História The Rainbow - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Shingeki no Kyojin (Attack on Titan)
Personagens Annie Leonhardt, Armin Arlert, Bertolt Hoover, Connie Springer, Dot Pixis, Eld Jinn, Eren Jaeger, Erwin Smith, Farlan Church, Grisha Yeager, Gunther Schultz, Hange Zoë, Hannes, Historia Reiss, Isabel Magnolia, Jean Kirschtein, Levi Ackerman "Rivaille", Marco Bott, Mikasa Ackerman, Mike Zacharius, Nanaba, Nifa, Oluo Bozado, Personagens Originais, Petra Ral, Reiner Braun, Rico Brzenska, Sasha Braus, Ymir
Tags Eren Jeager, Levi Ackerman, Shingeki No Kyojin, Yaoi
Visualizações 37
Palavras 1.067
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 10 - Importante


Meus amores,

Vim avisar sobre uma coisa muito séria.

Recordam sobre as ‘N’ coisas que aconteceram e me fizeram atrasar a postagem do capítulo passado? Pois é, senta que lá vem o relato do que me aconteceu e do qual ainda estou a recuperar-me.

Minha sogra e cunhada estavam de viagem em visita ao meu cunhado e eu como boa pessoa que sou (e também pessoa muito modesta – só que não) estive a dar uma mãozinha ao namorado com cuidados relativos a casa e a alimentação, já que ele é mesmo muito ocupado com o trabalho e estudos (bem mais do que eu aliás).

Era o dia em que elas chegariam, então recebi uma mensagem do namorando para que eu não esquecesse de dá uma última organizada no quarto da minha sogra. Subi as escadas na minha lerdeza habitual enquanto olhava o instagram e me dirigi ao quarto dela e eis que quando entro me deparo com a cena que até o momento não me sai da mente.

A casa estava a ser invadida.

Comigo lá... Só.

O andar de cima não é fechado com concreto ou mesmo gesso, é forrado com forro PVC. E no quarto da minha sogra era onde encontrava-se a entrada do alçapão que levava a aquele ambiente que ficava entre o forro e o telhado de fato (sim, também já questionei porque diabos a entrada encontra-se lá). Enfim, o fato é que de lá saia um homem/rapaz (não sei bem, pois vi apenas suas pernas e short que vestia.

Naquele momento meu cérebro entrou em parafuso, mas recuperou-se a tempo de fazer minhas pernas mexerem-se e correr em disparada em direção ao quarto do meu namorado e trancar-me lá. Bati a porta do quarto dele com uma ignorância que vocês não têm ideia e graças aos céus a chave pendia na fechadura.

Seguiram-se momentos de extremo pânico. Contactei meu namorado e meu pai em completo desespero. Eu tremia tanto, mas tanto que só consegui permanecer de pé porque me escorava na parede. Escutava barulhos altos vindo do forro da direção do quarto da sogra e não sabia dizer se o cara tinha descido completamente ou decidira fugir, visto que era impossível não ter escutado minha corrida e a porta batendo.

Meu namorado largou o trabalho no meio do expediente enquanto ligava para a polícia para que me fosse ir salvar e eu ao celular com meu pai a tentar me acalmar e também a vir ao meu socorro. Eu tentava não chorar alto, tampava a boca na tentativa conter os soluços e foi quando ouvir barulho no forro em cima de mim, no cômodo em que estava. E pronto, só conseguia pensar que ele botaria aquele forro abaixo e me mataria naquele instante e ficava entre sair do quarto ou permanecer no quarto, mas meu pai aconselhou-me a ficar, pois não sabíamos se tratava-se apenas de um ou mais invasores.

A polícia chegou em cerca de trinta minutos mais ou menos e foi quando sai e fui até a sacada e atirei as chaves a eles que entraram, mas infelizmente o desgraçado já se tinha ido. Em seguida chegou meu pai que abracei e no ombro dele chorei com alivio por ter saído desse episódio bem. Meu namorado tardou um pouco mais, já que o trabalho é praticamente do outro lado da cidade, mas chegou completamente aflito e desesperado.

Sabe, nessas horas é que acredito que realmente existe um ser lá em cima a olhar por nós. Se eu demorasse um tantinho a mais a subir, daria de cara com ele ali e algo muito pior poderia ter acontecido.

Nunca pensei que uma coisa dessas me pudesse acontecer. Em verdade a gente nunca pensa, não é? Até que acontece.

A polícia fez ainda uma busca pelas redondezas. E está ainda a ser investigado o modo que levou o criminoso até ali. As suspeitas é que já estava a observar a rotina da casa e sabia que a casa estava a ficar sozinha em grande parte do dia. E me faz pensar também que o indivíduo é um ninja para espreitar pelo telhado, mas tudo leva a crer que veio de telhado em telhado e entrou por um pequeno prédio do qual tinha o último andar sem qualquer vigia ou controle que servia para os residentes estenderem roupas e etc (tratava-se de um prédio que era uma união de várias kit-nets).

O susto foi tão grande e me abalou tanto que nem quis ficar para receber meus amores (sogra e cunhada) e quis voltar para casa com meu pai. Lógico que elas entenderam e ficaram muito preocupadas com meu estado. Ao dia seguindo retornei com meu pai, não queria ir de modo algum sozinha. O alçapão já foi lacrado, mas o medo permanece.

Sou uma pessoa que sofre com a ansiedade e esses dias têm sido dias insuportáveis. Quem passa por esse mesmo mal, sabe como é. Nem a medicação tem ajudado, meu quatro piorou de uma forma exorbitante. Não sei dizer bem o que é pior, os sintomas físicos ou toda a paranoia mental e medos irracionais.

Escrever e pintar sempre foram coisas que gostei e sempre me ajudaram muito, mas depois desse acontecimento eu travei de uma forma que nem sei explicar.

O próximo capitulo deve sair só na semana que vem ou até mesmo depois e sinto muitíssimo por isso, de verdade. Tenho metade dele já escrito (fora os rascunhos avulsos de acontecimentos mais para frente) e poderia até mesmo postar somente o que já tem, no entanto, não estou ainda satisfeita e sinceramente não quero lhes apresentar algo meia boca. Prometo que irei me emprenhar para que saia o quanto antes.

Quero pedir do fundo do meu coração que não desistam de mim e da fanfic, vou precisar de um tempinho para me recompor e voltar ao meu eixo. Não vou parar com a história, de modo algum e por isso peço um pouquinho de paciência.

Postei há uns minutos atrás uma Short-Fic. Tinha ela em rascunho a um bom tempo e então resolvi termina-la de uma vez e postar para vocês como uma forma de pedido de desculpa. Serão três capítulos, já está terminada, mas postarei com dias intercalados. Ou seja, um hoje, outro na segunda e outro na quarta <3

Obrigada aos que leram até aqui e mil perdões.

De verdade.

Com muito amor e carinho, L.

 


Notas Finais


P.s: Antes de postar o próximo Cap. irei excluir este aviso.
Links abaixo.

Short-Fic: https://spiritfanfics.com/historia/sem-promessas-9976521

One-shot/Poema(Com Levi como Muso.): https://spiritfanfics.com/historia/alcando-voo-9940953


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...