História The Reason - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Boris, Castiel, Charli, Charlotte, Dakota, Debrah, Dimitry, Iris, Jade, Kentin, Kim, Leigh, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Nina, Peggy, Personagens Originais, Priya, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya, Senhora Shermansky, Viktor Chavalier, Violette
Visualizações 9
Palavras 968
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Famí­lia, Hentai
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oie, essa é a primeira fic de amor doce que faço, espero que gostem.

Capítulo 1 - I


Fanfic / Fanfiction The Reason - Capítulo 1 - I

Estou deitada no sofá da sala encarando o teto e me perguntando "Cozinho ou encomendo uma piza?". 

No meio de meu debate mental minha irmã entra feito um furacão pela porta da frente me fazendo sentar no sofá e encarar ela com o olho direito por ser o disponível visto que o esquerdo esta tapado com uma lapa.

-Eu consegui raposinha, EU CONSEGUI.- Ela gritou toda feliz. -E tudo graças a você.

 Seis meses atrás. 

-Então, o que você quer de mim exactamente? - Pergunto visivelmente confusa olhando minha irmã mais velha que está encostada em uma das paredes negras de meu quarto.

 -Quero que você me ensine como fazer.- Ela diz me lançando um olhar desesperado.

-Como fazer o quê?- Pergunto cada vez mais confusa. 

-Ah vamos lá raposinha, você sabe de quê estou falando, por favor me ensina.- E novamente sua expressão de desespero. 

Dou um sorriso de lado. 

-Hm, olha ela.- Faço uma pausa rindo um pouco. -Quer aprender os jogos da mente.- Meu sorriso agora é completo e acompanhado com minha língua brincando com meus dentes. 

 Levanto de minha cama ficando séria. 

-Pro meio.- Falo friamente. 

Ela me obedece e anda rapidamente pro meio do quarto. 

Retiro a minha pala que cobria o olho esquerdo e a encaro ficçamente vendo sua expressão de desespero mudar para... 

Hm... Me arrisco em dizer medo, ela está com medo de mim é isso?

 Bem, objectivo comprido. 

 Me aproximo dela andando em sua volta lentamente e a queimando com meu olhar. 

Sua respiração fica pesado ao ponto de ser completamente audível, gotículas de suor se formam em sua testa, seu peito sobe e desce ao ritmo de sua respiração e olha, que curioso, pelo que posso observar seu seio esquerdo para além de acompanhar a respiração também acompanha seus batimentos cardíacos e eles estão acelerados. 

Oh, como adoro ver ela nesse estado. 

-Adrenalina. - Digo ainda séria e com a voz sombria. 

-O-o q-quê? - Ela perguntou gaguejando. -Isso que você está sentindo agora se chama Adrenalina.- Faço uma pausa. -O cérebro só liberta Adrenalina quando se sente nível extremo de medo ou um nível extremo de raiva, eu tinha certeza que no teu caso actual é por medo.- Meu tom de voz muda de sombrio para brincalhão. -Então o que você mais quer? 

-Fama e fortuna.- Ela respondeu determinada. 

Fácil demais.

 -Você é linda, rosto, voz e corpo angélicais.- Sorrio de lado. -Tem que usar isso ao seu favor, eu conheço seu estilo então por isso te digo use a simpatia, ganhe confiança, escolha sempre as palavras certas, pense rápido e nunca mas nunca mesmo deixes que a Adrenalina seja libertada.- Finalizo.

 Agora. 


Sorrio com sua felicidade. 

-Que bom, então, quando é que vai começar a turné?- Pergunto a olhando cheia de orgulho por ela ter feito exactamente o que lhe disse pra fazer apesar de ter cometido um pequeno descuido que logo foi corrigido graças a mim. 

 -Na segunda.- Ela disse se jogando do meu lado no sofá.

-Mas já? Que pena logo na segunda que eu ia começar no seu colégio, Henrietta fez de tudo para estarmos na mesma sala.- Digo admitindo o esforço de Henrietta a mulher que nos deu a luz.

 -Ainda não entendo o porquê de você a chamar pelo nome.- Ela diz sorrindo.

 -Tenho meus motivos Senhorita Debrah.- Digo tentando manter ela na linha. -Bom hoje é sexta, Henrietta só volta na quarta, qual é o plano?- Pergunto sem interesse.

 -Eu vou na segunda e na segunda você tem ir no colégio.- Ela pereceu pensar um pouco. -São 19:45, que tal uma balada e amanhã karaoke e no domingo cinema.- Ela diz sorrindo.

 -Tá.- Me levanto indo pro banheiro do meu quarto. 

Chegando lá retiro minhas roupas e a lapa, observo meu corpo no espelho que cobre uma parede inteira do banheiro. 

Um sorriso surge em meu rosto mas morre no exato momento em que encaro meus olhos. 

Maldita heterocromia. 

Por causa disso eu uso lapa desde os sete anos, pós de acordo com Jeffrey, quem outrora eu chamava de pai, os meus olhos faziam de mim uma aberração por isso tinha que os esconder, maldito.

 Entro no box o fechando em seguida, regulo a água para estar fria e inicio meu banho. 

Com o banho terminado saio do box, me seco com a toalha e saio do banheiro enrolada na mesma. 

Vou ao meu closet e tiro de lá um corped preto que forma um X nas costas, uma saia preta que vai até acima do joelho, meias calças pretas, um chapéu preto e Botins pretos sem salto vestindo tudo em seguida. 

Vou até minha cómoda abrindo a terceira gaveta e tirando de lá uma gargantilha preta, um colar de prata com um cristal, brincos com o símbolo do equilíbrio e uma lapa preta, coloco tudo. 

Passo perfume e um brilho lábial. 

Pego meu celular que estava de baixo da almofada e volto pra sala. 

Me sento novamente no sofá. 

Checo as horas, 20:00. 

Vou dar tempo, até às 20:15 ela tem que tar pronta senão não vão a lugar nenhum. 

Sim, sim pessoal, eu sou a mais nova mas mando na porra toda. 

Tenho apenas 15 anos mas digamos que sou um "génio do mal". 

 Estou no mesmo ano que minha irmã e ela tem 16 anos. 

Fico olhando o nada como se fosse a coisa mais interessante, bem é mais interessante que minha irmã Debrah. 

Ouço o barulho de saltos contra o parquet. 

Me levanto e olho em direção as escadas vendo Debrah terminar de as descer. 

Ela está trajada com um vestido colado, curto, preto, com alças finas e com um decote enorme, sandálias gladiadoras com salto fino, um casaco de jens e uma gargantilha grossa de brilhantes. 

-Vamos.- Digo enquanto Debrah a chaves do carro na mesinha de centro.


Notas Finais


Como notaram eu não mencionei o nome da protagonista por isso vamos tratar ela por "a garota da pala" até o segundo capítulo onde vou revelar nome dela.
Aqui vou deixar o link de como eu imagino os personagens.

Garota da pala- https://www.google.co.mz/amp/s/www.pinterest.com/amp/pin/47498971050747129/

As garotas- http://litlebellaporto.wixsite.com/cantinho-amor-doce/single-post/2015/08/05/Meninas-de-Amor-Doce-na-vida-Real

Nathaniel- http://www.amordoce.com/forum/t29150,1-debrah-quot-melhor-amiga-quot-por-scelyne.htm

Castiel- http://4.bp.blogspot.com/-BpSx9HjclM0/UTj1-KsKuQI/AAAAAAAAALI/HCW2yqnskX8/s1600/castiel+2.jpg

Lysandre- http://i58.tinypic.com/14e1aao.jpg


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...