História The Sensual Teacher - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Ally Brooke, Camila Cabello, Camren, Demi Lovato, Dinah Jane, Fifth Harmony, Intersexual, Lauren Jauregui, Normani Kordei, Norminah, Trolly
Visualizações 129
Palavras 4.443
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade, Intersexualidade (G!P), Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Um capítulo fofinho pra vocês!

AVISO: Ouçam "Elji Beatzkilla - Dança Kizomba" (se quiserem, porque eu ouvi ela quando escrevi) quando for indicado o "Play" e deixem rolar até o final da aula delas.

Boa leitura!

Capítulo 6 - Capítulo 6


Fanfic / Fanfiction The Sensual Teacher - Capítulo 6 - Capítulo 6

- POV Camila Cabello - 

- Anda logo Camila, levanta desse chão e vamos ensaiar. - Dinah estava parada em pé na minha frente e eu deitada no chão do estúdio. Fazia bons minutos que estávamos ensaiando para a aula da turma de Lauren. 

- Só mais cinco minutinhos Dinah, eu estou morta já. - Falo fechando meus olhos e passando minha mão direita em minha testa para limpar o suor ali presente. Sinto algo segurar meu tornozelo e me puxar, abro os olhos e Dinah está me puxando para o meio da sala. - Hey, já vou levantar… Não se pode nem descansar por uns minutinhos mais, credo. - Me levanto emburrada e ela sorri.

- Até que enfim, vamos terminar de ensaiar e depois você descansa até elas chegarem. 

E assim fizemos, Dinah deu play na música e continuamos o ensaio. Faltava menos de duas horas para as nossas alunas chegarem, então para não ficar sem fazer nada, aproveitamos esse tempo dançando. 

- Hoje é uma bela oportunidade para você dançar agarradinha com a branquela. - Dinah fala próxima de mim, ela se afasta e segura em minha mão esquerda e me gira e depois juntando nossos corpos de novo.

- Se ela não dançar com alguma das amigas dela, talvez eu dance com ela. - Começo a balançar meus quadris de um lado para o outro e dou passos para trás com Dinah me acompanhando. 

- Com a possibilidade de dançar com você, acha mesmo que ela vai desperdiçar essa chance? - Ela arqueia a sobrancelha esquerda para mim e eu apenas nego com a cabeça e sorrio. 

[…]

Faltavam cinco minutos para Lauren e sua turma chegar e enquanto isso, eu e Dinah estávamos bebendo a água em nossas garrafinhas e sentadas no meio da sala conversando.

- Vai não se esconde, vem pro sapabonde! - Ouço uma voz alta cantando e logo Veronica aparece na porta sorridente e dançando. 

- Essa menina é elétrica demais. - Dinah fala rindo da menor que ainda está dançando e fazendo barulhos com a boca. 

- Oi meninas. - Ally entra na sala, seguida de Lucy, Lauren, Normani e Demi. - Veronica, vê se espera da próxima, não sei pra que a pressa. 

- Porque hoje é dia de balançar a raba meu amor. - Veronica fala e manda um beijo no ar para Ally que revira os olhos e começa a rir. 

As meninas nos cumprimentaram com abraços e beijos no rosto, exceto por Lauren que me deu um selinho demorado e com o canto dos olhos vi Demi revirar os olhos, mesmo sem saber o motivo. 

- Hoje é dia de kizomba meninas, aquele ritmo que eu e Camila apresentamos no evento, só que lá foi um pouco acelerado, aqui será o lento. Esse ritmo é melhor de ser dançado a dois, então se arrumem em duplas. - Assim que Dinah anunciou para as meninas se arrumarem em duplas, Normani e Lauren já pegaram uma na mão da outra, Veronica iria dançar com Lucy e Ally com Demi. - Camila e eu vamos primeiro explicar e ensinar os passos sem música, depois colocaremos a música para vocês associarem aos passos e dançarem juntas. 

Quando Dinah terminou de explicar, me aproximei dela e então ela segurou minha mão direita com a sua esquerda e deixou a outra apoiada em minha cintura. Coloquei minha mão esquerda em seu ombro e então começamos a nos mover bem devagar e a explicar como os passos deveriam ser realizados. 

- Nessa dança, vocês devem mexer bem o quadril e tentar não mexer muito os ombros, e também ter uma flexibilidade nos joelhos, para o jogo de quadril e o sobe e desce do corpo serem bem executados. - Enquanto minha melhor amiga guiava nossos movimentos eu ia explicando alguns detalhes. E assim fomos dançando. Após explicar e ensinar sem música era hora de colocar algum som. 

- Deixem o corpo de vocês serem levados pela batida, se entreguem e vocês vão ver que será fácil. - Dinah diz, após eu dar play na música e me aproximar dela novamente e ficamos na mesma posição de antes. 

(PLAY)

A música começou e meu corpo já movimentava sozinho no ritmo, meu quadril indo de um lado para o outro lentamente e então Dinah começou a dar passos para o lado e intercalando entre passadas rápidas e lentas, como a música pedia.

- Lauren não consegue nem piscar. - A maior sussurra após algum tempo dançando, próxima à minha orelha e eu disfarçadamente olho em direção à morena dos olhos verdes e ela está com o olhar fixo em meus movimentos, mordo meu lábio inferior e sorrio. Percebo Normani sussurrar na orelha dela também e no mesmo instante ela sobe seu olhar para meu rosto e abre um sorriso que deixa seus olhinhos quase fechados e eu lanço uma piscadela para ela. Desvio meu olhar para as outras alunas e vejo que Ally e Demi estão com uma certa dificuldade e cutuco Dinah para que ela olhasse também.

- Vamos lá, elas estão com dificuldades. - Me solto da outra professora e caminho até as duas que estão perdidas nos passos. - Vamos trocar as duplas. - Ally me olha e sorri, pegando na mão que eu estendi para ela e Demi vai em direção à Dinah. - Solta o corpo Ally, mantenha a cabeça erguida e só me acompanhe. - E assim ela fez, as vezes enroscando nossos pés, mas depois ela foi pegando o jeito. Lauren agora dançava com Vero e Normani com Lucy. A música estava no repete, para não ter que ficar parando toda hora e atrapalhar as alunas. 

- POV Lauren Jauregui - 

- Vai lá dançar com a sua professora também. - Vero fala baixo e eu nego com a cabeça.

- Mas eu não estou com dificuldades igual a Ally e a Demi. Elas só foram ajudar as duas. - Olho para Camila que girava o corpo de Ally e então voltava a dançar. 

- E quem disse que precisa estar com dificuldades? - Ela me lança um sorriso de lado e olha em direção à Dinah que está próxima a nós. - Podemos trocar de duplas de novo? - A loira olha para Veronica e acena positivamente com a cabeça e as duas trocam uma piscadela.

- Trocar as duplas. - Dinah diz alto e entrega Demi para Veronica e eu fico olhando para Ally, que vai de encontro com Lucy. - Boa sorte Lauren. - A loira me olha e pisca com o olho esquerdo, olho para o lado e vejo Camila se aproximando de mim com um sorriso no rosto e andando no ritmo da música. 

- Podemos? - Ela estende a mão direita e eu pego rapidamente e com a outra mão coloco em sua lombar e ela passa o outro braço por trás do meu pescoço, deixando nossos corpos bem colados. Camila deixa a lateral de nossos rostos coladas e demos início aos passos. A professora movia seu corpo tão perfeitamente que eu quase parei de dançar só para poder admira-la. Afastei nossos corpos e girei o corpo de Camila, deixando ela de costas e então grudando-a em mim, repousei minhas mãos em sua cintura e ela rebolava contra meu corpo, passei meu braço por sua cintura e virei ela de frente para mim novamente e ficamos paradas, exceto pelo quadril de Camila que movia em círculos e depois travava repetidamente. 

Como eu estava guiando os movimentos, comecei a dar passos para trás e a fazer movimentos lentos de ondas com o quadril e depois rebolar sensualmente. Camila me olhou sorrindo e foi me acompanhando. 

- Muito bem, está fazendo certinho. - Ela diz e se afasta de mim, fazendo um movimento em que a lateral de nosso quadril bata levemente. Voltando à posição inicial, continuamos no nosso ritmo e na nossa própria bolha, esquecendo das outras mulheres presentes naquela sala. 

- Hey, já aprendeu muito já Jauregui! - Ouço Veronica falar e todas começarem a rir e a bater palmas por nossa dança. Dinah estava perto do som e tinha dado pause na música. Camila me olha e solta uma risadinha e então sela nossos lábios e as meninas soltam um "own" e nego com a cabeça sorrindo.

- Vocês fazem um belo par. - Ally diz toda sorridente e eu abraço Camila de lado. 

- Concordo com a Ally. - Dinah fala com um sorriso enorme em seus lábios. 

- Obrigada, obrigada. - Faço uma pequena reverência e Camila me acompanha e caímos na gargalhada. - O que acham de irmos comer lá no restaurante? - Pergunto olhando para Camila e depois para as meninas.

- Só se for por sua conta. - Normani fala divertida e todas concordam com ela. 

- Vocês são folgadas hein, Ally também é dona de lá, peçam para ela. - Falo emburrada e Ally me da um tapa no braço.

- Você é muito mão de vaca Lauren. - Ally fala rindo e então todas concordam de irmos para o restaurante. 

- Dinah, leve a Júlia. Eu havia dito que veria ela hoje e não quero magoar a pequena. - Aviso para a maior que concorda. - Só precisamos tomar um banho e trocar de roupas, nos vemos em casa em uma hora? 

- Está dizendo que todas estamos fedendo é? - Camila arqueia uma sobrancelha e eu nego rapidamente.

- Vamos gente, se não fica tarde e hoje não é sexta-feira ainda para voltarmos tão tarde. - Demi fala já próxima à porta a nossa espera. 

- Nos vemos lá então. - Lucy fala para as professoras e então saímos do estúdio. No meu carro iria comigo Ally, Demi e Normani. Veronica e Lucy estavam no carro delas. 

[…]

- Oi pequena. - Falo me agachando quando Dinah e Camila chegam com Júlia em meu apartamento e ela corre em minha direção. 

- Oi tia Lauren. Mamãe disse que vamos no seu restaurante, é verdade? - Ela pergunta agora em meu colo, com seus olhinhos castanhos brilhando. Dou vários beijos em seu pequeno rostinho e ela começa a rir.

- É verdade sim Ju, nós vamos comer todas juntas lá. Vocês querem alguma coisa? Enquanto as meninas não chegam. - Dinah e Camila negam, sentando no sofá e eu continuo com a criança no colo. 

- Chloe e Theo vão também? - Júlia pergunta.

- Vão também, para fazer companhia pra você. 

Após um tempo Normani chega junto com Lucy e Veronica, avisando que Ally e Troy já estavam lá embaixo esperando por nós. 

- Ué, cadê a Demi? - Dinah pergunta quando chegamos em meu carro.

- Ela disse que teve um imprevisto. - Normani fala revirando os olhos dramaticamente. 

- Ela anda cheia dos imprevistos agora, parece até que não quer mais sair com a gente. - Solto um suspiro e olho para as meninas. - Quem vai no meu carro? 

- Eu! - Júlia grita animada e eu começo a rir de sua afobação. 

- Eu e Lucy vamos com Troy, já até guardamos o carro na garagem. O restante vai tudo com você. - Veronica fala entrando no carro em que Ally está com os gêmeos e o marido. Como Dinah havia colocado o carro na garagem também, seguimos em meu carro, logo atrás de Troy. 

Essa noite eu teria que conversar com Dinah, ela precisava me ajudar com uns preparativos e ela era a pessoa certa para me ajudar com isso. Só iria esperar Normani afastar Camila de nós e eu poderia ter meu tempo com Dinah. 

Pedidos feitos, todo mundo em seus devidos lugares e cada um em um assunto diferente. De um lado da mesa, estava eu, Camila, Normani e Dinah e na nossa frente Veronica, Lucy, Troy e Ally. As crianças estavam do lado de suas mães em suas cadeirinhas. O restaurante não estava muito cheio, nesse horário eram mais entregas sendo feitas. Como eram muitas pessoas em nossa mesa, demorou um pouco mais de vinte minutos para o pedido chegar e todos podermos comer. 

[…]

- Eu preciso ir no banheiro, tomei muito refrigerante. - Normani fala se levantando e Camila a acompanha. Ótimo, nem precisou que minha melhor amiga a chamasse. 

- Eu vou com você Mani. - E assim as duas foram, Lucy acabou aproveitando e indo também e eu me apressei em me sentar ao lado de Dinah. 

- Dinah, eu preciso de sua ajuda. - Falo em um tom baixo, mesmo que ninguém estivesse prestando atenção em nós e ela vira o rosto em minha direção.

- Pode falar Lauren. - Ela sorri e se ajeita no banco e então começo a explicar o que eu precisava.

- POV Camila Cabello -

- Eu acho que vou explodir! - Coloco minha mão direita sobre minha barriga e encosto na parede do banheiro, esperando por Lucy e Normani, que logo saem das cabines e vão em direção à pia.

- Você é magrinha assim de ruindade né? Come que é uma beleza, misericórdia. - Normani fala fazendo uma careta e nós três começamos a rir. 

- Certeza que Camila da prejuízo quando vai em rodízios. - Lucy fala e vamos em direção à mesa onde todos conversam animados. As crianças estavam mais interessadas em chupar os pirulitos que Troy trouxe e as mãozinhas dos gêmeos estavam todas meladas. 

- Troy, olha essas crianças, todas meladas. - Ally fala pegando um pedaço de papel e tentando inutilmente limpar as mãozinhas de Theo, que resmunga e volta a lambuzar tudo com o pirulito.

- Deixa eles aproveitarem amor, depois eu dou banho neles. - Troy passa o braço pelos ombros da esposa e beija o topo de sua cabeça.

Olho para Lauren e ela observa as crianças com um sorriso enorme em seu rosto. 

- O que foi? - Pergunto e ela parece sair de um transe e me encara.

- Essas crianças são lindas até lambuzadas de doce. Até Júlia acabou toda melada. - Solta uma risada e olho para Júlia, que está com a boca toda rosada e brilhante por causa do doce. 

Continuamos em uma conversa paralela por um bom tempo, rindo e tirando fotos de todos unidos na mesa. Os gêmeos já estavam incomodados e com sono, então resolvemos que era hora de ir embora.

- Eu pago, eu dei a ideia e chamei vocês. Deixa por minha conta. - Lauren disse já de pé ao lado da mesa.

- Para com isso, vamos todos dividir. - Dinah protestou e Lauren bufou.

- Dinah está certa, vamos dividir e pronto. - Concordei com minha melhor amiga e mesmo assim Lauren continuou com seu mesmo argumento e falando que da próxima vez todos poderiam dividir. Mesmo contragosto eu e Dinah aceitamos. 

- Não é sempre que isso acontece, então aproveitem mesmo. - Veronica fala sorrindo e Lauren mostra seu dedo médio para sua amiga. - Te amo também idiota. - Manda um beijinho no ar e a de olhos verdes acaba rindo. 

[…] 

A semana passou rapidamente. Nossas aulas com as meninas, foram todas de kizomba como elas haviam insistido. E mais uma vez, Lauren e eu dançamos juntas e com todas nos observando. 

Meu ânimo não estava dos melhores, minha cólica estava horrível e remédio nenhum parecia dar jeito nisso. Dinah havia saído com Normani, Júlia estava com o pai e eu? Estava com meu balde de pipoca e um filme de comédia. 

Havia acabado de tomar banho e colocar uma calça de moletom e uma regata branca e tentava me distrair com o filme, o som irritante do meu celular começou a tocar ao meu lado e eu rapidamente o peguei e quando o nome dela apareceu no visor, um sorriso involuntário surgiu em meus lábios. 

- Oi Lauren. - Cumprimentei assim que atendi a ligação. 

- Oi Camila. O que está fazendo? - Me ajeito na cama e deixo o balde de pipoca na cabeceira. 

- Estou assistindo um filme e você? - Ouço barulhos do outro lado da linha e parecia que ela estava arrumando algo. 

- Acabei de me arrumar e estou querendo sair e pensei em te chamar, você está afim? - Pelo seu tom de voz, ela parecia estar sorrindo. 

- Eu adoraria sair com você, se eu não estivesse quase morrendo de tanta dor. - Suspiro baixo. 

- O que você tem? Aconteceu alguma coisa? 

- Não aconteceu nada. É apenas essa cólica horrível, mas daqui a pouco já melhora. - Tranquilizo ela que suspira na mesma hora. 

- Ah! Ainda bem que estou livre dessas coisas. - Fala divertida e eu acabo rindo. - Mas, tudo bem então. Agora eu preciso ir, melhoras pra sua dor. - E assim finaliza a ligação me deixando irritada. Que ótima consideração a dela, só me liga pra sair e se eu não vou já me dispensa assim tão fácil? Idiota.

- POV Lauren Jauregui -

- Hey, eu preciso de algum remédio para cólicas. Algum que faça efeito realmente, por favor. - O homem da farmácia me olhava com uma cara de poucos amigos e eu esperava impaciente. Já havia comprado algumas coisas e agora só faltava o remédio para eu ir para a casa de Camila. 

Talvez ela estivesse irritada agora por eu ter desligado a ligação sem nem ao menos deixar ela se despedir, mas esse era o plano. Ela ficaria irritada achando que eu só queria a companhia dela para diversão e quando ela menos esperar estarei na porta da casa dela com alguns agrados. 

O homem que aparentava ter cerca de uns quarenta anos de idade voltou com três tipos de remédios e eu não fazia ideia de qual seria o melhor e qual Camila poderia tomar, na dúvida acabei pegando os três e logo entregando o dinheiro para ele que me olhava confuso e sai em passos apressados para entrar em meu carro, deixando os remédios ao lado das sacolas no banco do passageiro. 

Demorei alguns minutos até chegar na casa de Camila e estacionar o carro próximo ao portão. Observei as janelas e apenas a de cima estava com a luz acesa, indicando que ela estava no quarto. Peguei as sacolas, coloquei o remédio no bolso da minha calça e sai do carro, ativando o alarme e me posicionando próxima a campainha, que rapidamente apertei. 

- Quem é? - Ouço a voz rouca no interfone e logo sorrio. 

- A solução dos seus problemas. - Ouço a risadinha de Camila. 

- Já estou indo, espera ai. - E assim desliga o interfone. Me afasto do portão e encosto na lateral do carro, observando o movimento da rua. Ouço o arrastar de chinelos e logo o portão abrir e uma Camila sorridente aparecer, vestida com um moletom largo e uma regata. Os cabelos levemente bagunçados. - Pensei que você fosse sair. 

- E eu saí e estou aqui. Trouxe algumas coisinhas para você. - Levanto minha mão mostrando as sacolas e ela tenta ver o que é. - Acho que isso vai fazer você se sentir melhor. - Sorrio e ela abre passagem para que eu entre, fechando o portão e eu atrás dela a seguindo para dentro da casa. 

- Vamos lá pra cima, deixei o filme pausado. - Pega na minha mão livre e vai me puxando até seu quarto, a cama estava cheia de travesseiros e um edredom todo embolado e ela logo se joga em cima dele. - Venha, vamos assistir o filme. 

Me aproximo da cama e coloco uma sacola sobre a mesma, pegando a outra e despejando as coisas sobre o lençol e logo fazendo o mesmo com a outra. 

- Eu não sabia qual você podia tomar, então eu peguei esses remédios aqui. - Tiro as cartelas do meu bolso e mostro para Camila, que está com os olhos fixos nos chocolates que acabei de despejar sobre a cama. Sempre que minha irmã e minhas amigas estão nesses dias, elas só falam de comer chocolate, então resolvi trazer vários deles para a menor que ainda os encarava na cama.

- Tudo isso é pra mim? - Aponta para os chocolates. Observo seu rosto e seus olhos estão com um brilho lindo e um sorriso mais lindo ainda. Aceno com a cabeça e começo a tirar meus tênis e deixar do lado da porta e sento na beirada da cama. - Eu não sei nem o que falar. - Leva suas duas mãos ao lado de seu rosto e sorri para mim.

- Não precisa falar nada, só precisa comer e tomar um remédio, que até agora você não notou. - Estendo minha mão com os remédios e Camila pega, observando. 

- Eu posso tomar qualquer remédio, mas vou tomar esse que é o que faz mais efeito em mim. - Me mostra o remédio que tem a embalagem rosa e branco, inclina o corpo para o lado buscando sua garrafinha amarela e tomando a água junto com o remédio. 

- Na dúvida resolvi trazer os três, o homem de lá não parecia feliz em atender os clientes não. - Reviro os olhos e ela ri, se aproximando de mim e ficando de joelhos ao meu lado. 

- Obrigada pelo remédio e por esses chocolates maravilhosos. - Coloca suas mãos em meu rosto e me da um selinho demorado. Levo minhas mãos até sua cintura exposta pela regata curta e aliso o local com meus polegares. Camila morde meu lábio inferior levemente e se afasta olhando em meus olhos. 

Nos ajeitamos na cama, depois de Camila ter insistido para que eu colocasse uma calça de moletom dela para que eu ficasse confortável ao invés de permanecer com minha calça jeans. Coloquei alguns travesseiros em minhas costas e a menor se aconchegou ao meu lado, repousando sua cabeça em meu peito. 

Camila estava comendo uma barra de chocolate e levantou a cabeça, me oferecendo o doce e eu abri minha boca em um pedido mudo para que ela colocasse em minha boca. Mordi um pedaço e ela logo deitou a cabeça novamente. Todo chocolate que ela pegava, ela fazia a mesma coisa, compartilhando as guloseimas comigo, mesmo eu negando e dizendo que era apenas para ela, mas ela insistia para que eu comesse junto.

O filme acabou e ela começou a resmungar de dor nas costas quando sentou na cama para pegar o controle da TV, trocando de canal em busca de algo para assistir. 

- Eu detesto ficar nesses dias, é tão horrível. - Fala com um bico nos lábios e eu fico de joelhos na cama, olhando para ela que bufava irritada.

- Posso te fazer uma massagem? Talvez isso ajude sua dor a melhorar. Ou posso te comprar mais chocolates se você quiser. - Ela ri e nega com a cabeça. 

- Mais chocolates não, ainda nem terminei com os que você trouxe. - Aponta para a sacola ainda com os chocolates. - Mas eu aceito a massagem. - Se joga na cama, ficando de bruços e me olha com o canto dos olhos. - Tem um creme aí nessa gaveta se quiser usar. - Olho para a cabeceira e logo abro a gaveta, pegando o creme do frasco azul e me ajeitando ao lado de seu corpo. 

Levanto sua regata para expor mais sua pele bronzeada e despejo o líquido em minha mão esquerda, esfrego uma mão na outra para deixar o líquido quente e posiciono minhas mãos em sua lombar, fazendo uma leve pressão na região. 

- Um pouco mais pra cima, por favor. - Pede em um sussurro e assim faço, subindo minhas mãos e fazendo mais pressão. Camila solta um suspiro manhoso e eu sorrio. Com meus polegares faço círculos próximo à sua coluna e desço para um pouco acima de sua bunda. Se controle Lauren, se controle. Meu Deus, esse corpo é perfeito demais. - Lauren? - Camila me chama e eu percebo que meus movimentos estão parados.

- Sim? - Volto a mexer minhas mãos e ela ri. - Que foi?

- Nada não, pensei que tivesse acontecido algo. 

Após a sessão de massagem, nos ajeitamos na cama de novo e abracei a menor que estava com a cabeça em meu peito novamente. 

- Você tem irmãos? - Pergunta após alguns segundos em silêncio. 

- Tenho sim. Um mais velho e dois mais novos. Ian é o mais velho, Chris e Taylor são os mais novos. E você? 

- Tenho uma só, mais nova. Ela se chama Sofia. - Me olha e sorri. - Seus pais e irmãos moram aqui mesmo?

- Moram sim. Chris e Taylor ainda moram com meus pais, já o Ian mora com a namorada. Seus pais também moram por aqui? - Ela acena com a cabeça. - Aposto que sua irmã é a sua versão mais nova. 

- Não fale isso perto dela, ela não gosta de comparações entre nós duas, porque ela diz que somos bem diferentes. O que todo mundo discorda, é claro. 

Ficamos uma boa parte da noite conversando sobre nossas famílias, nos conhecendo um pouco mais, como foi a infância, os estudos e tudo mais até Camila reclamar de fome e eu sugerir para comermos pizza. Eu queria agradar ela e por isso estava fazendo suas vontades. 

[…]

E novamente estávamos deitadas na cama da professora, minha mão estava em seus cabelos fazendo uma carícia leve e eu ouvia sua respiração baixinha indicando que ela já estava dormindo. Eu precisava ir para casa e comecei a me mover minimamente sem acordar a pequena, só que foi uma tentativa falha.

- Não, fique aqui. - Fala me agarrando mais ainda por baixo do edredom e eu olho para ela que permanece de olhos fechados. 

- Tem certeza? - Continuo observando seu rosto e ela abre seus lindos olhos lentamente. 

- Tenho sim, Dinah provavelmente não voltará para casa hoje e eu não quero ficar sozinha. - Seu tom de voz é baixo e eu continuo com os olhos fixos em seu rosto. - Seu carro já está na garagem, você só precisa me abraçar e dormir, só isso. 

- Tudo bem, mas não se acostume não viu. - Seguro seu rosto e dou um selinho em seus lábios carnudos que logo me da passagem para aprofundar o beijo. 

- Você já me acostumou mal, não tem mais como voltar atrás. - Afasta seus lábios do meu para falar e depois volta para o beijo. Abracei seu corpo magro e puxei para ficar mais próxima de mim e assim ficamos a noite inteira.  

"Não tem como voltar atrás", será que o que ela disse é o que eu realmente entendi? Será que ela também quer assumir um relacionamento? 

Isso eu só saberia daqui alguns dias, quando eu colocasse meu "plano" em prática. E eu esperava que tudo dê certo para mim.


Notas Finais


Só queria uma Lauren assim pra mim também, que amorzinho.

Até jaja.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...