História The Price Of Love - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Deidara, Fugaku Uchiha, Itachi Uchiha, Juugo, Kakashi Hatake, Karin, Kiba Inuzuka, Kushina Uzumaki, Menma Uzumaki, Mikoto Uchiha, Minato "Yondaime" Namikaze, Naruto Uzumaki, Personagens Originais, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Suigetsu Hozuki
Tags Drama, Narusasu, Naruto, Revelaçoes, Romance, Sasuke, Sasunaru
Exibições 142
Palavras 2.739
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Mais um capítulo!! Particularmente achei um dos melhores :3 Ravi coisa fofa!!


Espero que gostem, nos vemos nos comentários

Boa Leitura!

Capítulo 15 - Rata De Bolço!!


Fanfic / Fanfiction The Price Of Love - Capítulo 15 - Rata De Bolço!!

Ainda caído no chão levei minha mão até minha cabeça, sentindo uma dor no local onde a pedra havia acertado, estalo a língua e me levanto, eu deveria ter apagado por algum tempo, pois quando me sentei percebi que a garota maluca que tacara a pedra em mim havia desaparecido assim como seu Corcel branco, sentindo uma dor de cabeça irritante me levanto ficando de pé, olho a minha volta e só restava a mim e meu cavalo naquele lugar incrível, desanimado por conta da dor na cabeça, peguei meu cavalo e voltei para casa, aquele dia tinha sido intenso demais.

Quando estava quase chegando em casa, vejo o Corcel Branco novamente, mas ele não estava sozinho, uma moça com cabelos castanhos e compridos escovava seus pelos, me aproximei, precisava saber quem era aquela garota estranha e maluca.

–Com licença... - Desço do meu cavalo, a moça fica sem jeito na mesma hora que me viu - Pode me dizer de quem é esse Corcel? - Pergunto sem muito animo, minha cabeça doía ainda.

–É de minha senhora...porque a pergunta? - Pergunta ela estranhando, sorri um pouco irritado.

–Pois diga a sua senhora que a minha cabeça está doendo por conta da pedrada que ela me deu, e que irei cobrar por isso e com juros - Falei levando minha mão a cabeça retirando minha franja de cima do machucado, estava roxo e inchado, a mulher de cabelo castanho leva a mão a boca.

–S-Sinto muito que isso tenha acontecido, irei chama-la imediatamente... - Ela diz se abaixando e correndo para dentro da casa, suspiro e olho para meu Corcel.

–Parece que encontramos a quase assassina campeão... - Falei sorrindo de leve quando ele olhou para mim.

–O que foi? Porque está me puxando desse jeito Lili? - Quando ouvi aquela voz olhei para onde a criada havia corrido, ela puxava pelo pulso a maluca da pedra, ela ao me ver fechou a cara - O que esse tarado faz aqui?!

–Opa! Tarado uma ova! Você quase me matou jogando aquela pedra em mim! - Exclamei já bastante irritado, aquela garota conseguia me tirar do sério mais rápido do que imaginei - Você me deve pelo o que fez..

–Devo?! Porque?! Você estava bisbilhotando! - Ela exclama novamente, cerro os punhos.

–Não estava lhe bisbilhotando garota! Eu estava andando com meu cavalo quando achei aquele lugar, e sem querer vi seu cavalo, nem fazia ideia que você estava nadando naquele rio e muito menos que estava nua! - Exclamo fazendo as duas garotas corarem.

–Haaarg! Fale logo o que você quer! Não tenho o dia todo para aguentar você - Ela disse cruzando os braços, trinco os dentes, essa garota estava me desprezando?!

–Como você é irritante! Quero que se desculpe por ter jogado aquela pedra em mim, isso é só o começo! Logo mais mando a conta dos remédios que terei de tomar por conta da dor, sua estranha! - Exclamei apontando para ela, a mesma me olhou irritada.

–Me desculpar com você?! Porque eu faria isso? Não seja ridículo! - Ela deu as costas para mim e olhou para a criada - Lili, mande meu pai pagar esse sujeito logo, não quero ficar devendo nada para ele, mesmo que eu, tecnicamente, não precisaria pagar ninguém pois a culpa não fora minha...estou voltando para casa... - Ela disse me ignorando, fui até ela e segurei pelo braço.

–Espera aí garota! Você não pode simplesmente me ignorar dessa forma, eu exijo que se desculpe por aquilo! - Falei irado, ela se desfaz do meu agarre e me olha irritada.

–Já disse que não irei me desculpar por nada garoto, e outra, você não exige nada aqui, nem sei quem é você para chegar e querer mandar em mim, agora se me der licença estou voltando para casa! - Ela disse subindo em seu cavalo novamente, estalando as rédeas de seu cavalo ela avança para longe, urro de raiva, aquela garota era insuportável!

Subi em meu cavalo e parti de volta para meu palácio, estava irritado, com dor de cabeça, e ainda por cima fora ignorado por uma garota irritante, aquilo estava me estressando ainda mais do que ter que conversar com meu pai sobre casamento. Quando finalmente cheguei em casa, eu logo fui barrado pelo meu pai que estava preocupado e um tanto irritado por ter saído sem avisar ninguém.

–Ravi! Por onde você andou?! Sabe que não admito que saia sem avisar ninguém, sabe lá o que poderia ter acontecido com você! Como meu filho único e o sucessor dos meus negócio você precisa ser mais responsável do que isso! O que aconteceu com sua testa?! - Ele saia falando enquanto eu caminhava direto para meu quarto, não queria falar com ninguém, queria apenas tomar um banho quente e descansar, meu dia tinha sido péssimo desde que eu acordei.

–Agora não! Estou cheio por hoje! - Gritei fazendo meu pai parar de me seguir, subi as escadas para os quarto e me tranquei por lá até mais ou menos a hora do jantar, quando desci de volta, meu pai já estava jantando, normalmente ele me esperava, mas ele deveria estar realmente irritado por ter saído sem avisa-lo, suspiro e me sento em nossa mesa de jantar, o silencio estava me causando dor de cabeça novamente e eu não estava com paciência para aguentar dor de cabeça - Pai...eu... - Suspiro olhando para ele - Me desculpe ter saído sem avisar o senhor, eu só precisava de um espaço para respirar e esfriar minha cabeça...sinto muito ter irritado o senhor - Falei baixando a cabeça, meu pai limpou a boca e suspirou.

–Não estou irritado Ravi, fiquei preocupado que algo acontecesse com você - Ele suspira novamente - Me diga, o que aconteceu com sua testa? - Pergunta ele novamente e ao me lembrar daquela garota um nervosismo cresce dentro de mim na mesma hora.

–Aquela...maldita!! - Exclamo surpreendendo meu pai - Uma garota louca e totalmente fora de si jogou uma pedra em minha cabeça! - Exclamo olhando para meu prato, segurava os talheres em minhas mãos com força - Mas eu juro que ela irá pagar por isso...aquela rata de bolço!

–Ravi! Olha como fala na meça de jantar! - Exclama meu pai me fazendo olhar para ele.

–Desculpe, é que só de me lembrar daquela garota eu fico irritado... - Falei passando a mão de leve em meu machucado - Eu havia encontrado um lugar muito bonito perto de uma cachoeira e parei para observar o lugar, foi quando vi um Corcel Branco muito bonito e bem tratado, me aproximei dele, foi quando a dona dele saiu da água, e eu não fazia ideia que aquela garota iria sair da água completamente nua! Ela enlouqueceu e me tacou uma pedra na minha cabeça, e como estava surpreso não consegui desviar a tempo, aquela garota é irritante! - Exclamei, meu pai olhava para mim e prestava a atenção no que eu dizia - Depois que voltei ao normal ela já não estava mais ali, saí com meu cavalo vindo para cá, mas nisso eu avistei novamente o cavalo dela, e como estava irritado parei para pelo menos exigir que ela se desculpasse por aquilo, e aquela...coisa! Simplesmente me desacatou e ainda por cima me ignorou!! Aquilo me irritou e ainda me irrita! - Falei batendo de leve meu punho na mesa, meu pai confirma.

–Você deve ter tido um dia realmente estressante..., mas não deixe que essas coisas tirei sua concentração meu filho, posso dizer isso porque...de certa forma sei como se sente - Disse ele coçando a bochecha - Mas como um homem não deve deixar que coisas assim lhe aborreça, relaxe e jante por enquanto..., mais tarde quero que passe no meu escritório, preciso lhe dizer algo importante - Fala ele se levantando, caminha até mim e sorri apertando meu ombro caminhando para seu escritório, provavelmente, suspirei e fiz o que ele me aconselhara, deixei aquele assunto de lado e apenas jantei, desfrutando da comida que me serviram.

Naquela noite ainda, passei no escritório de meu pai, ele estava assinando alguns papeis quando entrei, ele levantou os olhos e sorriu, era sempre assim quando eu entrava em seu escritório, ele me olhava e sorria calmo, suspiro fechando a porta atrás de mim.

–O que o senhor queria falar comigo Pai? - Pergunto me aproximando, ele se levantou e ficou a minha frente.

–Como havíamos conversado mais cedo sobre você conhecer algumas garotas, eu selecionei algumas para virem aqui em casa...eu sei que você não está com cabeça para isso agora, principalmente depois do seu episódio com aquela garota desconhecida, mas quanto mais rápido fizermos isso mais rápido termina, ou você quer continuar adiando? Depois, creio que ficará mais estressante do que agora meu filho... - Fala ele sério, bufo coçando a nuca.

–Talvez o senhor esteja certo, quanto mais rápido terminar isso melhor...para quando é o encontro com essas garotas? - Pergunto sem muito animo.

–É para semana que vem, percebi que, como estava estressado com algumas coisas, dei um tempo para se acalmar, não quero que alguma das garotas saia magoada por conta de seu temperamento explosivo que com toda certeza não puxou a mim... - Comenta ele, sorri.

–Não foi o que meu avô me disse... - Falei sorrindo, meu pai riu.

–Você tem razão, você realmente é meu filho por conta desse seu temperamento explosivo, é como se fosse eu outra vez... - Fala e rimos, suspiro e confirmo.

–Está bem, vou esperar até semana que vem, mas pai...realmente, não espere muito de mim - Comento e me retiro do escritório indo novamente para meu quarto, vou até a sacada do meu quarto e olho para o céu estrelado, aquilo ia dar muito trabalho.

[...]

Quando os dias passaram e finalmente o dia em que me encontraria com as tais garotas que meu pai escolhera para mim chegou, me perguntei se eu não pudesse ter escolhido adiar o máximo possível esse assunto, mas era tarde de mais.

Estava sentado em nossa sala, rodeado por almofadas coloridas e de cetim, usava uma roupa ao nosso estilo e com um turbante na cabeça branco e dourado, não gostava muito de usar aquela coisa, pesava minha cabeça e coçava, mas tinha que aguentar pelo meu pai, como ele mesmo disse, quanto mais cedo isso acabar será melhor.

As garotas iam entrando na sala e se apresentavam sorridentes, todas lindas e com seus melhores trajes, seus cabelos cobertos por lenços das mais variadas cores, lindos vestidos em cores fortes e as mais brilhantes joias adornando o pescoço, os braços, os dedos e as orelhas. Tinha que admitir, todas eram lindas e bastante encantadoras, mas mesmo com aquele glamour todo de cada uma, nenhuma delas me chamava a atenção, nenhuma delas tinha algo que me fizesse querer conhece-la melhor.

Até que, quando eu já estava quase desistindo, uma garota entrou na sala, como todas elas, vestia um vestido elegante e seus cabelos estava escondidos sobre um véu, mas seus olhos, algo em seus olhos me deixava intrigado, e ao mesmo tempo irritado, por mais que eu tentasse entender o porquê eu simplesmente não conseguia, quando ela se sentou na cadeira onde todas sentavam e me olhou, seus olhos se arregalaram ao meu ver e quase imediatamente ela fechou a expressão, e quando vi seus olhos irritados olhando para mim eu finalmente me toquei, me levantei de onde estava e nós dois apontamos um para o outro.

–VOCÊ!!! - Exclamamos juntos, aquilo era brincadeira, não é? Aquela garota não podia estar ali, não é?!

–O QUE DIABOS VOCÊ ESTÁ FAZENDO AQUI?!! - Pergunta ela tirando o lenço da frente de seu rosto, eu já irritado me irrito.

–SOU EU QUE TENHO QUE PERGUNTAR ISSO SUA IDIOTA! O QUE VOCÊ FAZ AQUI?! - Exclamo a encarando com raiva.

–Vim aqui para conhecer um príncipe não um ogro hentai como você! - Ela disse, eu trinco os dentes.

–E eu estou aqui para conhecer garotas lindas e delicadas, não uma rata de bouço! - Eu exclamo de volta à fazendo se irritar ainda mais.

–Ora, vamos crianças, não precisa dessa histeria toda, não é? - Meu pai que estava ao meu lado esse tempo todo se levanta e sorrindo caminha até nós dois - Prazer em conhece-la minha querida, sou o pai desse rapaz, como se chama? - Pergunta ele como se nada tivesse acontecido, ou como se não tivesse uma louca a sua frente e que por sinal havia machucado seu único filho!

–Me chamo Nilima, sinto muito pelos meus modos senhor Assad..., mas não pude evitar quando vi seu ogr...digo, seu filho - Fala ela reverenciando meu pai, o mesmo sorri.

–Não se preocupe com isso, tenho certeza que os dois se conheceram de uma forma um tanto...inusitada, mas posso dizer que meu filho não é tão ruim assim, ele pode ser um verdadeiro cavalheiro quando quer, não é Ravi? - Meu pai olha para mim e eu fico emburrado.

–Tenho certeza que sim senhor, mas agora eu acho melhor me retirar, pois não acho que chegaremos a algum lugar aqui... - Fala ela olhando para mim de soslaio, faço uma careta.

–Concordo, acho que você já passou tempo demais por aqui... - Comento sorrindo irritado, ela me olha com desdém e aquilo me irritou ainda mais.

–Vamos, vamos, não tenha pressa, vocês nem ao menos conversaram, e eu quero saber mais sobre a senhorita... - Meu pai só pode estar de brincadeira, aquilo estava realmente acontecendo?! Meu estava mesmo cogitando a ideia de me casar com essa mulher?! Ele realmente quer ver seu filho morrer?! Ele me odeia tanto assim?!!

–Tem certeza pai? Essa garota tentou me matar se o senhor não se lembra! - Falei olhando para ele, o mesmo sorriu ainda mais, ISSO FOI ASSUSTADOR!! Como ele pode sorrir com isso!?!

–Sente-se e me conte, quem são seus pais? - Pergunta, ELE ESTÁ PEDINDO PELOS PAIS?!! ELE REALMENTE ESTÁ COGITANDO A IDEIA DE NOS CASAR?!!

–Acredito que o senhor os conheça, são um de seus aliados, a família Fortune... - Diz ela, meu pai sorri ainda mais.

–Mas é claro, você é a pequena Nilima, claro, claro, seus pais sempre em alguma convenção que fazemos eles sempre comentam sobre você, mas não imaginava que seria uma moça tão linda quanto eles dizem, até mais se me permite dizer - Ele estava tentando o que com aquele papo barato de tiozão?! Isso só pode ser um pesadelo!! Ela riu.

–Imagina senhor, é um grande elogio o seu... - Com toda certeza que é, pois nem metade disso você é garota!!

–Pai, será que podemos conversar rapidamente? - Pergunto chamando a atenção dos dois, meu pai já sorrindo confirma.

–Pode se sentar ali senhorita, eu logo voltarei - Diz ele cavaleiro até de mais, caminhamos para um canto da sala e eu me virei para meu pai.

–O que diabos o senhor está pretendendo?! Não está realmente cogitando a ideia de me casar com aquela maluca está?! Porque nem em mil anos eu me casaria com uma gorila como ela! - Exclamo apontando para aquela mulher que estava de costas para nós, meu pai sorriu.

–Não vejo nada de mais nisso meu filho, ela é elegante e bem humorada, e além do mais, seus pais são ótimos negociantes no Japão, não percebeu? Ela é japonesa, nada como ter uma japonesa como esposa, nossos lucros iam as alturas... - Ele comenta, eu engulo a vontade de gritar.

–Não estamos falando de negócios aqui! Estamos falando da porcaria do casamento entre nós dois!! Você realmente se esqueceu que ela é maluca e tentou me matar?! Quer mesmo que seu único filho seja morto por essa mulher?!! Você me odeia tanto assim?! - Pergunto desesperado para que ele mude de ideia, mas a única coisa que ele fez foi sorrir e segurar meus ombros.

–Filho, você ainda não percebeu? Essa garota...é a única dentre todas que você já viu hoje que mudou seu humor, que trouxe um certo animo para cá, é você que está se esquecendo, é você que não está vendo, essa garota...ela é perfeita para você - Disse ele e me deu as costas voltando para conversar com aquela rata de bolço, e eu vendo aquilo me senti sendo engolido por uma areia movediça enquanto aqueles dois viam meu desespero e riam de mim, eu estou morto!!!


Notas Finais


Abraço Da Uzuu Neko-chan :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...