História The Purge: Nightmare (Interativa) - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Uma Noite de Crime (The Purge)
Personagens Personagens Originais
Tags The Purge, Uma Noite De Crime
Exibições 62
Palavras 1.790
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Esse é o primeiro capítulo da fic, espero que gostem
Alguns personagens não apareceram nesse capítulo ou não revelaram muito da sua personalidade
Mas logo revelarão ao decorrer da história
Espero que gostem

Capítulo 2 - Aclamada noite


Fanfic / Fanfiction The Purge: Nightmare (Interativa) - Capítulo 2 - Aclamada noite

A partir de 2022, foi criada uma noite. Onde todos podemos despertar, quem por dentro, nós realmente somos. Liberar toda a nossa raiva e nossa ira. Uma noite onde todos os tipos de crimes perversos são permitidos, com isso, a taxa de criminalidade e de assassinatos diminuiu. Apesar da ideia do expurgo parecer tão perfeita, pessoas inocentes vêm sido assassinadas conforme os anos, pessoas ricas e poderosas constroem sua própria fortaleza para se protegerem durante o expurgo, apesar de eles serem os mais caçados. 

O expurgo de 2024 é essa noite. Todos tivemos um ano para reconstruir nossa vida de novo, mas ela pode ser completamente destruída em uma só noite.

Danniel e Mikaela se beijavam loucamente na cama, Danniel pouco a pouco tirou a blusa de Mikaela, chupando-a toda 

- Vamos fazer como se fosse a última vez - sussurrou ele

- Credo, tantos garotos e minha última vez tem que ser com você - disparou Mikaela irritando Danniel que parou e se afastou dela

- Então é isso que eu sou para você, Mikaela, uma distração?! - exclamou ele

Ela se levantou e o puxou de volta para a cama, montando em cima dele e sussurrando em seu ouvido

- Uma bela distração - ele segurou em seus longos cabelos morenos e sentiu o gosto do seu beijo, um gosto doce e com uma pitada de aventura, Danniel gostava dela e pensar que perdê-la nessa noite o preocupava - O que foi? - perguntou Mikaela ao perceber que Danniel estava incomodado

- Onde você vai passar essa noite?Deveria ir para a casa da Daphne. 

- Danniel, eu sei me cuidar, além disso, tenho outros planos para essa noite

- Que tipo de planos? 

- Você irá descobrir

Danniel não queria admitir, mas Mikaela era forte, ela nunca precisou de ninguém para protegê-la, pelo menos sobreviveu a dois expurgos, sabe se lá como. Apesar de amá-la, Danniel a achava cada vez mais misteriosa, atrás de seus sorriso doce poderia haver segredos obscuros e amargos.

-

Daphne e Joanne estavam sentadas na entrada da escola conversando, Daphne usava uma jaqueta vermelha acompanhada de uma blusa branca e de uma saia preta, Joanne estava com uma calça jeans e uma blusa roxa. 

- Ele chegou - disse Joanne observando Peter saindo do carro, Peter era muito pálido e os seus olhos azuis sob a luz do sol, refletiam como dois pequenos diamantes, ele se aproximou delas com um sorriso bobo olhando para Daphne e em seguida para Joanne

- Hora de ir, mocinha - disse ele

- Vou entrando no carro para deixar os dois pombinhos a sós. - disse ela pegando sua mochila e entrando no carro

- Oi - disse Daphne sorrindo e dando um abraço nele

- Oi 

- Você não quer mesmo ir lá para casa nessa noite? Peter, não é questão de orgulho, é questão de segurança, você pode levar suas irmãs também. - disse Daphne, indo direto ao ponto

- Daphne, eu não quero incomodar e eu reforcei a segurança do nosso prédio - explicou Peter

- Vocês nunca serão um incomodo 

- Vai ficar tudo bem, okay?Eu amo você - disse ele a abraçando novamente

- Eu também amo você, Peter e eu não quero te perder nessa noite 

- E você não vai - respondeu ele imediatamente tirando-a lentamente de seus braços musculosos e entrando no carro, Daphne o observou ir embora e uma pequena lágrima escorreu em sua face

Luke se aproximou de Daphne e percebeu seus olhos lagrimejando e seu rosto tão claro com tons avermelhados, como se quisesse chorar, mas ao mesmo tempo quisesse permanecer forte e positiva, mesmo nem sempre conseguindo

- Está tudo bem? Bom, essa é uma pergunta bem ridícula nesse momento... - disse ele um pouco envergonhado 

-  Eu tenho medo de que todas as pessoas que eu amo morram nessa maldita noite -  murmurou ela se desmanchando em pranto e chorando no ombro de Luke

Luke se lembrou de sua família e todos que perdeu durante um expurgo, lembrou da dor e do grande desejo de vingança que ainda sente lá no fundo, da culpa de não ter conseguido salvá-los, ele se sentia um inútil, foi aí que decidiu não ser mais um inútil. Luke mudou, se tornou mais frio e seco com o passar do tempo, mas ao mesmo tempo mais forte, decidiu que iria fazer todas as pessoas que brincam com a vida das outras pagarem nessa noite, por todos os inocentes que já morreram nessa "aclamada" noite, Luke resolveu lutar.

- Eu não vou deixar que mais ninguém machuque quem eu amo - disse ele - Já estou cansado de ver pessoas brincando com a vida umas das outras

19:00

A cidade toda foi tomada por sinos que anunciavam o início do expurgo, o início da aclamada noite, pela qual algumas pessoas temiam e outras aguardavam acabara de começar.

Daphne, Luke e seus pais estavam na mansão Lancaster, completamente reforçada de armadilhas e com um portão de ferro quase indestrutível. Daphne parecia aflita, ela apertou a mão de Luke e juntos eles olhavam as câmeras que filmavam o movimentos das ruas completamente vazio

-

Peter trancou todas as aberturas possíveis de seu prédio e ficou abraçado com suas irmãs, a mais nova, Sally tremia e chorava

- Calma, não vai acontecer nada - ele a abraçou forte e tentou acalmá-la

-

Danniel se atrasou completamente na hora de voltar para casa, ele estava correndo antes que as pessoas começassem a sair para matar nas ruas, a casa dos seus avós era muito longe, Danniel temeu de não conseguir chegar a tempo, até que uma salvação apareceu, Carly também perdeu a hora na faculdade e estava indo mais depressa o possível para a pequena fortaleza que havia construído, até que Danniel atravessou o seu caminho, cansado e quase sem ar

- Por favor,  poderia me dar uma carona? - perguntou ele pondo a cabeça na janela do carro

- Como vou saber que você não quer me matar? - perguntou ela

- Essa é a maior dúvida que temos nessa noite ao encontrarmos alguém. Eu também não sei se você não quer me matar - disse ele de forma irônica dando um sorrisinho, mas Carly parecia sem humor ,apesar de desconfiar daquele garoto, Carly não queria deixá-lo para morrer - Por favor

- Entra logo! - exclamou ela mostrando ignorância

Danniel a encarava, mas ela estava tão concentrada na rua que não parecia nem perceber, ela parecia completamente mal humorada e ao mesmo tempo fria, No fundo, Danniel tinha medo dela ser uma algum tipo de assassina, ou de está planejando matar alguém naquela noite, mas era a única esperança que Danniel tinha de chegar a tempo em casa. 

- Meu nome é Danniel - disse ele, abrindo um pacote de salgadinhos

- Não lembro de ter perguntado - Danniel se calou e olhou para a frente - O meu é Carly 

- Prazer

- Você vai acabar sujando o banco com esses seus salgadinhos! 

- Desculpa, eu estou morrendo de fome, quer um? - ele aproximou o pacote de salgados para o lado dela, ela o olhou e delicadamente pegou um dos salgados e comeu, ao virar de volta para frente, uma mulher com um vestido de noiva completamente ensanguentado, meias sexys e uma máscara de coelho estava parada na rua.

- CUIDADO! - gritou Danniel

Carly teve um susto e sem pensar, ela desviou o carro da pista batendo-o em um poste.

-

Pessoas com máscaras assustadoras e com armas invadiram o prédio de Peter e logo chegaram em sua porta, Peter ouviu o barulho de passos e suas irmãs ficaram ainda mais assustadas

- Calma, eu vou olhar o que está acontecendo, fiquem aqui - disse ele, levantando-se e indo observar na abertura da sua porta

O corredor estava vazio, a iluminação vinha de um pequeno lustre no centro do andar, as paredes tinham um tom laranjado, tudo parecia calmo até uma máscara se por em frente a visão de Peter, Peter resmungou e sua face foi tomada com uma expressão de horror como se quisesse gritar, ele afastou o sofá para frente da porta, em seguida um pequeno cômodo, correu rapidamente em direção a suas irmãs e as ajudou a levantar do colchão onde estavam deitadas, elas a seguiram

Peter escondeu Sally dentro de um armário 

- Irmão, o que está acontecendo? - perguntou ela aterrorizada

- Calma, você precisa ficar aqui agora - sussurrou ele fechando o armário

- Quem está lá fora? - perguntou Joanne, Peter parecia nervoso demais para responder - Quem está lá fora, Peter?! - Joanne parecia alterada

-  Eu não sei, mas eles tem armas - sua voz foi tomada por barulhos estrondosos de batidas, estavam tentando arrombar a porta, Joanne queria gritar, mas tampou sua própria boca - Você precisa se esconder agora

- E quanto a você, Peter? 

- Eu vou proteger vocês, não vou deixar que nada de mal aconteça - Joanne se escondeu atrás do balcão da cozinha, Peter correu até seu quarto, começou a revirar na sua gaveta, suas mãos estavam trêmulas, mal conseguindo segurar os seus objetos, até encontrar uma arma no fundo de todas as suas roupas

Peter verificou se estava recarregada e lentamente voltou para a cozinha, ouviu o golpe fatal de móveis caindo, Peter temia que tivessem conseguido invadir, mas ele se agachou observando se alguém estava se aproximando, deu um forte suspiro tentando aliviar o seu medo. Mas ele só piorou ao ouvir passos que ecoavam no chão de mármore até que o barulho parou e uma voz amedrontadora soou

- Não adianta se esconderem por muito tempo, nós encontraremos vocês

Peter poderia está prestes a cometer o pior erro da sua vida, além disso ele iria arriscar a sua vida, mas era a única opção que ele tinha. Peter se levantou e olhou na direção de onde a voz parecia vir, um homem alto e de longos cabelos negros estava virado, sem pensar, Peter atirou nele, o sangue jorrou e em pouco tempo o homem caiu morto no chão da sala de Peter, tudo parecia calmo, até ouvir o grito de Sally

- SOCORRO, PETER!! - Peter correu em direção à sala, quando viu, pessoas com roupas negras e máscaras estavam em sua sala com suas irmãs totalmente desesperadas, amarradas e com fitas tampando as suas bocas

- Por favor, soltem elas! - exclamou Peter apontando a arma para eles

- Oh, que jovem mais tolo, você acha que pode nos matar? - perguntou uma das mulheres, em seguida atirando em Peter que em seguida caiu no chão

Suas irmãs queriam gritar, queriam fugir, mas ninguém podia salvá-las agora, nem mesmo Peter.


Notas Finais


Espero que tenham gostado, comentem se puderem, amarei saber a opinião de vocês <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...