História The Slave, The Good and The Rabbit - Capítulo 1


Escrita por: ~

Exibições 41
Palavras 828
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Famí­lia, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que gostem. <3
Será uma long fic e o protagonista da primeira parte será o Leeteuk e o da segunda parte será o Suho.

Eu não revisei então desculpa pelos erros.

Capítulo 1 - Ato 1 - O Destruidor de Minha Vida


Vocês querem saber o verdadeiro significado de azarado? O verdadeiro significado é Leeteuk. Sim, Leeteuk sou eu. E vivo uma vida de bosta.

Sabe, eu só queria ter uma vida normal como qualquer jovem da minha idade. Queria fazer uma faculdade boa, me formar, se divertir e construir uma família. Parecem coisas fáceis e comuns, não?

Para mim, não é.

Começando pelo pior: Meu pai. O nome dele é Haru e ele me odeia com todas as suas forças, não apenas eu, eu e meu irmãozinho menor, Suho.

O motivo? Ele disse que fomos a causa da destruição da sua vida. Que não deveríamos ter nascido e que nossa mãe, que já é falecida, devia ter nos abortado. Coisa que ela não fez, já que era uma mulher muito bondosa e carinhosa. Não sei como ela aturou meu pai.

Infelizmente, nossa mãe faleceu de uma doença quando eu tinha 12 anos e Suho 5 anos.

Depois do falecimento dela, minha vida e a do meu irmão se tornou um verdadeiro inferno. Vivíamos sempre apanhando de nosso pai e passando fome.

Nosso pai é obececado por dinheiro.

Apenas isso explica ele ter me vendido para o dono da boate mais famosa de Seul.

Isso mesmo que você leu. Vendido.

Quando eu penso que não vai piorar a minha vida, ela piora.

O nome de "meu mestre" é Kangin. E pelo que eu ouvir falar sobre ele, ele é uma pessoa horrível. Ele é capaz de destruir a vida de até seus familiares.

Ouço um bater na porta. Deve ser o capanga de Kangin, ele veio me buscar.

Meu pai se levanta, mas eu seguro a sua mão.

Leeteuk - Appa! Por favor... Cancela tudo isso. Não vai te levar a nada, apenas vai ganhar um dinheiro sujo e desgraça na vida.

Haru - Calado! Você apenas me deu prejuízo nessa vida e agora ira pagar! - Deu um tapa em minha mão e atendeu a porta - Olá, Hyukjae. Seja bem vindo, o escravo está em minha sala.

Hyukjae - Muito obrigado. - Hyukjae sorriu e foi pra sala.

Hyukjae era bastante bonito, de cabelo recolorido em branco, corpo magro e alto. Usava vestes parecidas com as de marinheiro.

Hyukjae - Leeteuk, não é? Você é bem bonito. Kangin realmente tem bom gosto. - Ele riu - Sabe, não quero te assustar, garoto... Mas você vai viver em um inferno agora. - Riu mais uma vez e pegou uma coleira escrito com o nome "Kangin'' - Okay, chega de enrolação. Preciso que coloque essa coleira.

Peguei a coleira em minhas mãos, e fiquei a olhando, enquanto pensava sobre como a minha vida iria se transformar em um verdadeiro inferno. Ter que obedecer as ordens de um folgado? Nem pensar! Não sou Escrava Isaura para isso.

Hyukjae - Vamos, garoto! Não tenho a vida toda.

Hyukjae me olhou nervoso e eu o obedeci, não queria piorar as coisas.

Hyukjae - Bom garoto. Agora vamos. - Ele pegou meu braço com força e já me puxou para fora de casa.

Suho - Não vá, hyung! Por favor, não vá! Você é a única pessoa que eu tenho! Moço, larga ele, você não vai levar meu irmão! - Suho correu até nós e deu um chute na perna de Hyukjae.

Leeteuk - Suho!

Hyukjae - Fica quieto, pirralho! Quem sabe eu não compre você depois. - Ele riu e me jogou no carro.

O motorista deu a partida para a boate e eu me calei. O trajeto para o local fora em tremendo silêncio por minha parte.

Depois de um tempo, chegamos no centro de Seul e eu avistei uma grande boate com uma placa que dizia o nome do local. Moon's Kip.

Em Moon's Kip, fora onde o inferno começou.

Sai do carro junto de Hyukjae e já entramos na boate. Durante o caminho para a sala onde Kangin estava, pude notar vários olhares maliciosos para cima de mim. E pode notar o porte daquelas pessoas. Porte rico. Todos bem vestidos e bonitos.

Chegamos ao local onde a sala estava, que era perto de um palco. Hyukjae abriu a porta e me jogou ali dentro, logo fechando a porta novamente.

Não demorou muito para que eu estivesse cara a cara com Kangin.

Kangin tinha feições sérias no rosto, mas não pode deixar de sorrir malicioso quando eu olhei para ele. Kangin era um homem acima do peso, mas bonito, e tinha cabelos pretos, além que ele fumava.

Kangin - Finalmente nos encontramos, Leeteuk. É um prazer.

Leeteuk - Prazer... Kangin. - Falei aquilo com desgosto.

Kangin - Ah, ah... ninguém te falou que deve me chamar de Mestre? Você é meu escravo agora, exijo respeito. - Ele me fitou e deu um tapa em minha cara, me fazendo soltar um pequeno grito. - Agora, meu escravo, de joelhos e beijo meus pés.

Não queria obedece-lo, mas tinha medo do que ele podia fazer então, me ajoelhei em sua frente e comecei a beijar seus pés.

Kangin - Bom menino. - Riu debochado - Vai ser tão divertido lhe treinar...

E foi assim que todo o inferno começou. 


Notas Finais


O próximo sai daqui a dois dias ou amanhã.

Tchau. :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...