História The red storyteller - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias As Crônicas De Gelo e Fogo (Game of Thrones), Originais
Tags Game Of Thrones, Got, Original
Visualizações 15
Palavras 758
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 1 - The red


-O que tu és?

-Sou uma sacerdotisa vermelha.

-Quem serves?

- R'hllor, o lorde da Luz

-Que papel fazes?

-Sou uma contadora de historias.

São estas as perguntas que fazem diariamente a Mara. Uma miúda de 7 anos com os cabelos ruivos, que nasceu e tem vivido ate agora ao lado das sacerdotisas e sacerdotes vermelhos.

Todos os dias encontra-se com contadores de historias diferentes para aprender nova historias. Estas tem aumentado bastante desde que os Targaryen “desapareceram”.

Depois de mais um dia na biblioteca a decorar as historias, Mara voltou para casa e encontrou a mãe a alimentar o irmão mais novo, um rapaz de 2 anos, com um tufo de cabelo louro em cima da cabeça.

-Como correu o dia ??-Perguntou a minha mãe, logo que me viu. O cabelo castanho dela estava todo despenteado e com grandes olheiras debaixo dos olhos.

-O costume- Disse Mara sentando-se numa das cadeiras que tinha lá.

Quando a mãe,Adri, se levantou, para ir guardar o resto do pão, Mara reparou que ela andava de uma forma estranha.

-Mãe, foste ter com ele outra vez??-Perguntou ela suspirando

-Nós precisamos do dinheiro-Respondeu ela

-Mas não é assim tão importante para tu andares a vender o corpo a ele, para conseguires o dinheiro- disse Mara, exaltando-se um pouco

-MAS É IMPORTANTE PARA MIM-Gritou a mãe

-Mas……

- O Norte de Westeros é a minha casa- replica ela, acalmando-se

Mara suspira.

-Já é tarde, vou por o Addy a dormir- Diz ela levantando-se e pegando no bebe.

A mãe assentiu e viu a filha a ir para o pequeno quarto que todos compartilhavam.

“Tão nova e já com estas responsabilidades todas” pensou a mãe.

Sentou-se na pequena mesa, e abriu a caixa onde guardava o dinheiro. Quando acabou de o contar, reparou que já tinha cumulado dinheiro o suficiente para pagar a viajem para norte e ainda sobrava. Suspirou, sentindo-se feliz. Finalmente ia para casa.

-Queres uma massagem?- Pergunta a filha atrás dela.

A mãe sorriu e, dirigiu-se para cama que havia no quarto e tirou o vestido. Deitou-se e viu a filha a fazer a mistura de plantas que lhe tinham ensinado a fazer, la no “mosteiro do fogo”, como ela lhe chamava. A filha usava o vestido vermelho característico das sacerdotisas, só que o dela era mais escuro e as mangas era justas , ao contrario de maior parte das outras que usavam mangas largas. O cabelo vermelho estava preso numa longa trança. Adri riu-se ao lembrar a verdadeira razão do cabelo da filha ser daquele tom vermelho. O parto desta tinha sido bastante sangrento e complicado, por isso o cabelo da miúda acabou por absorver o sangue da mãe.

-Onde queres? -Pergunta Mara, tirando Adri dos seus pensamentos.

-Nas pernas, por favor-Pediu ela

Quando Adri sentiu as mãos da filha a massagearem-lhe as pernas, suspirou.

-Amanhã vamos embora- disse-lhe quando ela acabou a massagem.

-ok-respondeu Mara-Mas tenho de avisa-los.

No dia seguinte, antes do Sol nascer ,Mara dirigiu-se para o mosteiro, onde falou com o seu mestre, Sor Lyan, um homem magro já sem cabelo.

-Tudo bem, minha filha. Mas não te esqueças: o que tu és?

-Sou uma sacerdotisa vermelha.

-Quem serves?

- R'hllor, o lorde da Luz

-Que papel fazes?

-Sou uma contadora de historias.

Sor Lyan sorriu, uma coisa rara nele, e deu-lhe um papel.

-Aqui estão um conjunto de rezas, para fazeres ao Senhor da Luz sempre que precisares de respostas.

Mara guardou o papel e dirigiu-se para o porto onde a mãe e o irmão a esperavam.

“Red is the new dawn”

(o vermelho é o novo amanhecer)

Quando chegou lá o Sol começava a nascer, encontrou a mãe, com o irmão ao colo, a falar com o capitão do navio.

Red is the fall leaves”

(o vermelho é a saída do outono)

Entraram no navio, e Mara reparou que o céu estava mais vermelho que o costume.

“Red is the anger”

(o vermelho é a raiva)

Mara estava um pouco chateada por deixar tudo, mas compreendia a mãe. O Norte era a casa dela e em breve seria a de Mara também.

“And the lies you´ve made me belive”

(e as mentiras que me fizeste acreditar)

Mara sabia que a mãe lhe estava a esconder alguma coisa, mas, ao longo dos anos aprendeu a calar-se e a esperar pelo momento certo.

“And i said , Were coming, Were coming, Were coming”

(e eu disse estamos a ir, estamos a ir, estamos a ir)

Mara suspirou e começou a preparar-se para a sua nova vida


Notas Finais


Espero que tenham gostado
a canção do final é Red da Beth Crowley-https://www.youtube.com/watch?v=d6UR0FRL_q4


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...