História The Princess and Kitty Knight - Capítulo 41


Escrita por: ~

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alya, André Bourgeois, Chloé Bourgeois, Gabriel Agreste, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Nathalie Sancoeur, Nathanaël, Nino, Plagg, Sabine Cheng, Sabrina, Tikki, Tom Dupain
Tags Miraculous Ladybug
Exibições 531
Palavras 2.454
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Hentai, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ola, meus delicias <3

Muito obrigado a todos que comentaram no ultimo capitulo e muto obrigado pelos 537 favoritos.

Boa leitura! \o

Capítulo 41 - A decisão de Tom.


Fanfic / Fanfiction The Princess and Kitty Knight - Capítulo 41 - A decisão de Tom.

Marinette estava no topo das escadas se apoiando em Alya enquanto encarava o pai. A garota estava um pouco nervosa e assustada, mas mesmo assim segurava as lagrimas.

- Marinette?! – Tom disse um pouco atordoado por ver a filha muito machucada e por ela ter defendido Adrien, o filho de seu odiado rival. – Vo-você...

- Papai, não machuque o Adrien! – Marinette disse com a voz um pouco confusa por causa do quase choro.

- Mas... – Tom estava sem reação, assim como Lilian, Sabine e Adrien. Tom engoliu em seco e tentou esquecer o que acabara de ouvir, ele respirou fundo e disse: - Marinette, eu vim lhe buscar.

- Papai, eu... – Marinette respirou fundo e desceu as escadas com a ajuda de Alya, quando chego ao andar de baixo, a garota encarou o pai e o abraçou. Tom não se conteve e abraçou a filha enquanto sentia as lagrimas caindo em seu rosto.

- Você vai embora comigo, não é, filha?

- Desculpe, papai, mas eu vou ficar aqui com o Adrien. – Tom arregalou os olhos e soltou Marinette.

- Você... Você não pode...

- Eu não quero me separar dele. – Marinette disse de cabeça baixa.

- Você não pode fazer isso... Ele... Ele é um Agreste! Você não vai ficar aqui, Marinette, você vai pra casa comigo!

-Eu não vou, papai.  – Marinette disse levantando a cabeça e encarando o pai, então, ela respirou fundo, e disse: - Eu amo o Adrien e não vou sair de perto dele! – Tom arregalou os olhos, ele sentiu uma imensa raiva, ele não podia acreditar que sua única filha, a garotinha que ele pegou no colo quando criança, que brincava com ela de cavalinho e a via sorrindo quando a colocava em suas costas, a garotinha que ele sempre amou e sempre protegeu estava apaixonada por um Agreste, o filho do homem que ele tanto odeia. Tom, tomado pela fúria, segura com força os braços da garota.  Marinette geme de dor e todos se desesperam.

- Você não vai ficar aqui! – Tom diz furioso. Adrien vendo aquilo e sem pensar em mais nada, segura o pulso de Tom com força.

- Esta machucando ela! – Adrien diz furioso.

- Não se meta, rapaz!

- Solte-a, agora! – Adrien diz, mas Tom continua segurando com força os braços de Marinette.

- Papai... – Marinette diz assustada e quase chorando.

- Tom! – Sabine diz furiosa e vai ate o marido. – Solte a Marinette, agora! – Tom olha para Sabine, mas continua segurando com força Marinette. – Tom, você esta machucando os braços dela! – Sabine grita com Tom que acorda de seu transe, ele solta de vagar os braços de Marinette e encara a garota que o olhava assustada enquanto chorava.

- Você... – Tom diz de voz baixa encarando a filha. – Você vai mesmo ficar aqui... Com ele? – Tom pergunta olhando para Adrien.

- Sim, papai... Me desculpe, mas eu amo o Adrien e não quero me separar dele... Me perdoe, mas eu...

- Cale a boca! – Tom diz furioso com a voz baixa. Marinette o olha assustada. – Não diga mais nada. Se você quer ficar, fique, mas saiba que você não é mais a minha filha! – Tom olha com fúria para Marientte que o encarava assustada. – Eu não quero te ver nunca mais, e você esta proibida de voltar para casa, pois agora você não é mais uma Dupain-Cheng! – Marinette arregala os olhos e encara a mãe desesperada, Sabine, e todos ali encaravam Tom sem acreditar no que acabaram de ouvir.  Marinette olha novamente para o pai que se virava para sair, a garota, desesperada e com medo de perder o amor do pai, segura no pulso do homem.

- Papai, por favor, não faça isso... – Tom puxa o pulso com força que faz com que Marinette se desiquilibrasse, Adrien a segura e Marinette se apoia no garoto.

- Não ouse me chamar de pai, pois você não é mais a minha filha! – Dito isso, Tom sai da casa dos Agrestes, Marinette sente os joelhos bambos e se senta no chão, Adrien ainda do seu lado coloca a mão na cintura da garota e segura a sua mão, Marinette começa a chorar desesperada, Sabine olha para garota e se abaixa na sua frente.

- Marinette, não chore, eu irei conversar com o seu pai.

- Ele... Ele me odeia.

- Não, filha, ele só esta nervoso. O seu pai te ama, só fez isso por que está cego de raiva. – Sabine disse secando as lagrimas da filha que não paravam de cair. – Eu vou falar com ele, prometo que irei resolver isso tudo, esta bem? – Marinette concordou em silencio. – Eu já vou indo. Adrien, cuide da minha filha. – Sabine disse sorrindo.

- Pode deixar, senhora. – Adrien disse da mesma forma. Sabine deu um beijo em Marinette que já estava mais calma e se levantou do chão, ela foi ate Lilian e se despediu da mulher, logo depois Alya se despediu de todos e logo depois seguiu com Sabine para a carruagem.

Marinette ainda estava sentada no chão com Adrien, Lilian encarou os dois e mandou Adrien a levar para o quarto, Adrien concordou com a cabeça e carregou Marinette ate o quarto com Lilian os seguindo, logo depois, Lilian conversou um pouco com a garota, que não falava muito, logo depois, a mulher saiu do quarto deixando Adrien e Marinette sozinhos.

- Amor, você esta bem? – Adrien pergunta passando a mão nos cabelos de Marientte. Desde que chegaram ao quarto, a garota se deitou no peito de Adrien para que ele a abraçasse, desde então, ela não quis mais sair dos braços dele.

- Não... Adrien, acha que meu pai me odeia?

- Não, amor, ele não te odeia. Ele só estava cego por causa da raiva, como a sua mãe disse.

- Mas ele disse que eu não sou mais sua filha.

- Mari, é claro que você é, e ele sabe disso. Eu tenho certeza que quando a raiva dele passar, ele ira ver o que fez e ira te pedir desculpas. O seu pai te ama, amor, não precisa se preocupar, ele vai voltar atrás. – Adrien disse e apertou Marinette mais no abraço. A garota segurou com força a camisa de Adrien e começou a chorar baixinho. – Não chore, princesa, vai ficar tudo bem.

-Eu nunca o vi daquele jeito... Ele nunca falou comigo dessa forma, nuca me bateu... Por que o meu pai tinha que fazer isso logo agora? Por que, Adrien?

- Eu não sei, amor... Talvez seja por que ele não quer que sua única filha ame um Agreste. Ele não quer aceitar que estamos juntos. Além disso, ele ainda esta sofrendo pelo o que o Nathanael te fez, ele esta se sentindo culpado. E agora sabendo que você esta comigo, deve te sido muita coisa pra ele. Mas olha... – Adrien segurou o braço de Marinette e a afastou um pouco para que ela o olhasse. – Eu tenho certeza que o seu pai te ama, e tenho certeza que ele vai voltar atrás no que disse, então não precisa ficar triste, por que o seu pai te ama, minha princesa. – Adrien disse sorrindo, Marinette sorriu fraco e abraçou Adrien com força.

- Obrigada, Adrien... Você sempre faz com que eu me sinta bem. – Adrien sorriu e beijou o topo da cabeça de Marinette.

- Eu te amo, Mari.

- Também te amo. – Marinette disse e escondeu mais seu rosto no peito de Adrien, logo depois, a garota sobre o efeito dos medicamentos, se entregou ao sono e acabou dormindo, Adrien vendo que a garota adormecera, sorriu e deitou Marinette com cuidado na cama, logo depois, ele deitou ao seu lado e a abraçou.

Uma hora depois, Tom chegou em sua casa, ele saiu da carruagem ainda atordoado com o que acontecera e seguiu direto para o seu escritório, pedindo a alguns guardas que não deixassem ninguém o incomoda-lo. Tom se trancou em seu escritório e se sentou em sua cadeira, ele colocou a mãos no rosto e as esfregou sobre o mesmo, ele suspirou pesado e então não aguentou, começou a chorar e a colocar tudo para fora. Ele se sentia mal por te falado aquelas coisas para Marinette, se sentia triste e destruído por dentro. Ele amava sua família mais que tudo em sua vida, amava Marinette e nunca pensou em falar ou fazer nada do tipo com a filha, mas ele não suportou ouvir a filha dizendo que amava um Agreste, não suportou quando a garota defendeu e preferiu ficar com um Agreste, ele não suportou perder a sua filha para um Agreste. Tom chorava entristecido, ele queria a sua filha, queria de volta a garotinha que se escondia em seu escritório para chamar a sua atenção quando ele ficava muito tempo trabalhando, queria de volta a garotinha que quando sentia medo ou se machucava corria ate ele para se sentir segura. Tom queria a sua filha de volta. O homem sentia uma imensa dor em seu peito, algo que nunca sentiu antes, ele havia perdido a sua filha e, ele sabia que a culpa era somente dele.

Enquanto isso, Sabine chegou a sua mansão e desceu da carruagem junto de Alya, a morena quando ia entrar, ouviu um dos guardas lhe chamando, era o mesmo guarda que sempre a avisava quando Nino vinha lhe visitar, a morena esperou Sabine entrar e foi ate o guarda que a avisou que Nino a esperava no labirinto de rosas, Alya confirmou com a cabeça e foi correndo para o labirinto.

Enquanto isso, Sabine seguiu furiosa para o escritório de Tom, ela sabia que quando o marido tinha problemas, ele se trancava no escritório. Os guardas assim que viram Sabine, disseram que Tom pediu para não ser incomodado, mas a mulher os ignorou completamente e bateu com força na porta.

- Tom Dupain, não ouse se esconder dentro de seu escritório! – Sabine disse furiosa, mas Tom não respondeu. – Você não pode fazer isso com a nossa filha, ela já esta sofrendo pelo o que aconteceu, não precisa de mais uma dor. Abra a porta e vá imediatamente pedir desculpas a sua filha. – Tom continuava em silencio. – Tom! – Sabine vendo que não ira conseguir nada, pelo o menos não agora, suspirou e ficou em silencio por um tempo, então ela disse com a voz calma. – Tom, eu sei que esta chateado com tudo isso e, sei que esta sendo difícil pra você saber que a sua garotinha esta apaixonada por um Agreste. Mas, Tom, a Marinette e sua filha, ela te adora, te ama muito e não quer perder o pai, e eu sei que você também não quer perder a sua filha. Volte atrás na sua decisão, a Marinette te ama e precisa do nosso apoio nesse momento. Pense no que eu te disse. – Sabine disse e logo depois seguiu para a cozinha.

Enquanto isso, Alya e Nino estavam se beijando no jardim. Minutos depois, eles pararam os beijos e ficaram em silencio por um tempo enquanto ainda estavam abraçados, logo depois, Nino quebrou o silencio.

- Alya, não podemos mais esperar, já adiamos bastante a nossa fuga por causa de tudo o que aconteceu, agora que a Marinette esta bem, precisamos ir. – Nino disse se separando do abraçado e encarando Alya.

- Nino, eu não posso deixar a Mari agora. – Alya disse triste.

- Adrien esta cuidando dela, Alya. – Alya olhou para o chão em silencio. – E, amor... Você já esta com quase cinco meses, precisamos fugir logo.

- Eu sei... – Alya disse com a voz baixa.

- O que foi, Alya? – Nino perguntou preocupado ao ver como Alya havia ficado.

- É que... Eu tenho medo. Eu nunca me afastei dos meus pais assim. Alem disso, não sei se eles iram me aceitar depois. – Alya disse e começou a chorar. – Eu tenho medo, Nino.

- Eu sei, amor, eu também tenho, mas precisamos ir, você sabe. – Nino disse e abraçou Alya. – Depois que o bebe nascer, nos voltamos, e casados, assim nossos pais não poderão nos separar. – Alya confirmou em silencio. – Olha só, vamos precisar de um tempo para organizar tudo, então vamos embora na terça a noite. Arrume suas coisas e deixe tudo pronto atrás da mansão, você precisa fazer isso na segunda a noite, pois vou pedir que levem nossas coisas antes, pra podermos fugir sem problema algum. Eu vou confirmar com um caseiro da cidade ao lado se a sua cabana ainda esta disponível, então irei aluga-la para nós, esta bem ? – Alya confirmou mais uma vez em silencio. – Ótimo. Assim também poderemos nos despedir de todos com calma.

- Acha mesmo que isso é uma boa ideia? – Wayzz disse saindo do bolso da calça de Nino.

- Não temos outra escolha. Ou é isso, ou Alya terá que se casar com o Edgar, e assim terá que contar que esta gravida.

- Por que não contam logo que vocês terão um filho? Seus pais te amam, tenho certeza que eles iram entender e deixariam vocês se casarem.

- Acho meio difícil, amigo, já que o dia em que eu vim pedir a Alya em casamento os pais dela praticamente me expulsaram daqui.

- Entendo... Mas vocês tem certeza de que é isso mesmo que querem?

- Não, mas não temos outra escolha. – Nino disse e Wayzz ficou em silencio. – Alya, prepare tudo e se despesa dos seus pais, temos três dias pra fazer tudo. Eu só vou poder te ver novamente no dia em que fomos fugir, então fique pronta, esta bem?

- Esta bem. – Nino sorriu e beijou Alya.

- Eu te amo, marrentinha.  E você também, bebe. – Nino disse sorrindo e passando a mão na barriga de Alya.  – Ate mais, amor. – Nino deu mais um beijo em Alya e saiu correndo do labirinto junto com Wayzz.

- Vocês vão mesmo fugir? – Trixx perguntou saindo do bolso de Alya.

- Acho que sim. – Alya disse fraco e encarou Trixx.

- Precisa se decidir logo, Alya. – Alya ficou em silencio encarando Trixx, logo depois, as duas saíram do labirinto de rosas.

Enquanto isso, Adrien ainda estava deitado com Marinette que dormia profundamente. O rapaz olhava com carinho para a namorada enquanto pensava em uma solução para ficarem juntos, pois o dia da volta de seu pai, já estava se aproximando. O garoto, suspirou pesado e se virou encarando o teto. Ele não sabia o que fazer, principalmente agora que Tom brigou com Marinette e não a considerava mais como uma Dupain-Cheg. Adrien encarou Marinette mais uma vez e a abraçou. Ele não queria mais ver a garota sofrer, não queria mais vê-la chorando, ele precisava fazer alguma coisa, mas para isso, iria precisar da ajuda de Lilian.

Leiam as notas finais, é importante!


Notas Finais


Estão, galera, o capitulo tinha ficado muito, muito grande, então tive que dividi-lo em três partes, então é no proximo capitulo que Sabine e Lilian iram pensar em algo para ajudar os filhos.

Galera, sei que muito aqui falam que a FIC da boa, não precisa mudar, mas mesmo assim... MANDEM SUGESTÕES E PEDIDOS. Isso me ajuda a ter novas ideias para agradar a todos, e comentem, quando recebo pouco comentarios fico meia desanimada para escrever o proximo capitulo, por que parece que não estou agradando vocês, então ajudem a tia aqui e a vocês asaushaus... Assim terá capitulos mais rapido, pois vou estar empolgada com os comentários e com novas ideias. ;)

Alguns spoilers: (Os spoilers aconteceram nos próximos capítulos.)

Marinette se sente mais triste do que antes, e assim não quer falar com ninguém, apenas com Adrien.
Adrien se sente mal por ver Marinette triste e assustada.
Alya conversa com Edgar que se sente segura para fazer uma revelação a garota.
Tom não volta atras em sua decisão.
Sabine descobre sobre a fuga de Alya e Nino.
O dia da fuga de Alya e Nino finalmente chega.


Minha pagina: https://www.facebook.com/desenhossemideusa/
Me segue no Tumblr: https://priscilatp.tumblr.com

Leiam minhas outras FICs:
https://spiritfanfics.com/historia/the-princess-and-kitty-knight-5622710
https://spiritfanfics.com/historia/my-kitty-chat-noir-halloween-6923530

Caso queiram me add no whatsapp para conversarmos...
Meu numero: 3.1.9.8.5.1.1.3.7.2.3. (coloquem sem os pontos kkkkk...)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...