História The Reward - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Food Wars: Shokugeki no Souma
Personagens Daigo Aoki, Erina Nakiri, Fumio Daimidou, Ikumi Mito, Isami Aldini, Megumi Tadokoro, Ryouko Sakaki, Satoshi Isshiki, Shun Ibusaki, Souma Yukihira, Takumi Aldini, Zenji Marui
Tags Soumaxerina
Exibições 48
Palavras 2.189
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Escolar, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


E aí pessoal como vocês estão?
Bom, mais um capitulo, pelo título vcs já sabem de qual casal vai ser. Esse vai ser narrado por um dos personagens... sem mais delongas.

BOA LEITURA!!

Capítulo 3 - Alice e Ryou


Já pensaram quão ruim a vida pode ser? Aposto que todos já pensaram isso. Também já pensaram quão perdedores podemos ser? É, eu nunca tinha pensado coisas deste tipo, até os últimos acontecimentos.

Uma semana e meia atrás, perdi a final do torneiro para Hayama, como foi patético tudo aquilo. E hoje eu estou na casa dos Nakiris, para adivinha o que? Um jantar para comemorar o anúncio do namoro do Yukihira e da Nakiri. E vocês perguntam, o que isso tem de tão ruim? Pelo fato de as Nakiris em geral serem garotas difíceis, como ele conseguiu, fazer a Nakiri namorar ele em tão pouco tempo. Sendo que eu tô a quase um ano em uma relação, não melhor dizendo, "amizade colorida" com Alice.

E para completar tudo isso, eu e a adorável - para não dizer ao contrário- Alice brigamos. Por um motivo bobo, só perguntei para ela, por que não tem uma relação sério comigo. E ainda é fresco na minha mente a discussão de ontem.

"" -Ei Alice, por que não namoramos de uma vez? -perguntei com meus olhos preguiçosos de sempre, enquanto ela tentava, me explicar por que tempero são tão importante na culinária.

- Ryou-kun pare com isso, e preste atenção na explicação. -fala autoritária como sempre.

-Blá blá blá blá blá blá blá, -puxo para um beijo. -O maldito do Hayama já enfatizou, várias e várias vezes quão extraordinária é esse tipo de culinária. -seguro sua cintura e coloco a ponta do meu nariz encostado com o do dela e continuo. -O que eu quero saber, é por que a Senhorita não namora comigo de uma vez.

Ela me encarou por um tempo, como se eu soubesse o motivo, e sabia, mas eu queria ouvir da boca dela, então esperei até ela iniciar uma frase qualquer. E foi o que fez.

-Você sabe porque, então para de insisti. - falou saindo dos meus braços.

-Incrível! -grito sarcástico chamando a atenção dela novamente para mim. -Depois de tanto tempo juntos,  você ainda acho que vou apronta igual aquele merda.

-Você sabe como fiquei, eu tenho medo de machucar de novo.

-Qual era o nome dele mesmo? -pergunto sabendo a resposta.

- Es-Esqueci. -respode ruborizada.

-Quando foi a última vez que seu peito doeu remoendo aquilo? -pergunto chegando para mais perto.

-Faz muito tempo.

A puxo de volta para meus braços, e continuo o interrogatório.

-Você gosta dos meus beijos?

- Go-gos...to. -como recompensa dou-lhe um beijo sereno.

-Gosta das minhas carícias? - afago seus cabelos brancos.

Dessa vez ela responde com um sinal de sim com a a cabeça.

-Você confia em mim? - novamente ela responde com um sinal de sim, então reslvo fazer a pergunta final, ou melhor, o pedido final. - Então fala que me ama.

Os olhos dela se arregalam na hora, sua pele esbranquiçada ganha um novo tom, carmesim. Ela era adorável, quando não virava uma diabinha em forma de gente, e para minha sorte - para não dizer ao contrário. - ela abondou o tom carmesim e voltou a ser a Alice de sempre.

-Por que diria isso? Não acho que seja propício. -falava com aquele olhar se superioridade.

-Não acha o que? Como assim? -estávamos indo tão bem, então da onde ela tira tudo aquilo. - O que foi Alice?

-Se você quer alguém que o ame, vá procurar em outro lugar. -me olhava séria e com raiva. - Ou simplesmente vire um narcisista Ryou. -e saiu do cômodo onde estávamos bufando. ""

Eu não entendi, realmente o que aconteceu ontem, essa "briga", se podemos chamar isso de briga, eu tava no controle da situação e derrepente ela pirou. E desde ontem ela está me ignorando, ela passa por mim e parece que não existo. Mas eu resolvi fazer uma coisa, se ela vai me ignorar também irei ignora-la. E para bem ou mal, amanhã será o início dos estágios, então teremos um tempo sem nos ver. Será perfeito ver quem cederá primeiro.

                       <><><><><><>

           *DUAS SEMANAS DEPOIS*

-Bem-vindo! -dizia a moça, me recebendo no restaurante onde eu começaria a trabalhar essa semana. -Será um prazer trabalhar com um dos finalista do torneio dos primeiranistas da Totsuki.

-O prazer é todo meu. -respondi educadamente.

É o terceiro restaurante que trabalho, todos foram fácil, mas esse tem um gostinho especial, um restaurante especialista em temperos, não que eu queira vira um especialista feito o chato do Hayama, também não quero mudar o estilo da minha culinária,  só quero ver o que posso fazer para incrementar o que tenho. Tenho quase certeza, que sabendo como usar esse trosso, vou poder dá uma turbinada na minha culinária, e principalmente na minha especialidade. Então vamos ao trabalho.

-Ei, ta tudo bem Kurokiba-san? -uma voz angelical me chamou de sei lá onde.

-Estou sim! -tomo um susto, e passo a procurar a dona daquela linda voz.

-Estou aqui. -fala percebendo minha curiosidade ao procurar por ela.

-Ah desculpa. -falei ao acha-la, também corei de imediato ao vê-la, era uma albina muito fofa que me fez lembrar a Alice, as únicas diferenças evidentes eram a fofura que se espalhava até pelos seus feromonios e o evidente dentinho de vampiro que aumentava ainda mais a fofura da pequena albina. Não que a Alice não fosse fofa, ela tem muitos desses momentos, mas essa garota era fofura de mais.

-Não precisa se desculpar. -sorriu - Prazer sou Shiro.

-Prazer, Kurokiba Ryou.

-O prazer é todo meu. -se virou - Só vim falar que sou uma grande fã sua, Kurokiba-San. -e saiu, eu realmente fiquei sem reação com a garota, deve ser saudades da Ali... Não,  não, não tem nenhuma Alice Ryou, se controla, esqueci. Vamos voltar ao trabalho.

      *QUEBRA DE TEMPO*

Já estou quase no meu limite, a Shiro-chan estava dando em cima de mim tão descaradamente que quase sedi algumas vezes. Mas por mais que eu tente evitar, ou esquecer a Alice, eu não consigo. Ela ainda causa algum efeito em mim, já estou quase louco, não sinto o cheiro dela, a sua pele macia, sinto ainda mais falta dos olhos rubi provocantes que eu tanto amava. Para minha sorte hoje é o último dia neste restaurante.

-Vamos Kurokiba-san, minha casa é por ali. -não é o que vocês estão pensando, só estou acompanhando ela até em casa, nessa noite escura e perigosa. E por que eu tenho um guarda-chuva para o caso de chover como avisou na previsão do tempo.

Depois de andarmos por mais uns 6 minutos, chegamos à casa dela.

-Não quer entra?

-Não, estou bem.

-Ryou, -ela pela primeira vez me chamou pelo primeiro nome e sem nenhuma formalidade. -Você sabe se segurar, conseguiu suportar até agora, realmente é incrível.

-Já tenho alguém. Por isso me esforcei. -falo automaticamente.

-Então é isso, agora entendi o por que daquilo ali. -aponta para traz, quando eu ia olhar, ela puxa meu colarinho e sela nossos lábios. - Mas eu odeio perde. -fala após nos separar.

-Ryou BAKA!! - quando olhei para trás, vi Alice com os olhos cheio de lágrimas.

-Ops. -falou Shiro, essa menina é uma verdadeira diabinha.

-Ei Alice! -gritei mais não adiantou, ela saiu, estava indo embora. -Droga!

-Então onde es... -não deixei nem ela termina,  fui atrás de Alice.

-Ei Alice, espera. -consegui alcança-la -Não chora vai. -ela virou pra mim e gritou.

-Não estou chorando!! - e não estava mesmo, tinha segurado o choro. -Eu só estou com muita raiva... e maguada... triste... IDIOTA!

-Não é o que...

-Se você completa essa frase eu te mato. -meus olhos quase pularam para fora, ela estava realmente com muita raiva,  dava até medo, aqueles olhos vermelhos parecia que iam atirar raios laser em mim.

Não entendia o por que de tanta raiva, ela brigou comigo, me ignorou, e agora está com raiva de mim por causa de um beijo. Tinha que esclarece as coisas.

-Ei Alice, por que está com raiva?

-É porque... -no momento em que ela começou a falar a chuva desabou fortemente.

Ia pergar meu guarda-chuva, mas tinha esquecido com a Shiro, procurei em volta algum lugar e achei. Por sorte ali era o centro de Tokio, então logicamente teria alguma propriaedade dos Nakiris, era um dos hotéis da família.

Quando avistei o edifício chamativo, peguei o braço dela e fomos direito para lá. Conversei com uma das atendentes e ela descolou dois quarto para nós esperar a chuva passar.

-No segundo andar, certo? - a atendente concordou com a cabeça. -Obrigado.

Chamei ela e fomos para o elevador, ela estava estranhamente quieta.

-Toma, -dei umas das chaves a ela, quando saimos do elevador.

-Obrigado, -agradeceu com os olhos frios. Em falar em frio eu estou tremendo,  esse ar-condicionado batendo no meu corpo molhado da chuva. Não sei como ela consegui se fazer de durona e fingi que não está sentindo frio. Garotas podem ser assustadoras. -Agora, boa noite. -falou, ao chegar na frente do quarto, onde vai ficar. - E até nunca mais. -tentou correr, e se tranca dentro do quarto, mas fui mais rápida, além de entrar no quarto junto com ela, tomei sua chava e tranquei a porta.

-A nossa conversa ainda não acabou. -falei prensando ela na porta.

-Persistente. -suspira - Então o que você quer, que eu te fala. -saiu dos meus braços. - "Ryou-kun, eu te perdoo por tudo." Ou alguma coisa do tipo.

-Não séria má ideia. - falei abusando. - Mas o que quero, saber de verdade, é por que você deu aquele chilique, quando eu só pedi para falar que me amava. -fui direto ao assunto, não queria rodeios.

-Por que você e tão autoritário as vezes?

-Eu sou violento com você?

-Quis dizer arrogante.

-Eu te acompanho para todo lugar, tirando o tempo que estou cozinhando, eu sou um completo zumbi.

-Você só não é um zumbi quando está cozinhando ou quando estonos sozinhos. Fica querendo me domar como se eu fosse uma fera. - falava com raiva.

-O que tem isso? Era só você falar que não gostava que eu parava. - fui atrás dela, e a puxei de volta para mim. - Não precisávamos brigar por isso. - levo minha mão a sua pele esbranquiçada, que estava gelada por causa do corpo molhado. -Senti tanta saudades do seu cheiro, da sua voz, desses seus olhos. -eu tava conseguindo envolver ela. -E principalmente falta da sua boca. - coloquei um dedo no seu lábio inferior e já ia selar um beija, mas...

-Para, -nos separou novamente. - Está vendo? Por que você não foca na conversa.

-Você também está com saudades. Por que não aceita de uma vez. -agora eu que estava com raiva.

-Não se trata disso Ryou, eu não quero só atração, eu não quero falar para todo mundo que eu estou namorando por pura atração física. -falava corada. - Você só sabe pergunta se eu gosto de você, mas nunca disse que me amava. -me olhava seriamente.

Eu sou muito burro, como eu não percebi, sempre quis que a Alice namorasse comigo, tentei fazer ela se confessar, ou ao menos, levar mais à sério. E ela sempre dava desculpas do tipo: "vai estragar o que está bom", ou algo do tipo. Mas o motivo nunca foi ela não querer namorar, o motivo era eu nunca ter expressado meus sentimentos para ela. Era uma coisa tão simples que eu pensava que o fato de eu sempre está com ela já demonstrava isso, como eu iria saber que ela confundiu com atração. Vou conceryar isso agora.

-Desculpa. -puxei ela novamente, abracei-a, interrei meu rosto no seu ombro e disse. -Eu te amo tanto, mais tanto, que não consigo me controlar quanto estou perto de você. Sempre quero abraça-la, beija-la. Então por favor, -levei minha atenção ao seu rosto, e coloquei minha testa rente a sua, e falei. - Namore comigo.

Ela estava sem reação, demorou um pouco para entender a seriedade do assunto.

-Para de brincadeira. Você não está falando sério né?

-É uma das coisas mais séria que já disse na minha vida.

-Mas por que isso agora? -ela estava fortemente corada.

-Porque uma certa albina aí não entendeu meus sentimentos com minhas ações,  então tive que me expressar com palavras. -falei sarcástico. - Mas sabe? Eu queria que essa albina falasse que me amava também,  eu seri... -nem esperou eu falar, selou nossos lábios calmamente e falou:

-Também te amo Ryou. - eu tinha imaginado várias e várias vezes ela falando isso, e também imaginei como eu ficaria, mas em nenhuma das minhas imaginações eu ficaria tão feliz.

-Você pode repetir? Eu realmente gostei dessa frase. -perguntei inpcente.

Ela deu um sorrisinho e falou na minha orelha.

-Imagina eu falando enquanto estivermos transando então.

Meu Deus, como ela sabe me provocar. No mesmo momento peguei ela no colo e falei:

-Vamos tomar um banho, antes que fiquemos gripados, pois de agora em diante você não vai ter tempo para ficar doente. -ela sorri. - E hoje quero o pagamento pelas semanas que não pude estar com você.

-Te pagarei com maior prazer, ou melhor, com muito prazer.

                               ~FIM~


Notas Finais


Desculpa pelos erros de português... Não teve hentai, alguém ficou esperando um? Se vcs quiserem posso fazer um deles dois.

O capitulo não está dos melhores, eu sei... posem dar dicas de casal (SnS) para eu fazer, desde que não atrapalhe os demais, ou seja, nenhum casal a ver com Souma, Erina, Alice e Ryou.

Até mais, beijoss♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...