História The Sunshine Boy (Jikook-Kookmin) - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bottom!jungkook, Bts, Death Fic, Jeon Jungkook, Jikook, Jimin, Jimin!seme, Jimin!tops, Jungkook!uke, Kim Namjoon, Kim Seokjin, Kookmin, Longfic, Min Yoongi, Namjin, Park Jimin, Sad Fic, Yaoi
Visualizações 73
Palavras 1.227
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Fluffy, Hentai, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


opa

Demorei, mas tô aqui!

Eu dividi o capitulo e esse aqui é a primeira parte dele. eu resolvi que ia dividir ele porque esse capitulo tinha ficado muito grande, tinha muita informação... então eu resolvi que isso era o melhor. eu já tenho as outras partes prontas. vou atualizar amanhã, talvez hoje, mas Bem talvez mesmo...

Enfim, não há muito o que dizer aqui.

O capitulo não foi betado, então perdoa os erros aí.

boa leitura sz

amo vocês <3

Capítulo 4 - "Ele não gosta de ir ao colégio."


Naquela manha de segunda, Jeon acordou às cinco e meia da manha. O garoto havia dormido no máximo três horas naquela noite, o pobre menino não havia conseguido pregar os olhos durante a madrugada.  A angustia de ter as lagrimas trancadas dentro de seu peito era aterrorizante. Jungkook nunca quis tanto chorar em sua vida. A sensação de não conseguir chorar é mil vezes pior do que derramar um mar de lagrimas.

 

Ele se levantou da cama com um grande custo. Fazia frio naquela manha, e a sensação de ser embrulhado por edredons e cobertores era boa demais para deixa-lo com disposição para pôr os pés pra fora da cama a aquela hora da manha.

 

Arrastou-se ate o banheiro para tomar uma rápida chuveirada e higienizar-se devidamente. O garoto lavou seus cabelos com rapidez, mas mesmo assim com delicadeza. Ensaboou todo o seu corpo com o seu sabonete de fragrância floral que ele tanto gosta e não troca por nada. Ele secou seu corpo com calma, passou sua toalha branca e macia por cada centímetro de seu corpo, certificando-se de que cada dobra de seu  comprimento estivesse completamente enxuta, em seguida fez o mesmo com o seu cabelo e o penteou despojadamente para trás. Depois de seco, o garoto com toda a calma do mundo foi ate a seu armário e buscou seu creme corporal com essência de mel, este que deixava sua pele macia e a fazia exalar um cheirinho bom e agradável durante todo o dia. Pegou seu uniforme escolar e o vestiu com sutileza.

 

Mesmo não tendo dormido corretamente esta noite, Jeon estava consideravelmente calmo, calmo ate demais. Mas é como dizem “Depois da tempestade vem a calmaria”. Mas o que preocupava Jungkook não era isso, o fato de as coisas estarem serenas demais o assustava. A quietude presente no ambiente o fazia temer com medo de que outra tempestade pudesse surgir, pois não havia como saber se depois disso outras não virião.

 

 

O garoto espantou com pressa os pensamentos negativos de sua cabeça. A situação atual já estava deveras ruim e não há como piorar. Ele depois de completamente vestido e arrumado pegou sua bolsa que guardava seus livros e cadernos e desceu silenciosamente as escadas. A casa estava completamente silenciosa, mas ele tinha certeza de que sua mãe já estava acordada a essa hora. Jungkook atravessou os cômodos da casa deixando sua mochila na sala durante o trajeto, e quando chegou a grande cozinha avistou a Jeon mais velha sentada a mesa enquanto beberricava algum chá quente qualquer que preenchia a sua xicara de porcelana. Ela estava da mesma forma de sempre, do mesmo jeito impecável e robótico de costume, da mesma forma medonha e aterrorizante de sempre.

 

A mulher nem havia se dado ao trabalho de pousar seus olhos em Jeon, pois estava ocupada demais para notar a presença do garoto no cômodo. Ela falava com algum de seus sócios, e como a ligação parecia ser importante, Jungkook não se prestou a cumprimenta-la com um bom dia, pois o garoto sabia que se ele ousasse interrompe-la, Jungah não ficaria nem um pouco contente, e o que ele menos queria a aquela hora da manha era vê-la estressada. Sua cabeça estava cheia demais para aguentar a voz irritante se sua mãe gritando mais uma vez consigo.

 

Jungkook caminhou envergonhado ate a mesa e puxou uma cadeira para que pudesse se sentar a mesa, e tomando o máximo de cautela para que o peso do móvel não causasse nenhum ruído ao fazer fricção com o chão o garoto sentou-se e se dispôs a comer da farta refeição que estava posta sobre o vidro branco da mesa retangular.  Jeon não estava com os melhores apetites, mas mesmo assim tratou de comer algo, pois ele sabia que se ficasse com o estomago vazio ele correria o risco de ter um mal estar, e isso ele não queria de maneira alguma. O ambiente havia ficado silencioso de repente e o clima tenso que estava instalado ali se intensificou. Jeon estava deveras avoado, mas estava consciente o suficiente para notar que o olhar de sua mãe estava pousado em si.

 

— Aonde será que foi parar a boa educação que você recebeu em casa? — ainda receoso, Jeon, permanecia de cabeça baixa, mas em um ato de coragem levantou suas orbes e encarou a mulher a sua frente — Você não tem mesmo respeito a mim, nem se deu ao trabalho de abrir a boca para me saudar com um simples bom dia — ela o olhou com desgosto e ele encolheu-se na cadeira — Você não fala quando é necessário, mas é incrível como você não se presta a calar a boca em momentos inadequados. — Jungkook a olhou indignado.

 

— Eu não disse nada porque você estava ao telefone — engoliu em seco — E como eu pensei que fosse importante, não queria te interromper.

 

— Ah, pouco me importa isso agora — ela levantou se da cadeira com cautela — Nem para isso você serve. — a mulher disse com descaso e o olhou de cima a baixo.

 

— Perdão — Jeon nem ao menos sabia o por quê de estar se desculpando, ele apenas estava farto de brigas e não queria iniciar mais um conflito. — Eu serei mais educado da próxima vez, não se preocupe. — Jungkook estava surpreso consigo mesmo. Ele não havia gaguejado e se parabenizava por isso, mas ele ainda não sabia de onde havia lhe surgido tanta coragem para responder sua mãe de tal forma.

 

— Apenas cale a boca garoto! — Jungah exclamou em alto e bom tom para o garoto, este que por sua vez vacilou em seu lugar e tremeu de leve — Não estou com paciência para ficar ouvindo a sua voz irritante hoje. Apenas entre na droga do carro antes que eu o faça ir andando até lá. — estressada, ela disse por fim.

 

Jungkook nada disse, mesmo que ele soubesse que sua mãe não veria seu ato ele apenas concordou levemente com a cabeça. Ainda em silencio ele andou ate a garagem de sua casa e entrou no carro de sua mãe e esperou até que ela viesse.

 

 

.~.’.~.

 

 

 

O percurso de carro foi extremamente silencioso. A mulher mais velha não havia ousado abrir a boca para direcionar qualquer palavra a Jungkook e ele agradecia internamente por isso. O menino tinha seu olhar entretido na estrada, esta que estava do outro lado do vidro, a musica que soava em seus fones de ouvido era agradável demais para que ele se desse ao trabalho de se preocupar com a presença insuportável que dirigia a seu lado.

 

Entre piscadas e outras o carro já encontrava-se estacionado em frente ao grande portão de metal de seu colégio.  Jungkook havia de descer do carro e isso era algo que ele realmente não queria. Só de pensar em atravessar aquele gramado verde, seu coração acelerava e seus ossos pareciam congelar, ele temia entrar ali. E não pense que é porque ele não gosta de estudar barra acha os professores da instituição insuportáveis ou qualquer desculpa tosca que os jovens atiram contra as escolas por simplesmente não gostarem de estudar. Os motivos de Jeon vão muito além disso, muito além mesmo.

 

 Mas o que há de tão ruim naquele colégio que faz o garoto temer o de forma tão absurda?

 

Ah meus caros, apenas preparem-se, pois vocês estão prestes a conhecer apenas mais um dos infernos pessoais de Jeon. 


Notas Finais


ooooooooooooooooooooooooooooooooooi

vocês vão ficar muito putos com o que vai acontecer no próximo capitulo, até eu fiquei.

Já se preparem psicologicamente porque a próx att vai destruir geral.

oi

então é só isso mesmo <3

EU AMO VOCÊS DEMAIS, SABIA?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...