História The Story of Us (Nian) - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ian Somerhalder, Nina Dobrev, The Vampire Diaries
Personagens Ian Somerhalder, Nina Dobrev
Tags Delena, Ian Somerhalder, Nian, Nina Dobrev
Exibições 236
Palavras 1.131
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hello! Eu ia postar esse fim de semana mas não tive muito tempo :x então estou postando hoje! Espero que gostem, apesar de que, se eu não fosse a autora, estaria me remoendo por dentro ajsijais <3

Capítulo 10 - Kidnapping


Fanfic / Fanfiction The Story of Us (Nian) - Capítulo 10 - Kidnapping

Após longas horas, Ian finalmente dorme. Posso perceber daqui as lágrimas secas em suas bochechas. Apesar de tudo, ele dorme tranquilamente.

Decido deixa-lo ali, no sofá, e ir até minha casa. Prometi para ele que ficaria aqui. Então é necessário pegar meus pertences.

Atravesso a rua e me espanto, já está escurecendo. Fiquei tanto tempo assim lá?

Entro na minha casa e começo a arrumar as coisas rapidamente. Celular, roupas, sapatos. Não posso me demorar muito, Ian ficaria muito preocupado se acordasse e não me visse lá.

Mesmo assim, permito-me à sentar por alguns minutos. Preciso pensar. Algumas semanas atrás minha vida era tão boa, sem preocupações. E agora, o que eu tenho? Um ex-namorado que ainda é apaixonado por mim e uma amiga traidora que quer me matar. Sem falar no bebê.

Como fui me meter nisso tudo? Eu devia ter ficado quietinha no meu canto, não devia ter retornado para a série. Nada disso teria acontecido.

Infelizmente não posso voltar no tempo, então apenas pego minha mala e vou em direção à casa de Ian.

Antes mesmo de abrir a porta completamente, percebo: ele não está mais no sofá. Largo minhas coisas no chão e procuro-o pela casa.

- Ian? Estou aqui! – grito. Ele não aparece. Será que acordou e saiu atrás de mim? É a explicação mais lógica. Um fato é certo: ele não está dentro da casa.

Pego meu celular e disco seu número. Logo ao meu lado um celular vibra, é o celular de Ian, ele deixou em casa.

Passa uma, duas, três horas e nada. Ian simplesmente não volta. E eu não faço a mínima ideia de onde ele pode estar.

Tento me acalmar, ele sabe se cuidar.

Acabo adormecendo no sofá.

**

Acordo assustada. Meu celular está tocando ao meu lado. Esperava que fosse Ian, mas o identificador de chamadas anuncia Austin.

- Hey, Nina. Eu estava me perguntando se você gostaria...

- Austin, por favor. Eu preciso da sua ajuda. – falo, nervosa.

- O que aconteceu? Você está bem?

- O problema é Ian. Ele sumiu.

- Como assim sumiu?

- E-eu não sei. Por favor venha até aqui, a casa dele em frente da minha.

Não demora muito até Austin chegar, com um ar preocupado. Ele não questiona o motivo de eu estar na casa de Ian com malas. É exatamente isso o que eu gosto nele, ele me deixa livre.

- Nina, ele pode só ter saído. Tenho certeza que ele está bem. – ele tenta me acalmar.

- Não, ele nunca sai sem o celular e sem o carro. – digo, pego o celular de Ian. – O celular está aqui e o carro está na garagem!

Austin parece paralisado por um segundo, olhando fixamente para um canto da sala. Sigo o seu olhar e me deparo com uma mancha vermelha no tapete.

Ele se aproxima e eu também. Como eu não havia percebido? É sangue!

- Me diga que isso não está acontecendo.

- Nós precisamos ligar para a polícia. – Austin anuncia.

**

A polícia chega rapidamente e logo começa a investigar a casa. Um dos policiais pede para mantermos a calma e faz perguntas à mim.

- Me conte tudo, desde o começo. – ele diz.

- Eu vim aqui pela manhã, Ian estava com problemas pessoais então eu decidi ajudá-lo. Sai daqui quando estava escurecendo só para ir até minha casa pegar alguns pertences, e, quando voltei, ele não estava mais aqui.

- Quanto tempo demorou a sua saída?

- Cerca de dez minutos. – digo.

- Você não notou nada estranho quando saiu daqui, nenhuma movimentação?

- Não, nada.

O policial olha para Austin e diz que gostaria de falar comigo a sós.

- Você tem algum suspeito? Porque eu sinto que você não está me contando tudo. – ele diz. Tento olhar o seu nome na farda, Sheriff Thomas.

- Sim, Sheriff, eu tenho.

Conto toda a história de Nikki para ele. Que ela está grávida, que ela me ameaçou. O Sheriff concorda comigo e diz que ela é uma forte suspeita e que ele vai fazer o possível para encontrá-la.

Pego meu celular e ligo para Candice, preciso avisá-la.

**

Candice vem até a casa de Ian em questão de minutos e me convence a sair de lá. Austin vai embora depois de muita insistência minha, ele não precisava se envolver nisso.

Candice me arrasta até minha casa e faz chocolate quente para nós duas, enquanto eu lhe conto o ocorrido. As lágrimas escorrem pelos nossos rostos.

- Eu sei que vivo implicando com Ian, mas ele é como um irmão para mim e só de pensar na possibilidade de perdê-lo é demais para mim. – ela lamenta.

- Tenho certeza que foi ela. – digo. – Nikki.

- Mas por que ela sequestraria ele, sendo que ela ameaçou você?

- Não entendo também! Mas não há mais ninguém. Pense, só quem pode entrar nesse condomínio são pessoas famosas e nós conhecemos todas elas! A única maníaca vadia que há aqui é Nikki.

Candice concorda com a cabeça, pensativa.

- Não se preocupe. Se ela fez isso, é só para te atingir. Ela não fará nada com ele.

- Eu espero.

Ficamos em silêncio por alguns minutos. Tomando o chocolate quente.

De repente, a campainha toca inúmeras vezes. Candice corre até a porta e eu vou atrás.

Nikki Reed.

Ela passa por Candice e entra na minha sala.

- Como ousa? Sua desgraçada! – ela grita comigo. – Eu não fiz absolutamente nada com Ian.

- Como eu saberia? Você é maluca! Você me ameaçou. – grito de volta.

- Eu amo Ian, nunca faria nada contra ele!

- Você não ama ninguém. Você não passa de uma maníaca invejosa. – Candice diz.

Nikki fica quieta por alguns segundos. Seu rosto está vermelho de raiva.

- Isso é o que acontece com as pessoas em sua volta. – ela diz, apontando para mim. – Elas se machucam ou pior, MORREM.

Nikki abre a porta e sai. Ela bate a porta com toda a força.

Reviro os olhos, se não foi ela, quem foi?

Sento-me no sofá e Candice vai atrás de informações com os policiais.

Nikki está certa, as pessoas em minha volta sempre acabam se machucando de alguma forma. Como fui perceber isso só agora?

Só percebi o quanto Ian é importante para mim quando ele se foi, devia ter dito isso a ele. Ou deveria simplesmente ter me afastado.

Candice volta alguns minutos depois, com a expressão mais preocupada ainda.

- Então? – pergunto.

- Eles disseram que não há nada nas câmeras. Tudo foi apagado. – ela faz uma pausa. – E... quem fez isso, não agiu sozinho.

Candice e eu passamos as próximas três horas tentando decifrar quem poderia ter feito isso e qual o motivo. Ian não tinha inimigos.

Tudo sempre levava de volta à Nikki Reed.


Notas Finais


reviews pleasee


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...