História The Prisoner - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Cross Gene, Got7
Personagens Jackson, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Shin Won-ho, Suga, V
Tags Kim Namjoon
Visualizações 39
Palavras 1.759
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Como prometido capítulo de The Prisoner!

Boa Leitura ♡

Capítulo 27 - Steve Tyler ou Shakespeare?


Fanfic / Fanfiction The Prisoner - Capítulo 27 - Steve Tyler ou Shakespeare?

No capítulo anterior...

- Oque você está fazendo aqui?

Shin - Nossa eu fiz de tudo para chegar perto de você e é assim que você me trata?

J- Não ligue para isso desde nova ela é assim... Difícil, e o incrível é que sempre está com o cãozinho de guarda, onde está ele agora huh? Ele já resolveu te contar a verdade?

...

...- E então oque vamos fazer? - perguntou ainda com os olhos fixos em S/N

- Você eu não sei, mas eu irei ligar para Namjoon e levá-la a um hospital.

...

- Vocês sabiam do descontrole dela?

J- Descontrole?

- Do que está falando?

- S/N sofre de descontrole emocional, como vejo que não sabiam e é algo que não se esconde por muito tempo, creio que seja recente.

...- Isso é culpa sua não é? Por culpa sua ela está assim não é?

...

- Estou pensando em libertar S/N... Tenho que achar uma maneira de manter a S/A por perto.

J- E eu sei exatamente oque você poderá fazer - me olhou com o seu sorriso mais diabólico.

Eu conhecia esse sorriso, e tinha certeza de que ele tinha um plano, o plano perfeito.

   Atualmente...

Nesse exato momento eu estava recostada no banco traseiro de um carro enquanto meus amigos - se é que posso considera-los assim - me levavam devolta para a prisão. Eu não poderia a chamar de casa, pois no fundo eu sabia mais do que ninguém que aquela não era minha casa, e aquele não era o meu lugar, depois que Jin entrou naquela sala e me contou sobre a minha suposta doença, só serviu para incentivar mais o meu pensamento de fazer algo a respeito disso, afinal porque raios eu continuava lá? Eu tive diversas chances de fugir e nunca o fiz, talvez pelo fato de que os olhos daquele homem me prendiam em uma dimensão infinita e viciante, mas agora eu estava certa de que não poderia existir um nós entre a gente, no fim das contas, ele mesmo disse isso certo?

Jm- S/N Como se sente? Desculpe por não ir te ver assim que tudo aconteceu - havia preocupação na voz do meu amigo, talvez por termos passado a maioria do tempo juntos desde que cheguei, ele se sentisse na obrigação de estar ao meu lado quando eu precisasse, mais mesmo assim continuou - eu só fiquei sabendo horas depois quando o Hyung voltou para casa.

- Não se preocupe Jiminnie o que importa é que estou bem agora - dei um sorriso fraco tentando diminuir a culpa que o mais velho sentia - E onde está o vagabundo do Taehyung? Aquele moribundo fofoqueiro nem se preocupou em mandar um bilhetinho dizendo "Perua espero que melhore"! - bati as mãos nas coxas e os dois riram - Estou falando sério! Ele sim é um péssimo exemplo de amigo.

J- Verdade, mas por agora você precisa descansar certo? - vi seu olhar sobre o retrovisor.

- Descansar? Eu estou com fome! - resmunguei de maneira infantil.

Jm- E quando você não está S/N?

- Isso não é verdade!

J- Claro que é - riu mais um pouco ainda com os olhos focados na estrada - Jimin quer me ajudar com isso?

Jm- Com prazer! - respondeu prontamente e eu sabia que viria coisas que iriam me incriminar - Para começar três dias depois que chegou, me lembro bem que fomos eu e o Hoseok te saldar com flores e você apenas disse "cara que fome" - tentou imitar minha voz.

- Ei, eu não falo assim! - disse prontamente emburrada

J- É claro que fala - me desmentiu continuando sua lista de acusações - E a três meses atrás quando a levamos para sair um pouco você ficou babando e xingando um garotinho pelo cachorro quente que ele estava comendo.

Jm - E ainda nos fez te pagar um - completou - E ainda tem a..

- Ainda tem mais? - perguntei irritada, eles estavam me fazendo sentir como se eu fosse uma morta de fome.

Jm - É claro que sim! Na campanha de negócios do Namjoon que você precisou ir e me arrastou junto - fiz uma careta ao ouvir o nome dele - E nem me olhe assim, você reclamou a noite toda que a comida era pouca demais e que aqueles petiscos não te encheram a barriga! S/N você é terrível.

J- Sim, sem contar que você passou a semana passada inteira com uma lista na mão sobre oque estava com vontade de comer e me fez cozinhar sem folga no fim de semana - revirou os olhos - nunca me senti tão cansado por fazer algo que eu gostasse.

- Vocês são ridículos - foi oque eu disse depois de tantos fatos

J- E você é uma espécime desconhecida, parece ter um saco sem fundos no estômago quando se trata de comida - Jimin concordou e antes que eu podesse dizer algo em minha defesa seu celular tocou - Alô? Sim sim está comigo, porque? - conversava sem tirar o foco enquanto o outro segurava o aparelho em seu ouvido, derrepente ele parou o carro com tudo e o ouvi resmungar baixinho - mas eu já estava no meio do caminho, certo, certo, tchau.

- Oque houve? - o tom de curiosidade era evidente em minha voz.

J- parece que você não irá comer conosco hoje. - dito isso ele deu a volta com o carro e começamos a ir na direção oposta de nosso destino, oque me fez pensar que estávamos indo ao encontro dele, o cara que eu faria o possível para me ver longe e para que me concedesse a minha "liberdade"...

~ Quebra de tempo ~

Quando chegamos percebi ser uma cafeteria, um restaurante, talvez até uma mistura dos dois, mas pouco estava me importando com isso, o fato era que eu certamente teria que entrar lá e o miserável do Jin me deixou aqui sem nem me dizer oque fazer! Aish patife. - resmunguei enquanto entrava no ambiente, tinha um número considerável de pessoas conversando e tomando cafés ou até mesmo espécies diferentes deles, algumas até estavam comendo o que fez minha barriga roncar de imediato, rolei meus olhos por todas as mesas até achar quem eu queria e bingo! Eu achei, fui caminhando em sua direção decidida e disposta a seguir com meu plano.

Nj- Achei que não viria - comentou quando eu estava perto o suficiente, cínico ele sabia que eu não teria outra escolha - Não vai se sentar?

- Na verdade, eu estava com saudades - me aproximei e sentei em seu colo ignorando sua expressão confusa - creio que tenha sentido o mesmo - com meu sorriso mais falso encostei nossos lábios em um selar demorado que foi se aprofundando aos poucos, nossas línguas se movendo em completa sintonia, por um momento até esqueci sobre o meu objetivo, mas lembrando-me depressa levei as mãos até seu pescoço ainda sem nos separar por completo e só fui me afastando aos poucos, lembrando que eu continuaria com tudo sem me afetar, por fim optei por sorrir.

Nj- A maldade está em seu beijo - disse enquanto eu me ajustava em uma das cadeiras ao seu lado.

- Shakespeare? - perguntei não fazendo nenhuma idéia de onde saiu essa frase.

Nj- Está maluca princesa? - princesa, rapidamente isso ascendeu algo em mim bem no fundo, que me fazia sentir como sê podesse realmente ser como antes, afastei isso de mim - Isso não tem nada a ver com Shakespeare.

- Não? Eu achei que Shakespeare era o homem que escrevia coisas bonitas e emocionantes que no final ficaria marcado na alma de pessoas sensíveis como Romeu e Julieta - fiz uma pequena pausa - no final era só mais uma das milhares de frases que nos tocavam e fazia as pessoas abrirem os olhos e enxergarem como a sua vida é uma merda - suspirei um pouco cansada - Não que eu ache isso ruim ou coisa do tipo mas as vezes me pergunto se é só ficção ou tem algo a ver com a realidade, Shakespeare tinha um pouco dos dois talvez, mas não o conheço e muito menos o seu trabalho, acredito que sou suspeita de falar algo sobre ele.

- Hilária! - uma risada ecoou atrás de mim dirigi meu olhar para o dono e revirei os olhos por ver de quem se tratava - gata você é incrível! Tem certeza de que não posso ficar com ela?

Nj- Já disse que não Jackson, se contente com o número da garçonete sorridente de mais cedo e pare de secar a S/N - jogou quando o Outro se sentou sem deixar de estampar o sorriso, que tinha que admitir era lindo.

J- Desculpe, mas me diga, de onde surgiu essa sua comparação sobre Shakespeare?- me olhou

- Só foi um resumo do que conheço por fora, não significa que eu esteja certa - dei de ombros

J- Ela é realmente inacreditável - ele soltou uma risada gostosa de se ouvir - e o mais incrível é que ela confundiu Steve Tyler com Shakespeare - riu mais uma vez.

- Steve Tyler? - Não fazia idéia de quem se tratava

Nj- É você sabe - Pronunciou-se - O cantor do Aerosmith, ele é o verdadeiro autor da frase - sorrio sugestivo e eu apenas me recostei mais na cadeira

- Ah fala sério, eu nem me importo com isso - segurei o cardápio a minha frente - quero só saber porque me fez desperdiçar uma maravilhosa refeição do chefe Jin para vir aqui olhar comidas do tipo "salada ao molho" ou "salada com óleo de maçã e bife mal passado" - repeti o que dizia o cardápio e revirei os olhos mais uma vez, agora por causa do preço absurdo por uma coisa tão simples - Eu posso comer isso sem nem ao menos sair de casa, e de. Graça.

J- Na verdade delícia, o meu amigo aqui tem uma proposta para você - exibiu seu sorriso elegante e eu me perguntei porque diabos eu ainda não tinha casado com esse homem, mas instantes depois me lembrei, ele era um babaca.

Nj- Mais antes de que eu prossiga com tudo, quero lhe dar isso - colocou uma caixa sobre a mesa empurrando para que chegasse até a mim - tem tudo oque você irá precisar e se você se comportar sem fazer algo que me prejudique poderá sem problemas ficar com ele.

Abri a caixa e ergui o olhar novamente para eles - feito!

Observei os dois trocarem olhares cúmplices e por um tempo algo me pareceu estranho, mas eu sabia de uma coisa. Eles estavam aprontando alguma...


Notas Finais


Gostaram? Infelizmente essa estória está chegando ao fim, mas fico feliz em pensar que poderia fazer uma segunda temporada.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...