História The Three of Us - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Políamor, Sim, Tem Um Casal Com Três Integrantes
Exibições 15
Palavras 1.887
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Hentai, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


boa leitura, diamonds :3

Capítulo 11 - Cada um tem sua história


Dexter sentou-se na sua cama e pegou na mão da mulher sentada ao seu lado, que era sua mãe. Ela tinha cabelos curtos e com feições suaves. Ela esperou o filho iniciar o vídeo para poder falar alguma coisa. Dexter iniciou o vídeo e explicou que aquele vídeo era para responder perguntas sobre o novo relacionamento dele com Bilbo e Louis.

- E a principal pergunta era como nossos ais reagiram a isso. – disse Dexter olhando para sua mãe – Essa aqui é minha mãe. Mamãe, quando eu falei que tinha algo para contar o que você temia?

- Eu jurava que ele ia falar que precisava ir para uma clinica de reabilitação. – respondeu ela colocando um pedaço do cabelo curto atrás da orelha – Eu sinceramente não ligo se meu filho esteja namorando quatro pessoas diferentes, se todo mundo estiver de acordo, feliz e ele não estiver se drogando e/ou acabando com a própria vida, eu estou feliz.

Dexter sorriu e abraçou a sua mãe.

Jump cut. Bilbo estava sentada entre seu pai, Sam, e sua avó, vovó Baggins. Bilbo pegou em ambas as mãos dos seus parentes e sorriu e os dois ao seu lado sorriram também.

- Esse aqui é meu pai, hobbiteses, Sam e essa é minha vovó, vovó Baggins, como meu pai quis que a chamássemos desde que contei que me apelidaram de Bilbo. – Sam e vovó Baggins sorriram e ela revirou os olhos brincando – O mais difícil para meus parentes entenderem sobre meu relacionamento era o tamanho da cama, onde acharíamos uma cama tão grande? – Bilbo riu com seus parentes – E a aceitação deles veio com uma longe e antiga história. Você pode contar, vovó.

A vovó Baggins respirou fundo.

- Anos atrás, quando o Sam tinha apenas quatorze, eu descobri que meu marido me traía. – contou ela – Ele me traía com um homem e pelo que ele me confessou, fazia dois anos que eles estavam juntos até eu descobri. Nós nos separamos e eu fiquei muito triste. Eu estava devastada e em um jantar com meus filhos e um antigo namorado de minha filha eu descobri porque estava tão mal. Eu nem conseguia comer e todos notavam, e esse namorado da minha filha disse, “Não fique triste, Ana, aquele viado não te merecia. Abominação.”, me lembro de bater a mão na mesa com força e começar a gritar com ele. Eu não estava triste porque havia descoberto que meu marido era homossexual, eu estava triste porque eu amava ele muito e havia sido traída. Depois de um tempo, depois que a tristeza passou, voltei a falar com meu ex-marido. Eu não podia deixá-lo longe dos filhos e muito menos ia tirar os filhos dele de perto dele como muitas pessoas queriam que eu fizesse porque ele era gay. De uma coisa era certeza, se algum homofóbico pisasse na minha casa eu mesma ia descer o cabo de vassoura neles – Bilbo e Sam começaram a rir – ele era o pai dos meus filhos e ele sempre foi um ótimo marido. Eu deixei a traição de lado e o acolhi na minha casa junto com seu namorado, que Bilbo chama de Nono, ele faz as coberturas dos meus bolos.

- Nem me fala naquele bolo. – disse Dexter fazendo as pessoas ali rir – Tô morrendo de saudade dele.

- Nono, você não quer dar um oi? – perguntou Bilbo e um senhor de cabelos brancos apareceu no enquadramento sentando-se ao lado da vovó Baggins.

- Oi. – disse ele timidamente.

- Por causa disso tudo – começou Sam –, eu aprendi que sexualidade nunca devia ser algo tão importante para dizer sobre o caráter de alguém. Minha ex-esposa por contrário nunca pensou assim. Quando Bilbo ia nascer, ela se recusava que meu pai e o Nono a conhecessem e aquilo me deixou louco, porque, segundo ela, “eles poderiam influenciar a Maggie”. Eu me separei dela por causa disso e deixei minha filha sempre perto da família.

- Quando eu decidi contar para meus pais da minha bissexualidade – contou Bilbo –, coloquei os dois na mesma mesa e contei, minha mãe não aceitou e me expulsou de casa e meu pai disse que eu iria morar com ele – Bilbo olhou para o pai com adoração – e que eu não devia me deixar levar por aqueles que não me aceitam pelo o que eu sou. E o que você disse mesmo, vovó? Quando eu contei que sou bi?

- Eu não lembro. – mentiu a senhora Baggins fazendo Bilbo, Nono e Sam rirem.

- Eu me recordo que era “O que caralhos eu tenho a ver com isso, menina? Vai pegar a farinha pra mim que eu tô pouco me fudendo se você beija meninas também.”. – contou Nono.

- Quem te perguntou, Nono? – perguntou vovó Baggins o fazendo rir.

Jump cut. Louis estava sentado sozinho na cama, no centro da cena, seus olhinhos brilhavam com lágrimas. Ele fungou e olhou para os próprios dedos.

- Eu não falei para os meus pais porque não nos conversamos há anos, porque eles não gostaram de saber sobre minha sexualidade. – ele olhou para a câmera e limpou as lágrimas que desciam pelo rosto – E isso fez me ver que eu não estou sozinho, que eu tenho uma família, que não é de sangue, mas que me apoiou. – Kaith sentou ao lado de Louis com os pais dele junto – Esse aqui é Kaith meu melhor amigo e os pais dele que me acolheram quando eu precisava – Dexter e Bilbo sentaram do outro lado e a mãe de Dexter e Sam, vovó Baggins e Nono sentaram-se junto – esses são a Bilbo e o Dexter duas pessoas que eu amo mais que tudo nesse mundo e a família deles que não dão uma foda para que tipo de pessoas eu tenho atração.

- Não damos uma única foda. – repetiu vovó Baggins concordando fazendo as pessoas ali rirem.

- Eu sou muito sortudo por ter tudo isso. Eu desenvolvi depressão por essa história toda de família e foi de onde essa tatuagem – Louis postou o pulso esquerdo que estava escrito “Novecentos anos…” – entrou, Kaith sempre escrevia isso no meu pulso para nunca me esquecer do quão importante eu sou, e eu resolvi fazer uma tatuagem sobre isso e, sim, é a letra do Kaith.

Jump cut. Agora só Bilbo, Dexter e Louis estavam enquadrados e todo mundo estava assistindo. Cada Bilbo e Louis prestavam atenção no seu celular enquanto Dexter, que estava no meio começava a falar.

- Nós vamos responder perguntas que vocês fizeram. – disse ele – E não, apesar de recebermos muitas perguntas sobre o assunto, não vamos falar sobre sexo. Nós recebemos muitas criticas, mas muitos de vocês foram uns docinhos que só apoiaram e ficaram gritando no twitter e tumblr que sabiam o que estava acontecendo entre nós.

- Um dos comentários que eu mais amei – começou Bilbo – foi da Alison, ela disse, “Bilbo, você me decepcionou muito, sua música tema é ‘Womanizer’ e você termina com dois garotos? Estou em prantos”. Alison, você é um anjo, eu amo você. – Bilbo sorriu.

- Perguntaram sobre a cama. – disse Louis – Nossa cama foi feita sob medida para ser maior que o normal, assim como o colchão. O Darwin quer saber quem dorme no meio.

- A vareta dorme no meio para dar espaço para nós. – contou Bilbo rindo.

- Eu sou o mais tranquilo e não fico fazendo break dance na cama. – defendeu-se Dexter.

- O Johnny quer saber se shippamos johnlock. – disse Bilbo.

- Claramente. –os três responderam uníssono – Claramente.

- Quem arrota mais alto? – perguntou Dexter.

- Eu. – respondeu Bilbo levantando a mão rindo com os meninos.

- Quem come mais doce? – Dexter sorriu – Eu mesmo.

- Vovó já mandou ele pra puta que pariu umas três vezes porque ele não cumprimenta ela, só pede bolo. – contou Bilbo.

- Puta que pariu, nem dá para fingir ser boazinha que já contam a caralha toda. – reclamou vovó Baggins atrás da câmera.

E assim o vídeo seguiu, com eles respondendo coisas adoráveis sobre quem era mais o que. Com relação a sexo, houveram milhares perguntas sobre e eles não responderam nenhuma porque isso era um assunto muito pessoal, porém eu posso contar tudo.

Digamos que em relação a sexo as coisas fluíam com tranquilidade. Às vezes os três queriam um momento divertido entre os três e às vezes um queria um momento a sós com apenas outra pessoa do relacionamento.

Um dia, Dexter achou não estar muito no clima para transar, não queria nem beijar. Porém ao ir para a cozinha buscar um copo de água percebeu estar errado. Louis estava sentando Maggie na bancada da pia, agarrando-a com vontade, beijando-a abaixando seu short e cueca o suficiente para colocar seu membro para fora. Maggie puxou sua calcinha para baixo, ela estava apenas usando uma blusa. Louis colocou uma camisinha em si o mais rápido que pode e penetrou lentamente no sexo já úmido de Maggie. Dexter se sentou a mesa, apalpando seu membro sobre o short observando aquela cena maravilhosa.

Maggie colocou o queixo no ombro de Louis e sorriu ao ver Dexter sentado ali.

- Temos… ah… – gemeu ela ao tentar falar – temos alguém assistindo…

Louis continuou estocando com força, fazendo Maggie gemer cada vez mais alto. Ele mordeu o pescoço dela e sorriu.

- Então vamos fazer um ótimo show. – disse ele levantando a blusa larga de Dexter que ela usava e apertou um peito dela e a beijou do modo mais pornográfico possível fazendo o corpo de Dexter pulsar e seu quadril se projetou para cima buscando atrito.

Maggie e Louis gemeram juntos e sorriram quando ouviram o gemido sofrido de Dexter. Maggie abriu os olhos e encarou o garoto sentado na cadeira perto da mesa, ele estava de pernas abertas e seu short estava abaixado e seu pau para fora, ele acariciava lentamente e ao notar o olhar faminto de Maggie sobre seu pau sua mão aumentou a velocidade.

- Não, não, não. Ai caralho… devagar. – ordenou ela e Dexter obedeceu.

- Mandona. – brincou Louis lambendo o pescoço dela aumentando a velocidade das estocadas sentindo que estava próximo.

Maggie arranhou os ombros de Louis gemendo mais alto sentindo seu orgasmo vindo com força. Seu corpo tremeu e logo Louis a acompanhou gemendo por Maggie enquanto ainda estocava sentindo o delicioso prazer lhes inundar. Ele saiu de dentro de Maggie e ambos olharam Dexter que estava visivelmente aflito por querer mais atenção no seu membro que pulsava com força nos seus dedos, a cabeça estava extremamente vermelha e pré-gozo escorria por ela.

- Louis, seja um bom garoto e amarra ele na poltrona do nosso quarto. – pediu Maggie descendo da pia – Ele merece umas horinhas de edging para relaxar.

Dexter mordeu os lábios e seus quadris novamente se projetaram para cima junto com a pulsação do seu membro. Louis beijou Dexter e tirou a mão dele do próprio membro e o levou pela mão até o quarto fazendo o que Maggie pediu, colocando ele confortavelmente amarrado à poltrona com uma mordaça na boca. Louis deu um selinho nele sobre a mordaça que dividia seus lábios e se retirou deixando-o sozinho com o pau duro e pulsante e ele não conseguia pensar em nada mais além da cena que acabara de ver na cozinha para amenizar a dor que sentia com a negligencia.


Notas Finais


o que acharam, diamonds? comentem e me digam.

próximo capitulo tem aula de edging, uma benção.

beijinhos, amo vocês, até a próxima e tchau.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...