História The Submissive - Imagine Kim Taehyung - Capítulo 44


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Submissão, Tae, Você
Visualizações 554
Palavras 3.264
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hi per !

Desculpem a demora , mas a vida me deixou de ponta cabeça com alguns assuntos.

To rindo de nervoso.

PS : A falta de comentários me deixa a questionar se o conteúdo está realmente bom.

Preparadas então ? Partiu !

Capítulo 44 - Carta.


Fanfic / Fanfiction The Submissive - Imagine Kim Taehyung - Capítulo 44 - Carta.

Pag. 1 - Desculpas.

" Olá meu raio de sol , você está bem ? Mamãe queria apenas te dizer primeiramente desculpas por estar a fazendo passar por tudo isso. Talvez você já esteja grande e não queira que a chame de apelidos , mas aqui dentro de meu coração sempre terei a plena certeza que mesmo sem ver seu rosto continuará o meu bebê. A contar tudo sempre passou por minha mente desde que descobri que as chances de sobreviver junto a você nesse parto era minimas. As escolhas eram claras; Ou eu , ou você. Eu sou apenas uma mãe de primeira viagem , e naquele momento me desesperei sem saber o que fazer. A filha não era daquele que tanto amava , e mesmo assim  digamos que , permaneceu ao meu lado mesmo que sentisse que ainda estava magoado com toda a situação , afinal , quem não ficaria não é ? Os médicos haviam me desenganado e queriam a cláusula assinada com a permissão de um aborto. Meu coração estava partido , meus pensamentos me enlouqueciam e mesmo que contragosto tomava inúmeras cartelas de remédio para diminuir o meu estresse e panico que sentia apenas em pensar no assunto. Foram dois meses de pura angustia e medo de tomar a decisão errada. As espectativas por uma resposta de minha parte era grande por todos que permaneceram comigo , e o vencimento da proposta estava chegando. Foi ai que , sem pensar , avisei Christian e decidi que sua vida a partir dali valia mais que a minha. O meu pecado de ser uma adúltera era grande , e ter uma mãe assim não era o sonho de ninguém , mas nisso tudo você apareceu , e mesmo que não pudesse ver seu rostinho , primeiros passos , e palavras , optei por priorizar apenas a sua vida e sua saúde. Não quero que me perdoe apenas por estar contando isso , que se comova com tais palavras , talvez não seja capaz nem de relevar o que aconteceu no passado de seus pais , mas que aceite como tudo aconteceu. Mamãe está feliz apesar de tudo , e espero que depois disso você também seja , independente de qualquer coisa , Eu Te Amo."

Sequei as lagrimas que escorriam por meu rosto e joguei a cabeça para trás olhando para o céu. Minha cabeça estava tonta e minhas mãos tremiam. O medo me percorria , mas a curiosidade de saber o resto dessa historia parecia maior agora. Omma realmente foi uma grande mulher , talvez jamais conseguisse a odiar. Seria justo ? Alguem que deu a vida por mim não ser perdoada ? Quem de nós nunca cometeu um erro na vida ? Mesmo que não fosse tão grave.

Pag. 2 - Traição.

"Devemos começar essa historia desde o dia em que Christian me magoou pela primeira vez. Não o julgo por isso , e pode soar irônico , mas não o condeno por ter me traido agora. Era dificil termos uma vida a dois e construir a familia com tantos filhos que o mesmo sonhava. Estava sempre trabalhando e , o dar atenção virou algo raro de se fazer. O ignorava e sempre que se aproximava fazia questão de me distanciar do mesmo. Dias depois seu comportamento havia mudado , tudo estava diferente entre a gente e meu coração sentiu que havia o perdido para outra pessoa. Foi ai que os problemas começaram. Meus olhos ardiam sempre que era ignorada pelo mesmo , meu corpo tremia sempre que se dirigia apenas para criticar o que eu fazia em casa , seu cheiro estava começando a mudar , e se quer dormiamos na mesma cama. Eram noites dentro daquele banheiro chorando sem parar por sentir culpa. Por não conseguir sustentar meu casamento e dar ao meu marido aquilo que tanto desejava ter desde que nos casamos. A culpa me corróia por dentro e aos poucos estava morrendo com aquela culpa e angustia de não saber a verdade dentro de mim. Foi então que decidi o seguir em um dia que estranhamente saiu de casa as oito da noite , ato que nunca havia acontecido antes. O esperei , chorei , e me descabelei. Meu nervosismo aumentava e tudo parecia ter desmoronado e passado em minha cabeça após o ver sair da casa qual havia entrado. Tudo estaria bem se ao seu lado não estivesse uma moça mais jovem que eu. Aquilo acabou comigo , acabou com a minha vida. Quando voltei para a casa ele já estava lá , deitado no sofá como se nada tivesse acontecido. Jong , seu pai , era um grande amigo do trabalho , e decidi como sempre desabafar com ele , aquilo parecia me aliviar todas as vezes , e talvez dessa nao fosse diferente. Sua familia era perfeita , sua mulher tinha um grande homem ao seu lado , e juntos uma pequena menina chamada Min ha. Ela era encantadora apesar de estar a poucos dias apenas de fazer seu um ano completo. Quando cheguei até la ele estava sozinho , e bom , pulando partes , acabamos dormindo juntos naquela noite sem pensar. E o problema começaria na manhã seguinte."

Pág. 3 - Descobertos.

"Aquilo foi apenas uma noite , mas que causou uma tremenda reviravolta em todas as nossas vidas. Tudo havia mudado , a felicidade estava jogada no ralo desde então. Ainda me culpo por tudo aquilo , e talvez seja essa culpa que me faz desejar que a morte me leve sem pensar duas vezes. Ainda lembro daquela manha desastrosa e de todos os ocorridos seguintes daquilo. Havíamos acordado juntos e por breves momentos me sentia suja e infeliz por ter realizado aquilo que era um dos maiores pecados em minha crença. Quando percebi o que realmente havia acontecido , que estávamos deitados juntos ali ,e sem nossas roupas desabei a chorar me perguntando o por que. Jong tentou me acalmar mas tudo parecia em vão naquele momento. Meus soluços eram altos e seu abraço parecia de certa forma me conformar , não tanto ao ponto de aceitar tudo aquilo , afinal , ele era apenas meu amigo e assim como eu era casado. Quando me levantei para ir embora , mesmo que enrolada naqueles lençóis , sua mulher abriu a porta nos olhando com todo o desdém do mundo. Ela gritava , e dizia que confiava em mim , que era amiga da família e jamais pensaria que era uma qualquer como demonstrei. Eu , por outro lado estava em pânico , me martilizando enquanto jong brigava com a mulher para que parasse de me ofender. Aquilo era demais para mim , e me sentia um nojo diante a tudo que havia passado e ainda estava me submetendo. Tudo estava pior que nunca e aos poucos enlouquecia mais com meus pensamentos do que aconteceria dali para frente".

Pág. 4 - Dor.

"Jong naquele mesmo dia havia me trazido para casa , e dito para não comentar com ninguém e que tentaria amenizar tudo com a sua mulher. Disse que nossa amizade não seria a mesma , mas nunca esqueceria nossa noite. Meu coração estava quebrado por saber que havia perdido nao só minha vida , mas grandes pessoas que nela entraram. Aquela familia era feliz , e a culpada da infelicidade não só do meu marido , mas a deles também era minha , apenas minha. Os dias haviam se passado e não tinha se quer noticia daquela familia. Christian me olhava torto , e não entendia aquilo. Seu olhar frio , suas atitudes , tudo acabou com o nosso dialogo , ainda mais depois de tudo. Minha cabeça ainda estava perturbada. Comecei a sentir enjôo , vontades absurdas de comer coisas estranhas , e aquilo fazia meu medo ficar vinte e quatro horas estampada em minha testa. Queria fazer aquele teste que tiraria minha duvida , mas a coragem parecia me faltar naquele momento. A campainha havia tocado me tirando de meus pensamentos , aflita passei por Christian e a abri vendo jong ali , com os olhos completamente vermelhos e lábios trêmulos. Seus braços me envolveram em um abraço forte , apertado , e cheio de dor , e foi ai que senti que ainda havia algo errado."

Pág. 5 - Despedidas.

"Meus olhos ficaram fixos aos de seu pai o vendo contar tudo que houvera acontecido desde então. Sua mulher na loucura e dor daquele momento havia saido em disparada com seu carro. Ela estava furiosa e disse que jamais o queria ver novamente. Sem conseguir a segurar , a deixou ir sabendo que como de costume ela iria se arrepender e voltar para conversar , mas infelizmente não era aquilo que havia acontecido de fato. Seu celular tocou apenas cinco horas depois dela ter saido e ele estar com a pequena Min Ha sozinhos em casa. Seus olhos reviraram e seus lábios sorriam por estar certo mais uma vez. Mas era equivocado de sua parte , uma vez que quem falava com ele naquele momento era um dos bombeiros que horas atrás havia a socorrido. Estava tremendo assim como eu naquele momento que me contava. Fechei os olhos sabendo a que caminho tudo aquilo levaria. Tapei sua boa e o disse para não continuar com aquilo , que havia entendido que por culpa minha ela tinha se ido , aquela que ele prometeu amar , respeitar e ser fiel pelo resto de suas vidas. Christian havia saido , ou pensei que havia , uma vez que nao gostava de seu pai. Que ironia , nao ? Era estranho tudo aquilo , meu estomago se embrulhava em saber o quão idiota eu era para destruir tantas vidas assim. Depois daquele dia apenas o vi uma única vez , qual resultou em nos dois juntos novamente. Me arrependi no dia seguinte assim como da primeira vez , e não acreditava que meu corpo poderia responder tão bem a ele naquelas duas noites únicas que tivemos. Quando foi embora , resolvi fazer o teste de gravidez , já que aqueles sintomas a cada dia haviam aumentado mais e mais. Então , finalmente soube que estava mesmo gravida , gritei comigo mesma e inúmeras vezes tinha surtos de panico ao saber que tudo iria piorar a partir dali. Crhistian estava ao meu lado naqueles momentos , parecia estar preocupado , mas ao mesmo tempo me mostrava um certo rancor , mesmo que naquele momento não soubesse o porque. Novamente , uma semana tinha se passado e decidi procurar por seu pai. Quando cheguei frente a sua casa o vi com algumas malas e a pequena menina em seus braços. Os olhos ainda vermelhos denunciavam o quanto já haviam chorado. O disse com toda a dificuldade que estava gravida de um filho seu , e o homem simplesmente parecia ter entrado em choque. Sua cabeça balançava negativamente e engoli em seco tantas vezes que parecia impossível. Quando abriu sua boca pela primeira vez me pediu desculpas e disse que não poderia assumir aquela criança. Fiquei chocada com aquilo , ele não era assim , céus , por que esta agindo dessa forma então ? O pedi por favor que não fizesse isso comigo e com essa criança , mas apenas soube que também entregaria a adoção sua pequena menina e tentaria esquecer toda aquela tragedia que havia acontecido desde então. Me deixaria com meu marido para que não passasse pelo mesmo que ele e , tentaria ser infeliz longe de todos que amava , incluído eu e sua pequena filha em seus braços e também a nossa , que no caso era você meu sol."

Pág. 6 - Decisões.

"Depois daquilo cheguei em casa arrasada com toda a situação. Em minha cabeça nada queria se encaixar e fazer sentido. A ficha não caia de jeito nenhum e meu medo do que viria era maior que antes. Sentia minhas lágrimas me queimarem e aquele quarto completamente branco me deixava mais louca do que parecia estar. Christian pedia para conversar e aquilo parecia querer me fazer gritar para que se afastasse de mim. Estava sentindo nojo , culpa , e raiva de mim mesma. Não culpava ninguém , nem mesmo Jong. Apenas a mim. Decidi então abrir minha boca e desabafar tudo com aquele que ainda intitulava a meu marido. Sua reação obviamente foi negativa , e aos poucos com a sua raiva e desprezo acabamos ficando sem moveis por tantos que o mesmo quebrou. Minha dor e loucura estava a flor da pele e cheguei a pensar o pior para nos duas minha pequena. Christian chorou em minha frente assim como também fiz. Suas palavras me insultavam e pouco a pouco sentia mais vontade de morrer , foi ai que minha fúria de me opor pela primeira vez apareceu , e então joguei em sua cara que sabia de sua amante , o que o fez entrar em choque. O disse que não precisaria de suas palavras sujas me dizendo a todo o instante que era uma qualquer. Iria criar minha filha sozinha se preciso , sem me importar se contaria a todos o que realmente aconteceu entre nos. A falta de respeito e a infidelidade tanto de seu lado quanto do meu , que gerou mais que dor , e sim um novo ser para esse mundo tão cruel."

Pág. 7 - Reviravoltas.

"E foi assim todos os meses ate o sexto. Estava sozinha morando em um pequeno comodo que haviam me cedido. Perdi meu emprego pelo escândalo que havia se formado. Sem casa , e sem apoio da familia , era assim que me sentia uma vez que , Christian conseguiu virar todos contra mim. Estava isolada e me sentindo mais paranóica que antes. Remédios e mais remédios resultaram na decisão mais difícil de minha vida. Os dias passavam , meus choros aumentavam , e a indecisão também. O que eu iria fazer ? Era jovem demais para perder a vida assim. Mas uma jovem infeliz que aos poucos perdeu tudo que tinha , e acabou sozinha em um canto abandonado e frio com uma criança em seu ventre. A minha decisão já estava tomada e , também fiz questão de entregar a Christian uma pequena carta que o dizia tudo que sentia naquele momento. O pedi desculpas por tudo , principalmente por não conseguir ser a esposa que tanto sonhasse que fosse. O deixei um pequeno manual de como cuidar de uma criança , e o deixei no final algo escrito com bons argumentos de que deveria fazer o favor de cuidar de você mesmo que ate completar uma boa idade para conseguir se virar sozinha. Tinha medo de depois de tudo a deixassem em qualquer lugar , e obviamente tentaria a sorte escrevendo aquilo para ele. Nunca obtive respostas , então deixei a minha amiga essas explicações a você. Seu marido também se dispôs a me ajudar nessa loucura , e espero que mesmo com bons anos passados consigam ter te entregado esses papéis."

Pág. 8 - Final de tudo.

"Acabei de voltar do medico e , me disseram que você tem apenas dois dias para nascer. Soube por uma enfermeira que Christian se intitulou ao pai da criança e mesmo que sem me consultar ia ate o hospital toda a semana para saber de meus exames e pré natais. Estou orgulhosa do mesmo , é uma pena que não tivéssemos o final feliz que sempre imaginamos , afinal , nem tudo nessa vida são flores.  Não é mesmo querida ? Se um dia ele te disser "O problema não é você" , acredite , é o jeito que te demonstrará que apesar de tudo ainda te ama. E como eu sei ? Bom , ele me mandou uma pequena carta a dois minutos atrás dizendo que sempre que supostamente o perguntasse de seu comportamento distante , a diria apenas isso , afinal , nao era seu pai , e te criar nao significava a mimar como uma verdadeira filha , mas faria meu desejo se realizar , jurando que ainda me amava mesmo que no final de tudo estarmos junto seria impossível. Me preocupo como irá te tratar , mas confio que você saberá se defender , ou como agir nesses momentos. Diga a ele que o amei desde o primeiro instante que nos conhecemos ate os últimos de minha vida. Não o julgue , a culpa foi apenas minha se nossa vida se tornou a bagunça que é. Lembre-se querida de tomar cuidado nessa vida , qualquer decisão errada e você pode se arrepender futuramente. Saiba também que estou anciosa por sua chegada , e espero conseguir te olhar mesmo que por pequenos segundos antes de daqui ir para um lugar melhor. Estou feliz por estar indo em troca de você , por estar finalmente me libertando dessa vida obscura e dolorida que estava vivendo. Sinto que enlouqueci a cada dia que se passou , e minhas paranóias são evidentes. Espero que entenda meus motivos , e que de valor a sua vida. Eu te amo muito mesmo sem te conhecer , te desejo toda a sorte e amor do mundo que nunca tive. Ou nao soube perceber que tinha. Minha pequena , nunca esqueça que sempre serás meu raio de sol. Omma te ama infinitamente.

PS : NOS VEMOS NO CÉU MEU ANJO".

Havia finalmente descoberto toda aquela confusão. Minha cabeça rodava e sentia meu estomago embrulhar. Queria gritar , chorar , e estrangular Christian mesmo que agora o quisesse apenas dar um abraço apertado. A historia era confusa , cheia de reviravoltas , e não entendia o porque meu suposto pai não quis tentar ser feliz com a gente , ou por que simplesmente abandonou Min Ha.

Achei que minha vida fosse infeliz pelo comportamento de Christian , mas estava enganada. Nossos momentos a maioria eram sim frios , mas soube me criar , e de certa forma me dar amor. Apesar de ter me vendido ainda o amava muito , e suas visitas mais do que raras costumavam me deixar feliz. Digamos que , reclamei de barriga cheia. Min Ha também estava sem a mãe , e simplesmente perdeu o pai. Sabe-se lá como foi sua vida onde a deixou e como foi adotada por aquela familia. Uma família boa que infelizmente não conhecia o lado ruim da mesma que a levou diretamente para uma cova a sete palmos daqui. Tudo estava passando em minha cabeça e apenas conseguia pensar em quando tudo isso iria acabar.

Quando cheguei em frente a casa de Yoongi , avistei um carro que não era o seu ali parado. Ignorei , e novamente aos prantos adentrei a casa cambaleando. Subi as escadas jogando os papeis em qualquer lugar do corredor e corri até o banheiro do quarto de Min. Abri todos os frascos de remédio que encontrei e enfiei todos de uma vez garganta abaixo.

Não aguentava mais tudo aquilo , pra que não me juntar a minha mãe agora ? Eu a queria , queria ao meu lado , queria a dizer que estava tudo bem. Simplesmente queria.

Andei pelo corredor novamente e escutei vozes vindo do escritório de Min. Zonza , enchergando aquela enorme porta se dividir em duas , a abri me deixando cair de joelhos no chão.

-S/N ? - Ouvi a voz de Taehyung e deduzir estar sonhando. Dei um minimo sorriso apoiando as maos no piso gélido.

-O que há com você bae ? - Yoonie havia se abaixado em minha frente.

Me arrastei ate o aconchego de seus braços e deixando minha ultima lágrima escorrer sussurrei :

-Não aguento mais oppa.

Point off Vision S/N.


Notas Finais


Opaaa , acabou point de vocês ? Sera ?

Aaaaah , as retas finais. Surpreende.

Espero que gostem.

Omma agradece.

Bye ! ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...