História The Queen - Interativa - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Seleção
Tags A Seleção, Interativa, The Queen
Exibições 32
Palavras 1.871
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Capítulo I - Prólogo


Fanfic / Fanfiction The Queen - Interativa - Capítulo 2 - Capítulo I - Prólogo

 

Maven soltou um suspiro incomodado e se remexeu na cadeira enquanto estava em um dos seus últimos jantares com apenas sua família. Amber, sua irmã mais nova, revirava os olhos azuis com descaso. Amber havia puxado a rainha Emma, seus cabelos loiros e as orbes azuis penetrantes. Já Maven, tinha cabelos pretos e olhos castanhos as feições de seu pai eram claras. 

-Amber, o que lhe disse sobre revirar os olhos? - A rainha Emma franziu as sobrancelhas. - Amber, se não tivesse lhe prometido antes que nascesse, certamente nenhum homem se inscreveria para uma seleção onde algum deles teria de casar com uma garota que se quer age como moça. 

Maven se manteve calado, já acostumado com as broncas por parte de sua mãe com ambos. Nenhum dos dois se importava mais, mas era claro que quando mais novos, aquilo surtiu muitos efeitos negativos. Ambos amavam sua mãe, mas as atitudes dela geravam uma grande mágoa com ela. Seu pai estava viajando, era mais paciente do que Emma, mas Maven sabia que sua mãe, mesmo da forma errada, prezava pelos dois.

-Me desculpe. - Amber disse sem vontade, a mãe apenas confirmou com a cabeça. 

-Maven, meu querido, os dias da sua seleção se aproximam. - A rainha falou não em tom de aviso, mas para saber o que o filho achava sobre isso. 

-Eu sei, espero realmente encontrar alguma garota legal, visto que a maioria das garotas que conheci, eram parentes ou já haviam sido negociadas. 

Sua mãe o advertiu com o olhar mas logo tomou uma pose mais relaxada perante a situação.

-Vou lhe dar um conselho, Maven.- Disse ríspida - Escolha alguma garota de três para cima. Uma quatro, dependendo do assunto, posso até pensar sobre. A garota deveria ser muito impressionante. Mas não deixe sequer em aberto casar-se com uma cinco. 

Maven queria dizer-lhe que escolheria não pela sua casta ou dinheiro e que a garota que lhe conquistasse um dia deveria ser especial, mas isso não seria ouvido por sua mãe. Ao máximo, lhe deixaria com um pior humor, sua mãe de mal humor, era o mesmo que um dragão de vestido andando por aí. 

-Mamãe, que casta era quando o papai lhe escolheu? - Maven perguntou, tentando soar o menos ríspido possível. 

-Dois. Mas ainda me lembro que ele quase ficou com uma cinco, a garota traiu ele com um guarda. - Ela abriu um sorriso deverasmente maldoso. Maven ficou com uma impressão, talvez errônea, que essa cinco poderia ter sido inocente. 

Em sua cabeça, Maven mandou a si mesmo que calasse sua própria boca. Seu olhar foi para o piso de mármore branco em seus pés, onde havia uma pequena mancha. Subiu olhar pelas paredes repletas de quadros se membros e ex membros da família real, inclusive uma pintura sua de quando tinha doze anos, montado em um cavalo. Amber deu a última colherada no pudim, em seguida, se levantou sem pressa. 

-Vou para a biblioteca. - Ela se retirou da mesa, sem protestos por parte de sua mãe.

-Eu vou me retirar também. - O príncipe disse sem esperar uma resposta. 

Assim que saiu da sala de jantar, com os passos ecoando no mármore branco impecável de limpo. O príncipe, sem pressa, caminhou para o jardim. A visão familiar do extenso terreno gramado, com algumas árvores frutíferas, uma estufa ao longe, e uma fonte no meio do jardim em uma trilha de paralelepípedos. Alguns arbustos de rosas lírios e outras flores a qual já havia esquecido o nome, desabrochavam com a vinda da primavera. 

Maven sentou-se em um balanço que ficava em um carvalho, na qual lembrava de empurrar Amber quando os dois eram jovens.

Agora, Amber tinha 16 anos, Maven tinha 19 e em breve escolheria uma rainha para logo mais Herdar o trono. Maven não reparou a entrada de alguém no jardim, até que viu Amber em sua frente. Os olhos azuis fitavam Maven, seus lábios que tinham tons rosados, de própia nascença estavam curvados em um sorriso. O vestido esmeralda que usava, era um dos preferidos da garota. Maven abriu um sorriso, como se entendesse o que ela queria dizer. 

-Pensei que estivesse na biblioteca. 

Amber apenas observou o mesmo com um sorriso, era óbvio que estava pensativo, seus olhos diziam isso na língua de irmãos que aprenderam a falar. 

-Pensando na seleção? - Ela perguntou, sentando-se em seguida em seu lado, o balanço de dois lugares não ficou muito apertado. 

-Você sabe que sim. - Maven disse, em seguida ouviu a risada fraca e disse de Amber. Os dois sabiam tudo, ou quase, sobre o outro. 

-Não se preocupe muito com isso Mave, vai achar a garota certa quando ela aparecer. - Ela riu em seguida - E se não achar, a seleção pode durar o quanto quiser, de qualquer forma. 

Maven abriu um pequeno sorriso com o bom humor da irmã, havia puxado sua mãe apenas na aparência delicada, sua personalidade era tão doce quantos seus olhos alegres. Não que não gostasse de sua mãe, mas de doce ela tinha apenas aparência. 

-Ah, não ouça a mamãe, fique com alguém que você goste. - Ela se levantou e em seguida sussurrou em seu ouvido. - Mamãe às vezes age como uma tonta.

Os dois riram e em seguida, Maven observou Amber sair do jardim rumo ao castelo. Maven ficou sozinho em seus pensamentos, ainda havia muito por vir. 

Quatro dias depois 

O país inteiro estaria assistindo o jornal nacional, era comum a todos em illéa, até mesmo os oito davam um jeito de assistir, principalmente, faltando apenas uma semana para o sorteio da Seleção do príncipe Maven. Agora, teria uma entrevista especial com a família real, e o que eles - Especialmente o futuro noivo - achavam sobre isso. 

O hino nacional então tocou dando a abertura ao programa. A família real incompleta, com a ausência do rei Julian surgiu na tela das televisões. A rainha Emma estava em um trono, com os cabelos presos em um coque, os olhos azuis doces e uma aparência incontestável para sua idade. Ao seu lado direito, em um trono menor, estava a princesa Amber. Era delicada como um floco de neve, seus lábios mantinham um sorriso doce e amigável. Trajava um vestido verde jade, que chamava a atenção para si. O príncipe, estava de pé, do outro lado da mãe, vestindo um terno fino. 

Maven parecia sereno, mas olhando bem, poderia perceber que estava ansioso, ou talvez aflito. Seu cabelo preto, estava levemente bagunçado, mas esse era o propósito do penteado. 

Um anúncio sobre um ataque na nova Ásia foi dito, não que alguém se importasse naquele momento. A guerra era algo sério, mas todos queriam se distrair, informações sobre a seleção seria uma boa forma. Muitos anúncios sobre ataques rebeldes e construções de novas estradas foram ditos, era óbvio que isso não era o foco dos que estavam assistindo. 

Por fim, foi a vez do mestre de cerimônias que subiu ao palanque.

-Boa noite, senhoras e senhores de Illéa. Como sabem, enviamos pelo correio os formulários para a seleção. Acabo de receber o primeiro lote de inscrições e tenho o prazer de dizer que milhares de illeanas já deixaram seus nomes nas urnas para a seleção! 

Ao fundo o príncipe murmurou algo para a mãe, estaria nervoso? 

-Em nome da família real, gostaria de agradecer-lhes por seu entusiasmo e patriotismo. Com um pouco de sorte, comemoraremos o ano novo junto com o noivado do nosso amado príncipe Maven com uma talentosa e adorável filha de Illéa! 

Os conselheiros ali sentados, aplaudiram e o príncipe abriu um sorriso. Logo, o mestre de cerimônias prosseguiu.

-É claro que teremos muitas horas de programação televisiva para conhecer as jovens da seleção, incluindo especiais sobre a vida no palácio. Não podemos esperar ninguém melhor que o nosso Gavril Fadaye para nos guiar diante desses dias tão emocionantes!

Havia mais de vinte anos que Gavril era quem comentava os grandes eventos e entrevistava pessoas importantes como a família real. Sempre que havia ago importante, a única certeza era que Gavril Fadaye estaria presente lá. A maior pare da população adorava   humor de Gavril. E ali estava ele, entrando com seu terno azul engomado. Ele deveria ter cinquenta anos, mas continuava afiado. Conforme caminhava pelo palco, a luz refletia no broche da lapela, produzindo um brilho dourado como notas fortes de  um piano.

-Booooa noiteee Illéa! Quero dizer que é uma grande honra participar da seleção. Que sorte a minha, vou conhecer quinze belas mulheres! Qualquer idiota gostaria de ter meu emprego! - disse, piscando para a câmera. - Mas antes de conhecer essas adoráveis damas, lembrando que uma delas será nossa nova princesa, tenho o prazer de conversar o homem do momento, príncipe Maven.

Após essa deixa, o príncipe caminhou pelo palco acarpetado até duas cadeiras preparadas para ele e para Gavril. Maven esticou a gravata e ajeitou o terno, como se precisasse ficar ainda mais arrumado. Ele apertou a mão de Gavril, sentou-se e pegou um microfone. A cadeira era alta o suficiente para que ele apoiasse os pés na barra entre suas pernas. Maven parecia muito ais informal assim.

-É um prazer revê-lo alteza.

-Obrigado, Gavril. O prazer é todo meu.

A voz de Maven tinha um tom de formalismo, como esperado de alguém tão importante como o herdeiro do trono de Illéa.

-Em uma semana, quinze mulheres vão passar a morar e viver na sua casa, como se sente?

-Honestamente, vai ser um pouco estressante. Imagino que haja muito mais barulho em casa com essas convidadas. Mas, mesmo assim, estou ansioso para que esse dia chegue.

-O senhor perguntou ao seu majestoso pai, não aqui presente, como conseguiu uma esposa tão maravlhosa?

Tanto Maven quanto Gavril lançaram o olhar para a rainha,  câmera focou na rainha que abriu um sorriso doce, que Amber e Maven tinham certeza que era falso. Amber se segurou para não revirar os olhos e levar uma bronca de sua mãe em casa mais tarde.

-Na verdade, não, como todos já sabem a situação na Nova Ásia é cada vez mais preocupante. Quando nos falamos, antes de sua viajem, e até mesmo durante, nossas conversas são restritas a assuntos políticos. Não temos muito tempo para falar de mulheres.

-Nosso tempo está acabando. Gostaria de lhe fazer uma última pergunta. Como seria a mulher perfeita pra você?

-Sinceramente, não faço ideia alguma. Acho que a graça da seleção, seria conhecer tantas convidadas com aparências e personalidades tão diferentes, para assim acaba descobrindo o que eu quero. - Ele disse sorrindo, agora parecia mais confiante, como se estivesse falando  que realmente sentia.

-Obrigado alteza. Ótima resposta. Julgo em falar por todos em Illéa ao lhe desejar a melhor das sortes.

Gavril estendeu a mão para outro comprimento.

-Obrigado. - O príncipe agradeceu.

A câmera demorou um pouco para cortar as imagens, Maven olhou para a mãe tentando confirmar se havia dito as coisas certas. a tomada seguinte era de um cose no rosto de Gavril, de modo que a resposta de sua mãe não pudesse ser vista. 

-Receio que tenhamos chegado ao fim da transmissão de hoje. Obrigado por assistir ao Jornal Oficial de Illéa, até semana que vem


Notas Finais


Meninas, faltam apenas quatro vagas, espero que provideciem logo, mas sem pressa. Logo menos a história começa de verdade, esse é apenas o prólogo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...