História The Ship Wonsp - Capítulo 18


Escrita por: ~ e ~Footloose

Exibições 50
Palavras 3.131
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Esporte, Famí­lia, FemmeSlash, Festa, Ficção, Fluffy, Hentai, Lemon, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Saga, Shounen, Slash, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Boa Leitura!

Capítulo 18 - Like A Phoenix


Fanfic / Fanfiction The Ship Wonsp - Capítulo 18 - Like A Phoenix

Como Uma Fênix                                                          

Sidney – Austrália – 7:34 am

O clima de manhã estava ameno; seu com nuvens, mal dava para ver o sol. Ventava pouco, mas ainda era fresco. Estavam em casa, na sala de estar aconchegante a lareira acessa. Kenji sentado em uma poltrona pensativo olhando para a Televisão, os canais eram trocados repetidamente.  O controle sob posse de Talones, sentado no sofá, os pês para cima no banquinho. Rachel ao seu lado também apenas a olhar a televisão.

Parou. O canal de notícias. Uma repórter morena em frente a uma tela, na tela o mar. Uma explosão.

 “Um Iate explodiu no Oceano Indico próximo a Madagascar. Ainda não a informações sobre vítimas, ou de quem pertencia o Iate. ” Essa era a notícia pela manhã. A repórter chamada Ginger falava sobre o acidente.

- Esse Iate era o nosso? – Perguntou Kenji. – Era o nosso Iate!? – Disse preocupado olhando fixamente para a televisão.

- Lamentável.... Não acha meu filho? – Respondeu Talones. Kenji suspirou pesadamente, levantou e retirou se.

- Sofreremos algum processo?! – Perguntou Rachel olhando para o Wonsp mais velho.

- Não, não vão descobrir como ocorreu. – Ela assentiu. Levantou se e se retirou.

Andou até a varando encontrando Kenji apoiado no vidro de proteção. O vento frio balançou os seus cabelos.

- Steffany mandou uma mensagem.... Ela quer saber se sabemos de algo.

- Isso foi muito fácil. – Respondeu Rachel, aproximou se mais dele. Ficando ao seu lado, olhando o mar. – Tem algo mais. Isso foi rápido até mesmo para ele. – Kenji murmurou algo em resposta.

 

Xxx

Nove Horas Antes...

- Diga agora o que está acontecendo! – June disse de modo agressivo.

- Ele está aqui... – A voz de Wesley saiu baixa e tremula.

- Quem está aqui? – Mel se aproximou dele. Encontrou em seu ombro tentando acalma –lo.

- Montgomery.

- Quem!? – As vozes da maioria deles ressoou em conjunto.

- Ele está desaparecido a uns seis anos. – Disse Yardly.

- Desaparecido não significa morto. – Disse John. – Como assim ele está aqui?

- No telefone. Era ele. – A voz do rapaz era falha. – Ele subordinou o piloto.

- Como se subordina alguém para se matar? – Perguntou Aria.              

- Diz que vai dar dinheiro para a família ou que vai matar alguém que ama. – Respondeu Catherine.

- Okay, isso ainda não é motivo para jogar o telefone na agua! – June disse irritada. – E Agora!?

- Ele disse que iremos morrer. Em alguns minutos...

...

O pânico havia se generalizado pelo iate. Os mais sãos tentando manter a calma e pensar em algo. Alguns minutos poderiam ser a qualquer minuto. Podia ser cinco minutos, quinze ou apenas dois.  Alguns sugeriram pular no mar. Mas isso não era uma opção aceitável. A agua fria durante a noite, morreriam de hipotermia. Congelados até a morte. Se conseguissem algum lugar por apoio, sobreviveriam por um tempo. Mas estavam longe da costa e do navio. De um modo ou de outro morreriam. Isso era fato. Mas a ideia de prolongar a vida pelo tempo necessário e viável era uma ideia maravilhosa ainda mais em momento de desespero.

- Estamos em um iate de uma família rica! Não é um simples iate! – Disse June. – Deve haver um sinalizador! Talvez coletes salva-vidas. Algum tipo de caixa com mantimentos!

- Ela tem razão temos que procurar! – Disse Yardly concordando com a outra. – Vamos começar por la em baixo. Deve haver algo, procurar na cozinha e outros compartimentos.

- Sim vamos. Vocês vão apara a cozinha. – Disse June apontando para Yardly e Fyodor. Eu e John vamos para baixo. Alice e Charlotte peçam para que todos os outros procurem por um compartimento, alçapão qualquer coisa.

Wesley estava sentando em uma cadeira o relógio de pulso em mão. Olhava apenas para ele. Tique-taque, Tique-taque, Tique-taque, Tique-taque, a cada segundo que passava mais aflito ficava, suava frio, as mãos tremiam. Tique-taque, Tique-taque, Tique-taque o som dos ponteiros se transformam em tiros a lembrança da morte. Tique-taque, Tique-taque, Tique-taque a qualquer minuto seria o último.

Tique-taque, Tique-taque, Tique-taque.

- Achei! – O grito alto e claro sobre um aviso esperado. Oliver apareceu carregando uma caixa vermelha grande. Pois a no chão, todos já estavam a volta pedindo para que a mesma fosse aberta imediatamente. Após um certo esforço Oliver a abriu. E o que encontraram era desagradável. – É o relógio da bomba. Mas este não é a bomba! Temos Três minutos!

- O que mais tem na caixa! – Pediu Richard por trás.

- Tem um bote inflável, um sinalizador e uma caixa com barras de cereais e duas garrafas de quinhentos ml. – Disse Oliver retirando tudo de dentro da caixa.

- Ok, duas pessoas pegam uma garrafa. – Começou June. – Alguém segura a caixa com barras. Os garotos encham o bote. John e Fyodor procurem a bomba.

Oliver se levantou, deixou a caixa no chão. Avistou Catherine não muito longe.

- Por que está sorrindo? – Perguntou ele se aproximando da garota.

- “Meu sorriso é minha arma contra o mundo, quando mais ele me machucar, mais eu sorrirei." Não será uma bomba que irá me afetar. – Disse olhando para Oliver. – Nada pode me afetar. –Oliver ficou em silencio desviou o olhar.

- Uau. – Foi só o que conseguiu dizer.

00:02:02 – Piscava no relógio. O bote estava quase pronto. Jogaram no na agua. Preso em uma corda para não sair boiando.

- Quem vai primeiro?! – Perguntou Fyodor, Eles não haviam encontrado a bomba e sabiam que nada iria adiantar.

- Eu! – Disse Misha. – EU vou. - Se aproximou da barreira. Pôs se sentado sobre ela. Ariadna estava logo atrás.

- EI! Esperem o que estão fazendo!? – June chegara novamente. – Pule na agua e depois com cuidado suba no bote. Não vai querer afundar o bote junto consigo! – Falou seria. – Vão logo pulando na agua. Vamos jogar toalhas para vocês.

- Nãos cabe vinte e duas pessoas em um bote salva-vidas – Disse Mel. – Cabe no mínimo doze. Mas e os outros dez?

- Ela tem razão. – Disse John.

- Pulem apenas doze! Misha, Ariadna. – Começou June. – Wesley, Mel, Mark. Min, Camilo, Richard, Alice, Charlotte, Aria e Yardly. – Esse se aproximaram se da barra de proteção. – Pulem na agua e subam com cuidado no bote. – Oliver gritou “Um Minuto e meio!” – Cath, Pegue algumas toalhas! Levem uma garrafa d’agua. Vão!

Com certa hesitação os doze pularam na agua fria, gemeram ao sentir a agua gélida queimar a pele quente.

Misha subiu no bote facilmente. Ajudou Ariadna a subir. Camilo teve dificuldade para subir.  O bote tremeu e quase virou, com cuidado puxaram os restantes. As toalhas foram jogadas. E a corda que o prendia ao iate solta. Charlotte agarrou a mão de Alice. Frio. Tremiam. Camilo com suas poucas roupas foi coberto por uma toalha por Mark. Micha aproveitou para se aproximar mais de Ariadna. Dividindo uma tolha fria. Os corpos estavam frios tremiam a cada vento que soprava e passava por eles. Tremiam, o bote se afastava do iate com rapidez, as aguas fluíam ligeiramente, a correnteza rápida os afastou. Mal podiam  ver os presentes ainda no iate. Yardly olhou para o relógio com Wesley. – Menos de um minuto... – Sua voz era tremula e a fumaça branca saia de sua boca, suas peles já estavam pálidas gélidas e azuladas. Os pequenos flocos de gelo já formavam se nas cabeças.

...

 

00:01:17 – Tempo restante.

- Vamos pegar as boais da piscina! – Disse Darwin já subindo para a mesma.

- Vamos congelar... – Disse Fyodor. – Iremos acabar como os passageiros do Titanic...

- Tem uma ideia melhor? – Leyla perguntou ajudando Darwin a pegar as boais.

- Infelizmente não.  Mas assim que tudo explodir nós apoiamos nos pedaços!

- Uma boa ideia Rose! – Respondeu Oliver. – Temos agora menos de um minuto.

- Mal dá para ver lós daqui. – Disse Lucinda. – O mar está os arrastando muito rápido. Vamos nos perder.

- Já posso atirar? – Perguntou Leonardo com o sinalizador.

- Atire, temos quantas boias? – Perguntou June.

- Sete – Respondeu Catherine. – Eu divido uma com o Oliver, você e o John dividem outra, Agumi e Luce usam outra. Dara certo, depois fazemos como o Fyodor falou.

- Ok! – O tiro foi dado, a luz voou alto brilhando em vermelho. – Quanto tempo Agumi?!

- Quarenta e dois Segundos. – Respondeu a menina. Luce chegou perto, segurava uma boia. –

- Pule na agua e eu vou ao seu encontro, tudo bem? – Perguntou Luce a Agumi, ela concordou, subiu nas barras de proteção e pulou.

Catherine e Oliver também, Cath com a boia. Leonardo e Darwin cada uma com a sua boia pularam.  Leyla pegou a boa e olhou para baixo.

- Não tenha medo. – Fyodor estava com uma boia ao seu lado. – Apenas pule. – Disse. – Segure a minha mão e pulamos juntos. - O fizeram. John se aproximou da borda ao seu lado June. June olhou uma última vez ao relógio. Dez segundos. Tinham que pular e nadar o mais longe possível. Pularam.

Seis segundos: O nado desesperado na agua fria e congelante, o corpo dolorido, o possível choque térmico fazendo os membros dormentes e difíceis de mover.

Cinco segundos: A agua os puxando, a vontade de desistir o frio intenso.

Quatro: - Nadem! – Gritava June. – Nadem! – A voz já tremula.

Três... Dois.... Um.-

Boom...

Xxx

 

New York – EUA. 6:30 am – Um dia de diferença com Sidney

Hugh adentrou o escritório rapidamente. Esperava sentar se em sua cadeira e pensar um pouco. O iate havia explodido misteriosamente no Indico. Ele apenas queria um pouco de sossego por hora, Megan estava louca com os problemas em casa. Mas ele não sabia o que fazer. Mas ao entrar no pequeno escritório fora surpreendido pelo trio. Jordan, Katherine e Angel.

- Nós encontramos pistas de Riley Oxford. – Disse Jordan. – Estamos indo para o Brasil.

- Brasil? – Hugh perguntou passando as pontas dos dedos indicadores nas têmporas. – Ok. Vocês têm total capacidade de resolver esse caso sozinho. Quanto vão precisar?

- Bem Obrigado.  – Começou Angel, - Mas nós iriamos pedir lhe para resolver sozinhos, então obrigado.

- Sobre o dinheiro, estaremos indo para o nordeste, precisamos de ida e volta de avião. Hospedagem e transporte.  – Disse Katherin.

- Quanto tempo? – Hugh perguntou ligando o computador.

- Faremos o possível para pegar la em duas semanas. – Respondeu Jordan. – Mas não sabemos ao certo. Se não conseguirmos voltamos e vemos se ela age.

- Ok, melhor assim, façam isso. Eu estarei enviando o dinheiro até o fim da tarde. – Eles assentiram e se retiraram da sala.

 

Xxx

A explosão começou embaixo, consumindo o iate em fogo, fumaça e tudo voa. O vento sopra quente com força empurrando os para longe.

- Abaixem se.... – A voz quase inaudível é ouvida.

Um mergulho para evitar os fragmentos que voam com a explosão. A agua por meros segundos esquenta se agita. Pedaços voam para todos os lados. Ressurgem de baixo d’agua. Os rostos pálidos e com as extremidades a ficar azuladas. O queixo a tremer e os dentes a bater. Os pedaços em chamar ainda caem apagando ao tocar a agua.  John olha envolta procurando por um ferido, por sorte sua busca não o leva a nada. Todos estão bem apesar de um tanto distantes.

- Temos de encontrar o bote... – A voz tremula de Fyodor sai baixa, mas ainda audível.

- Eles estavam para aquele lado. – Apontou Oliver. Os braços tremiam fortemente.

- Vamos antes subir em algo, como Fyodor sugeriu... – Leyla falou. – Ou vamos congelar. – Ela estava agarrada a garrafa de agua. Esta já estava congelando. – Olha! – Mostrou, ergueu o braço tremulo mostrando a agua semicongelada.

...

 

Do Bote viram a explosão do iate. Olhos fixos na bola de fogo e fumaça não muito longe. Pouco antes da explosão viram “coisas” cair do iate, sem ter certeza se eram os amigos. Os destroços eram grandes e caiam muito perto, se eles não tomassem cuidado seriam atingidos.

- Temos que voltar! – Disse Mel chegando perto da borda do bote. – Temos que voltar e ver se estão bem!

- Mel tem razão, vamos voltar! – Disse Ariadna dando apoio.

- Vocês pretendem remar com o que até lá? – Perguntou Richard encolhido e tremendo.

...

Nadavam com dificuldade, falta de força. Uma parte metálica do iate. Subiram nele. John, Oliver, Leonardo e Darwin nadavam atrás do mesmo empurrando o com as mãos, os braços tremiam, os dentes batiam, o esforço que faziam os aqueciam mais ainda era difícil nadar nesta situação, as meninas em cima, quatro sentadas no meio: Agumi, Lucinda, Leyla e June. Nas laterais deitados e usando os braços como remo Catherine e Fyodor.

- Eu não sinto minha mão. – Catherine disse sua voz tremula e rouca. – June...

June e Catherine trocaram de lugar. A balsa improvisada oscilou.

- Estou vendo ele... – Agumi disse. – O bote! – Começou a chacoalhar os braços freneticamente.

- Pessoal! – Era a voz de Mel. Sem seguida a de Alice, Min. Todos eles. – Estamos indo! Estamos Indo!

 

Xxx

NYC – 19:00

O Telefone de Hugh toca, pega o vendo ser sua esposa, suspira. Atende o, mas antes que possa dizer um “olá” ela fala:

- Eu encontrei.

-O que você encontrou Megan? – Perguntou Hugh. A resposta demorou, mas veio com hesitação:

- Encontrei Juan Wonsp.

- Como?! - Hugh pulou da cadeira. – Meu Deus Megan você deixou as crianças sozinhas?!

- O que? Não! Minha mãe está lá. O Psicólogo do James também... Mas isso não tem importância. Eu sai, e encontrei com um informante. Ele conseguiu para mim acesso a sala de câmeras do condomínio onde eles moram. Enviei alguém para pegar as gravações das duas ultimas semanas antes da “doença” de Juan. – Megan riu do outro lado. – Ele levou cinco tiros na frente da sua casa. Talones chamou alguns médicos particulares, ele e Kenji tem uma conversa sobre “Distrair as pessoas”. E então Rachel aparece ela fala com todo mundo e as testemunhas saem. O corpo é levado. Depois disso nas outras gravações eles vivem como se nada tivesse acontecido. Juan foi morto e fingem estar vivo. – Silencio.- Hugh?

- Megan isso com certeza tem um motivo, creio que não é um bom. Então, por favor cuidado. E não divulgue nada, guarde tudo. Estou indo para casa.

 

Xxx

Sidney – 10:00

-Temos mais informações sobre a explosão! – a Repórter morena, Ginger voltou. - Estamos aqui ao vivo para todo o mundo. O iate pertencia aos Wonsp. As vítimas foram os ganhadores do concurso da Wonship, eles conseguiram se salvar. De acordo com eles o piloto foi encontrado morto. A detetive June Wing, presente no iate diz que o piloto sem identidade suicidou se. E que com ele não encontraram nenhum tipo de documento. Outra vítima, Mark Walker diz que encontraram um telefone. E no qual receberam duas ligações. Uma de um homem dizendo ser irmão do piloto. – A repórter fez uma pausa. – A segunda ligação eles alegam ter sido de Montgomery.  – Silencio. Choque. Surpresa. – O celular fora perdido no oceano. Eles encontraram o relógio de uma bomba e foi assim que conseguiram fugir a tempo. Eles estavam com sintomas de início de uma hipotermia, foram tratados e agora já estão de volta ao navio Wonsp. Eu sou Ginger Lee, agora é com você Miller.

- Spencer Montgomery está desaparecido a seis anos. Tanto ele quanto seus comparsas Lúcifer Jones e Jennifer Hill foram visto a última vez na prisão, da onde fugiram. O FBI estará a investigar o caso. Ainda não foi possível entrar em contato com os Wonsp. Também entramos em contato com Audrey Montgomery que diz “Que não teve contato com ele a mais de dez anos” também entraram em contato com a filha: Megan Montgomery –Hope. Ela diz não saber de nada e que o pai nunca mais entrou em contato consigo desde o tiroteio na estrada. Isso é tudo.

A outra repórter foi mostrada. – Aliviados os familiares dos ganhadores do Wonship agradecem ao resgate, Esses jovens sobreviveram a explosão e voltaram como uma fênix das cinzas. Estamos contentes com isso.

Eram ainda sete da noite em NY. Megan desligou a televisão. – Seu pai estava de volta. E ela sabia que uma hora ou outra ele entraria em contato com ela ou com Hugh. Ela esperava que não o fizesse. Ela desejava mais que tudo que ele ficasse longe, ainda mais depois de tudo. Ela queria distância. A assistente social ainda ali tossiu.

- Eu irei levar o James. Os pais adotivos estão ali fora. Se quiser conhece –los. Eles tem uma filha.

- Tudo bem. – Disse Megan voltando a si. Ela deixou as meninas com sua mãe e saiu com Hugh até o portão onde um casal com uma menina esperava.

- Esses são Anthony e Selma McAllison, os novos pais de James Noah. – Disse a assistente social. Se cumprimentaram. O casal se afastou por um momento. – Isso é muito complicado Sra. Hope. Infelizmente o Psicólogo do rapaz acha que ter pais adotivos será bom para James repensar sobre o lar dele aqui. Ele perdeu os pais cedo, e será remanejado para outra casa em Sidney até onde eu sei, é complicado. Mas por um tempo será bom a ele.

- Está bem... – Disse Megan, mas não estava, seu pai a solta, James vulnerável com pessoas desconhecidas. O assassinato misterioso de Juan Wonsp. Não tinha nada de Bem. Ela sorriu. Abaixou se em frente a James. – Eu te amo apesar de tudo. Mesmo que não demonstre eu cuidei de você desde os seus dois anos. Apesar de não ter sido muito próxima a sua mãe tivemos muitos momentos. Eu só quero o seu bem James.

- Seu pai matou meus pais e minha irmã.- Disse o garoto se afastando indo em direção aos novos pais.

...

 

- Então James está é sua nova casa. – Disse Selma. – Ei Veronica mostre a casa para o James.

- Você também é adotada? – Perguntou James.

- Sim, minha mãe não pode ficar comigo e meu pai não sabe de mim. Tia Selma cuida de mim, as vezes minha mãe me visita. – James assentiu.

No jantar, todos sentados a mesa. Selma sorria alegre aos ‘filhos”, Anthony tinha um olhar vago.

- James do que seus guardiões legais trabalham? – Selma perguntou.

- São Detetives. – Respondeu.

- Eles estão tendo algum caso legal – perguntou sorrindo alegre para a criança.

- O pai eu não sei. Mas Megan diz que está investigando os Wonsp. Ela disse que encontrou Juan Wonsp.

- Juan.... – Anthony fitou o garoto que comia distraído. Seu olhar voltou a Selma. Ele se levantou e foi até a sala, pegou o seu celular em cima do armário.

“Ela o encontrou” – Digitou e enviou.

...

 

A mensagem chegou “Ela encontrou” Talones olhou. Não estava realmente preocupado. Voltou se ao irmão George ao seu lado, guardando o celular. – Quem os resgatou?

- Foi o piloto do navio.

- Nome?

- Evan Johansson. Quer que eu o coloque na lista?

- Sim...

 

Continua...


Notas Finais


Quem são os McAllison?
Os três jovens detetives irão encontra Riley Oxford?
O que Megan irá fazer com a descoberta do Assassinato de Juan Wosnp?
Até o Próximo Cap!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...