História The Sugar Fairy - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 1
Palavras 2.280
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Fantasia, Magia, Romance e Novela

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Hey !
Esse capítulo tocou meu coração (hihihihi)
Espero que gostem.
O capítulo quatro, da história do "presente", a história da Sugar Fairy, está chegando.
Yay !
Obrigado mesmo por lerem, eu fico muito feliz de ver uma ou duas pessoas lendo.

Capítulo 3 - A Guerra


Fanfic / Fanfiction The Sugar Fairy - Capítulo 3 - A Guerra


Quatro Anos se passaram desde que a rainha Mirana foi coroada e a paz estabelecida, estava tudo em seu devido lugar, os magos cuidando de sua pequena aldeia Kantya, Aine cuidando de suas novas fadinhas, Argalad preparando os elfos para a primavera, Mirana fazendo os preparativos para o treinamento das novas criaturas e Peter ocupado com os deveres de seu reino e mais importante, seu casamento com Aldith que seria em três dias.
Tudo tem que ser perfeito Aldith, você merece o melhor. – Disse Peter beijando Aldith
Tudo já é perfeito Peter, eu tenho você. – Disse Aldith sorrindo
De tudo, eu sou a coisa menos perfeita.  – Disse Peter
Antes que os dois pudessem “curtir” um tempo juntos, um guarda entrou no quarto e chamou Peter para dar os toques finais a respeito do Salão de Baile.
Como já era noite então Aldith deu a Peter um beijo no rosto, e retirou-se do castelo. Infelizmente ainda na porta do castelo Aldith foi atacada por algum tipo de criatura que arranhou seu rosto com suas patas e arranhou suas costas.
SOCORRO! PETER! GUARDAS! – Gritava Aldith com a voz falha graças a dor.
Ouviram isso? – Disse um guarda nos portões do castelo.
Ali, é uma jovem! –Disse outro guarda direcionando-se as pressas para ajudá-la.
A criatura correu assustada e sua sombra escura fundiu-se com a escuridão da noite. Aldith foi levada pelos guardas até a enfermaria do castelo. 
Ela está bem? ME DIGA AGORA! – Gritou Peter
Sim, majestade, ela apenas se arranhou – Disse a curandeira.
Estas criaturas...Preciso dar um jeito nisso antes de meu casamento. Guardas ! Preparem algumas tropas. Mirana precisa de uma visita. - Disse Peter com uma firmeza impressionante na voz.
P-peter ? O que aconteceu ? - Disse Aldith sonolenta.
Aldith, apenas uma criatura,mas prometo que nada mais irá te atacar. - Disse Peter.
O que irá fazer Peter ? - Disse Aldith com a voz frágil.
Irei fazer meu papel como rei, proteger meu povo. Cuidem dela, voltarei no dia do casamento. - Disse Peter retirando-se da enfermaria.
Como dito por Peter,o mesmo foi em uma jornada para ver Mirana logo ao alvorecer. Peter apenas chegou ao reino de Mirana no outro dia, a qual não esperava sua visita, mas foi avisada sobre sua chegada, a apenas alguns quilômetros do reino.
Majestade, tens uma visita. - Disse um dos guardas.
Quem ?! - Disse Mirana com preocupação na voz.
O rei Peter...e alguns guardas.. -Disse o guarda.
Arg..Peter significa problemas, ainda mais sem avisos prévios. Receba-o bem. - Disse Mirana.
Peter foi recebido pelos guardas e as pressas adentrou o castelo.
MIRANA ?! VENHA AQUI ! -Disse Peter, com superioridade.
A rainha Mirana veio descendo as escadas lentamente , com um belo vestido vinho, agora com uma aparência mais madura, mais sábia, preparada para qualquer coisa. A vida de rainha havia feito bem a Mirana.
Olá Peter, vejo que já adentrou o reino e o castelo sem avisos prévios...E ainda se dá o luxo de ousar gritar comigo. A que lhe devo esta visita ? - Disse Mirana com serenidade e ironia .
A jovem Rainha Mirana, está se achando no direito de dirigir palavras irônicas a mim...Que surpresa. Vim aqui por causa de suas criaturas descontroladas, elas feriram Aldith. - Disse Peter
Isto é algo que por mais que tente controlar, sai de meu alcance.. Me perdoe por este ocorrido, manterei esforço para que não aconteça com outros..Espero que não me desconvide do casamento por isto. -Disse Mirana acompanhada de um leve sorriso.
Me perdoe o descontrole, me preocupo com Aldith.. E não, você continua convidada. A propósito, se puder me fazer um favor.. Alguns de seus guardas poderiam me acompanhar na minha jornada de volta ? - Disse Peter.
Claro, vamos nos servir de uma refeição e após isto poderá partir. - Disse Mirana.
Assim, foi feito. Peter, juntou-se a Mirana para uma refeição, após isso retirou-se para dar início a jornada de volta ao seu reino, de forma que chegasse a tempo para os toques finais em seu casamento. Peter fez de tudo para que chegasse ao menos na calada da noite e assim foi feito, chegou no meio da noite e logo foi procurar por Alfith, a qual já estava em casa muito alegre e animada para seu casamento que seria no outro dia pela manhã.
Temia que fosse chegar muito tarde. - Disse Peter.
Não majestade,chegou na hora certa, eu mandei que preparassem suas roupas e os detalhes finais. Acho que ficou bom, tenho observado o gosto do senhor a um bom tempo. - Disse Aloys.
Ótimo, imagino que tenha feito um bom trabalho Aloys, agora se me der licença, irei repousar por um instante. - Disse Peter.
A noite foi tranquila, os convidados começaram a chegar no horário esperado , porém Aine chegou acompanhada Maya,Licke e seguida de Argalad e Bogdan alguns minutos depois. Como Aldith não estava pronta ainda e Mirana atrasada, os convidados ficaram conversando no local da cerimônia.
Aine, você está deslumbrante. - Disse Argalad
Aine estava com um vestido creme, com uma linda renda dourada nas mangas, além de estar com o cabelo preso, e um colar com a pedra do lago dada a ela por Mirana.
Oh, Obrigada Argalad ! - Disse Aine
Peter parece muito nervoso, talvez você devesse falar com ele. - Disse Argalad, olhando para Peter.
Sim, eu irei. - Disse Aine.
Aine se dirigiu a Peter, mantendo a compostura e o sorriso no rosto.
Majestade, espero que tudo esteja como desejou. - Disse Aloys, mago conselheiro de Peter.
Está sim Aloys, Aldith deve amar..- Disse Peter
Nervoso Peter ? -Disse Aine com sua voz doce de sempre.
Não muito, mas desejaria que Mirana chegasse logo, os guardas me disseram que Aldith já está pronta e está vindo. - Disse Peter, preocupado.
Ora, parece que seus problemas acabaram, Mirana chegou, irei recebê-la. Por quê não organiza todos em seus lugares ? A carruagem de Aldith está chegando certo ? - Disse Aine serena.
Aine procurou manter a compostura, já que tudo que queria era correr até Mirana e procurar por Van.
Olá Mirana, me acompanhe até nossos lugares – Disse Aine sorrindo e abraçando Mirana.
Oh, Aine que saudades ! Vamos.. -Disse Mirana acompanhando Mirana.
Logo após Aine e Mirana sentarem, Peter avistou a carruagem de Aldith na porta, então deu início a cerimônia. Ao chegar a hora da entrada da noiva, Aldith estava maravilhosa, com um vestido longo e rendado nas mangas, seu sorriso adicionava um detalhe maravilhoso ao visual da mesma, seus olhos brilhavam de emoção e até foi possível ver um sorriso no rosto de Peter em sua entrada, tudo pareceu acontecer muito rápido, com apenas uma flecha, Aldith fechou os olhos lentamente e seu corpo foi se direcionando ao chão, o sorriso não saiu de seu rosto e com o buquê de flores em mãos, entregou sua alma.
Aine ! Não corra. - Disse Mirana segurando o braço de Aine para que não fosse em direção a Aldith.
Sinto em desapontá-la,mas eu prefiro me machucar, do que não ajudá-la. - Disse Aine, soltando levemente seu braço e correndo.
Aine tocou no coração de Aldith, o qual não sentia mais bater, seu sangue escorria pelo vestido e pela mão de Aine, seu corpo estava frio e imóvel, claramente sinalizando que a alma de Aldith já tinha o deixado a algum tempo, com seus poderes Aine começou a tentar descobrir de onde veio a flecha que matou Aldith, já que a mesma havia sido morta por um tiro certeiro. 
Após o ocorrido, foi vista uma lágrima descer dos olhos de Peter, o qual apenas sinalizou para os guardas e correu para a entrada do castelo, Peter gritava com muita raiva e tristeza, sua voz estava rouca e seu rosto indignado, ele desejava que não tivesse acontecido, mas agora tinha que tomar uma decisão, e no calor da raiva ele disse :
Saia de perto dela Aine, na verdade, saiam todos. 
Peter, vamos ajudá-lo fique tranquilo. - Disse Mirana 
NÃO MIRANA, TODA CRIATURA QUE POSSUIR MAGIA ESTÁ BANIDA DE MEU REINO. - Disse Peter aos gritos.
Majestade, não deixe a raiva guiá-lo ! - Disse Aloys
Esta lei, inclui você Aloys, de hoje em diante, vocês irão viver em refúgio, não terão mais autoridade em decisões que envolvam os “Quatro reinos”. Teremos rondas todas as noites, a procura de criaturas que estejam fora de seus refúgios , as quais serão condenadas por tal feito, agora retirem-se. - Disse Peter.
Venham, irei acolhê-los em meu reino esta noite. - Disse Mirana, direcionando um olhar indignado a Peter.
Refúgio.. - Disse Peter, saindo a passos rudes da sala.
Após a reviravolta de Peter, todos decidiram aceitar a lei até que as coisas se acalmassem, então como a bondade de Mirana foi muita, os “exilados” foram para o reino da mesma.
Não acredito que aceitaremos derrota de tal forma. - Disse Argalad
Não procuro guerra, Argalad,amanhã as coisas ficarão melhores.- Disse Mirana
Enquanto alguns conversavam e outros se alojavam em seus quartos, se preparando para jornada de amanhã, Van estava tentando acalmar Aine que estava aos prantos preocupada com o destino dos reinos.
Aine, tudo vai ficar bem. - Disse Van, passando a mão sobre os cabelos de Aine.
Peter é mais persuasivo do que parece, Van. Eu acho melhor ir dormir, se tudo realmente irá ficar bem, só vamos descobrir pela manhã.
Com todos repousando e alguns apenas deitados, a noite começou a passar e,ao início do alvorecer um acontecimento os surpreende. Mirana já aguardando por algo,já estava preparada para o mesmo.
- Majestade, avistamos uma multidão de soldados e o rei Peter vindo.
- Preparem os soldados, peçam aos hóspedes aqui presentes para que se protejam. Vamos a batalha.
Então os guardas adentraram todos os cômodos e e chamaram todos para recuar-se. Van, ao saber do que iria acontecer, foi ao quarto de Aine em sua busca.
Aine, sei de seus princípios de gentileza, pegue suas fadas companheiras e retire-se, vá para a cabana próxima ao lago. - Disse Van.
Obrigada por tudo Van, não se machuque, tenha cuidado. - Disse Aine, colocando seus palmares sobre o rosto do mesmo e assim dando-lhe um beijo.
Assim estava tudo preparado, Argalad juntou alguns arqueiros e foram a batalha, Bogdan e Aloys , foram ajudar na batalha como magos, e é claro a Rainha Mirana, estava lá, preparada, confiante. 
ESTE É APENAS UMA AVISO, PARA QUE NÃO QUEBREM MINHAS ORDENS. - - Gritou Peter.
E esta é minha sincera resposta. - Disse Mirana.
Mirana levantou as mãos, clamou pela lua e a noite, logo um brilho surgiu em seus palmares e seus cabelos balançavam com o vento provocado pelo poder, seu colar brilhava e em seus olhos podia se ver a Lua.
- ESTRELAS, ME ACOMPANHEM, LUA CONTROLE-ME !
Mirana deu início a batalha, lançando seu poder na carruagem de Peter, o qual em um pulo rápido, retirou-se da mesma, que por detrás de seus ombros, pegava fogo. 
- SOLDADOS, AVANTE ! - Gritava Peter com sua espada na mão.
Van e os outros lobisomens se transformaram, e começaram a lutar com toda força e garra, Argalad e seus arqueiros, miravam certeiramente em suas vítimas, Mirana clamava por seus poderes, Aloys utilizava poderes de proteção no exército de Mirana enquanto Bogdan usufruía de seus poderes de cura.
Peter, e seus soldados no entanto não tinham piedade, machucavam a todos, assim como a raiva e a tristeza machucavam o coração de Peter, alguns dos homens de Peter já haviam sido feridos, e gemiam de dor no chão do campo de batalha, entretanto Peter insistia que esta continuasse, a fim de conseguir dominar os oponentes no final. 
Após um longo tempo de batalha e com muitos lobisomens, arqueiros e até mesmo Aloys ferido, Mirana pediu que recuassem, e que seus demais guardas levassem os abrigados do castelo, para seus devidos reinos agora chamados de refúgios, dentre os quais a rainha Aine estava ,por isto deixou um bilhete para Van, a fim de lhe dar uma despedida ao menos digna. 
Com todos recuando, Mirana permaneceu imóvel, no meio do campo de batalha, sem atacar, sem esquivar, sem defender-se, logo Peter notou que a mesma estava indicando rendição, por isso, só disse uma coisa.
Já sabem o que espero de vocês, os guardas começaram as rondas amanhã a noite. 
Ele tomou seu rumo de volta ao Reino do Alvorecer, escoltado pelos seus guardas, até mesmo os feridos. Mirana no entanto, tomou rumo ao seu castelo, ordenou que fechassem os portões quando ela entrasse, e também solicitou treinamento urgente de todos habitantes, para auto-defesa, pediu também que oferecesse um quarto para Aloys, para que o mesmo se sentisse confortável, em sua nova casa.
Van direcionou-se as pressas à casa do lago, ao chegar, Aine não estava mais presente, porém seu bilhete estava lá, havia uma flor branca, levemente rosada em suas pétalas ao seu lado, e o bilhete está sendo mantido preso por uma pequena pedra brilhante do lago, no mesmo instante Van o puxou com cuidado e começou a lê-lo.
“Querido, bravo e amado lobinho,
Acho que um adeus é uma despedida um tanto quanto forte, por isto deixo este bilhete a fim de dizer um simples “Até logo”, obrigada por lutar em nome de todos nós, não somente você mas todos os que lhe acompanharam, retorno ao meu refúgio, com uma lágrima no rosto, todavia com uma faísca no coração, que sempre o aquecerá até que eu tenha a graça de vê-lo novamente.
Prometa que não serei esquecida por você,
Com amor e uma flor,
Aine ”.
Até logo, Aine. - Disse Van, colocando a pequena pedrinha em seus pertences.
 


Notas Finais


Obrigada mesmo !


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...