História The Princess and the Guard - Capítulo 13


Escrita por: ~ e ~BottomNochu

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags 2jae, Amor, Bottomnochu, Cross-dresser, Época, Jeongguk!bottom, Jikook, Jimin!top, Markson, Mpreg, Namjin, Príncipe & Guarda, Reis, Vhope
Visualizações 1.738
Palavras 1.664
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Fluffy, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Poesias, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura 💞

Capítulo 13 - Capítulo Treze.


Fanfic / Fanfiction The Princess and the Guard - Capítulo 13 - Capítulo Treze.

The Princess and the Guard — Capítulo Treze.

Hoseok andava a passos largos pelos corredores do castelo, estava ao ponto de explodir de irritação, não acreditava no que as amas de Jeongguk lhe disseram.

— Calma Hoseok-ah! — pedia Taehyung, tentando acompanhar os passos largos do príncipe.

— Me peça tudo agora Taehyung, menos calma. — disse entre dentes, empurrando a porta dos aposentos de Jeongguk e adentrando junto ao ruivo. — Eu dou um grão de confiança a aquele guarda e ele acha que fora a praia inteira! — sibilou, andando pelo quarto até parar de frente a porta do banheiro, onde pôde escutar a voz de Jimin muito bem. — Park Jimin! — praticamente gritou, puxando o guarda para longe de seu irmão, esse que se agitou por não ter a presença de Jimin ao seu lado. — O que...?

As mãos de Jeongguk se ergueram, procurando por Jimin enquanto que sua boca soltava murmúrios desconexos. Seus olhinhos perdidos procuravam pelo acinzentado, mesmo que não conseguisse focar nele ou em qualquer um alí.

Jimin sorriu internamente, erguendo as sobrancelhas para Hoseok o vendo soltá-lo e encarar Jeongguk pasmo.

Ei, calma, estou aqui. — disse baixo, acariciando o rosto assustado de Jeongguk, que rapidamente se acalmou ao som da voz e toque alheio. — Vou deixá-lo com suas amas para que termine de se banhar, estarei lá fora o esperando, sim? — agachou-se mais, deixando um leve selar na testa do pequeno príncipe.

As amas entraram logo que os três homens deixaram o cômodo, nenhuma delas poupando caras feias em direção a Jimin, esse que ignorou cada uma delas e se fixou no moreno a sua frente.

— Peço desculpas por isso, Alteza, mas eu realmente não poderia esperar mais para vê-lo. — curvou-se, segurando no fundo da garganta um grunhido pela dor que sentiu em seu peito. A ferida recém feita lhe doía como o inferno. — D-Droga!

— Ainda nem se recuperou e já está querendo fazer o que bem entender. — resmungou Hoseok, negando a tentativa do guarda de parecer duro. — É melhor ficar em algum quarto desse andar, Jeongguk pode precisar de você a qualquer minuto. — arrastou o Park pelo corredor, o colocando no quarto mais afastado possível. Jimin não deixou aquilo passar, muito menos Taehyung, que encarou o príncipe herdeiro com um bico nos lábios. — O que? — indagou confuso.

— Jimin deveria ficar o mais próximo de Jeongguk o possível, nunca se sabe quando ele precisará dele. — apontou para Jimin, que segurava o riso diante do quão mole um homem de pulso firme como Hoseok ficava na presença do ruivo. — Mais cedo ou mais tarde eles irão casar mesmo, por que toda essa proteção?

Dizer que Hoseok ficou mais vermelho que um tomate naquele momento, seria pouco, o príncipe praticamente engoliu Jimin com os olhos. Não imaginava Jeongguk como alguém que casaria e teria filhos, seu pequeno irmão era um ser delicado demais e visando Jimin seria quase impossível o guarda não o machucar... O que ele estava pensando?! Seu lírio jamais se casaria, e ainda mais com aquele guarda insolente e provocador! 

— Meu irmão não vai se casar com ele, nem por cima do meu cadáver! — rosnou, tendo um revirar de olhos de Jimin e um tapa no peito vindo do Kim. — Yah!

— Seja mais crescido, daqui a pouco vai proibir até mesmo o casamento de YoungJae. Ele você pega aos beijos com Jaebum e não diz nada, agora Jeongguk não pode ficar perto do guarda por quê? — cruzou os braços, encarando Hoseok com uma expressão questionadora no rosto bonito.

O mais velho resmungou, saindo em direção ao quarto em frente ao de Jeongguk e abrindo a porta.

— Espero que fique bem acomodado. — disse entre dentes, deixando Taehyung entrar primeiro e parou Jimin quando esse ia o segui-lo. — Se tentar algo com meu irmão, eu-

— Não tome pensamentos tão errados assim de mim, Alteza. Eu não sou esse tipo de homem, não o faria quando quase morri duas vezes para salvá-lo. — suspirou, tocando as faixas em seu ferimento. — Ele é importante demais para que eu estrague qualquer coisa, não prometo ser perfeito e nem que não o farei chorar, mas acredite quando digo que Jeongguk é tudo o que eu sempre procurei em alguém. Eu o amo, amo e isso me alegra e assusta.

Hoseok assistiu o guarda adentrar o quarto e ser recepcionado por Taehyung, estava atônito com a confissão do acinzentado... Ele dissera amar Jeongguk, com todas as letras e sem hesitar.

Hoseok só queria ter a mesma coragem, pensava, enquanto seus olhos encaravam o ruivo sorridente.

[]

Mark acabava de supervisionar a troca de curativos de Jackson, por mais que confiasse nos médicos e curandeiros do reino, tinha medo do que a ameaça dos rebeldes pudesse fazer com a cabeça deles.

Sorriu em agradecimento aos médicos, deixando-os sair dos aposentos reias para logo depois sentar ao lado de Jackson e afagar os cabelos deste.

— Hoseok me falou sobre YoungJae e o filho de JongDae. — Mark comentou, como quem não queria nada, prendendo um riso ao ver a face do outro transformar-se em uma carranca. — Não ouse dizer nada, éramos assim também, não lembra? — riu-se mais um pouco quando um tom vermelho pintou as bochechas alheias. Selou os lábios de Jackson, recebendo uma leve mordida no inferior para logo em seguida ter uma mão apertando sua cintura. — Jack...

— Eu estou fraco, mas você ainda aguenta muita coisa. — sussurrou sedutoramente no ouvido do loiro, arrancando-lhe uma risada baixa e cúmplice. — Você nunca me decepciona.

Então Jackson o beijou, aliviando todas as dores que seu corpo sentia naqueles dias turbulentos.

[]

A noite caíra tranquila no reino, nenhum ataque fora registrado e a calma permanecia em todas as ruas e casa de Dominus. No castelo não era diferente, por mais que Jackson estivesse acamado e Jeongguk não respondesse aos chamados de ninguém, estava tudo nos conformes.

Mark acabou por ele mesmo trocar os curativos do esposo, limpando bem a ferida e dando as poções que o médico real receitou.

— Acha que tem algo que Yixing possa fazer por Jeongguk? — Jackson indagou, erguendo-se levemente para que Mark passasse as faixas em torno de seu tronco e peito. Mark suspirou. — Eu sinto que Jeongguk está com tanto medo, que sequer consegue mais prestar atenção no que acontece ao seu redor. É como se ele tivesse procurado uma saída dentro dele mesmo, uma escapatória para o que iria acontecer.

— Ele passou por uma coisa tão terrível, acho que eu não aguentaria como ele aguentou. — disse ao terminar. — Ele me lembra você. — mordeu o lábio, tentando não deixar-se ser vencido pelas lágrimas. — Lembro que era tão magrinho e baixo, mas que não deixou isso te impedir de lutar a Guerra dis Reis e vencer.. Céus! Um verdadeiro guerreiro! — riu junto ao outro. — Pena que aquele dia fora uma perda tão grande para nosso círculo de amigos.

— Sim. — suspirou, deixando sua cabeça repousar no colo do loiro. — Ainda lembro de Jiho, ele foi um grande amigo. Eu sinto por não tê-lo salvo a tempo, eu sei que poderia, mas eu tinha um inimigo em minhas mãos.. Eu tentei, mas quando vi, ele já estava no chão e depois simplesmente sumiu!

Mark acarinhou os fios alheios, tentando passar tranquilidade à Jackson. Ente dia a agonia que o marido possuía ao falarem daquele tempo, de como tentou com todas as forças ajudar o amigo no campo de batalha e ter falhado miseravelmente.

— Está tudo bem, agora esqueça isso sim? Precisa se alimentar para recuperar as forças e comandar seu reino mais uma vez meu rei.

[]

O vento suave balançava as cortinas claras do quarto de Jeongguk, o pequeno sentia essa mesma brisa bagunçar seus cabelos enquanto tentava dormir. Sua cabeça repousava nos travesseiros macios enquanto sua mente vagava desenfreado buscando se estabilizar.

Não conseguia manter uma linha de raciocínio ou sequer comandar seu corpo corretamente, sua boca abria, mas parecia ter desaprendido a falar... Era frustrante para Jeongguk, que ao menos poderia declarar o medo que sentiu aquela noite, o quão ficou assustado com o que aconteceu e ainda mais quando vira Jimin ferido.

Jimin...

Queria vê-lo, tocar seu rosto e verificar que ele estava verdadeiramente bem. Precisava.

Indo contra tudo o que o afligia naquele momento, Jeongguk lenvantou-se de sua cama, passando a caminhar descalço pelo quarto mal iluminado e abrindo a porta.

Onde vai? — questionou Yoongi, vendo o pequeno ignorar — assim achou, sendo que não sabia das condições do mesmo. — Hum. — murmurou vendo a cabeça de Jeongguk virar de um lado ao outro, como se estivesse em dúvida para onde deveria ir. Riu internamente, puxando o menor pela mão e forçando a tranca da porta do quarto a frente do de Jeongguk. — Aqui está o que tanto procura, Alteza. — Yoongi disse baixo, ajudando Jeongguk a entrar e então fechou a porta.

Sorriu levemente, estava tudo ocorrendo como ele disse que iria.

Jeongguk tateou os móveis, estava perdido na escuridão daquele cômodo... Perdido até sentir braços se fechando ao seu redor, abriu a boca surpreso, porém um pequeno selo em sua testa o acalmou, assim como um vago vislumbre dos fios cinzas do guarda.

O que faz aqui, Princess? — murmurou, guiando o pequeno príncipe até a cama, acomodando-o deitado ali e logo abraçando o corpo pequeno e encolhido. — Eu tenho medo de que não volte mais ao seu normal, sinto falta de sua voz. — sussurrou, acariciando as bochechas descendo até deslizar o polegar pelo lábio inferior, vendo o olhos alheios fecharem-s diante a carícia aplicada alí. — Sinto falta dos seus emburros e do quão bonita sua voz se torna ao chamar por mim, eu sinto tanta falta. — beijou o queixo pequeno, logo grudando vagarosamente sua boca na de Jeongguk, provando mais uma vez dos lábios do mais novo.

O amava tanto céus... O amava como nunca, nem mesmo Jeon Seok se comparável ao que senti por Jeongguk, nenhum terço ou parcela.


Notas Finais


Algumas fics postadas recentemente (algumas não):

LINK DO TRAILER: https://youtu.be/v_gede3Vsj8

Divina Commedia, comédia romântica da virada dos anos 50/60. Link: https://spiritfanfics.com/historia/divina-commedia-9582424

Casamento nas terras altas, um romance de época bem bacana sabe. Link: https://spiritfanfics.com/historia/casamento-nas-terras-altas-8948749

Espero vocês lá :3

Agora ao capítulo... Gente, quem que é esse tal amigo Jiho do Jackson?! Suspeito né... Sei de nada :')
Jeongguk é o ser mais fofo desse mundo, pode falar, eu deixo *-*
Hoseok todo ciúmes pro lado dos irmãos kkkkkk melhor irmão maj velho eveeeeeer :')
Markson só nas lembranças e safadagem, Jackson nem parece que tá ferido hehehehe

Um beijão e obrigada por ler e até a próxima meus amorzinhos doces :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...