História The Survival Game - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Tags Nache, Natsuxcherria
Exibições 37
Palavras 2.328
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Ecchi, Fantasia, Ficção, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpem a demora, mas tinha bastante coisa para atualizar, e estava um pouco corrido. Mas agora está tudo bem, vou tentar postar com mais frequência.

Agradecimentos ao Red Dragon Emperor por emprestar a personagem salva no capítulo

Capítulo 3 - 003- Nível 01 da floresta


003- Nível 01 da Floresta

Natsu abriu uma pequena fresta da porta, e olhou para fora, procurando algum sinal de inimigos. Não identificou ninguém, nem ouviu nem sentiu cheiro algum. Saiu completamente da taverna em que estavam tendo a certeza que estavam sozinhos naquela pequena área da cidade. Era de noite, estava escuro.

-Acho que está seguro por enquanto, minna. – Disse, com um sussurro. Todos assentiram, e um a um saíram, enquanto viam a calma que estava no local. Lucy havia acordado, porém estava amordaçada, pois Erza estava irritada com o choro da loira. Ela resmungou alguma coisa, apenas para receber um olhar cortante e furioso da Scarlet.

-Temos que tomar cuidado lá. Ele fez o anuncio de maneira publica, ou seja, poderão haver inimigos lá – Disse Katsu – E teríamos problemas em derrotar pessoas em quantidade sem chamar atenção.

-Então teremos que ser o mais discretos o possível. – Disse Gray, vendo o azulado assentir. – O que significa que não podemos lutar contra ninguém que encontrarmos durante o trajeto, uma vez que isso poderia chamar atenção de mais inimigos que realmente queremos ver.

-Ele tem razão – Comentou Charle, pensativa. – Mas não vejo meio de fazermos isso. Somente se pudermos derrotar todos na surdina, sem fazer barulho, assim, evitaríamos ser descobertos, e também entrar em lutar desnecessárias.

Mavis olhou para a gata, e assentiu, pensando em como eles poderiam fazer tal coisa. Nisso, ele teve uma ideia, e sorriu, um pouco animada.

-Talvez, se usarmos a própria floresta como esconderijo, nós tenhamos êxito em não chamar atenção alguma. – Explicou a loira, sorrindo. – Escutem, por mais que todos estejam na floresta, nem todos estarão completamente escondidos. Serão as presas fáceis. Podemos pegá-los e ataca-los, sem precisar matar. Assim vamos poder andar pela floresta com mais liberdade, uma vez que a floresta vai ser esvaziada aos poucos.

Todos assentiram, vendo que a ideia da primeira era a mais racional para aquele momento. Katsu olhou para o local. O azulado se sentia nauseado. O cheiro de sangue não cessava em nenhum instante, e infestava o local todo. Os Dragon Slayer estavam nauseados com tal situação.

-Vamos logo. – Disse Katsu, um tanto frio.

Todos assentiram, andando pela cidade em direção da floresta, sendo que estavam alertas para os inimigos. Caminhavam devagar, temendo serem visto por inimigos mal-intencionados. 

Após algum tempo andando, eles encontram uma floresta. A mesma era escura, o que fez com que Erza desse um sorriso.

-Acho que estamos mais ou menos bem assim. A floresta sendo escura desse jeito, será mais fácil para nos esconder. – Disse a ruiva.

-Mas também temos uma desvantagem. Os outros também estarão bem escondidos, o que apenas significa também estamos correndo o risco de sofrer um ataque surpresa. – Comentou Mavis num tom sério.

-Então devemos tomar mais cuidado ainda. – Comentou Natsu, vendo que a fundadora concordou. Nisso, ele olhou para Cherria, e estendeu a mão. – Segura minha mão, Cherria-chan. 

A rosada olhou para ele corada, mas pegou na mão dele. Lucy deu um rosnado de raiva ao ouvir isso. Katsu olhou para Wendy, e estendeu a mão para ela, enquanto olhava para outro lado, tendo seu rosto corado. Ela pegou na mão dele, enquanto se matinha corada e sem jeito.

Todas as garotas, com exceção de Lucy, olharam impressionadas com a fofura dos dois. Após esse breve tempo, Mavis suspirou.

-Precisamos ir agora. Se tiver mesmo alguma coisa que possa nos ajudar, temos que encontrar antes que as outras equipes a encontrem. – Disse Mavis. Todos assentiram.

Adentraram a floresta, e andaram sempre se escondendo atrás de grandes pedras ou arvores. Os Dragon Slayer ouviam de vez em quando alguns passos um pouco distantes deles, mas percebiam que eram sempre apressados. Isso os deixou intrigados, pois imaginaram que todos estariam sendo o mais discretos o possível para não serem pegos por outras equipes.

Nesse momento, Natsu sentiu uma poderosa energia dragonica. Ele parou de repente, fazendo que todos olhassem para ele.

-O que foi, Natsu-kun? – Questionou Cherria, olhando para ele com ansiedade e um tanto de preocupação.

-Estou sentindo uma forte áurea dragonica a frente. – Falou ele, em tom baixo, chamando a atenção de todos.

-Será que é a tal arma? – Questionou Gray, sentindo ansiedade.

-Só vamos saber se formos até lá – Disse Katsu, olhando para frente.

-Então vamos. – Disse Mavis.

Após ouvirem a fala da primeira, todos começaram a andar, sendo que Natsu acabou indo na frente, pois sentia a energia. Ele puxava consigo Cherria, que seguia o rosado com um sorriso no rosto. Apesar da situação ela estava feliz por poder andar com ele daquele jeito.

Logo eles chegaram numa área aberta da floresta, sendo esta uma clareira. No centro da mesma, uma espada com cabo de outro, uma lamina prata, com um detalhe lilás. Natsu andou até a mesma, se soltando de Cherria, sem perceber. Quando ele colocou a mão no cabo da espada, ouviu palmas, e uma risada.

-Muito obrigado por achar a Ascalon, a espada desse nível. Agora entreguem ela a mim, um dono que realmente fará bom uso dessa espada. – Disse uma voz masculina maldosa. Todos olharam, e viram um homem, sendo que ele usava uma badana, que cobria toda a cabeça, e tapava um olho. O outro olho, vermelho. Ele usava uma camisa preta aberta até a metade do tórax, enquanto calças e botas militares. Em volta deles, vários outros homens no mesmo estilo do primeiro surgiram. A clareira tinha um alto barranco, o que fez com que o grupo da Fairy Tail ficasse encurralado.

Cherria correu até Natsu, protegendo as costas do mesmo, sendo que ele continuava segurando a espada. Katsu se adiantou.

-Quem são vocês? – Questionou. – E se achamos, acho que ela é nossa. – O homem riu.

-Vocês estão brincando com fogo, idiotas. – Disse ele, erguendo sua mão, enquanto mordia a mesma, fazendo ela sangrar. Feito isso, ele ergueu a mesma, começando a controlar o sangue, o tornando uma lança, sendo que tinha um formato bem irregular. Todos ficaram surpresos.

-Ele controlou o próprio sangue? – Questionou Gray, intrigado.

-Isso não importa agora. – Disse Mavis, ela era invisível para os inimigos da Fairy Tail. – Temos que derrotar eles para sairmos daqui.

Katsu se adiantou, olhando para Wendy.

-Wendy-chan, fique perto dos outros, eu vou dar um jeito nesse verme maldito – Rosnou Katsu. Ela, mesmo contra vontade, foi. – Agora eu contra você, imbecil.

O homem pulou na direção do Yamihonoo no Dragon Slayer, que desviou de uma tentativa de ser cortado.

-Ele realmente quer me matar! – Exclamou ele em pensamento.

Nisso, o Dragon Slayer fez chamas negras surgirem em seu punho, tentando acertar o homem, porém o mesmo impediu isso com a lança de sangue. Katsu rosnou, recuando um pouco.

Nisso, percebeu que todos lutavam contra os outros membros, com exceção de Lucy que havia se escondido num arbusto, o que fez o Dragon Slayer ficar indignado. Ao se distrair um pouco, foi atingido pela lança do homem, sendo que foi atingido no ombro. A Lança atravessou, porém, o azulado, meio que no susto, tirou ela rapidamente de seu ombro, e a quebrou. O homem riu.

-AGORA EU LHE MATAREI! – Gritou ele. Criando outra lança usando o próprio sangue mais uma vez.

-KATSU! – Gritou Wendy, após usar um rugido em vários dos homens.

Katsu se enfureceu e gritou:

-YAMIHONOO NO HOUKO! – Usou seu rugido, atingindo o homem, que jogou a lança, que acertou o ombro do Dragon Slayer mais uma vez. O homem voou em direção do barranco.

-SEU EU VOU MORRER, VOCÊ VEM COMIGO! – Gritou enquanto caía. Nisso ele fez o movimento de estar puxando algo, e a lança no ombro do Katsu brilhou, sendo que por causa dela, Katsu foi arrastado em direção do barranco, caindo no mesmo. Natsu viu isso, e gritou, puxando a espada chamada Ascalon do solo, e com ela, lançando uma onda de energia, derrubando os inimigos restantes. Wendy correu até o barranco, sendo que ia se jogar no mesmo, porém Natsu a segurou.

-KATSU! ME SOLTA EU TENHO QUE VER ELE! ME SOLTA NATSU-NII! – Exclamou ela, chorando e berrando, enquanto se debatia.

-Não… Espera Wendy! – Gritou o rosado, conseguindo segurar ela a muito custo. – Merda…

Ao olhar para o barranco, percebeu que não conseguia ver o fundo, pois estava escuro.

-Como vamos resgatar ele?! – Questionou Cherria, olhando para o barranco.

-Não vamos, pois já deve ter morrido pela queda. – Disse Lucy, como se não se importasse. Todos olharam para ela, e a única coisa que viram foi Wendy a jogando no chão, e pisando em seu pescoço.

-Se falar assim dele de novo, você que será jogada lá em baixo. – Disse a azulada soltando o pescoço dela. Depois disso, voltou para a beira do barranco, sendo que começou a chorar.

Ninguém se importou que ela tenha ameaçado Lucy, mas estavam preocupados com Katsu. Nisso, Yuna olhou para a pulseira, sendo que chorava.

-Não podemos falar com usando essa pulseira? – Questionou ela, olhando para o objeto.

Wendy, mais que rapidamente, procurou em pulseira, até que achou a foto do mesmo. Apertou na mesma, sendo que apareceu que a mesma estava entrando em contato com o azulado.

No fundo do barranco, a pulseira de Katsu brilhou, fazendo o mesmo abrir os olhos. Ele estava com vários ferimentos pelo corpo, e se levantou de vagar, pois, sentia que uma perna sua estava fraca, junto com seu braço direito, que doía. Ele olhou para o braço, vendo que estava quebrado. Nisso, olhou para a pulseira, e bateu a testa, já ferida, no objeto, fazendo a imagem de Wendy aparecer.

-KATSU-KUN! – Exclamou ela numa mistura de felicidade, alivio e preocupação ao ver o mesmo ferido.

-Yo! – Respondeu. – Pegaram a espada?

Nisso Natsu apareceu.

-Quem se importa com a merda da espada?! COMO VOCÊ ESTÁ?

-Vivo. – Respondeu ele. – Eu vou dar um jeito de sair daqui. Se pegaram a espada se mandem daí antes que mais alguma equipe amistosa venha fazer companhia para vocês.

-M-mas… - Wendy ia dizer algo, quando ele a interrompeu.

-Mas nada, Wendy-chan. Vou ficar bem. Procurem um lugar seguro. Pelas pulseiras devemos conseguir saber onde os outros membros da equipe estão. – Disse ele. – Se escondam, que eu vou encontrar vocês mais tarde.

Ele desligou a transmissão, e se levantou devagar, já que seu equilíbrio estava prejudicado, devido ao braço fraturado. Começou a andar, sendo que pisou no homem que lutou. Ele estava com o pescoço em uma posição estranha.

-Acabou que só você morreu, desgraçado. – Disse para o corpo, enquanto saiu dali, segurando o braço quebrado.

Após dizer isso, riu de maneira sombria, e andando cambaleando um pouco, se afastou dali. Além de seu braço quebrado, sentiu que seu tornozelo também estava torcido, o que o fez rosnar um pouco.

Ele tinha uma grande dificuldade ao passar pelas raízes expostas das arvores, pois sempre que o fazia, seu tornozelo dava uma fisgada incomoda de dor.

-Não está tão ruim, se estivesse, nem andando eu estaria, - Pensou, antes de ter seu pensamento cortado por um grito feminino. Ele, olhou na direção do grito, e viu uma garotinha, criança, cercada por alguns homens, que babavam de forma asquerosa em cima dela. Katsu rosnou ao ver essa cena.

-Ora, venha logo sua pirralha insolente! Obedeça aos mais velhos! – Berrou um dos homens, sendo este o mais velho de todos, tendo uma barba branca malfeita, olhos verde-musgo, e trajes rasgados e sujos. A garota gritou de volta.

-EU NÃO QUERO IR COM VOCÊ! NÃO GOSTO DE VOCÊ! – Gritou ela. O homem deu um tapa no rosto da criança, fazendo ela cair no chão, pelo fato de ser bem mais fraca que o adulto.

-Se não vem por bem, vem por mal! – Exclamou ele, avançando nela, quando quase foi atingido por uma rajada de chamas negras, sendo que pulou para o lado, para desviar. – O-o que foi isso?

-Eu acho que a garotinha disse que não quer ir com você, seu velho bastardo. – Rosnou Katsu, saindo de trás da arvore que assistiu à cena. Ele ficou na frente da garota, que olhou para ele aliviada. – Suma daqui, aproveite enquanto estou sendo misericordioso.

-Como ousa…? – O homem correu na direção do adolescente, que apenas suspirou, desviando de um soco.

-YAMIHONOO NO HOUKO! – Gritou, cuspindo uma torre de chamas, que atingiu o homem, o derrubando no chão. Katsu percebeu que o mesmo estava vivo quando se remexeu se levantando. Olhou para os outros, sendo que alguns o olhavam com raiva.

-Duvido que posso enfrentar essa quantidade sozinho e principalmente nessas condições. – Pensou, irritado. Nisso se virou para a garotinha.

-Você está bem? – Questionou, vendo ela assentir. Ele se virou de costas para ela, e se agachou, permitindo a ela, subir em suas costas. – Vamos dar o fora daqui. YAMIHONOO NO HOUKO!

Dessa cuspiu as chamas no chão criando uma explosão, e fazendo uma coluna de fumaça se erguer. Aproveitando que os outros provavelmente estavam temporariamente cegos, ele, com o braço com, segurou a garotinha em suas costas, e saiu correndo, ignorando a dor em seu pé.

-Como é seu nome? – Questionou ele.

-Haru.

-Posso ter olhado rápido demais, mas essa garotinha é idêntica a Wendy-chan, quando era mais nova. – Pensou ele. Logo saiu da floresta, vendo um campo aberto. Deu um sorriso, e percebeu que ao seu lado, um barranco baixo estava presente. Andou pouca coisa, até ser interrompido por um grito.

-NOS DEVOLVA ESSA MENINA, SEU LIXO INUTIL! – Katsu olhou para trás bufando.

-E se eu disser não?

-Então teremos que tomar ela de você, e te matar para aprender a mexer com os mais velhos, moleque. – O estalou os dedos, e uma espada de fogo surgiu, fazendo Katsu dar um sorriso convencido.

Antes que pudesse falar algo, sentiu o cheiro de pessoas conhecidas, e sorriu ao ouvir a voz de Natsu, não aparentando estar contente.

-Tente encostar no meu otouto, que você irá conhecer o inferno. – O rosado tinha chamas em suas mãos, e uma expressão de fúria no rosto. – Você está tentando matar ele e aquela garotinha? Então eu pergunto: Estão prontos para uma caçada infernal?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...