História The Second Argent - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Supernatural, Teen Wolf
Personagens Alan Deaton, Allison Argent, Benfeitor, Bobby Finstock, Breaden, Chris Argent, Danny Mahealani, Isaac Lahey, Jordan Parrish, Kate Argent, Ken Yukimura, Kira Yukimura, Liam Dunbar, Lydia Martin, Malia Tate, Mason Hewitt, Melissa McCall, Meredith Walker, Mieczyslaw “Stiles” Stilinski, Natalie Martin, Noshiko Yukimura, Personagens Originais, Peter Hale, Rafael McCall, Scott McCall, Sheriff Noah Stilinski
Tags Allison Argent, Argent, Banshee, Benfeitor, Derek Hale, Dylan Sprayberry, Hale, Isaac Lahey, Kate Argent, Kira Yukimura, Kitsune, Liam Dunbar, Lobisomem, Lydia Martin, Malia Hale, Natasha Argent, Scott Mccall, Selena Gomez, Stiles Stilinski
Visualizações 611
Palavras 1.059
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Crossover, Escolar, Famí­lia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Vai rolar beijo <3
Bom, eu vou adiantar o cap, pois eu não terei tempo essa e a proxima semana para postar (Provas). Queria fazer uma pergunta: O que estão achando da fic?


Beta: Mysterious Queen (YD)

Capítulo 25 - Natiel Kiss


Fanfic / Fanfiction The Second Argent - Capítulo 25 - Natiel Kiss

— Aconteceu algo? — Pergunto e ele me olha.

— Eu estou sendo caçado. — Ele fala, olhando para mim. — Por anjos. Preciso que não fique se teletransportando. Que tente aprender tudo isso que eu falei. Promete. — Ele fala e eu me levanto caminhando em sua direção.

— Prometo. — Falo e ele se aproxima parando próximo de mim, ele sobe uma das mãos e a coloca em meu pescoço, e a outra em minha cintura, ele se aproxima de meu rosto lentamente. — Eze-qui-el... — Falo entre fôlegos por vê-lo tão próximo.

— Eu nunca... Hm... — Ele começa a falar e fica meio vermelho, e olha fixamente para minha boca.

— É um último desejo? — Pergunto, e ele concorda lentamente com a cabeça, e depois sobe a mesma olhando para meus olhos. Eu dou um mini sorriso e coloco minhas mãos em seu ombro o puxando para perto. Suas mãos descem pelo meu corpo, repousando em minha cintura. Eu me aproximo lentamente da boca dele, e quando faltava alguns centímetros, ele me puxa, e nossos lábios então são grudados, fecho meus olhos e faço carinho em seu cabelo. Ezequiel pede passagem com a língua e eu cedo, aprofundando aquele beijo que antes parecia ser um beijo tímido, para um mais voraz.

Logo a falta de ar bate e eu me separo dele, quando abro meus olhos vejo seus lábios vermelhos e sorridentes. Eu dou um sorriso tímido, e me viro para pegar as folhas e minhas coisas.

— Se cuida. — Ele fala e a as coisas daquela casa começam a tremer, ele chega perto de mim, me dá um selinho e me teletransporta novamente para a escola exatamente de onde ele me tirou, coloco as mãos em meu lábio. Mas logo escuto um rugido e um barulho de armário, corro em direção ao vestiário masculino e vejo meu pai segurando Liam pela garganta o pressionando no armário. Eu me aproximo atrás de Scott confusa.

— Liam. — Ele diz e Liam nos olha.

— Você está certo. Ele é bravo. — Diz meu pai.

— Pai! — Falo e ele larga Liam.

— Este é o seu. — Diz Scott enquanto levantava um bastão de Lacrosse. O sinal bate. — Vá para a aula, Liam. — Fala e Liam o olha, e depois olha para meu pai.

— Vai a senhorita também. — Diz meu pai e eu bufo saindo do vestiário, sinto um braço me segurando e eu me viro vendo Liam.

— Sabia disso? — Ele pergunta e eu nego,

— Não. Apenas ouvi o som do seu rugido e de algo batendo no armário. — Digo dando os ombros.

— Hm... O que são essas coisas? — Ele apontou para as folhas que eu levava.

— São a história dos anjos, poderes e fraquezas. — Falo e ele se aproxima para ler.

— Onde conseguiu isso? — Ele pergunta.

— Um anjo me ajudou, e me contou. — Falo olhando para as folhas.

— Tipo, literalmente? — Pergunta

— Sim. Se leu a bíblia e o nome “Ezequiel” aparecer, esse é o anjo que me ajudou. — Falo e acelero o passo. — Qual é sua aula? — Pergunto o olhando.

— Tenho matemática. E você? — Perguntou

— Francês. — Falo e ele acena a mão correndo para a sala. Eu ia me teletransportar, mas me lembro que Ezequiel pediu para mim não fazer isso. Então corro em direção a sala.

— Atrasada, senhorita Argent. — Diz a professora

— Perdão. — Falo, e ela me olha de cima a baixo

— Se sente. — Diz rígida e eu caminho até a mesa.

— Velha rabugenta. — Resmungo e ajeito minhas folhas em meu caderno o guardando na mochila, pego minha apostila e me viro para olhar a professora, dou uma olhada rápida no local, e vejo Violet na sala me olhando, não sei porque, mas eu não vou com a cara dela. Junto minha mochila em meus pés e olho para a professora.

— Vou falar palavras e frases e quero que vocês as traduzam. — Fala a velha e eu viro

— Pouvez-vous recommander un bon restaurant près d'ici? (Você pode me recomendar um bom restaurante perto daqui?) — Ela diz, sim, eu entendo. Pois depois do meus “Sonhos” com Aurora e Lionel, parece que fiquei fluente em Francês. A classe repetiu e eu fiquei quieta, e dei os ombros, começando a desenhar no caderno. — Um problème Mlle Argent? (Algum problema senhorita Argent?) — Pergunta e eu olho para ela. — Et rappelez-vous de parler en français (E se lembre em falar em Francês) — E eu bufo.

— Non, madame. Je suis juste ne pas se sentir bien, je suis désolé de perturber votre classe. (Não senhora. Eu apenas não estou me sentindo bem, me desculpe por atrapalhar a sua aula.) — Falo com Tédio e ela me olha surpresa.

— Depuis quand peuvent parler couramment? (Desde quando sabe falar fluente?) — Ela fala

— Je classe de français depuis que je suis enfant. (Eu tenho aula de francês desde que era criança.) — Falo cruzando os braços sobre a mesa, ok... Eu posso ter mentido em relação a isso, mas qualquer coisa é melhor do que ficar aqui

— Que faites-vous ici? Vous pouvez laisser. Comme nous le verrons dans la preuve. (O que faz aqui? Pode sair. Apenas nos veremos nas provas.) — Ela fala e eu sorrio satisfeita.

— Au revoir (Tchau) — Falo e pego minhas coisas, e saio da sala.

Saio da sala, caminhando pelo corredor, até que enquanto eu saia, Liam passou por mim e logo Mason passou o chamando e pedindo para ele não fazer algo, com Gabriela atrás apenas seguindo. Quando ela passa por mim, faz um sinal para mim seguir e eu resolvo ir, do jeito que Liam era esquentado, era melhor.

— Brett. — Diz Liam e eu olho para o cara que saia do ônibus.

— Aqui vamos nós. — Fala Mason. Liam parou na frente do tal ‘Brett’, Mason para a sua direita, paro a esquerda de Liam e Gabi para ao meu lado.

— Eu só queria dizer... — Liam começa, e eu vejo seu ódio.

— Liam... — Sussurro e o mesmo me olha, sinto olhares em mim.

— Tenha um bom jogo. — Ele fala estendendo a mão.

— A garota te acalmou? É isso que te que faz ficar calmo? — Ele olha rapidamente para mim, assim como todos os meninos. — Acha que pedir desculpas e está tudo certo? Você acabou com o carro do treinador. — Diz Brett e eu olhei para Liam.

— Eu pagarei por ele. — Diz Liam segurando a raiva.

— E vai pagar mesmo. Nós vamos quebrar você ao meio e será tudo culpa sua. — Brett fala e logo Scott e Stiles chegaram puxando Liam.


Notas Finais


Espero que gostem


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...