História The Secretary - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, Selena Gomez
Personagens Justin Bieber, Personagens Originais, Selena Gomez
Tags Amor, Drama, Jelena, Romance, Secretária
Visualizações 141
Palavras 6.270
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


ESTOUUUUUUUUUUUUUUUUU DE VOLTAAAAAAAAAA. Obvio que não superei, quem leu o texto no capitulo anterior vai entender, mas eu estou mais feliz. E eu disse que nada iria me impedir de escrever, bem meus amores eu tive imensas saudades. Jamais irei desistir da fanfic e de voces ^-^. Eu passei o dia inteiro me dedicando neste capitulo, é grande pra crl mas vale a pena ser lido acreditem. E É PA LER ATE AO FIM TA BOMBOSINHOS DE CHOCOLATE? TA.
Entao uma boa leitura, eu realmente deixei que o meu dia dependesse deste capitulo, nao reli ate pq eu vou lendo as poucos enquanto escrevo. Se tiver erro me perdooem. Preparem o coracao, coloquem o colete de anti-balas.
Boa sorte.
Nao morram ta?Se n ja n tenho qm leia a fanfic KJKSJSJSJ ta eu tava brincando. Boa leitura e ate as notas finais amores.
Xoxo.

Capítulo 18 - Together? Together.


Para quem não se recorda das cenas do capítulo anterior, o que acontece é que a Selena tem um suposto sonho erótico com o Justin Bieber, e é acordada pela Demi ■●■
××××××××××××××××××××××××××××××××
Gente eu sei que eu disse nos outros capítulos que o Harry tinha olhos azuis mas eu realmente pensava que ele tinha, agora que to praticamente no fandom dele (por causa do novo album e tals e n so ne eu tp to amando ele como o Justin) eu descobri que ele tem olhos verdes, eu nunca fui tão proxima dos 1D então me chamem de burra mesmo. Como a vida da voltas ne, ontem eu tava apenas escutando umas musicas dos 1D agr escuto o album todo e sou larry shipper.
××××××××××××××××××××××××××××××××

P.O.V. Selena Gomez
          [11:18 a.m.]

- Sim. Okay eu estarei aí amanhã. Não, eu... okay! Sim eu irei falar com ele. Claro, okay... Eu preciso de ir se me dão lincença. - antes que a pessoa da outra linha começasse a falar novamente decidi desligar o celular no mesmo segundo.

- Porra, esta gente nunca mais vai me deixar. - reclamei baixinho arrancando de seguida um suspiro.

- Está tudo bem? Parecesses estressada. - ouvi uma voz feminina familiar à minha trás e dei um pequeno pulinho de susto.

- Ai Demz, assustaste-me. 

Respirei fundo trazendo todo o ar possível para os meus pulmões tentando afastar o nervosismo.

- Sel o que se passa? - questionou Demi pela segunda vez, encostada no batente da porta do meu quarto com uma feição preocupadíssima.

- Preciso de ir à delegacia amanhã por causa do homícidio do Ryan. - suspirei nervosa e coloquei as unhas entre os dentes mordiscando as mesmas.

- Mas não tinham te considerado livre?! Eles não têm nenhuma prova contra ti! - ela exclamou incrédula.

- Eu sei mas parece que não estão encontrando pistas do suposto culpado, e se encerraram a investigação vão prender-me, pois não tenho provas que não estive naquele sítio àquela hora! E tem uma pessoa contra mim por isso é complicado, o facto da Kylie dizer que viu-me não convence o juiz, o problema mesmo é que eles têm que prender alguém para ficar com a imagem de culpado e isso sinceramente está comendo o meu cérebro por inteiro e se a Kylie arranjar provas falsas contra mim e se... 

Atrapalhei-me com as palavras por conta da rapidez que falei, sem sequer dar uma pausa e implorando para parar poder respirar novamente, enquanto os meus pés apenas cobridos por meias brancas andavam apressados de um lado para o outro e o meu coração pulava forte de nervosismo, a minha cabeça ia explodir a qualquer momento como nos desenhos animados, não duvidava disso.

Demi reparou na pressão toda que caía sobre o meu corpo e a rapidez que as palavras saíam da minha boca demonstrando que eu estava um tanto entendiada, então decidiu interromper-me antes que eu morresse por falta de ar.

- Sel calma, respira! - pediu ainda inacreditada e deixou um suspiro escapar por entre os lábios, logo de seguida parecendo pensar em algum plano. - Eles te chamaram ou algo assim?

- Sim, eu preciso de ir à delegacia amanhã para falar tudo o que eu sei em minha defesa, tipo a verdade por inteira sem esconder nada. E eles disseram também que tinha que avisar Justin de tudo e para ele ir também, já que ele não lhes atende o celular.

- Então faz o que eles querem! Diz a verdade, tens também algumas provas contra a Kylie e é o sufeciente para ser presa. Primeiro, a Kylie e o seu plano com o Ryan, deve haver camerâs de vigilância no escritório e pode estar lá gravado sobre o incidente da PEN.

Parei por um momento, encerrando qualquer gesto ou movimento e nem atrevi-me a piscar um olho, encarei a minha melhor amiga e finalmente pestanejei várias vezes pensativa, sim, era obvio que aquela ideia já tinha sido bem vinda à minha mente (retirando a parte da PEN) mas eu realmente tinha medo de arriscar.

Sabia o quanto Kylie era perigosa e o que ela poderia fazer por vingança, tenho a certeza que foi ela que matou o Ryan e tenho ainda mais a certeza que foi por o plano deles ter falho, sim eu tinha algumas provas que talvez fossem sufecientes para prendê-la, mas ela consegue sempre dar a volta e ainda por cima vingar-se, dá para acreditar que ela já ameaçou-me com uma arma e já chamou-me para um parque as 03:00 a.m. só para avisar que não podia aproximar-me de Justin?! Ela é completamente louca, fora do normal e psicopata.

- Selena! - a garota de cabelos pretos praticamente gritou o meu nome me acordando para a realidade. - Você me ouviu?!

- Ahn... uhm não. - respondi um pouco atrapalhada. - O que foi?

- Eu falei para você contar tudo a Justin antes de ir na delegacia acusar Kylie.

Acusar Kylie. Talvez eu tenha que arriscar.

- Ah... sim eu vou fazê-lo... - respondi transmitindo alguma insegurança mas logo respirei fundo tentando demonstrar-me confiante.

- O que estava pensando?!

- Hm nada, eu vou fazê-lo Demi. Eu vou falar tudo na delegacia e estou pouco me fodendo para o que a Kylie vai fazer. - falei decidida desta vez.

- É assim que se fala! - exclamou e bateu palmas. - Agora vamos descer que a Taylor e o Harry estão quase chegando, depois você fala com Justin.

- Sim sim, vamos logo. 

Oh, eu esqueci de dizer. Eu havia combinado uma saída com Harry, Taylor e Demi, Kaelyn obviamente que viria não ia esquecer da minha pequenina.

Saí do meu quarto acompanhada por Demi e pisei os degraus de madeira pólida que levaria-me até a sala, desci rapidamente os mesmos e Demi fez o mesmo. Quando encontrei-me na pequena sala aconchegante pude notar na televisão acesa em algum canal de desenho animado, Kaelyn deveria estar no sofá.

Aproximei-me calmamente do sofá para abraçar com carinho a moreninha pelo pescoço que supostamente encontrava-se distraída assistindo o desenho animado. Mas quando cheguei mais perto pude notar que ela não estava ali como todas as manhãs, comendo uma taça de cereais e assistindo Wink, e sinceramente os desenhos animados mudaram tragicamente na minha altura não era assim, "lá vem a velhinha da história reclamar" - vocês devem ter pensado isso. Mas também vão reclamar no futuro, acreditem ou não.

- Onde a Kaelyn está? - perguntei preocupada a Demi, okay talvez eu tivesse uma preocupação exageradamente exagerada.

- Calma, ela estava aí assistindo deve tar por aí. 

- KAELYN. - gritei tentando obter resposta mas tudo o que ouvi foi:

- Para de gritar caralho Selena, ainda é de manhã. - CLARO que essa resposta veio da Demi.

Bufei e dirigi-me à cozinha tentando encontrar a pequena, mas tudo o que vi foi a cadeira meio desarrumada do seu lugar e uma taça vazia em cima da mesa. 

Saí da cozinha e rapidamente subi as escadas,  passando por Demi que estava ao pé das mesmas encarando o desenho animado, criança. Quando cheguei no andar de cima praticamente corri para o quarto da morena. Não que eu estivesse agindo como uma mãe preocupadíssima, só porque Harry e Tay estavam quase chegando, okay talvez eu estivesse só um pouquinho preocupada.

Quando cheguei no seu quarto suspirei aliviada quando vi-a calçando os ténis brancos que encaixavam perfeitamente nos seus pésinhos. 

- Selly! Olha esse vestido que a mamãe comprou-me. - disse sorridente se levantando e dando voltinhas.

- Oh meu amor estás tão linda! - disse alegremente aproximando-me dela e depositando um beijo na sua bochecha macia.

O vestido era rosa bebê decorado com bolinhas brancas e a cara da Mini estampada na parte de cima, era completamente fofo ^-^, sem esquecer que ela vestia umas meias que iam até a sua cintura, transparentes com bolinhas brancas que era uma gracinha.

- Pode fazer uma trança? - pediu com os olhinhos brilhando. (Quem leu transa vai para o inferno).

- Claro mas tem que ser rápido, onde está o elástico?

- Aqui! - exclamou correndo até um pequeno cômodo e buscando um elástico transparente e pequeno feito de borracha, ela estendeu a mãosinha e eu peguei o elástico colocando-o no mindinho esquerdo.

- Vire-se com a cabeça direita. - pedi e assim ela o fez, ajoelhei-me atrás da morena e peguei em seu cabelo dividindo-o em três partes, e entrelacei as partes umas nas outras formando uma trança simples e impecável. Quando acabei de formar a bela trança retirei o elastico do meu mindinho e amarrei o cabelo.

- Pronto. - disse satisfeita e no mesmo momento a campainha tocou.

- ELES CHEGARAM! - Kae gritou de entusiasmo quase arrebentando-me os ouvidos e caminhou até o espelho olhando a sua trança. - Obrigada. - disse sorrindo e eu retríbui o sorriso. - Anda Selly!

Levantei-me do chão limpando os joelhos cobertos pelas calças de ganga e caminhei até a pequenina agarrando em sua mão e a puxando até o armário apressadamente, ela me olhou confusa e enquanto a puxava resmungou um "ei".

- Vista um casaco, deve estar frio lá fora. - falei abrindo o pequeno armário branco. - Pegue o de ganga, vai combinar.

Ela não respondeu, apenas pegou no casaco e o vestiu apressadamente que eu jurava que se não tivesse dado o mesmo na posição certa, ela já tinha o casaco do lado do avesso.

- Agora sim, vamos. - anunciei com um enorme sorriso no rosto aumentando a empolgação da pequena garotinha que já se encontrava aos pulos.

Peguei a mão da moreninha que apertou a minha por conta do entusiasmo. Apressei-me em saír do quarto e descer as escadas para não fazer ninguém esperar muito mais tempo, Kaelyn desceu as escadas na correria que eu podia prever que ela iria cair a qualquer momento.

- Cuidado Kaelyn! - avisei autoritária mas a mesma ignorou-me correndo em seguida para a sala.

Suspirei pisando o último degrau e de seguida o chão, agora podia ter a visão do espaço de toda a sala e de Taylor, Demi e Harry me esperando em pé encostados nas costas do sofá, já Kaelyn estava abraçada a cintura de Harry matando as saúdades do mesmo.

Kaelyn se apegou tão fácil a Harry quando começamos o nosso namoro, e ela sempre foi tímida com desconhecidos, ela disse-me um dia que gostava de pessoas que me faziam sentir bem mas daquele modo apaixonado, dessa maneira ela apegava-se rapidamente à pessoa e já a considerava um amigo desde o primeiro dia, o mesmo aconteceu com o Justin e isso me assustou, muito mesmo, não é drama até porque quando foi Demi ela não se apegou logo, será que ela percebeu que Justin me fazia bem de um mono diferente tal como Harry fez-me sentir um dia?

Saí dos meus desvaneios quando senti quatro par de braços rodearem o meu pescoço quase me sufocando num abraço, reparei que era Demi e Taylor que haviam corrido que nem loucas e me abraçado extremamente forte.

- Deus do céu, o vosso café da manhã foi forte? - perguntei rindo quando as duas desfizeram o abraço contentes. - E Demi qual é, você já tinha me visto à minutos atrás louca. - falei rindo e ela deu um tapa de leve no meu ombro.

- Para não ficar à parte.

Rimos.

- Eu fiquei. - ouvi uma voz familiar grave e sexy.

Antes que pudesse responder, Kaelyn deu um gritinho bem feminino e puxou Taylor e Demi até o sofá as obrigando a sentar, encarei a televisão e reparei que estava dando Wink novamente, oh Deus essa garota era louca por essas fadas mágicas completamente estranhas e com namorados súper clichês, ew. Se eu falasse isso para Kaelyn ela provavelmente estaria ligando para a mamãe dizendo que eu não tinha nenhum respeito pelas Wink e que eu teria que ser castigada.

Ouvi pequenos risos gostosos vindos de Harry, que olhava as três garotas assistindo Wink, eu não conseguia ver a feição das mesmas mas aposto que elas estariam com uma cara de emburradas. Ri baixinho com os meus pensamentos e aproximei-me mais do dono das duas esmeraldas esverdeadas.

- Hey. - chamei a sua atenção. - Que saúdades. - exclamei com um enorme sorriso no rosto observando o maior impecável, ele ainda tinha os mesmos caracóis caídos nos seus ombros e jogados para trás, as mesmas orbas pintadas de um verde intenso e aprofundadas num azul esfumaça.

- Selly! - exclamou docemente, ele não me chamava assim à tanto tempo, o moreno abriu os braços pedindo um abraço apertado e eu não pensei sequer duas vezes.

Corri para os seus braços fortes e aconchegantes, não tão como os de Justin - minha mente exclamou, eu queria bater em mim própria por ter pensado nisso mas decidi ignorar - abracei-o tão forte que podia jurar que as veias das minhas mãos iriam saír a qualquer momento do lugar. A minha felicidade era imensa por estar tão bem com o maior, que parecia também satisfeito com isso.

- Ei, vamos logo eu não quero assistir mais a essas fadas esquisitas, ainda vou ter um pesadelo. Ou vão ficar aí de molesa? - Demi reclamou.

- Não fala assim das Wink! - Kaelyn repreendeu Demi arrancando risada de todos.

P.O.V. Justin Bieber

Eu não poderia estar mais furioso na minha vida, o meu novo projeto que havia criado numa pasta qualquer do computador, havia desaparecido, evaporado completamente. A minha sorte era que tinha fotocópias do projeto, mas elas estavam com Selena, a quem eu havia pedido para dar uma olhada no papel e dizer a sua opinião construtiva à dias atrás. (Capítulo na cafetaria, em que Justin quase beija Selena, um capítulo antes de Selena ser quase presa).

Bem, ao menos isso. Não deixava de ficar inervado, quem é que havia feito uma merda destas? Uma pasta de trabalho não pode simplesmente desaparecer. Eu queria poder ver nas camerâs de vigilância mas infelizmente elas estavam desligadas, já que trancava o escritório toda a vez que saía do mesmo.

Peguei no meu celular bufando e procurando o contacto de Selena apressadamente. Liguei para a garota de belos cabelos longos e pretos, esperando uma resposta, em questão de segundos ela atendeu o celular. Ou ele.

- Estou? - ouvi uma voz masculina do outro lado da linha, o que deixou-me irritado, por que raios eu estava falando com um garoto e não com Selena.

- Quem é você? - perguntei ríspido.

- Ei calma, sou o Harry. Harry Styles. - aquele nome não me era estranho, quando cheguei a conclusão que era o ex de Selena, tive uma enorme vontade de lhe quebrar todos os ossos via celular.

- Pergunta porque ele ligou. - pude ouvir uma voz familiar mais ao fundo, uma voz um tanto dócil que eu reconhecia, Selena.

Antes que Harry pudesse imitar a pergunta estúpida, eu decidi prenunciar-me.

- Passe a Selena agora, eu necessito de falar com ela.

- Ela está conduzindo. - a voz irritante preencheu os meus ouvido novamente.

- Segure o celular na orelha dela.

Pude ouvir um suspiro do outro lado e logo de seguida um "okay".

- O que se passa, Justin? - ouvi a voz dócil que me deixou mais calmo.

- Quem é ele?

- Justin! - ela me reeprendeu deixando-me confuso. - É o Harry, o meu amigo.

- Hm. - me segurei para não falar na cara dela que sabia que era seu ex. - Onde você vai?

- Vaia direto ao assunto.

Bufei.

- Eu preciso que passe no meu escritório hoje para entregar aquelas folhas do projeto que lhe dei.

- Ah sim? Tudo bem. - ela permaneceu segundos calada. - Mas porque precisa?

- Eu explico depois. Agora preciso de trabalhar.

- Okay. - assentiu. - Até depois.

Não respondi, apenas desliguei o celular inervado. Eu só não sei como podia ser tão idiota ao depositar certa confiança na garota de olhos castanhos, ela sempre acabava por me evitar quando estavamos em perfeita sintonia, ela sempre fugia de mim e ia com esse tal Henri, sim eu sei que é Harry. Logo o ex dela, eu não sou de perdooar muito menos a ex amizades, agora podia notar o quanto Selena podia ser mais idiota que eu.

P.O.V. Selena Gomez

Eu acabei de passar a maior vergonha da minha vida. Quando Justin ligou e pediu para Harry colocar o celular na minha orelha, eu pôns em alti-falante para Harry não se cansar com o braço levantado.

Harry odiou tudo o que ouviu, ele roía-se de ciúmes mordendo os lados do ínicio do dedo indicador, ele sempre fazia isso quando estava nervoso, entediado, ciumento ou pensativo.

Demi não parava de comentar que o Justin tinha ciúmes de mim e que gostava de mim, eu tinha uma vontade enorme de pegar no meu sapato e bater na boca dela como se fosse sua mãe, ela estava deixando Harry mais ciumento.

Taylor apenas comentava que Justin era um dramático sem vida, tendo cuidado com as palavras para não afetar Harry como Demi.

Kaelyn se escolhia no banco de trás precionando as mãos contra os ouvidinhos, ela adorava Justin como adorava o seu ursinho de peluche favorito, ou até mais, e não queria ouvir coisas horríveis sobre ele. Além disso ela não compreendia os ciumentos exagerados do loiro, ela tinha ciúmes também, do seu peluche, de mim, da mamãe, do papai e até mesmo das suas bonecas de brincar. Mas não eram ciúmes controladores como os de Justin, a pequena não queria ter uma má imagem do loiro, ela realmente gostava dele e isso era o que mais me preocupava.

- CHEGA! - gritei para as duas garotas parando o carro imediatamente e fazendo as duas calarem-se. - As vezes vocês conseguem ser insuportáveis! Eu não queria começar o dia mal, e olha só como estamos agora.

Apertei a mão de Harry de modo a transmitir contorto.

- Harry, me desculpa, Justin é mesmo assim não ligue. - ele assentiu mais calmo se ajeitando no estofe, olhei para trás encarando as três garotas surpresas e continuei com a mão agarrada à de Harry. - Taylor, pare de falar mal de Justin você não conhece ele! - repreendi a loira fazendo a mesma assentir ainda surpresa. - Demi, pare com seu ataque de entusiasmo idiota, e não se atreva a resmungar. - Demi me encarou emburrada mas mesmo assim assentiu. - E Kaelyn, meu amor. Não oiça essas duas, Justin é sim uma boa pessoa só tem seus ataques estranhos, não se preocupe que ele gosta muito de ti e da mana! - disse reconfortando a garotinha e retirei a minha mão da de Harry para poder acariciar o seu rostinho com as minhas duas mãos. - Concorda comigo?

- Sim. - a pequenina respondeu sincera com um sorriso dócil no rosto.

- Então continue assim feliz, não gosto dessa tristeza em seu rosto.

- Está bem! - ela exclamou como a Kaelyn de sempre, o que me deixou com o coração mais aquecido.

- Pronto, agora sem complicações, vamos para o shopping!

Como vi que Harry ainda estava um pouco incomodado decidi depositar um beijo na sua bochecha arrancando um sorriso bobo do mesmo, sem falar dos "awwwn" vindo de Demi e de Taylor.

Liguei o carro novamente e comecei a conduzir, para o ambiente ficar mais relaxado coloquei uma música aleatória: "Baby one more time - Britney Spears." As garotas cantaram alegremente enquanto Harry ria e movimentava o seu corpo de um lado para o outro.

[...]

Quando chegamos ao shooping Demi atacou a primeira loja de roupas que viu, e com certeza Taylor foi à sua atrás já que notou que a montra era bem bonita e decorada. Eu ri revirando os olhos ao mesmo tempo e fui atrás das minhas amigas, e avisei que iria comprar roupa para Kaelyn.

Fomos numa loja para crianças e compramos um monte de roupas e sapatinhos, eu já podia prever a Kaelyn chutando a mala de viagem para quando voltasse para Los Angels, reclamando pelas roupas não couberam todas.

Ri levemente com os meus pensamentos e agradeci mentalmente por ninguém ter notado que eu estava rindo sozinha que nem uma idiota.

Depois fomos em alguma loja onde Harry se interessou por algumas blusas e calças, então ele foi provar as roupas enquanto aguardava do outro lado do provador e Kaelyn brincava com as cortinas dos provadores, eu tive que fazê-la parar antes que o senhor da loja se chatiasse

Comprei algumas roupas novas mas nada de mais e depois fui ter com as meninas, encontramo-nos todos ao pé das escadas rolantes e logo de seguida decidimos subir as mesmas para comer alguma coisa. Estavamos tão famintos ao ponto das nossas barrigas roncarem.
Quando ouvi a de Harry roncar eu caí na gargalhada enquanto ele ria um pouco envergonhado, o rosto dele esquentou e eu tive uma enorme vontade de apertar aquelas bochechas.

Comemos os nossos hamburgueres alegremente numa mesa qualquer e rimos escandalosamente, chamando a atenção de alguns olhares alheios. Eu contava algumas histórias e Kaelyn como sempre me envergonhava ainda mais lembrando-me das minhas antigas desgraças, por mais que ela fosse pequena ela era minha irmã e irmãos são sempre assim.

Naquele dia pudemos conviver tão bem, ainda chegamos a desenterrar o passado de mim e de Harry, contando algumas histórias românticas e engraçadas, eu não sabia o que sentir, para ser sincera eu amo o Harry, mas eu o amo como um amigo ou até melhor amigo. O que era passado ficaria no passado, o destino faria o seu próprio trabalho e eu ficaria tranquila no meu lugar seguindo os meus pensamentos e coração.

Ou não.

Na verdade...

Eu não seguia o meu coração em relação a Justin, eu ouvia o meu cérebro mas talvez o destino estivesse a pregar uma partida cheia de angustia e eu deveria prevenir isso, ou talvez o destino me odiasse mesmo.

Eu preciso parar de complicar a minha mente.

Também acho Selena, daqui a pouco ficas com os cabelos brancos de tanto pensar.

Okay, eu preciso de parar de falar comigo própria mentalmente, isso é estranho.

Bem, depois que comemos os nossos hamburgueres eu lembrei-me de Justin então decidi que depois desses momentos maravilhosos eu teria que colocar todos em casa e ir para a Empresa falar com Justin.

Paguei a conta toda por mais que Harry insistisse, eu disse que se ele continuasse eu iria passar a ligar aos ciúmes de Justin, ele parou e ficou emburrado mas depois o alegrei e não foi muito dificil, já que Harry é tão infantil e engraçado, ele só é sério em relacionamentos, levava as coisas longe de mais mas numa amizade ele era maravilhoso!

Depois de pagar a conta fomos todos para o carro e Harry ainda reclamou por ter pago mas logo parou, Taylor foi a primeira a sair do carro para ir para casa, despedi-me da loira que precisou de abrir a porta da frente do carro para abraçar-me.

Depois foi Harry já que eu insisti em dizer que Demi ia ficar mais uma noite na minha casa, despedi-me de Harry com um abraço longo e dois beijos na bochecha e um último sorriso.

Quando cheguei a casa estacionei o carro na entrada deixando Demi e Kaelyn saírem que me encheram de beijinhos pelo banco de trás, quando as duas foram eu gritei "prometo que vai ser rápido". Elas me acenaram antes de entrarem casa e eu buzinei em resposta, logo cantando pnéu até a Empresa Company Bieber.

(...)

Lá estava eu tentando chegar ao elevador ao meio daquela confusão de pessoas, eu parecia uma formiga andando perdida entre outras formigas desocupadas, por mais que saltasse para avistar o elevador tudo o que obtia como resposta era pessoas extremamente altas à minha frente, eu nunca me senti tão baixinha na minha vida.

Os perfumes masculinos entupiam as minhas narinas já cansadas de cheirar aquele cheiro repetidamente, eu não poderia ficar ali que nem uma perdida à procura de um objetivo de vida. Empurrei algumas pessoas enquanto pedia desculpa e apressava os meus passos até os dois elevadores que na verdade eu nem sabia onde se encontravam. Porra. Tentei chamar a atenção de algumas pessoas para ajudar a pobrezinha aqui, mas elas estavam demasiado ocupadas.

Foi então que senti um braço empurrar-me violetamente deixando uma marquinha vermelha no meu braço nu, nem tive tempo para olhar para quem empurrou-me daquele jeito ou até de reclamar e esfregar as mãos na marca vermelha, quando dei conta o projeto que estava nos meus braços encontrava-se caído no chão, quando ia levantá-lo o maldito projeto foi arrastado por pés para mais longe. Eu iria gritar de frustação a qualquer momento, andei atrás do projeto que estava sendo arrastado por pés desconhecidos enquanto tentava agarrar o mesmo, mas ele sempre escapava o que me deixava completamente frustrada e nervosa, eu não podia perder aquela merda!

O projeto foi arrastado para o lado direito e logo de seguida ESMAGADO por alguns pés, a sorte é que as folhas estava tapadinhas por uma capa preta. Quando ia atrás de novo daquela merda, vi uma mão a levantar a pequena capinha preta e algumas pessoas afastatem-se de onde a pessoa estava, elas pediam desculpas e se afastavam rapidamente como se a pessoa fosse o rei do mundo.

Mas na verdade, não passava do dono daquela Empresa, Justin. Quando levantei o meu olhar para encarar o garoto, pude encontrar aqueles olhos acaramelados brilhando em minha direção, os cabelos um pouco bagunçados mas ainda assim com a sua postura arrumada, os lábios ressecados que não deixavam de ser irresistíveis e apetitosos. O loiro tinha o olhar completamente vidrado no meu, um sorriso maravilhoso formado no seu rosto, aquele maldito sorriso.

Eu diria que aqueles olhos cor avelã eram os mais lindos de toda a face da terra, mesmo achando a cor das orbas de Harry incríveis, eu negaria a quem dissesse que eram mais bonitos dos que Justin. Até negaria o azul pérola pintado em alguns olhos, negaria até aqueles com cores incrivelmente lindas e vivas, os de Justin seriam sempre os mais bonitos.

Quando pensei que iria ficar todo o tempo encarando aqueles olhos, pensei mal, fui interrompida por um brusco empurrão de alguma pessoa que envergonhada gritou um desculpa. Se não fosse Justin a agarrar firme a minha cintura com as duas mãos, eu já havia dado um belo trambolhão. Senti um enorme arrepio quando as suas mãos quentes agarraram o meu corpo com força mas sem indelicadeza, por algum motivo desconhecido, Justin fazia-me sentir desnorteada apenas com um toque.

Levei as minhas mãos até o seu pescoço rapidamente para poder apoiar-me lá, e tive até medo da proximidade que os nossos corpos agora se encontravam, e ainda mais medo de que Justin ouvisse o meu coração a bater tão forte e a respiração descontrolada, eu tentei prender a respiração para acalmar as coisas mas só piorei o sentimento que batia forte no meu peito, era tão bom que até doía, tão inseguro que até causava ferimentos, tão ilusionista que até chegava a sufocar.

- Ei, você está bem? - perguntou preocupado perto do meu ouvido para que o ouvisse, causando arrepios por todo o meu corpo.

- E-estou. - respondi e me bati mentalmente por ter gaguejado. - Tem o projeto?

- Sim, vamos logo aqui está uma confusão.

Assenti com a cabeça e Justin levou-me até o elevador com uma das mãos na minha cintura, senti uma enorme vergonha quando paparazzis atacaram-nos cheios de perguntas, Justin apenas tentou afastá-los enquanto protegia-me de uma maneira que me deixava mais calma.

Quando finalmente conseguimos entrar no elevador, que encontrava-se vazio, eu pude ouvir as nossas respirações altas naquele silêncio que pairava no ar.

Encarei Justin pelo enorme espelho e arrependi-me quando senti o seu olhar em mim através do espelho, ele havia reparado que o encarava. Limpei a garganta e desviei o olhar timido. Graças a Deus, as portas do elevador finalmente abriram-se.

Rapidamente saí do elevador sendo acompanhada por Justin que encarava o fundo do corredor enorme sem dizer uma única palavra, eu fazia o mesmo. Nunca cheguei a compreender para que ele tinha um corredor comprido sendo que só tinha a porta do escritório ao fundo, e o que não cheguei a perceber também foi o porquê de eu pensar nisso.

Antes que chegássemos à porta feita de madeira eu decidi perguntar num múrmurio:

- Você está chateado?

- Chateado porquê? - ele questionou fingindo uma cara confusa em minha direção, ele não estava sendo sincero, e eu odiava isso em Bieber.

- Você sabe. Telefonema, Harry, eu. - resumi.

- Não! - ele respondeu demonstrando alguma raiva, parecia um menino mimado.

Dei de ombros não entrando mais no assunto, não queria chateá-lo e além disso nós precisávamos de falar urgentemente.

Quando entramos no seu escritório, ele se apressou em colocar a capa preta na mesa e a copiar tudo o que havia lá para o computador.

Eu implorava mentalmente pela sua atenção pois precisava que ele me ouvisse antentamente.

- Justin. - chamei o mesmo mas ele continuou copiando como se tivesse viciado naquela droga. - Justin! - exclamei.

- Hm. - ele resmungou como quem dissesse "fala logo mesmo que eu não vaia ouvir".

- Me oiça. - pedi e o mesmo disse "uhum" enquanto escrevia apressadamente no computador.

Suspirei pesadamente e pensei em algo para distraí-lo, abanar ele seria uma ótima maneira mas eu não tinha vontade para ouvir reclames depois.

Então simplesmente sentei-me na sua mesa deixando as jeans de ganga ainda mais apertadas nas minhas pernas, puxei o quadril um pouco para trás e as costas mais para a frente fingindo espreguiçar, deixando o meu corpo mais marcado e a bunda mais à vista.

Pude notar num olhar atencioso sobre o meu corpo, do canto dos olhos pude ver os seus olhos subirem pelas minhas coxas marcadas pelas jeans, ele parou o olhar na bunda lambendo o lábio inferior e de seguida subindo o olhar lentamente, senti o meu corpo em chamas com o seu olhar tão exposto que jurava poder sentir os seus dedos imaginários subirem acompanhados pelos seus olhos, oh como eu gostava que isso acontecesse, mas eu juro que vou proíbir-me desses desejos insanos.

Quando vi que ele iria encarar o meu rosto eu desviei os olhos fingindo um bocejo cansativo enquanto espreguiçava-me.

Justin coçou a garganta chamando toda a minha atenção.

- Sim?

- Você está em cima da mesa, Selena. - ele disse ainda tentando controlar o olhar sobre o meu corpo, eu amava provocá-lo.

- Oh, desculpe. - disse um tanto inocente dando um saltinho para descer da mesa.

- Eu queria falar consigo. - disse desta vez sentando-me numa poltrona preta perto da sua.

- Diga. - ele disse fechando o computador e me encarando curioso.

- Chamaram-me de novo na delegacia e disseram que se eu não arranjasse provas seria presa. - disse de uma vez até porque eu não gostava de rodeios, gostava de ser direta no assunto.

- O quê?! - ele praticamente gritou assustando-me com a preocupação extrema. - Eles não podem fazer isso! Não têm provas!

- Eu pensei o mesmo, mas eu não tenho opção! Preciso dizer tudo o que sei a eles.

- Tudo o que você sabe como assim? - ele questionou confuso. - Que eu saiba você não sabe de nada.

- É... - falei nervosa coçando a nuca. - Por isso mesmo é que estou aqui, para te contar o que eu sei.

- O que você sabe?! - questionou um tanto curioso.

Limpei a garganta para poder falar sem nenhum gaguejo mas foi em vão.

- J-Justin... - respirei fundo e suspirei. - É delicado, mesmo, eu não quero te ferir.

- Pare de rodeios!

Eu não gostava de rodeios, tipo odiava, mas esse assunto era tão delicado que eu tinha tanto medo de magoar o coração de Justin. 

Mas ele teria que saber, eu queria saír logo dessa merda de jogo em que eu entrava, e para isso teria que contar tudo a Justin sem nenhuma mentira. Isso matava-me por dentro.

- Então, eu vou falar. - respirei fundo. - Lembra daquele dia que encontrou Ryan Kylie e eu no escritório numa confusão que você não entendeu? - falei até rápido demais mas ele conseguiu acompanhar-me.

- Lembro. O que aconteceu? - disse fixando o seu olhar até o meu, causando pequenas ondas de energia por todo o meu corpo, as quais eu ignorei.

- Eu sei o que aconteceu e... - suspirei. - Preciso que você confie em mim, estou falando a verdade porque sou sua amiga e não quero que você saía por aí magoado, okay?! - avisei antes que contínuasse e Bieber assentiu rapidamente.

- Continue! - pediu.

- Naquele dia, eu iria entregar a papelada para você, e quando bati à porta você não me respondeu, então eu entrei mesmo assim e quando entrei, vi Ryan no chão estendido. Quando aproximei-me notei numa PEN... e o computador aberto... e processei tudo incrivelmente rápido. Ele estava copiando tudo no computador para a sua PEN! Foi então que Kylie apareceu e aconteceu a tal briga com a PEN. A Kylie ficou com a PEN e eu não pude te dizer nada porque ela me ameaçou de morte...

Ele me olhou angustiado e com uma enorme vontade de chorar, eu nem havia acabado e ele já estava tão frágil, o meu coração despedaçou-se ao ver o belo canadense frágil e desconfortável na sua poltrona. Eu queria abraçá-lo, muito mesmo, mas eu sei que assim ele iria chorar e eu não quero vê-lo chorar.

- Justin... não chore por favor. - pedi tristemente e o canadense negou com a cabeça, não ao que eu disse agora, talvez ao que eu tenha dito anteriormente.

- Ele... ele não fez isso! Porque o Ryan faria uma coisa dessas? - ele disse com a voz tremida.

- Talvez tenha sido obrigado... mas por favor mantenha a calma. Eu nem acabei.

Ele ignorou-me completamente disparando teorias pelos ares.

- E se Kylie matou ele? E se ele matou-se por causa desta merda? Não, ele não faria isso. E se ele realmente fez isto por gosto? - ele questionou perdido entre as palavras.

Eu aproximei a poltrona da sua arrastando-a pelo chão liso e fino. Levei uma das mãos ao seu rosto acariciando o local levemente.

Por um lado eu odiava Justin com todas as forças, queria vê-lo sofrer por alguma garotinha para aprender uma boa lição, mas por outro lado eu o amava com todos os sentidos. Apesar do garoto ser mimado na maior parte das vezes ou até mesmo ignorante, eu sabia que ele tinha um bom coração e só tentava disfarçar isso porque queria ser forte, forte daquela maneira que no fundo era fraca, tão fraca. E Justin não sabia a vontade que eu tinha de lhe bater quando ele se achava o maior do mundo.

Mas lá estava ele, encarando-me com um olhar cheio de angustia tentando não chorar à minha frente. Quem imaginaria Justin Drew Bieber se desmoronar na minha frente.

Eu não sentia pena dele, eu sentia angustia por ele estar a passar por isto tudo, sentia um peso nas minhas costas e acima de tudo sentia que devia ajudá-lo, mesmo querendo não entrar nesta confusão eu não deveria deixar Justin encurralado na mesma.

Quando saí dos meus desvaneios, pude notar em gotas de lágrimas pairadas nas extremidades dos seus belos olhos, aquilo doía mais do que um tiro, oh Deus se eu pudesse mudar tudo drasticamente eu mudaria só para não ver o garoto de olhos acaramelados chorar na minha frente, visualizar aquela imagem desabava o meu mundo de uma vez.

Foi então que as lágrimas insistirem em cair dos seus olhos, contornando cada traço perfeitamente definido do seu rosto. O meu coração parou ali, saltitou sem fim se machucando a cada salto que falhava e caía desorientado no chão. Eu não pude conter e no mesmo momento que as suas lágrimas caíram, eu abracei o canadence tão forte que parecia que as veias iriam saltar do seu lugar, que todo o sangue iria ferver nas prórpias mãos e braços, os dedos ficaram esbranquiçados devido à força e  vontade que abraçava o loiro perdido em mágooas.

Ele desabou a chorar escondendo o rosto no meu ombro e apertando o abraço cada vez mais, se isso era possível. Ele soluçava desesperadamente no meu ouvido e aquilo era como uma música de terror que deixava-me um tanto desconfortável e triste, eu não queria vê-lo assim, sentia-me tão mal por ter machucado o seu coração com apenas palavras simples mas esmagadoras.

- Vai ficar tudo bem. - sussurrei tristemente para Justin. - Vamos saír daqui, você precisa de um descanso. - disse tentando levantar-me com ele, mas Justin preferiu ficar agarrado no meu abraço.

- E-eu não quero... - disse chorando escondendo mais o seu rosto na curvatura do meu pescoço.

- Tem que ser, você não vai ficar aqui.

- P-para onde vamos? - perguntou frágil.

Suspirei levemente pensando em algum lugar em que o garoto se sentiria melhor, então eu lembrei-me da última vez que ele desabafou comigo.

- Praia. - respondi enquanto acariciava as suas costas calmamente. - Vamos ver o pôr do Sol juntos.

Justin retirou o rosto da curvatura do meu pescoço limpando as lágrimas que insistiam em cair, tentando se fazer de forte à minha frente e se recompondo na poltrona que agora parecia um tanto desconfortável.

- Não. - disse negando com a cabeça. - Eu vou ficar aqui.

Encarei preocupadíssima os seus olhos inchados e vermelhos, e de seguida as suas bochechas rosadas devido ao choro, os cabelos do loiro encontravam-se desgrenhados* e os lábios inchados.

- Eu sei que você precisa, e não adianta negar. Nós vamos ir Justin, não vale a pena se fazer de forte.

Ele me encarou desta vez se dando como vencido, não que ele não quisesse ir, eu sabia que ele queria mas também sabia que ele não queria demonstrar a sua fraqueza.

- Então, vamos à praia ver o por do sôl juntos? - questionou o garoto.

- Sim, ver o por do sôl juntos. - respondi calmamente mesmo com o nó formado em minha garganta, apenas queria acalmar o loiro desesperado à minha frente.

Mas mal sabíamos nós o que estavamos realmente a falar.

Continua...


Notas Finais


*Desgrenhados = bagunçados.

OI DE NOVO!
Primeiro de tudo quero agradecer pelo apoio nos comentarios do capitulo anterior. Irei responder os que nao respondi ainda obviamente. Voces sao o maximo! Obrigada, quase que chorei por todas as saidas do meu corpo so de ler os comentarios.

×××××××××××××××××××××××××××××××××
E ai o que acharam? Deem a opiniao nas notas finais, deixem os sentimentos todos nas notas finais que eu quero ver se alguem esqueceu de por o colente anti-balas.
Nao percam o proximo capitulo porque tipo vai ser lindo, IMAGINA O POR DO SOL CM O JUSTIN, nao sei oq seria mais lindo o por do sol ou o Justin.
Entao❤eu espero que realmente teem gostado, justin ai deixou se desmorenar e ele cm ctz vai ficar cm vergonha disso, ainda por cima na futura esposa, tadin.
Entao eu espero realmente que tenham gostado, espero que tenha vos satisfeito! Espero mesmo. Ate o proximo capitulo meus amores❤, aviso que a escola comeca dia 18 deste mes a mim mas juro que arranjo tempo pra escrever pra vcs, o mais rapido que conseguir.

Beijos no coracao com sabor a Justin Bieber 🙆💜

Ate o proximo capitulo. Xoxo😋😊


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...