História The Roof - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Jack & Jack, Magcon, Sam "Wilk" Wilkinson
Personagens Sammy Wilkinson
Tags Jack And Jack, Magcon, Sammy Wilkinson
Exibições 25
Palavras 2.147
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Gatha


Estávamos a caminho da praia, eu ainda lembrava o caminho de quando era mais nova e mamãe me levava lá com Jack, sempre ficávamos brincando com a areia, fazíamos um concurso de quem conseguia fazer um castelo maior e mais bonito, claro que Finnegan sempre me ganhava, enquanto eu estava demasiado ocupada colocando conchinhas no meu castelo, Jack já estava com um castelo quase maior do que eu, o que sempre me fazia rir pois eu me esforçava muito para lhe ganhar.

Expulsei as lembranças da minha mente quando ouvi uma buzina atrás de mim, o sinal estava verde e eu estava parada fazia um tempinho, abri a janela e coloquei a cabeça para fora olhando o cara que estava conduzindo atrás de mim que gritava.

‘’ Olha cara, está uma garota em trabalho de parto aqui, se eu estou demorando é porque está quase nascendo um bebé no meu carro e não consigo me concentrar com tanto grito ‘’ – gritei para o cara e logo alguém gritou dentro do meu carro, Jack e Samuel começaram a gritar fino, fingindo que estava uma garota realmente em trabalho de parto e eu fiz uma cara desesperada até que ouvi mesmo o grito de uma garota.

‘’ MEU DEUS PAPAI É A AGATHA GILINSKY, AI MEU DEUS ‘’ – a garota que estava sentada ao lado do homem atrás de mim gritou e rapidamente eu coloquei a minha cabeça para dentro – ‘’ PAPAI MEU DEUS É MESMO ELA, ELA É UMA SURFISTA E É IRMÃ DE JACK, EU VOU DESMAIAR ‘’

‘’ MEU DEUS VOCÊ ESTÁ BEM CHRISTINE? ‘’ – ouvi o pai dela gritar e decidi que era melhor acelerar, meu deus

‘’ AMO VOCÊ ‘’ – gritei para a garota e esta voltou a gritar, será que a garota não fica com dor na garganta, jesus

Coloquei o pé no acelerador assustando mamãe que estava rindo muito da situação, consegui avistar a praia e logo senti o cheiro do mar, aquilo me relaxava muito.

‘’ AI, EU ACHO QUE ME BEBÉ ESTÁ NASCENDO ‘’ – Samuel gemeu

‘’ Olha cara, mais parece que estão arrombando seu cu ‘’ – Jack murmurou e eu ri muito

‘’ Eu arrombei o seu ontem à noite, não vamos confundir quem leva nesta relação ‘’ – Samuel retrocou

‘’ Mamãe, você admite isso? ‘’

‘’ Eles fazem pior do que isso, uma vez eu vi Samuel fazendo penteados no seu irmão e depois eles disseram que era mentira e Jack disse que ia arrombar Sammy e você sabe o que ele disse? ‘’

‘’ O que ? ‘’ – perguntei rindo

‘’ Que podia ser em todo o lugar menos na boca porque seus dentes eram preciosos ‘’

‘’ MEU DEUS, SAMUEL ‘’ – eu comecei a rir tanto que quase bati no carro atrás enquanto tentava estacionar – ‘’ Samuel você está tentando fazer Jack arrombar você? ‘’

‘’ Não garota, você está louca? ‘’

Eu continuei a rir e abri a porta do carro tirando a minha mochila da bagageira, deixei a mesma aberta para os garotos e a mamãe tirarem as suas coisas, peguei minha prancha quando tirei a corda do suporte onde as três se encontravam.

‘’ Cada um leva uma, não posso levar todas ‘’

‘’ Você levou duas quando chegou hoje ‘’

‘’ Cara eu quase quebrei minha bunda tentando levar as duas ‘’ – respondi a Samuel que ria

Peguei na prancha em baixo do braço e tranquei o carro quando todos tiraram as suas coisas, a praia estava praticamente vazia, só haviam algumas pessoas espalhadas o que deixava muitos lugares vazios, as ondas estavam bem calmas hoje, quase não havia nenhuma mas quando havia eram grandinhas até e acredito que com elas Samuel e Jack iriam cair algumas vezes, até eu caio com estas ondas, principalmente porque estou brincando com elas mas mesmo assim não se brinca com o mar.

Caminhamos até a um sítio onde não tinha nada e rapidamente ajeitamos nossas coisas.

‘’ O que você está fazendo aí sentada? ‘’

‘’ Como? ‘’

‘’ Vamos garota, quero aprender logo logo ‘’ – Jack puxou minha mão me levantando da toalha

Tirei minha roupa e coloquei em cima do meu telemóvel que estava na mala, os meninos fizeram o mesmo e eu tenho que confessar, os garotos que vivem comigo são muito gostosos, não querendo parecer estranha por falar do meu irmão assim mas Jack cresceu bastante e está com um corpo que deixaria qualquer garota louca, menos eu claro, sou sua irmã, já Samuel era mais magrinho que Gilinsky mas mesmo assim era muito gostoso, os seus cabelos castanhos com as pontas meio aloiradas estavam puxados para cima e ele sorria olhando para mim.

‘’ Okay, meninos vamos fazer um aquecimento antes para vocês entenderem mais ou menos o que se vai estar acontecendo ‘’

‘’ Sim professora ‘’ – eu ri

‘’ Eu não trouxe wax que é a cera que se coloca nas pranchas por isso vocês vão ter mais facilidade de cair, deitem-se na prancha e comecem a remar ‘’ – os garotos fizeram o que eu disse e eu sorri, até que dava para ser professora – ‘’ Agora coloquem suas mãos na prancha levantando um pouco o peito, fazendo como se fosse uma flexão, ai vocês fazem força e saltam ficando em pé ‘’ – os meninos fizeram exatamente o que mandei e até que mandaram bem, sorri para eles e repetimos o processo mais algumas vezes para ter a certeza que eles entendiam, para você se levantar numa prancha na água tem que ter a certeza que o consegue fazer na terra.

‘’ Muito bem garotos, vamos? ‘’

Os garotos pegaram nas pranchas e começaram a correr feitos loucos para a água.

‘’ Agatha? ‘’ – mamãe chamou, olhei para ela e sorri – ‘’ Acho que você e Sammy se vão dar bem’’

‘’ É mamãe, espero que sim ‘’ – sorri

‘’ Estou feliz por estar em casa meu bem ‘’

‘’ Te amo mamãe ‘’

Sorri para a senhora à minha frente e rapidamente comecei a correr com a prancha em baixo do braço em direção aos garotos que estavam-me esperando perto da água.

Passei à sua frente correndo e quando cheguei fundo o suficiente coloquei a prancha na água, os garotos colocaram-se ao meu lado e eu deitei-me no objeto creme e preto à minha frente, os meninos tentaram fazer o mesmo que eu algumas vezes mas acabaram por escorregar porque já tinham molhado as duas faces da prancha e isso os fazia escorregar diversas vezes, saí de cima da minha prancha e coloquei Jack em cima da dele, neste caso todas as pranchas eram minhas mas como eles estavam usando emprestado tudo bem, certifiquei-me que Jack estava seguro e fui em direção ao Samuel que estava esperando a minha ajuda pois já tinha caído diversas vezes, comecei a rir quando ele me deu a sua mão como se fosse uma princesa mas eu apenas afundei a cauda da prancha e empurrei suas costas para cima da mesma.

‘’ Já estão princesas? ‘’ – zombei

‘’ Já Príncipe Encantado ‘’ – Samuel falou com uma voz fina e eu ri mas a verdade é que não ri só dele, eu ri do riso de Jack que mais parecia uma foca parindo, gente muito bom.

Subi em cima da minha prancha com cuidado pois o meu mais recente machucado estava ardendo um pouco, comecei a remar com os braços até à parte onde se formavam as ondas sempre verificando se os meninos estavam-me seguindo ou se estavam na palhaçada um com o outro, adivinhem qual é a opção que estava correta.

Ri deles os dois e quando vi uma onda ligeiramente grande formar-se comecei a remar na direção contraria aos rapazes que estavam-me seguindo e rapidamente me coloquei de pé em cima da minha melhor companhia, fiz algumas manobras pequenas porque não podia me esforçar muito devido ao machucado e sorri quando vi os rapazes a tentar apanhar outra onda, atirei-me para a água de costas e senti esta tocar em todas as minhas marcas, sorri ligeiramente, eu tinha muitas saudades do mar, não fazia qualquer tipo de atividade no mar há uma semana e quando se está habituada a fazer isso todos os dias, você sente muita falta.

Voltei rapidamente à superfície quando ouvi um grito.

‘’ EU CONSEGUI GATHA, EU CONSEGUI ‘’ – Jack gritou sorridente e eu olhei para ele em cima da prancha, sorri abertamente mas me assustei assim que vi a prancha de Samuel vir para cima de mim, mergulhei rapidamente e senti a mesma puxar alguns cabelos mas nada de mais, quem está no mar sempre está sujeito a ser atropelado por um garoto que não sabe surfar

‘’ Garoto quer me matar? ‘’ – Resmunguei assim que voltei a cima

‘’ Me desculpa, meio que saiu do meu controlo ‘’ – ele sorriu embaraçado

‘’ Sem problema Samuel ‘’

‘’ Por favor me chama de Sammy, você parece minha mãe quando está brava comigo cara ‘’

Soltei uma gargalhada e sorri de seguida concordando, ficamos cerca de três horas na água, os garotos estavam-se divertindo muito e eu também, era com cada tombo que eles davam que eu só conseguia rir e então cada um me atirava água quando eu zoava eles, caras chatos.

Mamãe ainda continuava deitada à sombra e eu e os garotos às vezes fazíamos sinais e zoávamos ela fingindo que um dos garotos se estava afogando ou que eu estava brigando com eles, o que muitas das vezes era verdade já que eles insistiram em fazer uma guerrinha de prancha e então estavam em cima delas tentando bater um num outro, eu só conseguia rir com eles, parecia que tudo estava bem sabe? A gargalhada deles me deixava muito feliz porque eu raramente via pessoas felizes, apenas garotas e garotos stressados com os resultados dos campeonatos ou com o facto de terem perdido uma onda, eu era muito na boa com isso cara, se você perdeu uma onda você encontra outra e vai.

[...]

‘’ Que tal chamarmos os garotos para aqui e fazermos uma fogueira e um jantar? ‘’ – Jack perguntou, já se fazia muito tarde, já era quase de noite e já estávamos há bastante tempo na praia, mamãe acabou por ir embora com uma amiga que encontrou na praia e disse para ficarmos mais um pouco para aproveitarmos o tempo no meu primeiro dia.

‘’ Isso seria legal, assim a Agatha conhecia os garotos também ‘’ – Sammy sorriu para o meu irmão e eu fiquei apenas olhando eles conversarem, mas rapidamente Jack se levantou e pegou o telemóvel ligando para seus amigos

Reparei que Sammy olhava para mim fixamente me fazendo sentir um pouco desconfortável, qual é cara, tem um garoto muito gato olhando para mim aqui, e tenho a certeza que é para mim porque somos os únicos a esta hora na praia.

‘’ O que foi Wilk? ‘’ – questionei olhando para ele

‘’ Você é muito gata cara, tipo o seu nome diz tudo sobre você ‘ Gatha ‘ ‘’

Comecei a rir muito, alguns garotos já me tinham dito isso quando fui para o Brasil num campeonato, eu fico rindo muito mesmo quando fazem essas coisas com meu nome, vá lá gente, tem piada.

‘’ Obrigada, você não fica atrás Wilk ‘’

‘’ Ele nunca esqueceu você ‘’ – murmurou depois de piscar o olho para mim, apenas porque eu o chamei de gato, indiretamente

‘’ Como assim ? ‘’

‘’ Jack ‘’

‘’ O que tem? ‘’

‘’ Ele e eu passávamos algumas tardes vendo vídeos dos seus campeonatos de surf ‘’

‘’ Nossa, serio? ‘’ – levantei a cabeça da toalha massageando meu rosto

‘’ É, ele ficava sempre muito orgulhoso quando você ganhava um campeonato ‘’

‘’ Eu sempre fiquei muito orgulhosa de quando o via cantar ‘’ – olhei para Jack que se encontrava um pouco longe falando ao telemóvel e sorri – ‘’ Eu nunca soube que ele gostava de cantar, acho que ele desenvolveu isso quando eu fui embora, me arrependo de ir em certos aspetos, poderia ter passado mais tempo com ele e aprendido tudo sobre ele, pessoalmente, não apenas pelo computador ou pelo que mamãe me contava ‘’

‘’ Olha para você cara, você se tornou muito boa no que faz, não vale a pena ficar se lamentando agora, você está aqui ‘’

‘’ É verdade, eu sempre quis fazer com que ele se orgulhasse de mim e eu consegui ‘’

Sammy assentiu e passou a mão na minha tatuagem sobre Jack, eu a fiz quando tinha dezasseis anos, essa foi a minha pior idade, eu achei que Jack não me amava mais porque foi quando eu comecei a perguntar por ele outra vez e mamãe sempre inventava desculpas porque meu irmão não queria falar comigo.

Olhei para Samuel agradecida e sorri para ele, como mamãe disse, eu acreditava que seriamos bons amigos.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...