História The Red Queens - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Barbara Palvin, Cara Delevingne, Chaz Somers, Christian Beadles, Halsey, Jaden Smith, Justin Bieber, Kylie Jenner, Little Mix, Ryan Butler
Personagens Barbara Palvin, Cara Delevingne, Chaz Somers, Christian Beadles, Halsey, Jaden Smith, Justin Bieber, Kylie Jenner, Perrie Edwards, Personagens Originais, Ryan Butler
Tags Ação, Drama, Gangues, Hunters, Red Queen's, Romance, Sexo, Traição
Exibições 55
Palavras 2.444
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hey, my Queens!
Desculpem a demora pra postar! Tô lotada de trabalho e provas no colégio. Terceiro ano num é fácil ahahah
Decidi que irei sempre colocar a roupa que a Ky está usando na imagem do capítulo!
Música do capítulo: House of memories, Panic! At The Disco.
Boa leitura

Capítulo 4 - Your lies are bullets, your mouth's a gun


Fanfic / Fanfiction The Red Queens - Capítulo 4 - Your lies are bullets, your mouth's a gun

         – Bom, tudo começou no dia que fui embora. – Justin me ouve atento – No ano seguinte da nossa partida, viajamos por vários países. Conhecemos lugares lindos, culturas incríveis e... Criminosos de todos os tipos. Gostávamos de ir aos lugares mais perigosos e obscuros das cidades que estávamos. Aprendemos muita coisa, mais do que quando morávamos aqui.

                Todos prestam atenção em minhas palavras. Olho para a Perrie, e ela entende o recado.

                – Tudo aconteceu no fim daquele ano. – Pez continuou – Decidimos passar o fim de ano em Nova Iorque, tinha tudo para ser a melhor virada de ano de todas. Chegamos à cidade no fim da tarde e resolvemos ir para uma balada. Chegando lá, sabíamos que aquela noite iria ficar marcada em nossas memórias para sempre.

                Respiro fundo e decido continuar.

                – Foi nessa festa que conhecemos Jared Leto. – faço cara de nojo ao pronunciar seu nome – Ele era o cara de Nova Iorque. Todos o temiam. Já tínhamos ouvido falar dele, todos o conhecem. Estávamos na área VIP quando ele se aproximou. – meu coração falha uma batida – Nunca tinha o visto, mas já tinha ouvido falar no quão sexy ele era.

                “Mas ele era muito mais do que sexy. Algo naquele homem era hipnotizante, mas ele tinha a crueldade no olhar. Talvez tenha sido por isso que me encantei por ele. Leto é bem mais velho e sabe como manipular tudo a sua volta. Eu fiquei pouco tempo com ele, mas o suficiente para ser possessivo em relação à mim. Eu não aguentava mais viver sob suas ordens. Tomei a decisão de voltar para LA, e as garotas deram a maior força.  Eu o avisei da minha da minha escolha, porém ele não aceitou muito bem isso. Me disse que não desistiria de mim, e que eu não sairia viva dessa guerra. Eu sabia que ele me caçaria, mas não me importei. E não me importo até hoje. Dois meses depois, estávamos fazendo o nosso primeiro roubo. E assim nasceram as Red Queens. Sempre gostamos de poder, e agora temos.”

                Bieber me encara e continua em silêncio, sua expressão é indecifrável.

                – Espera aí, esse Leto que vocês falam é o Mrs. J? – pergunta Chris.

                Confirmo com a cabeça.

                – Caralho! – foi a vez de Jaden falar – Ele é tipo uma lenda viva! Dizem que ele é bem ruim.

                – É muito pior do que isso, ele é a personificação do diabo.  – Estremeço com as lembranças.

                Os garotos não param de tagarelar sobre o que acabei de contar, mas quem eu queria que se pronunciasse, continua me encarando em silêncio.

                – Por que vocês nunca nos procuraram para contar?– questiona Ryan.

                – Achamos melhor não contar para ninguém. E logo em seguida vocês interceptaram uma carga nossa, aí ficamos irritadas de verdade. – Explica Hals.

                Todos riem, menos o Senhor Carranca.

                – Sabem quantas vezes vocês nos atrapalharam? Agora entendo o porquê de sempre estarem um passo à nossa frente. – Bieber se pronuncia – Vocês jogam sujo.

                Sorrio com arrogância.

                – Ninguém mandou vocês quererem dar uma de fodões pra cima de nós.  – Dou de ombros.

                – Vad... – Perrie o interrompe.

                – Não viemos aqui para discutir. Acha mesmo que contaríamos tudo para nada? Precisamos de ajudo, e creio que vocês também necessitem.

                Eles ficam em silêncio nos encarando.

                – No último mês, todas as suas cargas que passam pelo Middle Fork Rd estão sendo roubadas, não? – eles assentem – As nossas e as dos Twins também!

                Eles nos olham sem acreditar que sabemos disso.

                – Como vocês sabem das cargas?

                – Ué, sempre cuidamos os seus passos. – falo como se fosse óbvio.

                 – Por que isso não me surpreende? – Drew pergunta.

                – Continuando, achamos que estão trabalhando contra nós. O meu palpite? Leto e um velho conhecido nosso.

                – Knox Wood. – Bieber pronuncia seu nome com desgosto. 

                Quando Knox Wood está envolvido, pode ter certeza que nada acabará bem. Eles são inimigos desde que o Bieber entrou nesse mundo. Wood sabia que mais cedo ou mais tarde perderia seu título de “Dono de LA” para Justin. Não sei quantas vezes ele já armou contra os garotos, mas por sorte, eles sempre escapavam. Até eu já fui sua vítima, lembranças que gostaria de esquecer para sempre.

                – Exatamente! Não sei como eles se juntaram e nem quando, mas sei o motivo: vingança!

                Justin bate suas mãos com força na mesa.

                – Que merda! Eu deveria ter acabado com esse desgraçado a tempos!

                – O Leto é muito inteligente e tem um poder enorme. – respiro fundo – A única chance que nós temos contra os dois, é se nos juntarmos. Nós somos as maiores gangues de LA. Juntos, somos indestrutíveis!

                Bieber troca um breve olhar com os garotos, e pelo o que percebo, eles concordam.

                – Ok! Mas precisamos falar com os irmãos Sprouse primeiro. – acende um cigarro e traga lentamente – Podemos marcar uma reunião para amanhã, o que acham?

                Troco um olhar de alívio com as garotas e relaxo visivelmente.  Lembro que amanhã iremos dar uma festa na mansão.

                Vamos juntar o útil ao agradável.

                – Amanhã, iremos fazer uma festa. – olho para cada um – Vocês podem chegar mais cedo para a reunião e depois é só aproveitar a festa!

                Percebo que todos se animam, até o Bieber. Isso aquece o meu peito e me faz lembrar tempos bons.

                – Certo. Festas sempre são bem vindas! – Bieber fala, mas logo sua expressão muda – Mas tem outra coisa que eu adoraria saber: por que me abandonou?

                Engulo a seco.

                O ambiente que antes era tomado por vozes, cai num silêncio profundo.

                – Hã, acho que vamos deixar vocês a sós. – ouço a voz de Chaz – Vamos lá beber algo, galera!

                Todos saem do escritório e Chaz me lança um último olhar preocupado.  Assim que ele fecha a porta, meu corpo todo gela.  Depois de anos, estou a sós com o cara que fodeu com os meus sentimentos. Eu sabia que em algum momento íamos nos reencontrar e que esse assunto viria à tona, mas eu não esperava que fosse nessas circunstâncias. Fiquei dois anos com esse garoto, os melhores e piores dois anos.

                Bieber me encara, esperando uma resposta.

                – Eu estava grávida, Justin. E naquela noite, eu perdi o nosso bebê. – lágrimas já escorrem sem pudor algum.

                – O-o que? – Justin parece perdido.

                – Na noite daquela maldita festa, eu ia contar pra você. – paro em sua frente – Eu não conseguia te encontrar. Falei com os garotos e eles também não sabiam onde você estava. Eu já estava aflita, porquê sabia que você poderia estar me traindo. Mas eu não queria acreditar nisso, não naquela noite.

                Bieber continua em estado de choque, sem se pronunciar ou se mexer. Mas agora eu comecei, e irei até o fim. Ele irá me escutar.

                – Mas você estava, Drew! – gritei, fazendo-o se assustar – Você estava com a Sofia. Sim, eu os vi! Ninguém me contou, eu vi vocês dois juntos.

                – Eu não sabia. Eu... – fica mudo.

                – Era como se o meu coração tivesse sido arrancado do meu peito, pisoteado e depois posto no lugar. – as lágrimas insistiam em cair, embaçando minha visão – Eu não poderia me embebedar e dormir com o primeiro que aparecesse como sempre fazia, tinha outra vida em jogo que dependia de mim. Eu saí o mais rápido que eu pude daquela casa. Não parei quando os garotos me chamaram, eu só precisava ir para casa e me afogar em lágrimas. Eu dirigia o mais rápido possível, sem me importar com os sinais. Infelizmente fui obrigada a parar em um. E foi quando tudo aconteceu.

                Flashback on

                Porquê? Porquê ele tinha que estar com ela?

                O Bieber me prometeu que não iria mais me trair. Ele não podia cumprir a promessa? Logo hoje que descubro que estou grávida.

                Soco o volante quando paro em um sinal.

                Eu odeio você, Justin Drew Bieber.

                Sou tirada dos meus pensamentos quando o vidro ao meu lado quebra.

                Mas que porra é essa?

                – Sentiu saudades, princesa? – reconheço a voz.

                – Knox. – rosno seu nome em resposta.

                Wood abre a porta e me puxa para fora do carro pelos cabelos.

                – Vejo que estava chorando. O Bieber te traiu novamente?– sinto algo gélido em minha barriga nua – Logo agora que tem um bebê Bieber a caminho!

                Paraliso na hora.

                – Co-como você sabe disso?

                – Ahm minha querida! Eu sei de tudo! Los Angeles me pertence!

                Meu corpo fica em alerta na hora. Eu tenho que proteger o meu bebê! Com uma rapidez absurda, dou um tapa em sua mão, fazendo-o derrubar o canivete. Impulsiono minhas pernas para cima e salto sobre ele, nos levando ao chão.

                A adrenalina corre em minhas veias e me sinto mais viva que nunca. Agradeço por todos os treinos de luta que tive com os garotos. Parto para cima dele, socando seu rosto e seu estômago. Faço de tudo para ele não acertar minha barriga, já que seu alvo é ela. Knox por sua vez, me joga no chão com força, fazendo eu ficar tonta por alguns segundos. Dou um chute em sua perna e o vejo cair no chão, mas assim que tento levantar, sinto uma dor dilacerante em minha perna esquerda. Knox cortou minha perna. Por impulso, chuto seu rosto e o vejo perder os sentidos.

                Aperto minha coxa tentando – em vão – estancar o sangue. Faço força para levantar, mas a dor é intensa. Assim que consigo me pôr de pé, meu corpo vai ao chão novamente. Mas dessa vez com mais força, sinto que irei desmaiar a qualquer momento. Tento, sem sucesso, tirar Knox de cima de mim.

                – Acho que não vai ter bebê para contar história. – sussurra em meu ouvido.

                Vejo seu rosto desfocado e tento me soltar quando Knox me levanta pelo pescoço.

                Eu tenho que proteger o meu filho.

                Knox soca a minha barriga com força e em seguida dá um chute. A dor é forte demais, mais do que a da perna.

                – Adeus, Kylie. – me joga longe.

                Com o impacto, corto meu supercílio. Luto para ficar acordada, mas isso se torna difícil quando a realidade me pega.

                Eu não sinto mais o meu bebê.

                Eu sei que ele não vive mais.

                Flashback off

                – Porquê você não me contou? Eu teria ido atrás dele, teria feito ele sofrer. – Justin fala com a voz embargada – O Chaz nunca me contou isso. Eu deveria saber!

                A essa altura, não tento mais controlar as minhas lágrimas.

                – O Chaz não sabe, apenas as meninas. – fungo – Ele só sabe que o Wood quase me matou, mas não sobre o bebê. Eu fugi do hospital, a dor interior era muito pior que a exterior. Eu estava decidida a ir embora, nada faria eu mudar de ideia. E para a minha tristeza e alívio, você não estava em casa. Chaz me falou que você não queria me ver por estar arrependido. – me aproximo mais – Doeu ver você com a Sofia, eu não esperava ver ela com você, mas acontece...

                – Eu não sabia. – sussurra – Eu estava tão feliz naquela noite, tudo estava dando certo, só faltava você! E então a Sofia apareceu me oferecendo uma bebida, eu aceitei. Mas você não chegava nunca! Eu fui bebendo mais e mais, e quando percebi, já estava no quarto com ela.

                Bieber estava perigosamente perto. Seu cheiro dominava o ambiente.

                – Quando eu acordei no dia seguinte, eu me amaldiçoei.  – trava seu maxilar – Encontrei os garotos e eles começaram a me xingar, falando que eu tinha feito a maior merda da minha vida. Eu não imaginava que você já sabia. Resolvi ir para a boate, pois não teria coragem de olhar para você. Passei o dia todo trancado no escritório pensando na merda que tinha feito, eu sabia que você descobriria mais cedo ou mais tarde. Quando a noite chegou, tudo piorou. Recebi uma ligação do Chaz, informando que você já sabia de tudo, ele brigou muito comigo e desligou na minha cara. Naquela noite, eu bebi até cair e usei todos os tipos de drogas, apenas para tentar esquecer quem eu era.

                Justin já não se importava mais em manter a sua pose de machão, e chorava tanto quanto eu.

                – No dia seguinte, quando acordei e o Chaz me falou que você tinha ido embora, eu enlouqueci. Quebrei todo o meu quarto, porquê o seu cheiro ainda estava lá! – eu conseguia sentir toda a sua dor –  A Sofia veio alguns meses depois. Eu não conseguia olhar para ela sem lembrar do que tinha feito com você. Mas ela insistiu e eu acabei cedendo. Eu me arrependo todos os dias de ter feito isso. Eu perdi um filho e a mulher que eu amava. Eu poderia ter salvado ele! Eu peço perdão por todos os erros que cometi com você. Me perdoa?

                Eu sinto que ele realmente está arrependido. E por mais que ele tenha errado, todos merecem o perdão.

                – Você foi o meu primeiro e único amor, Drew. – coloco a mão em seu rosto – É claro que te perdôo. Passado é passado!

                Ele fecha os olhos como se absorvesse o momento.

                – Kylie, eu... – Justin é interrompido por Cara, que abre a porta com força.

                Tiro rapidamente a minha mão de seu rosto e aguardo Cara falar.

                – Desculpa interromper, Ky. Mas precisamos ir até o escritório da LUV. – ela fala tudo rapidez – Tentaram invadir ele.

                Que caralho!

                – Com assim?! – Bieber fica quieto observando – Pegaram os caras?

                – É apenas um homem. E sim, elas o pegaram.

                Amém!

                – Ok, vamos para lá agora! – Cara assente e sai, deixando a porta aberta.

                – Eu tenho que ir resolver isso! – Bieber me encara – O que foi?

                – Podemos ir junto? – franzo o cenho com seu pedido – Quero ver como você trabalha.

                Solto uma risada baixa.

                – Certo. Vamos de uma vez!

                (...)

                – Onde estamos? - Jaden pergunta.

                – É uma parte subterrânea de LA. Estamos logo abaixo da LUV. – aponto para cima.

                – Isso aqui é, tipo, uma câmara de tortura? - Ryan parece surpreso.

                Sorrio maligna e dou ordens.

                – Ninguém entra a não ser que eu peça. Isso inclui vocês, garotos. – aponto para eles – Vocês irão assistir tudo daqui. – aperto um botão e o vidro escuro fica mais claro – Quero a ficha completa do sujeito, Barb. Com licença, babys.

                Adentro na sala e fecho a porta atrás de mim. O cara moreno se assusta com minha presença.

                Melhor assim.

                – Olá, tudo certo por aqui? Sou a Kylie, prazer. Eu adoraria saber seu nome. – sorrio meiga – Se você cooperar, eu o deixo viver.

                – Me-meu nome é Scott. Scott Allen. – faço um movimento com as mãos em direção ao vidro escuro. – Por favor, não me mate!

                – Diga quem mandou você invadir meu imóvel e eu penso no seu caso.

                – E-eu não posso! Por favor! – choraminga.

                Sorrio com sua resposta.  Já esperava por ela.

                – Então, Sr. Allen, teremos uma longa tarde. – caminho para perto dele.

                – O que você irá fazer? Me solta!

                – Tragam gelo seco!


Notas Finais


O que será que a Ky vão fazer com gelo seco?? Ahahahah aguardem!
Até o próximo!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...