História The Reign of BTS - (Imagine Jung Hoseok) - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Exibições 70
Palavras 2.025
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Festa, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Acho que eu deveria postar mais rápido...

Capítulo 7 - Kim Seokjin


(POV’s _____ on~)

Confesso que ao mesmo tempo em que fiquei envergonhada, fiquei triste, mas ao mesmo tempo... Feliz. Foi um sentimento complicado, eu fiquei triste por ter que fingir namorar Hoseok e feliz por passar a imagem de futura princesa e namorada do Hoseok. Foi extremamente estranho.

Eu estava sentada ao lado de Hoseok e de Mi-Cha, na frente de Cheo. Eu senti seus olhos sobre mim o tempo todo, não sabia se estava gostando ou sentindo-me desconfortável.

– Vão ficar mais quanto tempo? – Perguntou Jungkook todo animado para Cheo.

– Temos que ir embora hoje, Kookie... Desculpe-me, eu queria mesmo ficar mais tempo com vocês.

 Todos ali agora ficaram decepcionados e começaram a conversar sobre assuntos aleatórios, aproveitando o tempo mínimo que as visitas ficarão. Conversaram até a hora do almoço e já ficaram direto pra almoçar, sem ligar pro resto.

Passado o almoço, a família de Mi-Cha já começara a arrumar suas coisas. Mi-Cha foi ao meu quarto conversar comigo em particular.

– Mi-Cha? O que foi? – Perguntei confusa pelo ato repentino.

– Eu só queria me despedir de você em particular, nossa família só vem aqui de um em um ano... Então, vai demorar bastante para nos vermos de novo, não é? – Eu senti seu tom de voz triste e as lágrimas chegando.

– Um ano? – Eu perguntei espantada. – Acho que não aquento esperar até lá... – Eu sorri e abracei-a fortemente, até que os meninos entraram no quarto e nos viram chorando e nos abraçando.

Eles ficaram em silêncio, mesmo entrando. Eu e Mi-Cha passamos mais de um minuto abraçadas.

– Acho que já chega, né? – Yoongi interrompeu. – Nós também temos que nos despedir.

– Idiota. – Falo me distanciando de Mi-Cha e limpando as lágrimas.

Cheo se aproximou de mim, o que me fez corar.

– Até! – Ele disse sorrindo. Aquele sorriso maravilhoso, aqueles lábios carnudos. Tentações. – Não vai me abraçar também?

Eu ri um pouco de sua atitude, mas acabei o abraçando muito forte também. Ele colocou sua cabeça entre meu ombro e meu pescoço, uma posição confortável. Ele me abraçou como um urso de pelúcia gigante.

– Mantenha contato. Por favor. – Sussurrou em meu ouvido, senti sua pele quente.

– Digo o mesmo pra você...

Eu me distanciei e ele beijou meu rosto como uma despedida final. Senti meu sangue subir. Também senti os olhos de todos ali sobre nós, inclusive... Hoseok. O pior de tudo é que, Hoseok é um ciumento, lindo, perfeito, que ninguém gostaria de magoar aquele anjo. Então, pra mim será uma missão difícil, pois eu terei encontros com todos os outros, e se meus sentimentos se apegarem a outra pessoa? Pode ser qualquer um deles. Todos são legais e bonitos, como não se apaixonar?

– Minha vez. – Hyungjoo se aproximou e me envolveu em seus braços – Tchau, _____. Tenho uma coisa a pedir... – Ele se afastou de mim e me segurou pelos braços. – Cuide do Hoseok. Ele se magoa fácil. Não quero o ver magoado, e se eu ver e souber que foi você... Não vou deixar barato. Entenda como quiser, eu só quero protegê-lo.

Eu refleti sobre aquelas palavras e acabei derramando uma lágrima. Já me despedi de todos, agora é só os acompanhar até a porta e os ver partir. A partir de hoje, minha vida não será tão fácil.

Depois de vê-los partir, o rei me deu um tempo para pensar. Eu vou ter um encontro com o Jin. O que Jin acharia divertido? Eu andava pelo jardim perfeito da rainha enquanto pensava no que Jin gostaria de fazer comigo. Assistir um filme? Clichê. Jin gosta de flores? Será que... Já sei! Será que ele gosta de banhar na piscina? Seria divertido. Não. Tenho a coisa perfeita. Competição de quem come mais rápido! Com certeza eu vou ganhar, sou brasileira. Se bem que nunca reparei muito no Jin comendo, mas todos os outros meninos disseram que ele come mais que todo mundo junto. Vai ser isso.

Eu subi as escadas do palácio rapidamente em direção ao escritório do rei. Eu bati na porta levemente ao chegar lá.

– Quem é? – Perguntou do outro lado.

– _______. Eu preciso te perguntar uma coisa.

– Você nem precisa bater, entre.

Eu entro e ando rapidamente em direção a ele, estava muito animada pra isso.

– Vou adivinhar. Pensou em algo perfeito para fazer com Seokjin e veio perguntar se a ideia é boa?

– Exato. Seokjin gosta de comer, não é? Então, que tal se nós competirmos em quem come mais rápido?

– Hmmm... – Ele parou para pensar. – Seokjin não pode comer muito por assuntos fúteis, ele tem que manter boa forma como herdeiro do trono. Mas gostei da ideia, só pense em algo que não faça mal para os dois.

Eu pensei tanto. Pro rei falar isso. Ele menosprezou minha ideia, e agora? Eu não consigo mais pensar em nada.

– E se eu ensinar ele a cozinhar comidas brasileiras? Ele gostaria?

– Isso é perfeito! Ele vai amar! Agora ande logo, você só tem um dia. E depois disso, seu trabalho já está na sua mesa em seu quarto.

– Ok, Majestade.

– Cof Cof...

– Desculpa... Ok, pai!

Eu saí de seu escritório e fui ao meu quarto procurar alguma roupa que Jin gostaria que uma menina vestisse.

(LINK NAS NOTAS FINAIS) Escolhi uma roupa fofa, que acho que Jin gostaria. É um rosa bebê, e a roupa é fofinha.

– Vai pra onde? – Perguntou Hoseok olhando pra mim desviando os olhos do livro que estava lendo.

– Encontro com o Jin. Que livro é esse? Parece-me familiar...

– Eu peguei das suas coisas, sua língua é impossível de ler! É bem pior do que inglês!

– Não fale assim! E não mexa nas minhas coisas. Estou indo, volto de noite pro quarto. Posso te pedir um favor?

– Claro.

– Leia meu trabalho e depois me ajude a fazer?

– Depende. – Ele disse espreguiçando-se na cama. – Vai me dar o que?

– Pão de queijo.

– Quê?

– Vou te dar uma comida tradicional do Brasil, é uma delicia! O que acha?

– Acordo feito!

Comecei a rir e segui em direção ao quarto de Seokjin. Eu imaginei que o quarto dele tinha a placa na frente escrito “Castelo da Pink Princess”, mas é um quarto perfeito! Ele é todo arrumado e não tem tom de rosa. Mas sim, branco. Um tipo de branco perfeito, que não suja e que os outros detalhes são pretos. É um quarto lindo, organizado e neutro. E sim. Eu entrei no quarto dele e ele não estava lá.

Sentei-me na cama e esperei que ele chegasse. Uns cinco minutos depois ele chegou.

– ______? O que está fazendo aqui? – Perguntou confuso.

– Jin, acho que você se esqueceu que hoje é o dia do nosso encontro.

Jin corou fortemente no mesmo instante. Ele me fitou e senti o desespero dele.

– Eu me esqueci completamente! Por quanto tempo me esperou? Desculpe-me... – Ele falava rápido e fez reverencia para se desculpar.

– Jin! Não precisa de tudo isso! Eu acabei de chegar. – Menti para não deixá-lo muito chateado.

– Mas eu preciso me arrumar. – Ele disse olhando para si.

– Não precisa! Ta ótimo assim! Vamos? – Me levanto e paro em sua frente.

– O que vamos fazer? – Ele estendeu o braço para que eu enrolasse meu braço no dele, como em casamentos. Eu achei muito fofo e meigo da parte dele. Ele é um príncipe perfeito.

– É surpresa! – Digo fazendo suspense.

– Estou curioso!

– Só tenho uma pergunta. Onde fica a cozinha?

– Eu te guio, lá é meu segundo quarto.

Comecei a rir e seguimos o caminho. Ele me perguntava o que iríamos fazer na cozinha, mas eu não falava nada. Ele pedia dicas, perguntava se iríamos fazer tal coisa... Ele é realmente curioso.

– A curiosidade matou o gato, sabia? – Falei quando chegamos à cozinha.

– Finalmente chegamos! – Ele disse já indo para a geladeira.

Entrei em sua frente antes que a abrisse para comer algo.

– Não coma nada ainda.

– Por que viemos aqui, então? – Perguntou cheio de dúvida.

– Vou te ensinar a fazer Pão de queijo, feijoada, pamonha, tapioca, e para a sobremesa: pu Jin (N/A: HUSHUSHUASHU), pudim!

Ele me fitou por um tempo um pouco confuso com as palavras, acho que uma das únicas coisas que ele comeu até hoje foi tofu.

– Tenho certeza que você vai gostar! Vamos começar, eu te falo os ingredientes e você separa. Vamos começar pela feijoada.

Eu passei os ingredientes, tudo detalhado enquanto ele pegava. Mas, não vamos simplesmente cozinhar né? Tem que ter romance. Mas como vou fazer alguma coisa com o Jin, com ele cozinhando?

Quando estava prestes a começar a cozinhar, eu me lembrei que... Eu nunca cozinhei feijoada, eu só tinha a receita e dei os ingredientes! Das coisas que listei, as únicas que eu sabia fazer, era tapioca e pudim. SOMENTE.

Eu olhei para todos aqueles ingredientes sem saber o que fazer, quando Jin parou ao meu lado e apoiou-se na bancada.

– Vou adivinhar. Você não sabe fazer as comidas, mas achou que eu iria amar a intenção não é? – Ele abriu um sorriso muito fofo e me puxou pelo pulso para outro lugar. – Eu amo cozinhar, mas coisas novas, quero experimentar depois de pronto. Vamos fazer alguma coisa enquanto os cozinheiros fazem tudo isso, ok? Eu não quero magoá-la, é que hoje eu quero apenas comer. Quero te mostrar uma coisa.

– O-Ok. Eu meio que me sinto bem com isso, eu não sabia cozinhar nada... – Falei sorrindo enquanto ele me guiava para outro local.

– Posso te ensinar qualquer dia desses.

– Eu adoraria!

Ele me levou para algum lugar do jardim. Eu escutei... Cavalos!

– É o que eu estou pensando? – Falei com brilho nos olhos.

– Venha! – Ele me puxou para perto dos cavalos. Eram todos lindos!

Tinham sete cavalos, assim como os carros (mas eles não eram coloridos, lógico). Eu passei a observar mais e vi que na “bunda” dos cavalos, tinha a marca dos nomes dos meninos.

– Você vai com o do Hoseok, ele é manso, pois J-Hope é tão medroso que escolheu o que menos corre.

– Como esperado. – Comecei a rir. – Posso fazer uma pergunta?

– Claro, princesa. – Corei.

– E se eu disser que não quero o mais mansinho? – Olhei com um olhar desafiador.

– Apenas me prometa que não irá se machucar.

– Prometo.

– Pega o do Jungkook.

Eu ri um pouco, eu já esperava que o mais violento fosse o do menino perfeito, não é? O cavalo era preto, mega sombrio e era enorme!

Eu tentei subir, mas vi que não dava jeito.

– Er... – Aquilo estava sendo muito constrangedor.

– Você tem certeza? – Começou a rir.

– Ei! Não duvide de minhas capacidades!

Com muito esforço e dedicação, eu consegui subir no maldito cavalo. MAS O QUE O CAVALO FEZ? DERRUBOU-ME PRA TRÁS!

– ______! – Gritou ver que eu estava prestes a ter um traumatismo craniano.

Ele correu e tentou me segurar, mas ele caiu junto comigo. Afinal, é o Jin.

– VOCÊ DISSE QUE NÃO IRIA SE MACHUCAR! – Brigou comigo, mas logo depois não aquentou e começou a rir da minha cara.

– NÃO RI! EU QUASE QUEBREI O CRÂNIO! – Ele riu ainda mais, a ponto de cair no chão de tanto rir.

– Isso foi o troco por nos dar aquele susto estilo Samara.

Ele não parava de rir, então decidi rir junto com ele. Foi extremamente engraçado. Pensa numa louca que demora 10 minutos para subir num cavalo e o cavalo logo depois a joga pro chão.

– Mas eu queria cavalgar... Sou um desastre. – Lamentei.

– Não é não, você simplesmente queria montar no cavalo do Kook, o que foi bem corajoso da sua parte. O Jimin já tentou, ele tem uma cicatriz até hoje. Mas, pega meu cavalo. Ou você não sabe andar a cavalo?

– Lógico que eu sei!

Aproximei-me do cavalo de Jin, e percebi que era um pônei! UM PÔNEI COM CHIFRE DE UNICÓRNIO!

– AI MEU DEUS, AI MEU DEUS, AI MEU DEUS, AI MEU DEUS! ESSE PÔNEI É UM UNICÓRINIO?

– Não, eu só coloquei um chifre na cabeça dele. – Jin ria, mas eu comecei a rir ainda mais da cara dele.

Eu ria tanto, mas tanto, que já me contorcia de dor.

– Do que tanto ri?

– Ai, Jin... Você é hilário.

Subi no pônei com chifre e comecei a andar. Confesso que gritei de alegria por estar andando em um unicórnio.


Notas Finais


Espero que tenham gostado! (Desculpem pelo capítulo meio bosta e pelos erros de português...)
Até o próximo! ^.~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...