História The Slave, The Good and The Rabbit - Capítulo 2


Escrita por: ~

Exibições 24
Palavras 1.376
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Famí­lia, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Demorei menos que o esperado, espero que gostem.

Capítulo 2 - Ato 2 - O Primeiro Leilão


Minha mente estava completamente nublado ao relembrar dos acontecimentos de semana passada, desde que fui comprado e escravizado por Kangin.

Heechul - Leeteuk? LEETEUK!

Sai de meu transe quando ouvi a voz de Heechul, um prostituto tão bonito que parecia mulher. Meu único amigo naquela boate

Leeteuk - Ahn? O que foi, Heechul?

Heechul - A boate já vai abrir e você está ai boiando! Vamos, se arruma gostosão! Hoje o irmão do Kangin está ai, ele é gostoso, não é?

Leeteuk - É gostosinho, mas só isso que posso falar.

Heechul - Okay, okay... - Ele suspirou - Se arruma e vai para a boate. Tenho uma fila grande hoje.

Leeteuk - Vê se não pega traqueira que nem da última vez!

Heechul - Tá, tá... - Ele riu e saiu do local onde estávamos, já indo para a boate.

Coloquei uma camisa social e uma calça preta, deixei meus cabelos desarrumados, pois estava com preguiça de pentea-lo. Suspirei e olhei para a porta, era a hora de voltar ao inferno.

Abri a porta e sai para a boate, que hoje, estava mais cheia que o normal, já que era dia de leilão de pessoas para serem escravas que nem eu. O leilão podia ser considerada uma das coisas mais sujas daquele lugar, se não, a mais suja daquele lugar. Mas havia uma coisa boa naquilo tudo.

Choi Siwon, o cara que leiloa as coisas . Se você olha para Siwon, você cai nos seus encantos. O encanto dele era fatal, tudo nele era fatal.

Seu corpo era um de seus pontos fortes, mas o seu sorriso... O que dizer de seu sorriso? Perfeito.

Naquela noite estava o irmão de Kangin, Kyuhyun. Que era um pouco parecido com o irmão, porém mais magro e alto.

De seu lado estava Kangin, Zhou Mi e Hyukjae. Zhou Mi era outro capanga de Kangin, ele era chinês e um poste.

Kangin já direcionou seu olhar para mim e eu já soube que era para me sentar ao seu lado silenciosamente, como se eu não existisse. Sem pestanejar, me aproximei de meu mestre e me sentei ao seu lado.

Um tempo depois, Choi Siwon subia ao palco e todos ali iam a loucura com a beleza do homem.

Siwon - Olá, senhoras e senhores! - Ele abriu um de seus sorrisos fatais - Vamos começar o leilão de hoje, espero que nossas bendade os encante.

Namjoon - Siwon, seu gostoso! Me compra, me joga na parede e me chama de lagartixa!

Siwon - Hmm, creio que meu preço é muito grande para que você possa pagar. Sem mais delongas, vamos começar. A nossa primeira pessoa, se chama Lee Sungmin e tem 18 anos. - Ele anunciou o nome do garoto e um menino assustado e fofo, de cabelos loiros e feições parecidas com as de um coelho, entrou no palco e olhou para todos ali, o medo presente em seus olhos.

Siwon - Este belo garoto, com um rostinho angelical, se torna um verdadeiro submisso quando é dada a ordem. Seu valor inicial é de 500 mil wons.

Taecyeon - Eu pago 550 mil wons!

Namjoon - 600 mil wons!

Kyuhyun - Bando de idiotas. Pago 1 milhão de wons nesse garoto.

Siwon - Alguém aposta mais? Não? Então vendido para Kyuhyun, pode ir lá com seu mestre.

Sungmin desceu do palco e já foi para perto de Kyuhyun, que sorriu de forma maliciosa para o pequeno garoto.

Sungmin - O-olá, mestre... É um prazer.

Kyuhyun - É um prazer, agora fique de quatro no chão, servirá de apoio aos meus pés.

Sungmin apenas assentiu e como bom submisso, ficou de quatro e Kyuhyun já colocava seus pés em cima do menor.

Siwon - Okay, okay. Vamos para o próximo agora. Do Kyungsoo, 14 anos.

Um menino bastante baixinho, um pouco gordinho, entrava no palco, era bastante jovem. Diferente de Sungmin, este não era assustado, Kyungsoo tinha um olhar de pura fúria e sua expressão era de raiva por estar ali.

Leeteuk - 14 anos? Nossa, é muito jovem para estar aqui.

Kangin - Eu te mandei abrir a boca? Acho que não! - Com brutalidade, Kangin me dava um forte tapa na boca e eu me calei.

Siwon - Como eu disse, este garoto se chama Do Kyungsoo, um belo garoto, mas é melhor não irrita-lo. Ele vale 400 mil wons.

Namjoon - 500 mil wons!

Jongin - 800 mil wons.

Namjoon - Jongin filho da puta...

Siwon - Vendido para o Jongin.

Kyungsoo - Tanto faz. - Rosnou e desceu do palco, já indo para perto de Jongin - Oi, eu sou o Kyungsoo e bla bla, você já sabe como isso funciona.

Jongin - Não vai beijar seu mestre? - Riu.

Kyungsoo - Beijar? Não, desculpa, não sou obrigado a te obedecer. - Cruzou os braços e começou a prestar atenção no palco.

Siwon - Vamos para o terceiro agora. - Siwon soltou uma risadinha - Seu nome é Jung Taekwoon, porém é mais conhecido como Leo. Ele tem 17 anos e é muito elegante. Seu valor inicial é de 850 mil wons.

Taekwoon entrou no palco, era um garoto pálido e com cabelos e olhos pretos, magro e de altura mediana. Era um garoto realmente bonito.

Jonghyun - 900 mil wons.

Namjoon - 950 mil wons. 

Ravi - 2 milhões de wons.

Siwon - Depois disso, creio que ninguém vai apostar um valor mais alto. Vendido para o Ravi.

Em silêncio e uma falta de expressão assustadora, Taekwoon desceu do palco e já estava de frente ao seu mestre.

Leo - Olá, mestre... É um prazer te conhecer. - Ele fez uma reverência e fitou o seu mestre.

Ravi - O prazer é meu. - Ele sorriu e puxou Leo para se sentar consigo.

Siwon - Vamos para a quarta e última pessoa. Lee Minhyuk, 16 anos, é um rapaz bastante tímido. Valor inicial, 200 mil wons . Não tenha medo, Minhyuk.

Entrava no palco Lee Minhyuk, o garoto tremia e se encolhia apenas de olhar para as pessoas.

Namjoon - Dou 300 mil nele.

T.O.P - Vamos acabar com isso, 800 mil.

Siwon - Vendido para o cara de terno roxo ali.

Minhyuk - E-ele...?

T.O.P - Sim, eu. Venha logo, garoto!

Após ouvir aquilo, Minhyuk saiu correndo do palco e foi ao lado de seu mestre.

T.O.P - Sem uma palavra até que a gente chegar em casa.

Namjoon - Siwon! Siwon, me deixa te dar uns pegas!

Siwon - Enfim, foi isso. Até a próxima semana e desiste Namjoon, não vai conseguir me pegar. - Sorriu e saiu do palco.

Eu olhei para Siwon do palco e abri um sorriso, ele era realmente bonito, parecia um deus grego. Siwon me deixava embrigado apenas de olhar para ele, eu estava em transe novamente.

Tal transe foi quebrado pela pessoa que transformou a minha vida em um inferno.

Kangin - Ei, escravo inútil. Vá buscar uma bebida para mim e depois saia de minha frente, estou cansado de olhar para a sua cara.

Leeteuk - Tudo bem, mestre. - Sai rapidamente de perto de Kangin e já fui buscar uma bebida para ele.

Kyuhyun - Kangin... Onde você achou esse cara? Ele é bonito.

Kangin - O pai dele me vendeu, eu não queria um escravo, mas o pai dele insistiu tanto...

Zhou Mi - Ele parece ser bastante obediente.

Kangin - Apenas parece. Ele é meio rebelde as vezes.

Leeteuk - Aqui está a sua bebida, mestre. - Entreguei na mão dele.

Kangin - Sai da minha frente.

Não falei mais nada e apenas sai dali.

Hyukjae - Hmm... Falando em escravo, vou ter sair para ver como Donghae está, logo volto. Com licença.

Hyukjae POV

Sai daquela boate as pressas, peguei a chave do meu carro em meu bolso e abri a porta do carro, entrando e dando partida para minha casa.

O trajeto da boate para a minha casa era bastante longo, já que a boate no centro de Seul e a minha casa ficava em um bairro rico longe do centro .

Demorando alguns minutos, cheguei em minha casa. Sai de meu carro, tirei a chave de meu bolso e destranquei a porta de casa.

Quando entrei em casa, ouvi alguém falando e no mesmo momento reconheci a voz de Donghae. Fui de fininho até a sala e já dei de cara com Donghae falando no telefone com Oh Sehun, o seu "namorado".

Cruzei meus braços e fiquei quieto, a espera de que Donghae terminasse a ligação.

Donghae seria punido por isso, como todo o escravo desobediente deve ser.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...