História The Rise of the Hunters - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bleach, Blood Blockade Battlefront, Metal Gear, RWBY
Personagens Chain Sumeragi, Gilbert F. Altstein, Grimmjow Jaegerjaquez, Ichigo Kurosaki, Karin Kurosaki, Klaus V Reinhertz, Leonardo Watch, Nelliel Tu Odelschwanck, Orihime Inoue, Personagens Originais, Rangiku Matsumoto, Renji Abarai, Rukia Kuchiki, Sado Yasutora, Shihouin Yoruichi, Steven A. Starphase, Toushirou Hitsugaya, Ulquiorra Schiffer, Urahara Kisuke, Uryuu Ishida, Zapp Renfro
Visualizações 12
Palavras 2.728
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Ecchi, Escolar, Fantasia, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sci-Fi, Shounen, Sobrenatural, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


(Salt N Pepa - Shoop) (fumando um cachimbinho da paz) Oh, oi. Vai um cachimbinho? Não? Mais pra mim. (dou um trago) Bem, como podem ver pelo título (apontando pra cima e pra baixo), alguma coisa vai acontecer. Mas eu não vou falar. Nada é mais poderoso que o Spoiler. Bem, chega de enrolação, (o que aconteceu semana passada por exemplo-sussurra) e vamos começar esse show.

Capítulo 19 - Cap. 18 - O Primeiro Dia Em Equipe... Ou Não


Cap. 18 – O Primeiro Dia em Equipe... Ou Não

 

Após algumas horas de caminhada todos os estudantes haviam retornado ao anfiteatro para entregar os artefatos e descobrirem quem seriam seus membros de seus times. A cada 4 pessoas, um time era formado, revelando os membros e seu líder.

Nell, Ichigo, Grimmjow e Kanzaki haviam pegado o bispo branco e então formaram o time KING, liderados por Kanzaki. A notícia deixou a albina de boca aberta e receosa no começo, mas seus amigos não deixaram de apoia-la.

Orihime, Lilynette, Starrk e Ulquiorra haviam pego a torre preta e formaram o time SOLU, liderados por Starrk apenas no papel, pois quem ditava as ordens era Ulquiorra, já que o 1º Espada não gostava da ideia de liderança.

Renji, Rukia, Jiro e Kaminari formaram o time RKRD (Rikard), liderados pela jovem Kuchiki. Houve um protesto ou outro por parte do ruivo, mas logo fora silenciado com os socos e chutes da baixinha.

Shoto, Momo, Atsushi e Kyouka formaram o time SKMA, liderados pelo jovem de cicatriz sem críticas por parte dos colegas, pois eles sabiam que ele não cometeria os mesmos erros de antes.

Ochaco, Katsuki, Eijiro e Mina formaram o time KOEM, liderados pelo cabeça de fosforo. Ochaco ficou arrasada com a notícia de estar no mesmo time que Katsuki, achava que o próprio universo conspirava contra ela. A rosada tentava consolar a amiga que estava um pouco cabisbaixa.

Karin, Toushirou, Leonardo e White formaram o time KLWT (Kilowatt), liderados pela própria Kurosaki, que recebeu a sem crer no que ouvira. Isso até que seu melhor amigo dar um beliscão no braço da morena para acorda-la. Eles discutiram enquanto saiam para dar passagem ao novo time que seria anunciado.

Ruby e sua irmã Yang haviam parado no mesmo time junto com Blake e Weiss, formando o time RWBY, liderados pela mais nova, Ruby.

Logo após todos terem seus times formados, o diretor se retirou para sua sala acompanhado pela pequena cega. A professora Glynda toma a palavra e explica que a partir de amanhã os times serão distribuídos em 13 classes, 8 times por classe e que todos saberão que classe faram parte pela manhã. Com todos os avisos dados, todos se direcionaram a seus dormitórios.

Enquanto isso na sala do diretor, Ozpin e Toph discutiam sobre o futuro da jovem.

- Diga-me minha jovem. Como uma garota, cega, conseguiu sobreviver no meio da floresta por.... quanto tempo mesmo? – Pergunta o diretor tomando um pouco do seu café e colocando um prato com biscoitos em cima da mesa, que logo em seguida foi atacado pela pequena pegando logo de cara um monte e colocando um a um na boca, sem se importar com a educação.

- 6 meses. – Responde a cega com a boca cheia. Ozpin se encosta na cadeira e se impressiona com a jovem. 6 meses, sozinha no meio da Floresta Esmeralda por tanto tempo, e ainda por cima cega. Aquela garota não era normal. Até mesmo os veteranos têm dificuldades em sobreviver por tanto tempo a esse ambiente hostil, mesmo com seus integrantes de time.

- Você não é de Remnant? É Toph? – Pergunta o senhor com as mãos em frente ao rosto.

-  Não. Eu vim pra esse mundo através de um dos portais para, como vocês chamam mesmo aquela cidade? Ah lembrei, Hellsalem’s Lot. – Responde a pequena, pegando um copo d’água da mesa. Agora estava tudo esclarecido, ela havia vindo do outro lado, de um dos incontáveis mundos conectados à Cidade Fronteira.

- Toph, por acaso gostaria de morar aqui? Na Academia Beacon? – Pergunta o diretor, chamando a atenção da jovem.

- Porque eu iria morar aqui? Com toda essa mordomia? Eu fugi de casa pra ficar longe dessas coisas. Poder ver o mundo com meus próprios olhos. Na verdade, com meus pés, mas isso não vem ao caso. – Responde a jovem irritada com a proposta do diretor.

- Eu não disse que moraria de graça. Eu te ofereço um teto, em troca de seus serviços. – Explica o diretor voltando a tomar mais um gole de seu café. A garota sorri com a proposta.

- Bem, o que que eu tenho que fazer pra pagar meu aluguel? – Pergunta a jovem interessada com o acordo.

Enquanto os 2 estavam conversando, o resto dos alunos estava em seus dormitórios e arrumando seus quartos, os deixando do seu próprio gosto. Posters, cortinas, luminárias, livros, estantes, alguns tiveram a ideia de juntar as camas e faze-las se tornarem beliches, mesmo de forma improvisada, usando livros ou cordas para segurar as camas no ar.

Depois de alguns minutos de arrumação, todos desceram para o refeitório jantar. E para a surpresa de alguns, a dominadora de terra cega estava lá, andando pelos corredores das mesas carregando sua janta. – Toph! Senta aqui! – Grita Jiro, chamando a atenção da cega que sem perder tempo se aproxima da mesma e se senta a seu lado.

- É essa aí a garota que controla a terra? – Pergunta Ichigo a sua irmã que estava a seu lado da mesa, comendo seu prato. – É, é ela mesma. – Responde a jovem voltando a comer.

- Como é que você soube onde era a nossa mesa se não consegue enxergar? – Pergunta Nell curiosa com a resposta por parte da pequena. A mesma estava devorando uma coxa de frango antes de falar.

- Eu aprendi quando fugi de casa uma vez. No meu mundo, várias pessoas podem controlar um elemento especifico, as pessoas da Nação do Fogo conseguem criar fogo e até mesmo relâmpagos pelo o que eu ouvi dizer. O povo do Reino da Terra consegue controlar até mesmo certos cristais. E devo dizer que alguns deles são bem doces. – Comenta a jovem com um sorriso maroto no rosto.

- “Eles comem cristais também?” – Pensam os outros após ouvirem o comentário de Toph.

- As Tribos da Água conseguem controlar não só a água no estado liquido, mas no estado solido e gasoso também. Até podem congelar a água se quiserem. E os Nômades do Ar podem voar com seus bastões e com seus bisões voadores. – Termina a jovem, voltando a comer mais um pouco do frango.

- Anda não nos respondeu à pergunta. – Comenta Renji que estava bebericando seu copo d’água.

- Calma que eu chego lá. Enfim, eu cresci no Reino da Terra, numa família muito rica, mas sempre era tratada como uma invalida por causa da minha cegueira. Mesmo nascendo cega eu nunca tive dificuldade para enxergar. Mas um dia eu fiquei muito triste e irritada com a forma com a qual meus pais me tratavam e fugi pra dentro de uma caverna. Foi onde eu conheci os Dominadores de Terra Originais.

Flashback

Fiquei naquela caverna por horas. Até que uma toupeira-texugo apareceu atrás de mim. Eles eram cegos, assim como eu. Então nós nos entendíamos. Foi como eu aprendi a dominação de terra, não só como artes marciais, mas como uma extensão dos meus sentidos. Para eles, os Dominadores de Terra Originais, não era só uma luta, mas o jeito deles de interagirem com o mundo e fazer parte dele.

Eu andava com as toupeira-texugos sempre que podia e aprendia mais e mais com as grandes criaturas. Como mover as pedras, como saber onde elas estavam, mesmo quando não estivessem no chão, onde estavam seus irmãos e irmãs das cavernas, seus pais, seu mentor e outras pessoas. Com o tempo eu fui expandindo meu conhecimento sobre a dominação de terra e decidi por essa experiencia e tudo o que aprendi com seus mestres animais em pratica. Dentro do ringue e fiquei conhecida como A Bandida Cega.

Após a explicação da cega, todos se calaram. Ela havia aprendido todas aquelas habilidades através dos ensinamentos de um animal de seu mundo? Era algo impensável ou impossível. Mas ela estava lá e mostrou em primeira mão tudo o que podia fazer. Não só na floresta, mas no refeitório também. Quando ela estava andando a esmo sem ter a onde sentar, ela localizou Jiro antes mesmo dela se pronunciar ou entrar no ambiente. E ela ainda consegui chegar até a garota sem ter esbarrado em ninguém, em nenhum momento.

- Durante meu treinamento com os toupeira-texugos, eu aprendi a expandir meus sentidos, a sentir as vibrações que se espalham pela terra. Foi assim que eu encontrei vocês no templo. – Comenta Toph se virando para Jiro que estava a seu lado espantada com a fala da cega.

- Então, você vê através das vibrações da terra? Isso é incrível. – Comenta Ichigo, voltando a comer.

- Pois é né bonitão? Então quando eu estiver no banho, nem tentem espiar a gente rapazes, ou vou enterra-los até o pescoço. – Ameaça a cega passando a mão no nível do pescoço.

- Como você pode ter certeza que o Ichi-nii é bonitão? – Pergunta a Kurosaki mais nova em tom de deboche sobre o irmão ao seu lado, irritando o mesmo.

- Simples, eu consigo sentir o batimento cardíaco de todos aqui presentes. E tem 2... não, 3 corações aqui que batem mais forte por causa dele. Um mais que os outros nesse momento. – Responde Toph com um sorriso debochado no rosto e um olhar brincalhão. Kanzaki já percebeu na hora que um dos 3 corações era a dela, pois não conseguia controla-lo perto do ruivo, mas depois desse comentário ela teve que esconder o rosto para que os outros não percebessem o quão vermelho ela estava.

Todos conversavam e riam na mesa, após a janta eles se dirigem aos dormitórios para passar a primeira noite juntos como um time.

- Onde você vai dormir Toph? – Pergunta a Kuchiki se voltando para a cega que os acompanhava até os dormitórios.

- O diretor foi arrumar um lugar pessoal pra mim, já que eu não vou fazer parte do grupo estudantil. – Explica Toph caminhando ao lado da Kuchiki. – Mas ele disse que iria demorar um tempinho então sugeriu eu dormir onde eu achasse melhor. – Termina a mesma cruzando os braços à frente do corpo e bufando com a situação em que estava.

- Você pode dormir com a gente Toph! – Sugeriu a Kurosaki mais nova, abrindo a porta do quarto onde ela e seu time ficariam. – Temos uma cama sobrando, já que temos um casal aqui. – Diz ela olhando de canto para White e Leo que coram com o comentário da morena.

- Nós não dormimos juntos todo dia, só algumas vezes. – Retruca a loira gesticulando as mãos freneticamente e vermelha com o comentário malicioso da amiga.

- Hahaha, é brincadeira White. – Responde Karin, rindo da cara da loira que estava histérica com a situação.

- Tá tudo bem pombinhos, eu fico no chão mesmo. Só me deem um lençol e um travesseiro que eu durmo que nem pedra. – Comenta a cega pondo a mão no ombro de White sorrindo debochadamente da situação.

- Você tem certeza? – Pergunta a morena receosa com o pedido da pequena. Toph apenas dá de ombros e entra no quarto sem cerimonias ou permissão, seguida pelos outros. O restante também se recolhe para dormir.

No dia seguinte todos os times foram rearranjados em classes diferentes, menos os da classe 1-1, que consistia em: times RWBY, SKMA, KLWT, KING, SOLU, RKRD, KOEM e JNPR. Após todos terem tomado o café da manhã os alunos se dirigiam a suas salas de aula.

- Mal posso esperar pela primeira missão que a gente vai poder participar. Isso vai ser tão maneiro. – Comenta a Kurosaki ao seu time bem empolgada enquanto entrava na sala. Ela e seus amigos eram os últimos a chegar.

- Se você quer brincar de heroína, está na escola errada. – Comenta uma voz atrás da morena com um tom sério e irritado. Quando ela se vira, ela percebe que havia um homem deitado num saco de dormir. Sua aparência era de alguém acabado e velho, apesar de que ele tenha apenas 30 anos. – Aqui é o curso Hunter. – Completa o mesmo.

- “Ele surgiu do nada! Como ele fez isso?!” – Pensam os alunos ao notarem o homem deitado atrás da porta, o mesmo se levanta e sai do saco de dormir.

- Vocês levaram 8 segundos para ficarem quietos e isso não vai funcionar. Tempo é precioso e alunos racionais entenderiam isso. – Comenta ele enquanto saia do saco.

- “Quem é esse cara?! Ele é um professor?! Se é então é um profissional. Mas parece tão acabado. Qual é a desse cara?” – Pensa Toushirou ao olhar melhor ao homem.

- Olá, eu sou Shouta Aizawa. O professor responsável por essa classe. – Diz ele sem emoção ou animo.

- “Nosso professor?!” – Pensam todos em suas mentes aos berros.

- “Esse cara só pode tá de sacanagem com a gente mestre! Não tem como ele ser um professor!” – Exclama Ho-Oh na mente de Karin, a mesma responde com um sim a afirmação de sua zanpakutou.

- Vamos logo com isso, ponham essas roupas e vão lá pra fora. – Ordena Aizawa pegando um uniforme de educação física de seu saco e mostrando aos alunos. Sem demora todos haviam se trocado nos vestiários e se dirigido ao pátio externo.

- Alguns de vocês tiveram exames físicos boa parte da vida, mas nunca puderam usar seus Semblances neles. O mundo ainda tenta fingir que somos criados iguais sem deixar aqueles com mais poder avancem sobre os outros. Não é racional ou pragmático. Um dia os governos mundiais verão isso e terão que mudar essa visão. – Comenta o professor. Ele se vira pra um dos alunos e pergunta. – Bakugou. Qual foi sua marca de arremesso de softball no ginásio?

- 67 metros eu acho. – Responde o loiro sem muito interesse no assunto. Logo em seguida, Aizawa tira uma bola de softball do bolso e joga ao garoto.

- Pois bem, agora use seu Semblance para arremessar a bola. Contanto que não saia do círculo. – Pede o professor.

- Ok bola, por que você não... MORRE! – Berra o loiro criando uma grande explosão enquanto lançava a bola para o alto.

- “Morre?!” – Pensa Ochaco após ouvir o loiro arremessar a bola com sua explosão.

- Todos precisam conhecer seus limites. É a forma mais pragmática para se tornar um Hunter profissional. – Explica Aizawa e logo em seguida mostra em seu Scroll a distância que a bola lançada por Katsuki atingiu.

- 705 metros?! – Todos exclamam com o resultado do lançamento do loiro.

- Podemos usar nossos Semblance livremente? Que demais! – Exclama Eijiro socando o punho de Kaminari.

- Isso parece divertido! Eu quero tentar. – Diz Mina empolgada para poder ser a próxima. Mas Aizawa não parece nem um pouco contente com a empolgação de seus alunos.

- “Isso parece divertido”? – Pergunta o professor com um tom mais sério em sua voz. – São 4 anos para ver se vocês vão se tornar Hunter ou não. E vocês vem com essa postura para encarar esse meio tempo? – Pergunta o professor irritado, deixando todos nervosos com o que ia acontecer a seguir.

- Pois bem, quem ficar em último na avaliação geral será considerado inapto para se tornar um Hunter. E ESSA PESSOA SERÁ EXPULSA DA ACADEMIA JUNTO COM OS MEMBROS DE SEU TIMEExplica Aizawa com um olhar sombrio em seu rosto, fazendo todos se desesperarem e ficarem receosos com o que iria acontecer com eles. Se um de seus membros de equipe falhar, todos falham e eles serão expulsos da academia. – Os professores tem total LIBERDADE para decidir os destinos dos alunos. SEJAM OFICIALMENTE BEM-VINDOS A ACADEMIA BEACON!!

- Mas Aizawa-sensei, ainda estamos no primeiro dia de aula e o senhor que expulsar a gente?! Isso não é injusto demais?! – Pergunta Ochaco inconformada com a notícia do professor.

- Ah então você acha que os desastres naturais são justos? Criminosos cometendo barbaridades nas ruas? Grimms atacando vilas isoladas e viajantes indefesos? Um experimento que pode destruir cidades inteiras? – Pergunta o professor seriamente a aluna, deixando não só ela, mas todos os que estavam presentes mudos. – O mundo é cheio de injustiças. E é o dever dos Hunters sobrepujarem essa injustiça. Se quiserem ir numa lanchonete da vida e bater papo depois das aulas vão para outra academia. Por que nos próximos 4 anos, essa academia fara de tudo para que VOCÊS SOFRAM!!! – Explica o professor calmamente diante de seus alunos. – Então vão além. Plus Ultra Style. – Diz Aizawa chamando os alunos com o dedo. – Mostrem que merecem estar aqui.


Notas Finais


Iiiiiiiihhh rapaz, agora a coisa fedeu. Vou soltar um desabafo aqui. De todos os Pros de BHA, eu sou muito fã do Aizawa, o cara é foda demais maluko. Ah, saquei. Vocês querem que eu fale sobre o próximo cap. de novo, certo? (balancando a cabeça possitivamente) (solta o ar pesadamente) Ok, eu falo. Vamos conhecer um treinador e analista bem.... diferente, podemos dizer assim. Vamos ver se vocês tem cérebro pra descobrir quem é? Cabelo azul, siscon e um pervertido de primeira. Descobriu? Coloque nos comentarios e aguarde até semana que vem para descobrir.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...