História The Sound Of Silence - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Derek Hale, Personagens Originais
Exibições 114
Palavras 3.529
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Suspense
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Hey gente!
Aqui estou eu atrasada novamente!
Mas este capítulo deu um pouco de trabalho, então demorei mais para escrevê-lo.
Ele se passa nos episódios 6 e 7 da Segunda temporada.
Boa leitura!

Capítulo 11 - Guardian


Fanfic / Fanfiction The Sound Of Silence - Capítulo 11 - Guardian

Sophie POV
Acordei com a campainha de minha casa tocando, levantei com preguiça e bufei, descendo as escadas, estava com frio já que meu pijama era um pouco curto, me encolhi toda e abri a porta. Meu coração deu um cambalhota ao ver quem era.
-Derek?
O moreno me olhou e suspirou.
-Eu preciso falar com você.
Eu o encarei por mais um tempo.
-Não quero falar com você. –cruzei os braços com raiva.
-Sophei, por favor... –ele apoiou na porta me olhando –eu preciso falar com você, preciso te mostrar uma coisa.
Eu o olhei confusa, ele tinha me magoado, e muito. Mas ele parecia aflito, suspirei e me virei abrindo espaço.
-Pode entrar.
Ele passou por mim e foi até o sofá, colocando alguns papéis em cima da mesa de centro, encarei eles e logo depois Derek.
-O que é isso?
-Este –ele levantou um dos papéis –é uma carta de sua avó para minha mãe. O outro é um registro sobre a Fênix.
Eu o olhei e assenti, caminhando até o sofá e sentando ao seu lado.
-Posso ver?
Ele assentiu me estendendo a carta, eu a li e senti meu coração apertar, como não sentia há algum tempo, eu realmente era uma Fênix, e minha avó sempre soube. Deixei algumas lágrimas escorrerem por meu rosto, “minha pequena Soph”, eu adorava quando ela me chamava assim. Quando acabei enxuguei o rosto e olhei para Derek.
-O que descobriu sobre mim? Quer dizer, sobre a Fênix?
Ele me olhou confuso.
-Você não parece surpresa com isso.
Eu suspirei e abaixei a cabeça.
-Eu meio que desconfiava, li no bestiário coisas sobre as bruxas e achei algo sobre isso lá. Meus poderes não se encaixavam, só com os de uma Fênix.
Ele bufou e balançou a cabeça.
-Podia ter me contado!
Eu franzi a testa e o encarei.
-Ah claro, eu tive muito tempo para falar com você enquanto tentava matar minha amiga.
-Eu já disse o que penso sobre isso.
-É, você disse, você berrou na verdade.
-Olha, eu estou tentando ajudar você.
-Por que? Desde quando eu pisei em Beacon Hills tudo virou de ponta cabeça Derek, mas eu não preciso da sua ajuda. Stiles vai me ajudar com isso.
-Muito conveniente um humano tentar te ajudar nisso, ele vai acabar morrendo, e você também!
-Quer saber? Você não devia ter vindo, acho melhor sair daqui antes que eu bata nessa sua cara.
Eu me levantei do sofá e joguei a carta de volta para Derek, antes de subir as escadas ele me puxou pelo braço, eu cambaleei e me virei em sua direção, ele estava só há alguns centímetros de mim.
-Como Peter disse, nós estamos ligados Sophie. Você não pode ignorar isso, ME ignorar. Talvez se eu ajudar nós podemos chegar há algum lugar, por favor, me dá mais uma chance.
Eu encarei seus olhos e por alguns segundos fiquei muda, não porque não sabia se o desculpava ou não, mas porque acabei me perdendo naquela imensidão esverdeada. Finalmente eu suspirei e encarei o chão, tentando esconder minhas bochechas vermelhas.
-Tudo bem. –levantei novamente o rosto –Mas precisa me prometer que não vai mais fazer besteiras deste tipo.
Derek me olhou, depois olhou em volta.
-Derek.
-Tudo bem, eu prometo. –ele me olhou e ficou ali, me encarando.
Eu não sei ao certo porque Derek Hale mexia tanto comigo, as vezes achava que seria algo com a nossa ligação, mas esse pensamento sumia toda vez que ele me olhava.
Me afastei e fui até a carta de minha avó, a recolhi do chão e a dobrei com cuidado.
-Posso ficar com ela?
-Claro –ele caminhou até mim e pegou o segundo papel na mesa –precisamos entender melhor isso.
-Certo – peguei o papel de sua mãe e o li –Pelo jeito minha família tem uma linhagem extensa de bruxas, e você deve ser o Guardian, faz todo sentido agora, já que meus poderes começaram a aparecer quando eu cheguei em Beacon Hills.
-Sim, mas o que um Guardian tem que fazer? Quer dizer, o que eu tenho que fazer?
Eu analisei o papel, mas não achei nada.
-Aqui não diz, mas um Guardian certamente tem que...
-Guardar. –ele me olhou –Te proteger.
Eu sorri de lado.
-Eu sei me proteger sozinha.
Ele riu e me olhou.
-Sua avó tinha razão –eu o olhei – Você também é cabeça dura.
Eu ri e olhei o relógio, ainda eram duas da tarde.
-Pelo menos temos tempo para procurar, vou pegar meu notebook.
Subi as escadas e em alguns minutos já estava de volta.
-Certo, vamos tentar.
Pesquisei primeiro sobre a Fênix, depois de achar só coisas sobre o pássaro Derek apontou um link na tela.
-Esse aqui, tenta ele.
Cliquei no mesmo e um texto apareceu, falava quase a mesma coisa do que a folha que Derek tinha achado, mas algo chamou minha atenção.
-Olha.
Derek encarou o notebook.
-“O único que pode ajudar a Fênix com o controle de seus poderes é o seu Guardian, ele deve guia-la e coordena-la em seus objetivos, sempre estar ao seu lado.”
Eu suspirei e olhei Derek enquanto ele acaba de ler o resto em silêncio, se eu era tão poderosa assim, será que poderia proteger aos que amo agora? Não ser mais a garota inofensiva que precisa de ajuda? Derek era forte, afinal ele era um Alpha, mas eu queria poder protege-lo também, assim como ele me protege. 
Quando me dei conta ele também me olhava.
-O que foi?
-Nada, eu só...não é nada.
Ele colocou o notebook na mesa e se virou para mim.
-Eu sei que está mentindo, me diz o que é.
Eu suspirei e segurei sua mão.
-Isso tudo tá me deixando maluca. Eu era só uma garota normal até algum tempo atrás, e agora eu nunca sei quando eu realmente estou segura. É assustador!
-Eu sei quando você está segura –ele entrelaçou seus dedos nos meus –Quando você está comigo. Porque eu nunca deixaria nada acontecer com você, eu morreria por você.
Eu o olhei perplexa, eu nunca imaginei ouvir algo assim dele, eu sorri e me levantei dando um beijo na sua bochecha e o abraçando.
-Obrigada Derek.
Ele passou seus braços em volta das minhas costas e nós ficamos ali por alguns segundos, apenas apreciando a presença um do outro. Meu celular vibrou em cima da mesa e eu o olhei, era Stiles, o peguei e olhei Derek.
-Stiles, o que foi?
-Ahn, Soph, você tá na escola?
-Não Stiles, devia saber disso. Espera, você também não foi pra escola?
-Não, eu e Scott estamos cuidando de uma coisa, acha que pode nos ajudar?
Eu olhei Derek, ele apenas assentiu.
-Posso sim.
-Ótimo, passo aí em alguns minutos.
Ele desligou o celular.
-Tudo bem, pode ir ajudá-los, eu vou ter que voltar de qualquer jeito.
Eu assenti e ele se levantou indo até a porta.
-Se cuida –ele sorriu de canto e eu assenti, ele fechou a porta e eu suspirei, recolhendo a carta de minha avó e meu notebook, voltando para o quarto. Coloquei uma roupa mais quente e logo ouvi a buzina de Stiles.
-Chegou rápido –suspirei e entrei no jipe –O que houve?
-Vai ver quando chegarmos lá –ele acelerou o jipe e saiu rapidamente em direção da floresta.
Assim que chegamos vi Scott e parado no meio das árvores havia um furgão policial.
-Ok, o que vocês fizeram dessa vez?
-Sophie, era o único jeito de fazer ele ficar quieto e não matar mais ninguém.
-Ele?
Eu fui até o veículo e o abri, lá dentro, preso com correntes, estava Jackson. Ele me olhou alarmado.
-O que vocês estavam pensando?! –eu olhei os dois em tom de reprovação –Não é assim que vamos resolver as coisas!
-Foi a única coisa que passou pela minha cabeça Sophie –comentou Stiles.
-Devia revisar o que passa pela sua cabeça Stiles. Roubar algo da polícia? Acha mesmo que NINGUÉM vai notar que essa coisa gigante sumiu?! Francamente, vocês me surpreendem cada vez mais.
-Podem lembrar que eu ainda estou aqui? –comentou Jackson.
-Ah cala essa boca! –eu bati a porta do furgão voltando a encarar Scott e Stiles.
-Ela tá brava –comentou Scott.
-Brava? Ela vai nos matar. –disse Stiles
-Era minha vontade –levantei a sobrancelha –Mas eu não posso.
-Isso é bom –disse Stiles –Porque nós temos que vigiá-lo esta noite.
-Eu não vou fazer isso, me recuso –levantei as mãos –Scott pode fazer isso, eu e você não seríamos muito úteis aqui.
-Eu talvez não, mas você sim. Já pode ser a mais nova integrante dos X-Men.
-Cala a boquinha Stiles –eu bati em sua cabeça.
-Ai!
-Tudo bem, eu fico. Vou pedir para Allison ficar aqui comigo.
-Isso, aproveitem o momento casal. –ironizou Stiles.
-Cala a boca –comentou Scott.
-Por que todo mundo me manda calar a boca?
-Porque você fala demais meu amor –o puxei pela manga da camisa e voltei a caminhar até o jipe –ligue se precisar de algo Scott.
-Pode deixar! –ele sorriu.
-Ai, ai, Soph, solta, ai! Já entendi, eu vou ficar quieto. –Ele entrou no carro o ligando- E porque não foi pra escola hoje mocinha?
-Em vez de sequestrar meus colegas eu resolvi ficar e procurar mais sobre aquilo que conversamos ontem.
-A Fênix? –eu assenti –E o que descobriu?
-Eu? Nada, quem descobriu foi o Derek.
-Derek? –ele me olhou assustado –Sophie você anda falando com ele?
-Confie em mim Stiles, eu também fiquei muito brava quando ele apareceu na minha casa hoje de manhã, mas ele realmente quer ajudar. E ele ajudou, e muito.
-Tudo bem, vamos fazer assim? Nós vamos pra minha casa, compramos pizza e conversamos sobre isso ouvindo uma boa música, ok?
Eu ri e assenti, chegamos na casa de Stiles perto do anoitecer, subimos as escadas e eu me joguei na cama dele, tirando os tênis.
-Nossa, você dorme em casa uma vez e agora já tomou conta da minha cama. Daqui a pouco vai ser o quê? Meu videogame?
-Não me desafie –joguei um travesseiro nele –Agora mexa esse seu traseiro e vai pedir a pizza.
Ele riu e foi para a sala, eu comecei a olhar seus CD’s escolhendo um gravado com “músicas da Sophie”, eu havia dado para ele quando descobri que suas músicas me deixavam depressivas. Coloquei ele e Cake By The Ocean do DNCE começou a tocar, ergui o som e comecei a saltitar pelo quarto, Stiles voltou e parou na porta do quarto sorrindo.
-Você é louca.
Fui até ele e o puxei pelo braço.
-Ah não, eu não sei dançar eu já te disse isso.
-Quem liga? Não tem ninguém olhando mesmo.
Ele sorriu e começou a pular ao meu lado, ele me rodou e eu acabei caindo na cama, ele caiu logo em seguida, porque tropeçou em minha perna, enquanto nós gargalhávamos  eu ouvi a campainha.
-Eu vou! Pode deixar.
Peguei uma nota de vinte no meu bolso e corri até a porta, abrindo a mesma.
-Finalmente –me virei para a pessoa, mas em vez da nossa pizza, quem estava lá era Scott.
-Temos um problema.
-É claro que temos –deixei meu braço cair na minha frente –STILES!
Ouvi barulhos na escada e o moreno desceu meio assustado.
-O que aconteceu? Tá todo mundo bem?
-Não –comentou Scott –Jackson fugiu, precisamos achá-lo.
-Ótimo, vocês dois fazem isso, eu vou esperar minha pizza.
-Droga, eu queria pizza –comentou Stiles.
-Stiles, vamos logo! –disse Scott, indo para o jipe.
Suspirei e me joguei no sofá de Stiles, essa noite seria longa...

Quando Stiles voltou com seu pai eu achei que o xerife ia explodir, eu subi rapidinho para o quarto de Stiles e fiquei lá bem quietinha, ele subiu e bateu a porta.
-Ei, tá tudo bem? O que houve?
Ele se sentou e me olhou.
-Jackson foi até a polícia, ele contou tudo. Só omitiu que é um maníaco assassino –ele suspirou –nos deram um mandado, não podemos ficar muito perto dele, apenas na escola se for necessário. O pior de tudo é que o pai dele gritou horrores com o meu, foi horrível ver aquilo.
Eu o abracei e ele deitou em meu ombro.
-Nós vamos passar por isso juntos, ok? Jackson vai pagar pelas coisas que está fazendo conosco, por tudo que ele fez na verdade.
Ele sorriu e beijou minha bochecha.
-Acho que tenho que te levar pra casa.
-É, eu não vou ir a pé nem fudendo.
Ele riu e pegou as chaves do jipe, depois de chegar me casa recebi uma mensagem de Allison.
“Traduza isso por favor, é importante”
Era um pedaço do bestiário, onde falava sobre o Kanima, li tudo novamente até ver o final da frase. Nossa professora disse que o Kanima procurava por um amigo, mas ela não lia como eu.
“Allison, está errado. O Kanima não procura por um amigo, ele procura por um mestre”.

Ir a aula no dia seguinte foi bem mais complicado do que pensei, haviam câmeras por todos os lados nos observando, e Allison me disse que nossa nova professora de Biologia era sua mãe. Nós não podíamos nos descuidar nem um pouco, não podiam saber que Allison ainda falava com Scott, por isso nos encontramos na biblioteca depois da segunda aula.
-Como vamos conversar com Jackson se não podemos nem respirar perto dele? –comentou Stiles.
-Eu não tenho um mandato –comentou Allison –posso falar com ele.
-Nem pensar –disse Scott –não posso deixar algo acontecer com você.
-Eu vou ficar bem Scott, é nossa única chance.
-Tudo bem –ele bufou –Mas qualquer coisa que dê errado, qualquer coisinha, você grita por mim, eu vou te ouvir.
Ela sorriu e assentiu, saindo da biblioteca. Scott foi fazer seu teste de Química e eu fiquei com Stiles na biblioteca, uma cadeira foi arrastada ao meu lado e Erica se sentou, sorrindo para nós.
-O que você quer aqui? –disse Stiles.
-Stiles, não precisa falar assim.
-Tudo bem Sophie, eu sei que eles não confiam em mim.
-Eu não confio em nenhum de vocês.
-Ok, já deu. O que foi?
-Nada, só queria saber o que está acontecendo depois daquela noite.
-Não vamos falar nada sobre o Kanima pra vocês.
-Stiles!
-O quê?
-Erica –eu o ignorei –Eu conversei com Derek ontem.
-Conversou? Por isso ele ficou fora a manhã toda, conseguiu descobrir alguma coisa sobre seus poderes?
-Algumas coisas, mas nada realmente útil.
Ouvi o sinal bater e fui me levantando.
-Allison ainda não voltou, vamos ver se ela está bem.
Stiles me seguiu, assim como Erica. Quando chegamos no vestiário ouvimos barulhos altos lá dentro, antes que pudesse abrir a porta ela foi derrubada, Scott e Jackson caíram no chão e se batiam, Allison saiu de lá assustada, não demorou muito para alunos aparecerem, inclusive professores.
-O que está acontecendo aqui? Todos vocês, para a detenção, AGORA!
-Mas nós....
-Todos Srta. Sparks.
Abaixei a cabeça e segui o Sr. Harris até a biblioteca, sentei e olhei em volta. Stiles, Scott, Allison, Erica, Jackson e até aquele Matt estavam sentados com cara de tédio, suspirei e peguei meu celular, colocando um dos meus fones na orelha.
-Ei, Sophie.
-O que foi Stiles.
-Você concorda comigo não é?
-Claro –eu parei e tirei os fones –espera, com o quê?
-Você nem estava ouvindo, que horror. Eu disse que o Matt deve ser o Mestre do Kanima.
-O quê, por que? Danny disse que foi ele que achou as duas horas que faltavam no vídeo de Jackson.
-Exatamente! Ele está encobrindo as suspeitas.
Eu balancei a cabeça olhando Matt que comia um salgadinho.
-Ok, então ele mandou Jackson matar o pai do Isaac, um dos caçadores dos Argents e o mecânico do seu jipe? Por quê? -disse Scott
-Porque...ele é do mal!
-Você não gosta dele né? –comentei.
-Ele me incomoda!
Jackson começou a abaixar a cabeça, ele saiu e disse que iria ao banheiro, Erica o encarou e sorriu.
-Coitado, deve sofrer horrores depois do que aconteceu com os pais dele.
-Espera –disse Scott –Você sabe onde eles estão?
-Sei. No cemitério de Beacon Hills.
Eu olhei os garotos meio assustada, se eles estavam mortos Jackson não podia resolver seu carma do passado, como dizia a lenda do Kanima.
-Sabe como eles morreram?
-Talvez.
-Erica, por favor. –a olhei.
-Tudo bem, foi um acidente de carro, meu pai era o investigador do seguro. E toda vez que ele vê Jackson em seu carrão ele faz um comentário de como ele vai ficar ainda mais rico aos 18.
-Ele vai ganhar mais dinheiro ainda quando fizer 18? –ela assentiu –Tem algo bem errado nisso –disse Scott.
-Talvez eu possa ver o relatório do meu pai, ele arquiva tudo.
Scott foi chamado à diretoria, eu, Erica e Stiles continuamos procurando, até ela achar o arquivo.
-“Provável hora da morte: 21:26, 14 de junho, 1995.
-O aniversário de Jackson é 15 de junho.
Olhei Stiles um tanto assustada, o Sr. Harris mandou que nós começássemos a arrumar os livros nas estantes, suspirei e me levantei pegando alguns livros na mão, Scott voltou da diretoria meio estranho e vi Stiles conversando com ele, logo os dois vieram até mim.
-Então quer dizer que tiveram que tirá-lo da mãe morta? –disse Scott.
-Sim, é perturbador –sussurrei, colocando um exemplar de “O Morro dos Ventos Uivantes” na prateleira.
-Afinal, foi um acidente ou não? –perguntou Allison que estava ao meu lado.
-“Inconclusivo” era a palavra mais usada no relatório.- disse
-Então os pais dele foram assassinados? –perguntou Allison
-Se for, se encaixa no mito do Kanima –comentou Stiles.
-Precisamos falar com ele –disse Scott se afastando –preciso contar para ele.
-Scott, espera.
Ele foi até onde Jackson estava, mas a única coisa ali era um livro caído no chão, num estalo as luzes começaram a estourar, alguma coisa estava provocando isso.
-Erica!
Ouvi ela gritar e cair no chão em seguida, o teto a minha frente caiu e Stiles me puxou me derrubando no chão e ficando por cima de mim, me abraçando, enquanto Allison tentava ver Erica.
-Ela está paralisada! –gritou Allison.
Scott voltou até nós, Jackson estava na frente de uma lousa, ele balançava a cabeça e rosnava baixo, com suas garras começou a escrever algo e quando acabou fugiu por uma das janelas de vidro do local. Observei assustada a lousa, nela estava escrito
“Fiquem fora do meu caminho ou eu os matarei”.
Scott tentou ir atrás dele, mas foi sem sucesso, me virei ao ouvir algo e vi Erica se debatendo no chão, corri até ela e a segurei assustada.
-Pessoal! Ela precisa de ajuda! Acho que ela está tendo uma convulsão
Allison foi até Matt.
-Ele está vivo!
-Precisamos leva-la para um hospital!
-Não –ela me olhou –me leve pro Derek.
Eu assenti.
-Nós vamos, você vai ficar bem.
Eu e Stiles levamos ela até meu carro, a escola era alguns minutos longe do esconderijo de Derek, mas pareceram horas. Quando finalmente chegamos corri até a entrada, abri a mesma rapidamente, Derek estava sentado na escada mexendo em um livro e me olhou assustado.
-O que foi? Aconteceu alguma coisa?
-É a Erica, -eu falei rapidamente –Ela tá mal.
Ele correu até Stiles que já trazia a loira me seus braços, Derek a pegou e colocou no chão.
-Segurem ela!
Foi o que fizemos, eu segurei seus braços e ela os apertou.
-Sophie...
-Tá tudo bem Erica, Derek vai te ajudar, você vai ficar bem.
-Ela está morrendo? –perguntou Stiles.
-Ela pode...por isso vai doer.
Ele quebrou o braço dela e ela gritou, eu me encolhi e mordi os lábios.
-Você quebrou o braço dela! -disse Stiles.
-Vai acelerar o processos de cura, mas eu ainda preciso tirar o veneno, e é isso que vai doer.
Ele fincou suas garras no braço de Erica, ela gritava em desespero, eu continuava segurando-a, mas evitei olhar o que estava acontecendo. Quando finalmente acabou ela caiu em meus braços e sorriu.
-Sophie, você é uma boa amiga.
Eu sorri e tirei seus cabelos do rosto, Derek a colocou em um banco para descansar, Stiles ficou cuidando dela, eu fui até Derek que estava sentado, parecia tenso.
-Ela vai ficar bem –ele comentou.
Eu suspirei e assenti, Scott entrou pela porta totalmente perdido, quando me viu correu até nós.
-Ela está bem?
-Sim –disse Derek.
-Você sabia quem é o Kanima não é? Só queria que Erica confirmasse. –disse Scott.
Ele suspirou.
-É o Jackson
Scott assentiu e me olhou, depois olhou Derek.
-Eu vou ajudar você a pegá-lo como parte da sua pack. –Derek o olhou surpreso, assim como eu –se você me quiser, tudo bem. Mas tem uma condição. Nós o pegaremos, não vamos matá-lo.
-E? –disse Derek erguendo uma sobrancelha.
-E faremos do meu jeito.
Derek olhou Scott e assentiu.
-Tudo bem.
Scott suspirou e foi até Stiles, eu olhei Derek e sorri de lado.
-Não vai ser tão ruim Derek, talvez a gente consiga salvá-lo.
Ele me olhou e colocou uma das mechas de meu cabelo atrás de minha orelha.
-Talvez.
Eu sorri e bati de leve em seu ombro, indo até Erica e me sentando ao seu lado.


Notas Finais


Esses momentos da Sophie com Derek (ainda n tem um shipp, choremos) são tão fofos, vou chorar!
Espero que tenham gostado!
Se alguém quiser ouvir a música que citei no meio do capítulo é essa aqui: https://youtu.be/PAzH-YAlFYc
Bjs e até mais!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...