História The Psychopathy Syndrome ¥HIATUS¥ - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bromance, Os Opostos Se Atraem, Psicopatia, Taegi
Visualizações 75
Palavras 984
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Poesias, Romance e Novela, Slash, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


🌈Quinze dias depois, como o prometido.🌈

🌸!Aproveite!🌸

Capítulo 12 - Hug-me!


Yoongi sentiu seu corpo ficar ereto ao automático, no tempo em que o corpo do maior se juntou ao seu em um suposto ato de carinho.

Ah, oque é mesmo essa coisa? A quanto tempo o platinado não recebera isso? Sete, oito anos? É, por entre esses tantos anos mesmo.

Sentiu algo estranho; uma sensação de preenchimento no peito, uma vontade imensa de sorrir e outra maior ainda de chorar.

Isso tudo veio junto do abraço apertado recebido do acastanhado com cara de idiota e sorriso bonito? Oh céus, ele é algum tipo de anjo ou algo assim?

— Por que está.. Me abraçando? – A pergunta veio, ao tempo em que algo dentro do platinado gritava; mandando-o abraçar o outro de volta.

E assim ele o fez.

Envolveu então; seus braços em volta do corpo alheio, segurando na grande camisa do outro e sentindo o aperto do abraço aumentar.

Min Yoongi então sorriu, relaxando seu corpo; e se aconchegando, por fim, na quentura acolhedora que é o abraço de Kim Taehyung.

|×|Quebra de tempo|×|

Não sabiam quanto tempo ficaram naquela mesma posição, naquele mesmo abraço; Só notaram que ainda estavam unidos, quando um som alto ecoou por toda a sala.

Yoongi fora o primeiro a se afastar, se contendo para não ir ao encontro do abraço novamente, só para sentir o carinho calmo que era realizado em suas madeixas claras, e sentir também o cheiro enebriante do perfume que expelia do acastanhado.

Ah, Yoongi nem ligara mais para esses seus pensamentos; sabia que estavam certos.

Ele realmente desejara voltar ao abraço.

O platinado viu o maior se remexer sorrindo um tanto quanto abobalhado, pegando seu próprio celular, assim logo o atendendo.

— Oh, olá Hobi-Hyung! Estou muito bem sim, mas e você? – O acastanhado ditara para o tal "Hobi-Hyung" com felicidade na voz.

Taehyung ouvira um bufar alto vindo de sua frente e sorriu abertamente, esquecendo completamente do amigo no lado da chamada do celular ao observar a figura de um Yoongi com os braços cruzados e com os olhos quase que viajando para a órbita da lua, de tanto serem revirados pelo mesmo.

Taehyung-Ah? TaeTae?! Você ainda está aí, Taehyungiiee?! – Os dois garotos puderam ouvir, á medida que o outro na chamada ia aumentando seu tom de voz.

— Eu te ligo depois, Hoseok..! – Taehyung, ainda sorridente, finalizou a chamada sem ouvir o que o outro iria responder.

Hoseok.

Yoongi iria se lembrar desse nome.

Taehyung ainda sorria enquanto não retirara seu olhar do rosto aparentemente irritado de Yoongi, esse que, inconscientemente também lhe encarava o rosto.

— Então hyung, obrigado por não ter me matado ao receber o abraço…

E lá veio o sorriso.

Ah, fala sério. O que Yoongi é? Estara se sentindo como uma adolescente de alguma série qualquer. Só faltara suspirar e dizer "Aquele maldito sorriso" antes de surtar e começar a gravar fitas.

— Eu estou pensando seriamente se volto ou não no tempo, só para te matar.

— Ou talvez para sentir mais do meu abraço, oque acha?

Quanta audácia…

Como ele ousa rebater com o Min?

O platinado se levantou do tapete rapidamente, bufando logo em seguida ao notar o olhar de Taehyung queimar sobre si.

Ele rebateria seu olhar com palavras, mas ao se virar para o maior ainda sentado, ele sorriu de forma diabólica.

O acastanhado estava encarando sua clavícula de pele alva, essa que estava exposta, por culpa do roupão mal vestido que cobrira –nem tanto– seu corpo.

— Você está me secando outra vez, Kim Taehyung. – Falou com um tom de deboche, tentando não rir da careta de vergonha que o maior fizera ao o ouvir.

— Quem?! Eu não estava lhe secando!

Um silêncio se fez presente na sala, e o platinado encarou a face do garoto no chão.

Yoongi notou algo de estranho, e então lhe caiu a ficha.

O olhar de Taehyung se tornara afiado.

Assim como da última vez…

— Mas eu bem que queria estar lhe secando de verdade… Só que para isso você deve se molhar. – Um sorriso nada casto se fez presente nos finos lábios do acastanhado, o que, de certa forma, assustou Yoongi. – Você quer que eu lhe deixe molhado, Hyung?

Que porra…

Em uma velocidade quase amedrontadora, o maior já se encontrara de pé, pronto para se aproximar do platinado.

Min Yoongi já estara ficando irritado, como o outro poderia ditar tais palavras repletas de duplos sentidos, ainda mais para si?!

Isso sim é pedir para conhecer a morte mais cedo que o recomendado.

A cada passo lento que o acastanhado dava, Yoongi respirava mais fundo; tentando manter a calma –e seu roupão– no corpo.

Em um ato muito bem pensado, Taehyung esticara seu braço em direção ao menor, prestes a tocar-lhe o ombro; e Yoongi o segurara com agilidade, recuando do quase toque.

E então Taehyung sorriu.

Um puta sorriso convencido e cafajeste.

— Por que está sorrindo, seu idi-

Uma outra mão fora sentida no braço de Yoongi, o virando e fazendo o mesmo sofrer um choque com o peito alheio.

— Eu também sei observar as pessoas, e você estava com a guarda muito baixa, Min Yoongi.

O citado estara com o corpo estático, tentando processar todo o ocorrido em sua mente.

Uma risada rouca fora ouvida por Yoongi, ao tempo que sentia braços fortes envolvendo sua cintura num abraço mais que apertado, em uma quase possessão.

Não pôde nem pensar em retribuir o abraço, pois sentiu todo seu corpo estremecer ao ouvir uma respiração quente em seu ouvido.

— Agora eu vou para o meu apartamento, Hyung. Vejo você mais tarde, quando eu não estiver mais duro. – Foi oque o maior sussurrou no ouvido alheio, antes de passar sua língua pelo lóbulo da orelha de Min, e se retirar do apartamento silencioso com um sorriso vencedor no rosto.

 Puta merda…O que esse desgraçado…

As mãos pálidas –e agora trêmulas– de Yoongi foram postas em sua cabeça, puxando os fios claros com força.

Soltou um longo suspiro, antes de correr até a porta e trancar a mesma de imediato.

Por fim, se jogou no chão em frente a porta e se arrastou até o sofá da sala, ficando apenas por lá mesmo.


Notas Finais


🌈Confesso que odiei esse capítulo, pelo simples fato dele ter sido feito em um momento onde eu estava sem um pingo de criatividade.🌈

🌈Comente sua opinião sobre o capítulo, obrigada; de nada.🌈

Kissus~🌸


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...