História The Sunshine Boy (Jikook-Kookmin) - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bottom!jungkook, Bts, Death Fic, Jeon Jungkook, Jikook, Jimin, Jimin!seme, Jimin!tops, Jungkook!uke, Kim Namjoon, Kim Seokjin, Kookmin, Longfic, Min Yoongi, Namjin, Park Jimin, Sad Fic, Yaoi
Visualizações 76
Palavras 1.172
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Fluffy, Hentai, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oi...

então...

peço desculpas desde já se você encontrar algum errinho na escrita...

Boa leitura sz...

Amo vocêsz...

Capítulo 5 - "Ele nunca quis receber aqueles toques."


 

Jungkook desceu do carro e nem sequer ousou olhar para trás, pois no mesmo momento em que ele havia fechado a porta do automóvel, a empresaria, que dirigia o veículo havia arrancado com tudo.

 

 

Em passos silenciosos em meio a tanta gente, o garoto caminhou pelo pátio. Sua primeira aula era de matemática e Jungkook odiava tanto a matéria, quanto o professor. O moreno não gostava da matéria porque para ele, aquilo era algo muito difícil e complexo de se entender, mas mesmo assim ele fazia todas as anotações e se esforçava para tirar boas notas e ficar na media. O sinal irritante havia soado em seus ouvidos e o garoto automaticamente acelerou os passos, não queria chegar atrasado à sala de aula, pois caso contrario as consequências pesariam para si, e ele se arrepiava só de pensar na possibilidade.

 

 

Não demorou muito para que ele chegasse até o local desejado, ele havia chegado cedo até demais, pois quando entrou na sala apenas o professor se encontrava dentro do local.

 

 

— Com licença, senhor Min? — Jungkook pediu educadamente a permissão de passagem ao professor, e o encarou em busca de alguma resposta.

 

 

— Claro Jeon. — o homem presente na sala sorriu docemente para Jungkook, mas o garoto pensava diferente. Para ele, ter de encarar aquele sorriso era o mesmo que ser obrigado a olhar diretamente para o inferno. — Entre e sente se em seu lugar, por favor.

 

 

Jungkook encarou o professor com certo receio, mas ignorou a sensação ruim que havia se apossado de seu peito e seguiu em direção a sua carteira, fazendo uma reverencia em sinal de educação para o professor durante o caminho. Sua reverencia realmente foi por pura educação, pois a última coisa que Jeon sentia por aquele homem era respeito. O moreno se sentou em seu lugar e tentou manter-se neutro perante a presença do Min que o encarava incessantemente, sem ao menos piscar. O ato do professor chegava a soar psicótico, tal coisa que fez as mãos de Jungkook começarem a suar frio em sinal de puro nervosismo. Seus fones de ouvido ainda pendiam em seus ouvidos, e a musica tranquila ainda soava em seus tímpanos, parecia agora tão insuportável e incomodativa na visão do moreno que o fez ter vontade de arrancar as suas duas orelhas com as próprias mãos. Iria acontecer mais uma vez.

 

 

O professor Min havia se levantado da mesa e Jungkook havia entrado em desespero, nenhum dos alunos havia chego à sala ainda, e Jeon os amaldiçoava internamente por demorarem tanto enquanto falavam barra fuxicavam da vida dos outros no pátio do colégio.

 

 

Em passos lentos e calmos, como quem não quer nada, o Min se dirigia até o assento de Jungkook. A cada passo em que a distancia diminuía o moreno sentia-se ainda mais intimidado pela presença do professor. O ar da extensa sala de aula parecia ter se esvaído, e o mais novo entre os tinha uma dificuldade imensa de respirar, já estava a ponto de chorar. Quando o homem mais velho finalmente chegou ao lugar desejado, em frente à Jeon, ele parou subitamente e Jungkook subiu seu olhar até encontrar com o do professor.

 

 

— Jungkook — o Min chamou.

 

 

— P-pois não senhor Min? — gaguejou amedrontado, o professor riu.

 

 

— Jungkook, querido. — pausou — Eu já não lhe disse que quando estivermos a sós você não precisa me tratar com toda essa formalidade? — questionou o homem enquanto encarava de forma intensa as orbes de Jeon.

 

 

— Já d-disse sim — ele respondeu hesitante — Y-Yoongi.

 

 

— Então por que continua a fazê-lo? — em tom risonho o homem perguntou. O Min subiu uma de suas mãos até os sedosos fios de cabelos morenos do garoto e os acariciou, mas Jungkook recuou ao toque.

 

 

— É q-que o senhor é meu professor — Jungkook engoliu em seco. Ele não estava gostando nenhum pouco dos toques inconvenientes do professor. O moreno tentava esgueirar-se a todo custo. — Em minha concepção, é errado que eu te trate de forma tão informal. — a essa altura os toques de Yoongi haviam descido para os braços delicados do garoto, o Min o alisava de forma tão imprudente, indecente e maliciosa que Jungkook tinha vontade de vomitar.

 

 

— Esqueça a sua concepção Jungkook — o homem mais velho parecia achar graça de toda a situação e na medida em que Jungkook se assustava ele intensificava ainda mais as caricias. — A sua concepção do que é certo ou errado não vale de nada quando eu quero algo. — e inclinando-se sobre a mesa de Jungkook, Yoongi já alisava as partes internas de suas coxas roliças, estas que Jeon tentava fechar a todo custo. O garoto queria chorar, gritar e espernear até que todo mundo viesse e visse o que estava acontecendo dentro daquela sala, mas o garoto não tinha forças para nada, a discussão do dia anterior havia desgastado e sugado todas as suas energias mentais, e físicas. Ele tentava de todas as maneiras se esgueirar e desviar das caricias impuras que eram distribuídas em seu corpo sem nenhum consentimento seu. Mas Yoongi era insistente, persistente e três vezes mais forte do que si.

 

 

— P-para, por favor, eu não quero isso — os olhos do moreno já estavam enchendo-se de água. Ele respirava em descompasso por conta do desespero, tremelicava de medo e se encolhia em sua carteira escolar na tentativa de fugir, mas era em vão — Me solta! — disse em tom mais elevado e o Min o soltou, mas não por estar arrependido do que fez ou algo do tipo, mas sim porque ele havia ouvido as vozes dos estudantes se aproximando da sala.

 

 

— Não pense que isso acaba aqui — o professor o olhou de forma aterrorizantemente fria que congelou todo o corpo do garoto, ele estava estático. — Você tem o ultimo horário de aula comigo, lindinho — ele sorriu de forma macabra — Quando o sinal soar eu quero que você permaneça aqui dentro, não ouse botar os pés para fora daquela porta, e eu espero que você não tente me dedurar a direção dessa vez — o Min segurou ambas as bochechas de Jungkook com uma só mão, e as apertou com força — Daqui a pouco eu falo com você, gracinha. — Yoongi abaixou-se de forma que o rosto de Jeon ficasse de frente ao seu e encostou seus lábios no de Jungkook. O garoto nunca havia sentido tanta vontade de vomitar na vida. E como se nada tivesse acontecido o homem se retirou da presença de Jeon e caminhou até a porta para receber os alunos que estavam chegando. E as poucas lagrimas que estavam acumuladas nos olhos de Jungkook desceram livremente em sinal de alivio. Ele havia conseguido escapar dessa vez.

 

 

Jeon tentou recompor-se e enquanto limpava seus lábios com força e brutalidade, ele encarou a janela de vidro que estava posicionada ao seu lado e ao olhar através dela pode visualizar a linda glicínia de coloração lilás que estava posicionada no centro do pátio. A arvore dançava com o vento, em uma das coreografias mais bonitas que Jeon já havia visto.

 

 

E por alguns instantes, seu coração encontrou um pouco de paz.


Notas Finais


nada a declarar sobre isso... quero avisar que eu, em momento algum quero incentivar alguém a fazer algo parecido com o que aconteceu acima.

nojinho do Yoongi, mas foi necessário.

amo vocês <3

até depois sz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...