História The Selection: Love or War - Capítulo 1


Escrita por: ~ e ~MrDeeps

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 29
Palavras 2.406
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Luta, Romance e Novela, Shoujo-Ai
Avisos: Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Vidas e mudanças.


E lá estava ela.
Sentada na grama baixa com as pernas cruzadas, uma espada repousando ao seu lado e os olhos fechados sentindo a forte brisa balançar seu cabelo. Tinha um belo sorriso nos lábios e sua expressão era serena e a mesma transmitia paz e tranquilidade.

Atrás de si, alguém se aproximava com passos cautelosos e que quase não se percebiam.
Continuou andando com calma em sua direção com o intuito de surpreende-la, mais ele quem foi surpreendido. Em um movimento rápido aquela garota segura sua espada e se levanta apontando a mesma na direção do seu oponente que, após a tentativa de se defender, acaba sentindo a ponta da afiada lâmina encostar em seu queixo.

— Sempre atenta. — Fala um garoto alto de cabelos castanhos e olhos da mesma cor. — É impossível surpreende-la Ely.

— Olá Nicholas. — Cumprimenta a garota sorrindo gentilmente.

Após abaixar a espada eles se abraçam.
Sempre ouve essa ligação entre Nicholas e Elysi desde que eram pequenos. O jeito amoroso como esses dois irmãos se tratavam era motivo de orgulho para a família mesmo que ambos fossem de idades diferentes, já que o jovem príncipe era alguns poucos anos mais velho.

— Thony nos chama. — Avisa ele acariciando os cabelos da irmã.

— Do que se trata? — Pergunta ela o olhando.

— Não sei dizer. — Ele responde. — Mais deve ser de muita importância pois chamou a todos nós.

— O que há para que nosso irmão nos convoque assim? — Pergunta a garota confusa.

— Descobriremos. — Nicholas sorri e a solta. — Vamos, suba em minhas costas.

Um grande e belo sorriso surge nos lábios da garota que rapidamente acata o pedido e sobe nas costas de seu irmão que logo em seguida começa a correr pelos corredores do grande castelo.
Ao fazer isso relembravam os tempos de infância onde as vezes fugiam do longo e pesado treino para brincarem na floresta como crianças que não possuíam a responsabilidade de um dia precisarem cuidar e guiar um reino inteiro.

Estavam tão distraídos com a brincadeira que não percebem a chega repentina de um dos seus irmãos mais velhos no corredor.

— Cuidado! — Grita o garoto mais não consegue impedir um esbarrão.

— Vocês e essas brincadeiras. — Resmunga um jovem homem de cabelos castanhos e olhos cor de mel. — Poderiam ter quebrado algo... Além dos meus ossos!

— Não exagere. — Pede Nicholas o ajudando a levantar e logo em seguida repetindo o mesmo gesto com a sua irmã. — Admita Ernest, você gosta de nos ver assim.

— Isso não posso negar. — Ele sorri. — Os vendo assim fico feliz, pois sei que ainda posso aproveitar um pouco da “atual infância" de vocês.

Após passar a mão na cabeça de seu irmão mais novo, Ernest abraça a Elysi que é a caçula. Eles também sempre tiveram uma forte ligação mesmo com seu irmão estado sempre na biblioteca.
Ernest gostava de ter conhecimento e isso trazia alegria a sua irmã que gostava de ouvi-lo contar as histórias que já havia aprendido e estudado.

— Vamos para a sala do trono. — Falou ele. — Anthony nos espera.

— Sim. — Nicholas e Elysi concordaram em unisolo.

Os três andaram lado a lado por alguns corredores até chegar frente a uma porta dupla feita de uma madeira muito forte com detalhes em prata. A mesma logo se abriu e todos entraram para se encontrar com seu irmão e rei.

— Irmão e rei, — Ernest faz uma reverência e seus irmãos o imitam logo em seguida. — Aqui estamos a suas ordens.

— Agradeço pela vinda de todos até aqui. — Fala um homem bastante alto, forte, de cabelos castanhos e olhos na tonalidade cinza claro. — O assunto e de extrema importância.

— O que há Thony? — Pergunta a caçula e a única com permissão para o chamar assim.

Ele nada responde.
Apenas desce de seu trono e envolve sua irmã em um abraço apertado enquanto depositava um beijo em sua testa.

— Antes de tudo, quero que me perdoe Elysi. — Fala ele triste.

— Mais pelo quê devo lhe perdoar já que mal nenhum você me fez? — Pergunta a garota confusa novamente.

E ele não responde. Apenas a encara.

— Anthony, — Chama Nicholas sério. — Por favor, não diga que fez aquilo.

— Eu... — O rei engoliu em seco. — Eu fiz!

— Como pôde?! — Pergunta Ernets chocado. — Como teve a coragem...

— Não tive escolha! — Brada Anthony o interrompendo.

Os três se olham mais logo desviam seus atenção.

— Como ousou fazer isso meu irmão?! — Ouve-se uma voz rouca atrás de todos.

— Roger! — Fala o rei sério. — Perdoe-me irmão.

— Como podemos perdoa-lo depois do que fez?! — Pergunta indignado.

Aquele rapaz de cabelos vermelhos e olhos no tom cinza escuro o encara de frente tirando sua irmã de seus braços e a achochagando nos seus.

— Roger tem razão! — Brada Nicholas sentindo a raiva tomar conta de si.

— Parem vocês quatro! — Ordena a caçula e se solta de seu irmão mais velho. — Espero que tenham uma boa explicação para o que está havendo aqui.

Os quatro irmãos ficaram em silêncio diante das palavras de sua irmã.

— Você irá se casar. — Roger é direto com suas palavras.

— O quê?! — Pergunta ela espantada.

— A alguns meses atrás nosso irmão recebeu uma carta. — Conta Nicholas.

— E o que dizia? — A caçula se vê curiosa.

— O primeiro príncipe de Troudehall irá aussumir o trono em breve mais para isso precisa se casar. O seu pai e rei Philip decidiu reunir algumas princesas para passar um certo período de tempo em seu castelo para uma espécie de “seleção" onde, no final desse período, seu filho escolherá uma delas para ser sua rainha. — Explica Ernest se aproximando de seus irmãos.

— Mais porque eu? — Pergunta Elysi os encarando.

— Ele era muito amigo de nosso pai. — Responde Roger. — Por esse motivo ele sabe que, além de quatro filhos, o nosso pai teve por último uma filha.

— Porque fez isso Anthony?! — Elysi o olha indignada.

O mesmo ficou espantado ao ouvir sua irmã o chamar pelo nome completo, afinal ela sempre o chamou de Thony.

— Perdoe-me Elysi. — Pede ele.

Ela não responde nada.
Com lágrimas correndo com intensidade pelo seu rosto Elysi sai correndo em direção ao seu aposento ainda sem acreditar no que o irmão fez.
Ao chegar e trancar a porta, ela desaba sobre seu choro.

-----/*/-----

Os quatro irmãos se encaravam na sala do trono.
Ernest, Nicholas e Roger procuravam ter explicações sobre o que acabara de acontecer.

— Sabem o porque de minha decisão. — Anthony os olhou.

— Sim, nós sabemos. — Ernest concordou. — Só não imaginamos que você acataria.

— Foi o último pedido que nosso pai fez. — Nicholas resalta. — Ele sempre quis que Elysi se casasse com um bom príncipe para ajudar a manter sempre a paz nos reinos.

— Mesmo depois de anos ainda levam isto em consideração?! — Roger estava irritado.

— Acalme-se. — Pede Ernest.

— Como posso me acalmar ao saber que o nosso irmão e rei aceitou um pedido que irá afastar nossa irmã de nós?! — Falou nervoso encarando Anthony.

— Nós sabemos disso. — O rei se pronunciou. — E assim como você, também sofreremos com a falta dela.

— Não irei deixar que ela parta! — Roger bufou irritado e saiu a passos rápidos.

— Ele não vai aceitar. — Nicholas olhou para os irmãos. — Ele não a deixará sair.

— Está enganado. — Observa o rei. — Sabemos como a ligação deles é. Se Ely decidir ir, ele não conseguirá impedir.

— Mais... — Ernest fica apreensivo. — Será que nossa irmã irá aceitar?

— Descobrirei agora. — Anthony olha para os irmãos e se retira na direção dos aposentos de sua irmã.

— Vamos indo. — Nicholas sugere e, assim como Ernest, vai para seu aposteno.

-----/*/-----

Trancada no quarto Elysi chorava deitada na cama ainda não conseguindo acreditar no que seu irmão havia feito.
Depois de alguns minutos ela conseguiu se acalmar pois não gostava de ficar choramingando. Sentou-se na cama e começou a observar seu quarto enquanto se perdia em pensamentos, mais foi tirada de seus devaneios quando ouviu alguém bater na porta e já suspeitava quem era.

— Entre. — Permitiu.

E então seu irmão e rei abre a porta adentrando em seu quarto.

— Podemos conversar? — Ele pergunta.

— Claro.

Ele caminha até a cama e se senta ao lado de sua irmã. Enquanto a encarava via em seus olhos como estava triste.

— Quero que saiba o real motivo para eu ter aceitado o pedido. — Disse Anthony sério.

Elysi o encarou e esperou para ouvir o que tinha a dizer.

— Antes de nosso pai morrer ele me fez um último pedido. — Contou o mais velho.

— Que pedido? — Ela pergunta.

— Que você se casasse com um bom príncipe. — Respondeu. — Nosso pai sempre adimirou a capacidade que você tem de cuidar e manter a paz em um reino. Ele sempre quis que você tivesse alguém que cuidasse de você e também apreciasse suas habilidades e qualidades.

— Então... — Ela não terminou a frase.

— Quando recebi a quarta eu não quis aceitar porque isso significaria ficar longe de você. — Confessou ele. — Porém era um pedido de nosso pai. Quando vivo, ele era muito amigo do rei Philip e o mesmo o ajudou muitas vezes.

— Agora eu entendo irmão. — Elysi sorriu fraco.

— Perdoe-me. — Pediu.

— Não precisa pedir perdão Thony. — As palavras dela o surpreenderam. — Agora que sei o motivo para isso posso me preparar.

— Prepara? — Ele pergunta confuso.

— Eu irei para Troudehall. — Ela falou firme.

— Tem certeza? — Thony ficou preocupado. — Quer mesmo ir?

— Sim. — Ely respondeu. — Pela memoria de nosso pai.

Ao ouvir aquelas palavras o rei sentiu um aperto no peito por sua irmã decidir partir. Mais ele a amava e respeitava suas decisões.

— Está certo. — Concordou. — Você irá amanhã a noite para chegar na estrada de Troudehall ao nascer do sol.

— Irmão. — Ela o chamou. — Eu não irei deixa-los nunca. Eu prometo!

O rei ficou feliz e mais aliviado ao ouvir aquilo, pois sabia que sua irmã sempre cumpria o que prometia.

Saiu do quarto para deixar sua irmã organizar suas coisas e foi dar a notícia a Nicholas e Ernest que, embora tristes, ficara mais tranquilos por saber que ela iria de livre e espontânea vontade.

-----/*/-----

Ele estava na sala de treinos manuseando um arco e flecha nas mãos enquanto no seu olhar se via ódio até mesmo quando acertou centro do alvo vermelho.
Apesar de tudo o que já tinha feito, Roger não conseguia se acalmar e quando lembrava o que seu irmão falou sua ira só crescia. Estava quase explodindo quando ouviu alguém abrir devagar a porta e se deparou com sua irmã.

— Novamente não está conseguindo canalizar a raiva. — Disse ela entrando e ficando na frente do irmão.

— E nem vou conseguir. — Resmungou ele.

Elysi o levou até um canto daquela imensa sala onde sentou no chão com as pernas cruzada e seu irmão deitou com a cabeça no seu colo.

— Não quero que vá. — Confessou. — A vida neste reino não será a mesma sem você.

— Eu preciso ir. — Ela o olhou. — Pela honra de nosso pai.

— Por favor Ely... — Pediu Roger. — Não vá. Não aguentarei ficar longe de você.

— Vocês jamais ficaram longe de mim. — Ela sorriu e colocou a mão sobre seu peito. — Estarão sempre comigo. Aqui, no coração.

Diante daquelas palavras o príncipe se rendeu.

De todos eles, Roger era o mais apegado a Elysi. Um dia sem vê-la e ele já se transformava em uma pilha de nervos que ninguém ousava incomodar. Para ele, sua irmã o trazia paz. Uma paz única e que não encontrava em nenhuma outra pessoa e em nenhum outro lugar a não ser nos braços de sua tão amada irmã.
Desde que ela era pequena ele sempre a protegeu de tudo e lhe deu todo amor que precisava já que, durante o parto, sua mãe faleceu e, anos mais tarde, seu pai faleceu em uma guerra. O seu mundo girava ao redor de Ely e continuaria sendo assim pelo resto de suas vidas.

Elysi também gostava dos carinhos de seu irmão. Em festa por exemplo, ele sempre ficava ao seu lado para impedir que qualquer homem se aproximasse dela, por esse motivo as mulheres sentiam inveja da princesa. Pois, apesar de Nicholas está solteiro, elas só tinham olhos para Roger e não era por menos.

Alto, de corpo muito bem definido, cabelos ruivos sempre arrumados em um corte clássico, olhar intenso e avassalador, esse era o príncipe Roger a quem as mulheres tanto desejavam mais apenas Elysi possuía o privilégio de tê-lo por inteiro e só pra ela.

Enquanto sua irmã acariciava seus cabelos e cantava baixinho, o príncipe sentia a tensão de seu corpo ser substituída por muita paz. Estava quase dormindo quando ouviu a voz de sua irmã.

— Irmão. — Ela chamou.

— Sim? — Ele perguntou sonolento.

— Pode dormir comigo hoje? — Ely perguntou e o encarou.

— Será um honra! — Respondeu ele sorrindo.

Saíram dali e cada um se dirigiu até seus aposentos para tomarem um bom e relaxante banho. Feito isso, acompanharam seus outros irmãos no jantar e no final se retiraram para o quarto da princesa.

Já dentro daquele grande quarto Ely se preparava para dormir e seu irmão também. Mesmo depois de anos eles ainda não se importavam em ficar um na frete do outro com roupas de dormir pois eram acostumados a fazer isso desde pequenos.

Deitaram frente a frente e rapidamente Roger envolveu sua irmã em seu caloroso abraço e entrelaçando suas pernas. Depositou um beijo na cabeça da irmã que aconchegada em seus fortes braços, logo dormiu. Após um bom tempo a admirando, o príncipe acabou dormindo também.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...