História The Second Chance - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Álvaro Morata, Francisco "Isco" Suárez, Marco Asensio
Personagens Álvaro Morata, Francisco Román Alarcón Suárez, Marco Asensio
Visualizações 106
Palavras 1.047
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


CHEGUEI! Valisco pegou fogo e incendiou o lugar, mas foi de amor. E agora o casal vai descobrir como o amor dá segundas chances...Espero que gostem ❤

Capítulo 25 - Eu te amo.


Fanfic / Fanfiction The Second Chance - Capítulo 25 - Eu te amo.

Madrid, Espanha. - Capítulo 25.

Meu coração estava acelerado com os olhares de Isco mas eu estava feliz de estar ali com ele, suas mãos delicadamente me puxaram e ele me envolveu num abraço enquanto a música tocava. Quando nossas bocas se encontraram num beijo apaixonado eu soube que ninguém seria capaz que estragar o que nós temos, minhas mãos passaram por debaixo da sua camisa e minhas unhas começaram a arranhar sua barriga.

Ele me deitou cuidadosamente no cobertor estendido e nós voltamos a nos beijar lentamente, o momento era perfeito apesar do meu nervosismo e ansiedade para o que estava por vir. Calmamente ele abriu os botões do meu short jeans beijando meu pescoço ao mesmo tempo e eu sentia todo o meu corpo se arrepiar com o seu toque, era incrível como cada parte dele respondia aos comandos de Isco sem hesitação e então eu retirei sua camisa revelando seu corpo tão bonito.

- Eu quero repetir a pergunta, mas dessa vez sem interrupções. - ele disse me olhando nos olhos, com as nossas testas coladas.

- Diz. - eu disse, meu coração voltou a acelerar.

- Valentina, você aceita namorar esse cara meio lerdo e demorado pra entender certos sentimentos? - perguntou.

- É claro que eu aceito. - eu sorri, e senti meus olhos marejarem.

- Vale. - ele pausou sorrindo de olhos fechados.

- Eu te amo. - completou e eu não consegui conter uma lágrima que escorreu dos meus olhos.

Foi a primeira vez que eu ouvi essas três palavrinhas e senti que foi de verdade, meu coração não estava se aguentando no peito e meus olhos não paravam de encher d'água enquanto ele me encarava com o olhar doce e apaixonado. Eu achava que seria impossível ter Isco e agora parece que o tenho mais do que nunca, mais do que eu poderia imaginar e só Deus sabe o quão feliz eu estou nesse momento.

- Eu te amo, Isco. Muito, muito mesmo. - sorri fazendo seu sorriso surgir.

Nosso beijo voltou a acontecer e ele abriu os botões da minha camisa me olhando com os olhos brilhantes, deixou uma trilha de beijos molhados no meu pescoço e seios até chegar no meio da minha barriga. Nunca fiz nada disso antes mas sei que se a primeira vez nunca é como imaginamos e pra mim está perfeito desse jeito surpreso, ele inverteu as posições e eu sentei em seu quadril retirando por fim minha lingerie vermelha sem vergonha alguma. Isco tinha um olhar confortador e isso me fazia sentir uma mulher incrível aos olhos dele, suas mãos dedilhavam minha cintura enquanto eu sentia sua excitação crescer.

- Eu estou com medo. - fui sincera.

- De mim? - perguntou fazendo um carinho na minha bochecha.

- De fazer algo errado, eu nunca fui de alguém assim. - admiti e ele se colocou sentado comigo ainda em seu colo.

(Coloquem para tocar: Why ya wanna - Jana Kramer)

- Mas agora você é minha, inteiramente minha. - ele sussurrou roçando nossos lábios.

Ele estava deixando bem claro que gostava de mim e suas carícias confirmavam suas palavras, sua mão retirou por fim o meu short que já estava com os botões abertos e eu fiz o mesmo com a sua bermuda. E quando as últimas peças que faltavam ser retiradas foram retiradas ele me olhou nos olhos sussurrando aquela pergunta típica e eu assenti dizendo que tinha certeza, de início eu senti uma dor enjoada me invadir e com movimentos lentos ele foi fazendo-a sumir. Seu rosto estava na curva do meu pescoço e seu gemido baixo e rouco no meu ouvido estava me deixando louca, quando a dor deu lugar ao prazer ele aumentou seus movimentos e eu tentava não sussurrar seu nome junto a mil e uma palavras desconexas.

- Eu te amo, eu te amo, eu te amo...- eu repetia enquanto meu corpo era entregue à ele.

- Eu te amo. - ele sussurrou contra a minha boca mordendo seu lábio inferior logo em seguida.

Invertemos as posições várias vezes e em cada uma delas eu descobria os prazeres de ser amada de corpo e alma pela primeira vez, suas mãos passeando a minha pele e contornando as minhas curvas arrepiava cada pelo do meu corpo. Senti meu corpo estremecendo e uma onda de prazer me invadiu sem que eu esperasse mas foi a melhor sensação que eu já tive na vida, ele logo em seguida fez o mesmo e desgrudou de cima de mim cobrindo meu corpo com a toalha que estava estendida.

Ele estava olhando para o céu deitado ao meu lado com o olhar sério e eu deduzi que ele não havia gostado ou que eu fiz algo errado, vesti minha calcinha e ele me deu sua camisa para vestir sem dizer uma palavra sequer.

- Você não gostou né? Eu sabia que tinha feito alguma coisa...- estava dizendo mas ele me interrompeu.

- Como pode me perguntar isso? - perguntou finalmente me encarando.

- Você está sério e quieto. - eu disse.

- Estou memorizando tudo o que aconteceu aqui, pra nunca mais esquecer. - ele disse e eu sorri de leve.

- Você foi a primeira mulher depois da Laura que me despertou um sentimento forte e hoje foi a nossa primeira vez...a primeira vez que eu amei alguém de novo e eu não quero esquecer isso. - ele disse se colocando sentado assim como eu estava.

- Eu juro que vou fazer tudo o que estiver ao meu alcance pra te fazer feliz. - eu disse e ele segurou minha mão.

- Você já me faz feliz, meu amor. - ele sorriu e meu coração derreteu.

- E agora você vai ter que me aturar porque eu não vou largar do seu pé. - brincou me dando selinhos.

- Porque você agora é a minha namorada! - gritou me levantando do chão num abraço.

Eu não parava de rir e a felicidade estava impregnada em mim assim como o seu cheiro, assim como sua camisa branca que me parecia tão familiar.  Eu não sei o que fiz a Deus para merecer um cara como ele, mas se mereci farei de tudo pra dar o valor que ele merece. Eu o amo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...