História The Power Of Mortals - Interativa - Capítulo 3


Escrita por: ~

Exibições 11
Palavras 1.954
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Fantasia, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Survival, Suspense, Violência
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Demorei um pouco para postar porque estava ocupado com algumas coisas, mas tentarei postar um por semana ao menos.

Capítulo 3 - Entendimento


Fanfic / Fanfiction The Power Of Mortals - Interativa - Capítulo 3 - Entendimento

Os três aguardaram até que os guardas voltassem, já que Akira tinha conhecimento de que os guardas iriam voltar em algum momento para levar ela e Emilly para algum lugar e em relação a Harlequin ela tinha uma ideia. Foi então que os guardas finalmente vieram e abriram a porta da cela em que estavam fazendo com que os três trocassem olhares rápidos e decisivos.

Em questão de segundos um círculo mágico repleto de símbolos de cor roxa apareceu ao redor de Emilly no chão e instantaneamente a mesma desapareceu causando o desespero dos guardas, pois se ela fugisse eles provavelmente seriam mortos.

- O quê?!

- Ela desapareceu!

- Contamos com você, Emilly! - pensou Akira que rapidamente voltou seu olhar para um dos guardas e eles começaram a brilhar num tom um pouco alaranjado utilizando de suas habilidades para começar a derreter a armadura daquele guarda que começou a gritar de dor.

- Maldita! Aprenda seu lugar, demônio! - sem piedade alguma, o outro guarda lhe dera um soco em seu rosto e a puxou pelos cabelos lhe acertando uma joelhada para que se desorientasse e a fizesse parar imediatamente sem chance de contra atacar ou tentar qualquer coisa.

- Akira! - gritou Harlequin indo ajudá-la, mas o guarda lhe apontou sua lança cuja lâmina manifestava a magia congelante do guarda que a empunhava.

- Seus... - murmurava Akira se levantando aos poucos com grande dificuldade, por algum motivo estava mais fraca do que o comum.

- Não a mate, se não ele é quem vai nos matar! - disse um deles impedindo o outro de matar Akira.

- De qualquer forma, serei eu quem mandará vocês para o Inferno. - dizia Emilly que estava logo atrás de ambos que se surpreenderam imediatamente.

- C-Como?

- Desgraçada! - ele não iria hesitar em atacá-la para matar e Emilly sabia disso.

Lightning Flames! - como um relâmpago algumas estacas de chamas surgiram logo atrás de Emilly que ao seu comando foram arremessadas contra os guardas os perfurando e os matando de uma forma um tanto rápida, mas dolorosa.

- Te emprestar um pouco de mana não foi má ideia, pensei que iria trair um demônio, mesmo sendo uma bruxa. - comentava Akira se levantando de vez.

- Parece que dali eles não se levantam mais. - disse Harlequin já não querendo ficar ali nem mais um pouco.

- Estas paredes limitam nossa quantidade de mana, eu poderia ter invocado muito mais estacas... - Emilly estava um pouco pensativa sobre o que tinha percebido.

- Como se teleportou assim tão facilmente? Seria necessária toda a sua mana e toda a minha para se teleportar do jeito que você fez. - questionou Akira intrigada com o que tinha visto.

- Quando os guardas me tiraram da minha cela eu coloquei um selo mágico em uma das paredes assim que tive a chance, assim posso me teleportar com mais facilidade e sem grandes prejuízos. - respondeu ela de forma genial.

- Logo os guardas darão a nossa falta, acho melhor sairmos daqui agora. - sugeriu Harlequin e assim foi feito, os três saíram dali correndo fazendo o mínimo de barulho possível em seus passos.

Depois de alguns minutos escapando dos guardas daquele lugar, se escondendo e fugindo, os três finalmente viram a saída para algum lugar, era a luz do dia. Tinham aberto breves sorrisos em seus rostos, poderiam finalmente escapar dali. No entanto, quando chegaram lá os sorrisos que tinham em seus rostos desapareceram, mesmo Akira sendo um demônio se surpreendeu como que viu, Harlequin e Emilly estavam da mesma forma, espantados com o que viam em sua frente. Um vasto cemitério cheio de lápides, haviam pelo menos duzentas lá.

- Essas lápides... - dizia Akira sem acreditar no que via.

- São recentes. - voltando a sua expressão calma e de calamidade afirmou Emilly ao ver que as lápides estavam intactas, sem ranhuras ou nada do tipo.

- Quem poderia ter feito algo assim... E quando? - se perguntava Harlequin enquanto se aproximavam para ver mais de perto.

Até que repentinamente os três escutaram passos atrás de si e quando se viraram lá estava um velho que aparentava ser nômade, mas o que um velho nômade estaria fazendo ali afinal? No entanto, o velho se aproximou dos três como se os conhecesse e de forma alguma os temeu, causando incômodo em Akira e em Emilly.

- Antes dos guardas conseguirem prendê-lo, ele fez isto tudo. - dizia o velho olhando as lápides a sua frente respondendo a pergunta.

- Ele quem? - perguntou Akira de forma simpática para o velho.

- O Inquisidor. - ao dizer aquele nome, tanto Emilly quanto Harlequin congelaram dos pés a cabeça, pois sabiam quem ele era.

O Inquisidor? - Emilly se perguntava paralisada.

- Nunca estive totalmente ciente da guerra, poderia por favor me dizer quem seria esse Inquisidor? - perguntou Akira da mesma forma.

- Chamado de A Mão Esquerda de Deus, ele é o homem que adentrou o Inferno matando demônios de todos os ranks, foi ele quem matou quase todos os Sete Reis Demônios: Asmodeu, Belzebu, Belphegor, Azazel, Mammon e Lúcifer.

Lúcifer?! - desta vez Akira congelou dos pés a cabeça por algum motivo.

- Mas, em sua luta contra Satan no final da guerra, ele acabou perdendo, pois perdeu a força divina por causa da derrota de Deus, mas mesmo assim quase matou o Senhor do Inferno, se Deus tivesse aguentado apenas mais um minuto ele teria destruído o Inferno ao acabar com Satan.

- E ele está aqui? Nesta fortaleza? - perguntou Emilly um pouco desesperada.

- Sim, após a sua derrota Satan o mandou para cá como pedido de trégua, mas mesmo assim ele causou todo esse estrago antes que fosse aprisionado no "mundo dos mortos".

- Entendo, mas se agora ele está fraco nós temos de... - Akira concordava com o que Emilly estava falando, afinal eram daedras e se esse tal de Inquisidor fosse morto a vitória do Senhor do Inferno estaria garantida, já Harlequin não gostou muito da ideia.

- Nem pense em fazê-lo bruxa, mesmo fraco no estado em que está agora se você o libertar será o seu fim e a caça as bruxas estará de volta. - o velho a alertou.

- Tu não passas de um velho tolo. - a mesma ergueu seu braço e uma estaca de chamas se formou e ela o mataria ali mesmo, e não era só a vontade de Emilly e sim de Akira e as vontades dos demônios tinham influências nas vontades das bruxas.

- Faça o que quiser, Emilly vi Britannia. - ao falar aquilo, o velho fez com que Emilly ficasse paralisada, mas pela vontade de Akira a estaca acertou o coração do velho assim o matando de forma instantânea e seu corpo desapareceu em cinzas.

- Iremos nos garantir de que ele não retorne ao mundo dos vivos. - afirmou Akira com um olhar totalmente diferente do que tinha há instantes atrás.

- Esperem, eu acho que essa não é a melhor ideia. Deveríamos convencê-lo a lutar do nosso lado contra o novo inimigo. - sugeriu Harlequin afim de evitar a derrota dos Elyos, pois ele sabia que sem o Inquisidor, a força esmagadora dos daedras teria aniquilado os Elyos.

- Tu pensas isto por ser nosso inimigo, mesmo que Deus e Satan estejam em trégua nós não estamos. Por tanto, para trás fada, a não ser que queira morrer. - Akira o ameaçou.

- Sem chances. Eu vi o que aquele desgraçado fez com o mundo em que vivemos, sem o Inquisidor nem Deus e nem Satan poderão derrotá-lo! - Harlequin continuava com sua ideia.

- Você não nos deixa escolha. Emilly, acabe com ele. Emilly. - mesmo Akira a chamando, Emilly parecia que estava com a mente em outro mundo - Se não atende por Emilly, atenda por isso: Bruxa, acabe com ele. - ao escutar aquilo, a pouca vida que tinha nos olhos de Emilly desapareceu completamente e ela se virou como uma marionete para matar Harlequin.

Aos poucos, Emilly ergueu seu braço e invocou uma estaca de chamas para matar Harlequin ali mesmo. Enquanto Emilly o fazia, Harlequin não conseguia se mover, pois não conseguia pensar numa forma de escapar, ele não poderia fugir de um demônio e uma bruxa que se teleportava. Além da forma como Emilly obedeceu Akira, os olhos de Akira também estavam estranhos, estavam mais vermelhos do que o comum, pareciam até os olhos de outro ser, talvez os de Satan.

Akira, mate esta fada para depois matar o assassino de seu pai. Obedeça o Senhor do Inferno, o seu senhor.

Emilly iria atirar a estaca de chamas em Harlequin, mas algo a fez parar, uma outra coisa estava influenciando em suas ações que não fossem as vontades de Akira, alguém estava lhe dizendo para não escutar o que Akira, ou na prática, Satan estava dizendo que seria loucura e isso levaria a derrota iminente.

- Você sabe que não deve. Então não o faça. Mesmo sendo uma bruxa, você não é a escrava do Senhor do Inferno.

Ao escutar aquilo, tanto Emilly quando Akira voltaram a ter os mesmo olhos que tinham e assim se acalmaram. O Senhor do Inferno tinha um breve comando sobre todos os daedras desde que eles estivessem em condições de serem manipulados de tal formas. Com os Elyos não era muito diferente, mas era mais mascarado e por outros modos. No entanto, no final das contas Akira voltou a ter aquela atitude inocente e Emilly ficou um pouco mais humana. Harlequin sabia disso, portanto as perdoou, afinal não poderiam fazer nada naquele momento contra as ordens de Satan, mas ele se questionou o porquê de elas pararem, mesmo que não fosse perguntar a elas.

- Desculpe, Emilly... - dizia Akira decepcionada com a situação que foi forçada a passar e pelas coisas que teve de dizer.

- Sem problemas. Mas, não entendo, por que o Senhor do Inferno estaria nos observando esperando a hora oportuna quando tem de reconstruir o Inferno sozinho. - comentava Emilly, afinal por que Satan iria se preocupar com elas, um demônio desconhecida e uma bruxa aprisionada, não fazia sentido.

- Talvez seja porque eu... Porque eu...

- Akira?

- Não é nada, estava apenas tentando pensar em alguma justificativa, mas não faria sentido. - respondeu ela com um breve e inocente sorriso no rosto.

- Bem, de qualquer forma... Harlequin, quase te matamos, acho que é justo que você decida o que devemos fazer agora. - sugeriu a bruxa.

- E-Eu? Bem... Acho que seria melhor se tentássemos conseguir algumas armas, já que nossa quantidade de mana é muito limitada, penso que seria melhor se tivéssemos algo para usar. - dizia ele de forma calma.

- Há um arsenal não muito longe daqui, fica naquela segunda torre. - Akira apontou para uma torre ainda dentro dos muros da fortaleza, era um tanto alta, mas o problema provavelmente seriam os guardas.

- Vamos tentar ser o mais furtivo possível, assim como você disse logo atrás, os guardas logo darão conta de nossa falta, então nao podemos chamar atenção alguma. - complementou Emilly.

 

Observando-os de um trono na torre mais alta da fortaleza estava homem vestido todo de branco com um tridente todo preto em suas mãos, era aquele que tinha acabado com os exércitos dos Elyos e dos Daedras, era o verdadeiro inimigo do mundo e os observava de lá como se tudo fosse um jogo.

- Espero que não demorem muito... O melhor do jogo já já vai começar. - dizia ele a si mesmo observando os três com seus olhos amarelos brilhantes.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...