insistiu. - Marie encara Medusa, inexpressiva.

-Tudo bem. - Medusa segue. - Não me incomodo com isso, a pena é que não poderemos nos divertir com Spirit.

-C-Como assim?

-Você descobrira mais cedo ou mais tarde.

-No caso dele, mais tarde, Meddy.

-Heeh... realmente.

-Bem, vamos logo. Quanto mais cedo terminarmos, mais cedo voltamos.

-Tem razão, Medusa. - A outra loira segue. - Quero voltar logo para a Oceania.

 

******

 

Chegando no castelo em ruínas de sua irmã horas depois, Medusa os guia até as salas conhecidas, não encontrando nada relevante. Separando-se para procurar melhor pela área do castelo, a bruxa caminha até o salão onde havia lutado contra ela com a ajuda de Maka. Encontrando a porta fechada, a loira a abre com seus vetores, caminhando pelo mesmo.

Encontrando uma teia enorme parecendo recente, além de alguns papeis próximos a ela, continuou a andar pelo mesmo, não encontrando nada de relevante, voltando ao ponto que havia combinado com os demais. Enquanto caminhava, uma lâmina negra aparece em sua frente, um cabo da mesma cor passando por sua direita.

 

-Finalmente te achei... aqui é muito grande, e com esses corredores, foi difícil te achar, mesmo te seguindo pela alma...

-É a vantagem de conhecer o local... posso me esconder de você facilmente aqui.

-Temos alguns minutos para a hora combinada... - O albino aproxima a lamina, fazendo a loira recuar alguns passos para mais próximo dele. - Então... por favor...

-Ok, ok... posso diverti-lo por alguns poucos minutos.

-Obrigado, Meddy...

 

******

 

A deathscythe caminhava pelo castelo, sem rumo, já que se encontrava perdida enquanto tentava voltar para o ponto que havia combinado com os outros três. Na verdade, não se incomodava em voltar. Não queria ficar muito tempo próxima da bruxa. Ainda estava triste por descobrir naquela noite que ela alcançara o que a anos a deathscythe desejava.

Sentou-se em um bloco que antes era uma parede, suspirando. No tempo que havia se perdido, não encontrou nada de importante ou que poderia ajudar a Shibusen, apenas algumas aranhas e ruínas. Pouco depois, escutara sons de paredes caindo, supondo que seria seu ainda amado albino e a bruxa que o “roubou” para si.

Pouco depois, uma aranha para próxima a mão que a apoiava no que uma vez era uma parede, a loira assustando-se levemente, retirando-a. A aranha, ainda parada, parecia encará-la, Marie estranhamente sentindo-se incomodada, levantando-se e voltando a caminhar. Após cerca de cinco passos depois, uma voz doce e desconhecida ecoa pelo corredor.

 

-Parece insatisfeita, minha jovem... - Marie, um pouco assustada, vira bruscamente, olhando ao redor e não encontrando nada nem ninguém.

-Q... Quem está aí?! - A loira transforma o braço em arma, observando as aranhas ao redor reunirem-se próximas aonde ela estava sentada.

-Não precisa ter medo, deathscythe... - As diversas aranhas tornam-se uma mulher adulta, os cabelos negros presos, usando um vestido simples da mesma cor. - Não sou sua inimiga...

-Quem... é você?

-Pelo que vejo, você tem uma grande tristeza em si. - Ignorando-a, se aproxima, pousando a mão em sei rosto. - Isso é culpa das “escolhas” da Shibusen?

-Como...

-Como eu sei? Digamos que... “estou” em todos os lugares. Bem... eu poderia ajudá-la a realizar esse desejo impossível que é sua atual dor por não conseguir realiza-lo. - Arachne caminha alguns passos para trás, estendendo a mão para a mesma. - Mas só poderei fazer isso se me ajudar...

 

******

 

Cansados e muito tempo depois do combinado, voltavam para o ponto escolhido, alguns cortes em ambos devido aos vetores da loira e a vector scythe que o albino sempre levava, encontrando Spirit encostado, sem sinal da outra deathscythe. Os vendo, o ruivo caminha até eles, um pouco irritado, ambos sabendo muito bem o motivo.

 

-Onde estavam?! Esquece, tratando-se de vocês dois, sei muito bem.

-Nos desculpe, Spirit... mas o honey insistiu.

-Certo, certo...

-Onde está Marie? Pensamos que ela estava com você. - Stein segue, enquanto acende um de seus cigarros.

-Ela ainda não voltou. Uma hora a achamos, ela não sairia do castelo. E então? Acharam algo?

-Nada.

-Eu achei pouca coisa, no salão principal. Podemos voltar e dar uma olhada, deve ser o tempo de que Marie nos acha.

-Tem razão.

 

Os levando ao salão onde estava a poucos minutos, recolhe os papéis junto aos demais, encontrando poucas anotações na escrita das bruxas. Ao terminarem, a loira traduz o que encontraram junto ao albino, Spirit recolhendo um pedaço da teia a pedido de ambos. Terminando uma das folhas, a loira se vira para o albino.

 

-Conseguiu algo?

-Ainda não consigo ler 100%, mas estou avançando.

-Devo ser uma boa professora...

-Ou eu que aprendo rápido.

-Já acabaram por aí? - Spirit junta-se a eles, entregando o pequeno vidro com a teia para Medusa.

-Sim. Podemos traduzir isso ate mesmo em Death City. Não pensei que seria tão rápida nossa viagem.

-Certo... sem sinal de Marie ainda. Stein, pode procurá-la?

-Huh... ok. - O albino fecha os olhos, concentrando-se por alguns segundos, respondendo em seguida ainda com os olhos fechados. - Ela não está no castelo, e nem nas proximidades.

-O que?

-Terei que repetir, senpai? Ela sumiu.

-Como você diz isso com toda essa calma?

-Ela não irá muito longe. Amanhã podemos procurá-la com mais calma, senpai.

-Tenho que concordar com ele, Spirit. Já está tarde, ela deve estar descansando em algum lugar, ou acabou voltando para a cidade enquanto tentava encontrar o castelo depois de passar acidentalmente por algumas árvores.

-Ehehe... verdade, Meddy.

-Vamos voltar, ela pode estar lá. Não precisa se preocupar, Spirit... ao chegarmos lá, ligamos para Kid e o notificamos.

-Ok, ok...

 

Retornando para a casa que a mesma havia se instalado a poucos dias, Stein fala com Kid pelo espelho, Maaba-sama ao seu lado. O notificando do que encontraram no castelo nesse “primeiro dia” e sobre o sumiço de Marie, o jovem shinigami parecia preocupado, refletindo. Pouco depois, volta a encarar Stein.

 

-Mais algo?

-Medusa está traduzindo as anotações que encontramos, mas fora isso, nada mais.

-Entendo... me notifiquem caso tenham alguma novidade.

-Certo.

-Shinigami-sama! Mabaa-sama! - Uma jovem bruxa entra na sala, interrompendo-os. Parando próxima a eles, apoia-se em suas próprias pernas, ofegante. - Uma bruxa... na Shibusen... a vi correr... em sua forma animal... não parecia... aliada...

-O que?! Onde?!

-Estava... se... dirigindo... à biblioteca...

-Droga... Stein, conversamos depois. Mabaa-sama, venha comigo. - Mabaa acena com a cabeça, seguindo Kid, assim como Liz e Patty.

 

******

 

-Droga, Arachne-sama... Shaula-sama... poderiam ao menos me permitirem de trazer alguma distração?

 

A raposa seguia pelos corredores, desviando graciosamente das diversas bruxas e artesãos que tentavam algo contra a mesma. Yui, a passos apressados, logo chegara a biblioteca, trancando o cômodo vazio rodeado de livros. Era um lugar um tanto óbvio de onde o livro de Eibon poderia se encontrar, mas perto de tantos outros, levaria uma eternidade encontrá-lo.

A raposa, voltando a sua forma humana, analisa o cômodo, refletindo sobre onde poderia encontrar o livro tão disputado tempos atras. Caminhando pelos corredores, pensou alto, movendo lentamente a cauda que se mantinha mesmo em sua forma humana.

 

-Hm... tratando-se de um livro tão importante e perigoso, não estaria em prateleiras acessíveis para qualquer aluno. – Indo ate a bancada do bibliotecário, pulou-a facilmente, indo ate os registros. – E também não deve dizer por aqui onde ele se encontra. Mas... – Indo ate o fundo do corredor, encontrara uma porta trancada, destruindo a tranca com uma adaga que levava em sua bolsa. 

 

A abrindo, encontra mais algumas poucas estantes, uma placa na mais próxima dizendo “Apenas o Shinigami-sama e pessoas autorizadas". Yui sorri, caminhando pela mesma, parando em frente a um cubo transparente, o livro de Eibon dentro do mesmo

 

-Independent Cube... E um extremamente forte, criado pela própria Mabaa-sama. Droga... Bem, Arachne-sama deve saber como desfazê-lo.

 

Pondo o livro em sua bolsa, ela corre para o lado de fora até a bancada que pulara a poucos minutos, abaixando-se a tempo de evitar um tiro de Kid. “Droga... logo agora?” pensara, enquanto ouvia os passos do shinigami aproximando-se mais de si. Quando ele encontrava-se próximo o suficiente da bruxa raposa, Yui desfaz seu soul protect, afastando-se de Kid e escondendo-se em uma das diversas prateleiras

 

-Apareça, bruxa! – Caminhando lentamente, Kid a segue por sua alma, a morena pouco depois aparecendo atrás de si.

-Ilusion of Kitsune. – A morena põe uma das mãos no rosto de Kid, o cobrindo, afastando-se rapidamente em seguida, desviando dos tiros em sua forma animal.

-Nee, Kid... – Liz, na forma de arma. – O que foi aquilo?

-Não sei... Vamos, ela ainda não saiu.

 

Seguindo-a novamente por sua alma, ele a encontra sentada na bancada do bibliotecário, ainda em sua forma animal, o encarando. Seus olhos com uma leve heterocromia brilham, aparecendo diversas outras semelhantes a ela, porém prateadas, indo em sua direção. A cada vez que o jovem shinigami acertava uma, ela se desfazia, como se feita de poeira, formando uma outra.

 

-Tens uma memória um tanto interessante, jovem shinigami... – A raposa-Yui segue, as demais se desfazendo, formando uma névoa ao redor de ambos. – Estou com pressa, mas acredito que posso brincar um pouco com você... First and Second Sense: Vision and Hearing.

 

A névoa assume uma forma semelhante á humana, tomando a forma de seu pai, o “antigo” Shinigami-sama. Kid paralisa, surpreso, encarando-o. Estava extremamente confuso, mas de certo modo feliz, já que não vira seu pai faz muito tempo. Aproximou-se lentamente do mesmo, ainda com as pistolas em mãos.

 

-Pai...?

-Yohoho! Você se tornou um ótimo shinigami, Kid-kun. – O antigo deus da ordem segue em seu tom sempre descontraído, lágrimas correndo pelo rosto do jovem.

-Kid, cuidado! – Liz segue, tentando inutilmente notificar Kid, este levando um chute da bruxa. Recompondo-se, Kid volta a encará-la. – Kid, o que está acontecendo?!

-Ela... O que você fez comigo?

-Eu? Ora.... sou uma bruxa. Estou usando minha magia. Simples assim. Digamos que ela é... útil em certos casos. – A raposa ri um pouco, encarando-o. - Third Sense: Touch.

 

O Shinigami-sama torna-se névoa, assumindo a forma de uma espada negra, logo depois tomando a forma de Crona. Então, Ragnarok aparece em suas costas, assumindo as asas negras. Conseguindo defender a tempo com Liz e Patty, segue esquivando-se de Crona.

Fora de suas ilusões, Yui ataca-o repetidas vezes com sua adaga, usando suas ilusões a seu favor. Como Kid sentiria de toda forma a dor dos golpes, aproveitava para criar cortes reais no mesmo. Afastando-se, aproveitou que o jovem shinigami lutava contra sua ilusão, ele ignorando as armas que o notificavam que a bruxa fugira.

Próxima a janela distante de onde Kid encontrava-se, transformou-se novamente em animal, suas ilusões se desfazendo, a mesma subindo pelas estantes ate alcança a janela, desviando a tempo de evitar um “ataque” semelhante ao ocorrido na lua, como um “tiro” de soul protect. Cruzando a janela, a raposa desce pela Shibusen, desviando dos diversos tiros de Kid, ate sumir pela escada.

 

-Droga... – Kid resmunga, soltando Liz e Patty, elas voltando a forma humana. – Me desculpe pai... Não fui forte o suficiente... - Mabaa põe a mão no ombro de Kid, confortando-o. – Obrigado, Mabaa-sama... Bem... Agora sabe-se lá quem esta com o livro de Eibon em mãos... amanhã terei de falar com certas pessoas. Poderia reunir as bruxas, por favor?

-Nhamu... – A bruxa afirma com a cabeça, saindo da sala junto a Kid.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...